Subscribe:

terça-feira, 9 de junho de 2015

DERRAMA SOBRE NOS O TEU ESPÍRITO MEU SENHOR...


                              DERRAMA SOBRE NOS O TEU ESPÍRITO MEU SENHOR...
Meus amados e queridos irmãos em Cristo Jesus a Paz do Senhor!

Nesta oportunidade estaremos meditando na Palavra de Deus no Livro de Atos 2:1-22

E, cumprindo-se o dia de Pentecostes, estavam todos concordemente no mesmo lugar;
E de repente veio do céu um som, como de um vento veemente e impetuoso, e encheu toda a casa em que estavam assentados.
E foram vistas por eles línguas repartidas, como que de fogo, as quais pousaram sobre cada um deles.
E todos foram cheios do Espírito Santo, e começaram a falar noutras línguas, conforme o Espírito Santo lhes concedia que falassem.
E em Jerusalém estavam habitando judeus, homens religiosos, de todas as nações que estão debaixo do céu.
E, quando aquele som ocorreu, ajuntou-se uma multidão, e estava confusa, porque cada um os ouvia falar na sua própria língua.
E todos pasmavam e se maravilhavam, dizendo uns aos outros: Pois quê! não são galileus todos esses homens que estão falando?
Como, pois, os ouvimos, cada um, na nossa própria língua em que somos nascidos?
Partos e medos, elamitas e os que habitam na Mesopotâmia, Judéia, Capadócia, Ponto e Ásia,
E Frígia e Panfília, Egito e partes da Líbia, junto a Cirene, e forasteiros romanos, tanto judeus como prosélitos,
Cretenses e árabes, todos nós temos ouvido em nossas próprias línguas falar das grandezas de Deus.
E todos se maravilhavam e estavam suspensos, dizendo uns para os outros: Que quer isto dizer?
E outros, zombando, diziam: Estão cheios de mosto.
Pedro, porém, pondo-se em pé com os onze, levantou a sua voz, e disse-lhes: Homens judeus, e todos os que habitais em Jerusalém, seja-vos isto notório, e escutai as minhas palavras.
Estes homens não estão embriagados, como vós pensais, sendo a terceira hora do dia.
Mas isto é o que foi dito pelo profeta Joel:
E nos últimos dias acontecerá, diz Deus, Que do meu Espírito derramarei sobre toda a carne; E os vossos filhos e as vossas filhas profetizarão, Os vossos jovens terão visões, E os vossos velhos terão sonhos;
E também do meu Espírito derramarei sobre os meus servos e as minhas servas naqueles dias, e profetizarão;
E farei aparecer prodígios em cima, no céu; E sinais em baixo na terra, Sangue, fogo e vapor de fumo.
O sol se converterá em trevas, E a lua em sangue, Antes de chegar o grande e glorioso dia do Senhor;
E acontecerá que todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo.
Homens israelitas, escutai estas palavras: A Jesus Nazareno, homem aprovado por Deus entre vós com maravilhas, prodígios e sinais, que Deus por ele fez no meio de vós, como vós mesmos bem sabeis;

A vida da igreja no Novo Testamento foi marcada por uma dinâmica e compromisso que não vemos hoje em dia. Presenciamos gelo seco nos cultos, lutas de várias formas para atrair jovens em ringues dentro de igrejas, conversões espúrias que desonram a Cristo, oferecimento de libertações e vitórias que a Palavra não ensina. Tudo isso tem, mas não tem Jesus Cristo com seu poder para salvar o homem do pecado. Tem circo, mas não tem alegria no Espírito. Tem dança profética, mas não profecia. Tem atos proféticos, mas não profeta. Somente uma entrega absoluta de nós mesmos nas mãos do Espírito Santo poderá inverter o atual quadro da igreja. Cada vez que uma atrocidade é cometida por um neopetencostal, as igrejas históricas se fecham para tudo o que não podem definir. Colocam tudo o que Deus pode fazer dentro de uma camisa de força. Saiu disso, nada vale. Precisamos ver e entender que as atrocidades impetradas por pseudo-pastores desajustados emocionalmente e totalmente ignorantes da Palavra não são nossos balizadores, mas a Sua Palavra e aquilo que o Senhor vem operando na história. Precisamos de um avivamento. Precisamos de um soprar do Espírito Santo no meio da igreja do Senhor para que as cinzas sejam varridas para longe do salvos. Deus sempre, em momentos específicos, despertou sua igreja e a obra foi feita rapidamente. Em tempos específicos Deus sopra com seu Espírito e a igreja acorda, confessa pecados, multiplica-se em evangelismo e missões e sua presença se faz sentir de modo benfazejo. Tanto tradicionais como pentecostais admitem e aceitam que a igreja deve viver na dinâmica do Espírito Santo. Tanto pastores de igrejas históricas e de igrejas renovadas sabem que sem o agir do Espírito Santo tudo fica mecânico, difícil e sem brilho. Vejamos algumas considerações porque precisamos de um reavivamento.

1 . PORQUE A IGREJA PERDEU O FERVOR MISSIONÁRIO.
2 .PORQUE OS PÚLPITOS ESTÃO VAZIOS DA PALAVRA.
3 . PORQUE AS REUNIÕES DE ORAÇÃO ESTÃO VAZIAS.
4 . PORQUE MUITAS CONVERSÕES SE MOSTRAM ESPÚRIAS
5 . PORQUE A IGREJA FOI TRANSFORMADA EM MERCADO GOSPEL.

Hoje promovem turismo em grandes navios para evangélicos. Roupas para evangélicos. Água evangélica e essa onda não tem mais onde parar. Precisamos de reavivamento para a igreja deixar de ser mercado e voltar a ser corpo. Avivamento para que haja repulsa contra essa mundanização crescente no meio evangélico.

I.                   O que PRODUZ UM AVIVAMENTO ?

Habacuque 3:1-2
Atos 2:1-8 ; 14-18 ; 37-38 ; 41-47

        Em primeiro Lugar, vamos deixar claro que está palavra não existe na bíblia, Avivamento. Não existe. O que se aproxima, é Reavivamento, que deriva de  uma palavra hebraica. AVIVAR já fomos nós que transliteramos, na NVI a expressão de Habacuque é outra é TORNAR A FAZER DE NOVO, REALIZAR NOVAMENTE.
A palavra do Hebraico é : “NAPASH” um substantivo que significa TOMAR FÔLEGO, REANIMAR, TORNAR A TER ANIMO.
Está palavra vem de um substantivo,  “NEPESH”  que significa VIDA, ALMA, APETITE, CRIATURA, MENTE.

        E todas as vezes que a bíblia procura trazer a expressão de REAVIVAMENTO ela procura trazer = tornar a vida, o oposto de algo que esteja sem animo, parado,  sem motivação.

        Em Gênesis encontramos o SENHOR, soprando as narinas e trazendo o homem a vida, e isto é o SENHOR soprou NeSHAMA <fôlego de vida>  e  o homem tornou-se NEPESH  <Alma vivente >
AVIVAMENTO é Vida, é Animo, é disposição, é relacionamento, é Desejo de Deus. de querer mais Deus.

EU QUERO DEUS. e DEUS EM MIM PRODUZ UM AVIVAMENTO.
Avivamento não é emoção transitória, não é movimento sem transformação, não é fanatismo religioso, nem praticas farisaicas, não é métodos e regras denominacionais, o chamado legalismo, não é barulho, não é  manifestação descontrolada dos dons espirituais, não é proselitismo, nem nova visão pra uma nova igreja, não gera orgulho espiritual, nem prepotência teológica, não é o afastamento da Palavra de Deus por uma nova visão, nem gera intolerância, nem confusão, nem cria um caminho para os descontentes falarem mal,  como diz o apostolo Paulo  em II Tm 3:5 não  é a APARÊNCIA DE PIEDADE, SEM A EFICÁCIA DO PODER.

II.               Então o que é o avivamento:

É querer mais Deus. é Vida. È Animo. É Disposição. É Transformação. EU QUERO DEUS. e DEUS PRESENTE É AVIVAMENTO.
O avivamento de Gales, na Inglaterra, que se Deu em 1905 começou quando um homem começou a orar em 28 de outubro de 1904, chamado EVAN ROBERTS, enquanto ele orava teve uma visão uma mão estendida, segurando um papel que tinha o numero 100.000 ele então começou a orar e pedir 100 mil almas, e então começou a sentir a calor, uma chama que invadia sua vida e o desejo de convidar as pessoas para orar de norte a sul da Inglaterra. Evan Roberts dizia que sua oração tinha um propósito, e durante um ano ele SUPLICAVA  a mesma coisa dai-me cem mil almas, até que quando o avivamento começou em RHOS na Inglaterra em culto publico. 2.267 pessoas renderam-se a Cristo. O comentário daquele culto despertou outras pessoas para ouvirem Evan Roberts, e para saberem mais do Cristo da Bíblia, As Livrarias venderam todo seu estoque de Bíblias, Faltou bíblia na Inglaterra, As minas de carvão onde trabalhou Evan Roberts, que ele dizia ser um lugar de Blasfêmia, foi transformado em lugares aonde os mineiros trabalhavam louvando e orando. As diferenças denominacionais caíram por terra, haviam grandes cruzadas reunindo todas as igrejas e boates eram fechadas por falta de clientes. A historia relata que os vagões dos trens lotados era um verdadeiro pentecostes, louvor, cânticos, oração, testemunhos, até a parada, e ao chegar ao trabalho, ninguém começava a trabalhar sem antes iniciar com um culto.
E o que mais impressionava este avivamento que deu inicio aos pentecostais da Inglaterra, era que os que se convertiam desejam se batizar nas águas imediatamente, e mais de 20 anos depois eles foram ainda contados nos rool de membros das suas igrejas.
O que levou Evan Roberts, a buscar um avivamento, foi o mesmo que levou Jonats Eduards, George Whitefield, João Wesley, Carlos Finney e tantos outros e moverem os céus e trazerem um avivamento:
ORAR COM PROPÓSITO.
ESTAR INSATISFEITO COM AUSÊNCIA DE DEUS.
NÃO ACEITAR O MUDANISMO, O PECADO, A FRIEZA,
É QUERER MUDAR.

Se resolvermos hoje, começar a orar com o propósito de querer a presença do Senhor e somente isto, só sua presença me basta, só isso, vocês vão ver o vento do Espírito mover este lugar e daqui começar um grande avivamento.

Pra que serve um Avivamento, o que ele Produz.

III.           O QUE PRODUZ UM AVIVAMENTO:

1.      CORAGEM:

Não quero chamar aqui todos de covarde, não que nos falte ousadia , mas a CORAGEM produzida por um avivamento, é diferente da ousadia Humana.
O livro de Atos começa com Homens trancados Orando, e o avivamento começa com o Medroso Pedro, aquele que Negou, Levantando-se e trazendo um belíssimo discurso.
Em Atos capitulo 3, eles curam um homem na porta do templo, são levados depois as autoridades, e eles enfrentam novamente com a palavra, os seus perseguidores em Atos 4:13
Está escrito:
<< Então vendo eles a OUSADIA/CORAGEM de Pedro e João, e Sabendo que eram homens sem letras e comuns, se maravilharam, ficaram admirados, e ai reconheceram que eles estiveram com JESUS >>
Avivamento produz a alegria em meio ao sofrimento, a coragem diante do perigo. Podemos enfrentar tudo se ele está conosco.
O Avivamento começa com eu quero Deus.
E A coragem flui porque Deus está comigo.
Não é pelo braço forte da carne, mas é pelo braço do Senhor. VENCEREMOS.
Se hoje aqui, nos colocarmos na presença Dele, e começarmos a clamar Senhor eu Quero, Eu quero mais de Deus, Minha Alma tem Sede de Ti.
Eu tenha certeza, Não vai ter gigante que fique na nossa frente, Deus vai levantar aqui os VALENTES DE DAVI.  Deus Vai levantar OS TREZENTOS DE GIDEÃO.
Você vai cheio de coragem enfrentar Faraó.
Você vai ter coragem de entrar na fornalha de fogo porque você vai ver lá dentro o quarto homem contigo.
Valentes de Deus. CORAGEM DOS CÉUS.
Não tem crise econômica, não tem ameaça de Guerra, Não tem o dedo do homem, não tem cavalos nem cavaleiros, não tem político corrupto, nem crise na saúde,
Pode vir o que vier, a igreja marcha.
Cheia do Espírito Santo, Quem ta contra já é derrotado.
O que produz um Avivamento?
Homens e Mulheres, Jovens e Velhos, Pastores e ovelhas cheias de DEUS. E cheio de Deus, quem pode derrotar você. O diabo quietinho, quietinho. Cheio de Deus eu fico é valente.
como Pedro, Mesmo sabendo do Perigo EU ME LEVANTO PRA FALAR. Cheio de Deus eu sou é PROFETA.
2.    SINAIS E MARAVILHAS.
Atos 2:9-11 diz que havia em Jerusalém pessoas de varias Regiões,
E quando O espírito Santo Provocou o Avivamento naquelas pessoas que estavam  orando,  At. 2:4 que começaram a falar em novas línguas conforme o Espírito lhe concedia que falassem.
O Versículo 6 diz que CORRENDO AQUELA VOZ, Ajuntou-se uma multidão, que eram os das outras regiões.
E ficaram confusos, porque OUVIAM FALAR, em suas próprias línguas.
Tem gente que diz que cada discípulo passou a falar na língua do outro, imagine a confusão.
Ou seja eles foram batizados pra falar em grego, em Árabe, Italiano, etc.
Mas não é isso que diz o texto.
O texto fala que eles viram ou Falaram em outras línguas, Línguas repartidas, Paulo em I Cor. 14 diz quem fala em Línguas fala em Mistério.  O termo em grego  escrito que os autores usaram  é a palavra: GLOSSAIS , que quer dizer <línguas>  Mas, o termo do grego de At. 2:6 que diz ouvindo cada um sua própria língua, não é a expressão glossais e sim a palavra em grego DIALEKTO.  Que quer dizer  < Dialeto > ou seja o Milagre não aconteceu na língua repartida porque estas eram de anjos, línguas estranhas, o milagre aconteceu no ouvido de cada um:  Eles ouviam em suas próprias línguas.
A prova disto, é que At.2:13 diz outros porem zombando diziam estão bêbados, ora, se os discípulos estavam falando,  e todos estavam ouvindo porque uns se admiravam e outros zombavam.
Ou seja, os céus se abriram, começava uma nova etapa da historia era céu na terra. Era fogo nos crente e milagre nos incrédulos.
Avivamento é assim pega o frio e o quente, o que crê e o que não crer. 
3.    O RETORNO A PALAVRA.
Quando aquele iletrado Pedro se colocou de pé, e começou a pregar, ele procura mostrar uma realidade que estavam falando
 < estes homens não estão bêbados > mas procura defender esta situação usando o que ?  O texto de Joel,    2:28-32 que fala dos últimos dias, Mas na frente ele Usa o Salmo 16:8-11 se referindo a Jesus e o cumprimento das profecias. E acusa os Judeus de terem matado a Jesus o Autor da vida, e traz a solução arrependam-se e depois no versículo 34 outras citações de outro salmo, para fechar com chave de ouro, ele diz de uma maneira suave que aqueles cidadãos que haviam crucificado a Jesus seriam colocados como banquinhos dos pés. A hora da vingança do nosso Deus. 
Só bíblia. Mas nada. Cada texto colocado no contexto. Fez eles PERGUNTAREM : O que Faremos? Sim, somos culpados, O que faremos?
Arrependam-se. Diz Pedro.
O que falta hoje é bíblia.
Meia dúzia de mane, que não é nada na vida, que não consegue nem organizar sua família, que vive no púlpito usando a ACHOLOGIA. Usando a igreja pra se promover. Que quer ser pastor só de igreja grande, que anda por ai contando piada no púlpito, e repetindo o que ouviu.
Gente que quer virar pastor, a qualquer custo, e hoje é até fácil, não precisa nem abrir igreja, arruma um dinheiro e faz programa de Radio, vira logo missionário ou Pastor. Agora passa meia hora ouvindo esse cidadão. Que tu vai ver.
O que falta é Bíblia. Nunca se vendeu tanto cd de mensagem como nestes últimos dias. O que o povo quer? Bíblia.
O avivamento produz a Palavra. Viva, Legitima, Sem arranjo, sem choro e aleluia na hora que não sabe o que dizer.
O que disse Habacuque 3:2
“ ouvi Senhor a Tua Palavra e temi, AVIVA tua Obra no meio dos Anos. “
A PALAVRA PRODUZ AVIVAMENTO
Agora querem que o povo ore, sem saber pra que, querem que testifique, sem experiência, sejam luz sem ter o Espírito que é a energia, querem que não pequem sem saber o que é verdadeiramente pecado e querem vencer o maligno sem bíblia e não dá. Não tem avivamento.
O que originou a reforma, se não a Bíblia.
Precisamos de uma nova reforma, ou seja trazer a bíblia de volta. Só a bíblia. Sem as promessas do homem.  

4.    ARREPENDIMENTO.

II Crônicas 7:14 Diz:
Se o meu povo que se chama pelo meu nome,
se humilhar e orar
            Buscar a minha Face
            Se converter dos seus maus caminhos
Eu ouvirei dos céus, perdoarei seus pecados e sararei a terra.
Um Coração quebrantado, ver a gloria de Deus, Um Povo que se Humilha, Deus Escuta suas orações. Não foi assim em toda historia de Israel, Eles pensavam que eram alguma coisa eram dominados por outros povos, eles se humilhavam Deus mandava um libertador e eles voltavam a vida em comunhão com Deus.
Sobe Deus faz descer, Desce por iniciativa própria, Deus faz subir para perto Dele
O que produz um Avivamento Consciência do Pecado. Quem nós somos. E de que precisamos.
De Deus.
Isaias 6 – Quando ele ver a gloria ele toma consciência do seu pecado, sou homem de lábios impuros e habito no meio de um povo impuros lábios.
Quando Descemos, nos humilhamos, buscamos, Nós vemos o céu aberto, e tocados pelo Espírito como foi Isaias pela brasa tirada do altar. Vamos ter aqui um exercito de homens e mulheres que dirão:  EIS-ME AQUI ENVIA-ME A MIM.
Já que querer ser missionário nestes dias de frieza espiritual não tem mais valor. Agora nossos jovens querem ser advogados, Médicos, doutores, policial, engenheiro, Qualquer coisa menos MISSIONÁRIO. Quem dera aquela época que os nossos jovens choravam dizendo eu quero ir aos campos brancos.
Vamos falar a verdade está parece ser a ultima coisa que nossos jovens querem. Pra que passar fome, perseguição, pra ganhar o que.
Mas sabem porque isso porque movimento não é AVIVAMENTO.
Em um avivamento as pessoas gritam    
EU QUERO É DEUS.
E quando você ver a gloria você diz EIS-ME AQUI.

O que produz um avivamento? Consciência de que não está fazendo nada.
Arrependa-se e se coloque nas mãos do SENHOR.
5.     SALVAÇÃO DE ALMAS
  At. 2:41 diz
< Os que de bom grado receberam a sua palavra... naquele dia foram quase três mil pessoas.>
Mas não almas pela internet, aquelas que você nem conhece. Pela Tv, que não se tornam membros se tornam colaboradores, associados, amigos da igreja.
A SALVAÇÃO PRODUZIDA por avivamento tem CARACTERÍSTICAS diferentes.
Pega o livro de Atos dos apóstolos vê se eles estão preocupados em construir uma igreja, não.
Vê se eles estão interessados em eleger um senador, não.
Vê se eles querem estabelecer novamente o Reino a Israel, não.
Vê se eles queriam criar um novo conceito de vida religiosa, não.
Eles apenas queriam que as pessoas conhecessem o dom gratuito da vida. Jesus. Mas nada. Só isso bastava porque eles acreditavam que quem provasse desse amor teria de fato sua vida transformada. SIMPLES ASSIM.
Mas talvez hoje nós não acreditemos nisso, e achamos que precisamos fazer algo a mais para as pessoas se tornarem membros das nossas igrejas.
A graça. Passou a depender de varias coisas. E ai uma igreja pra cada gosto, já no Brasil existem 44 mil denominações legalizadas e registradas.

UM Avivamento PRODUZ ALMAS, VIDAS, que não estão ligadas a igreja A ou B. Estão Ligadas a seu Salvador, Senhor da igreja A ou B. 

A salvação produzida por avivamento tem CARACTERÍSTICAS singulares.
Que sem estas coisas não tem O Espírito Santo. Sem estas marcas de atos 2:42 a 47, O avivamento torna-se um negocio, torna-se um Movimento.

E do versículo 42 - 47 encontramos várias  MARCAS de um avivamento :
Perseverança na Doutrina.
Comunhão < Koinonia >
Oração, prazer em buscar a Deus. Se reuniam pra orar.
Em Cada um havia TEMOR
Sinais e Maravilhas – experiências individuais.
Todos estavam Juntos. Um só corpo.
Repartiam conforme a necessidade de cada um.- A verbalização da fé.
Estavam todos perseverando Unânimes <um só pensamento> é simples. O reino de Deus é ganhar Almas. / Mas inventam tanta coisa.
Todos os dias no Templo – O desejo de salmista. É porque amava a Deus.
Comiam juntos com ALEGRIA < Koinonia >
Sinceridade de Coração < ausência de falsidade >
Louvando a Deus – Ato espontâneo de adoração
Caindo na Graça de todo o povo.  ÉTICA, COMPROMISSO, CARÁTER, VERDADE.
E todos os dias mais eram SALVOS.
Não existe AVIVAMENTO, VIDA, que é o significado da palavra sem SALVAÇÃO. Sem Mudanças, sem TRANSFORMAÇÃO.
Quando há esse impacto da obra do Espírito de Deus na vida da igreja, os resultados imediatos do avivamento são sentidos no povo de Deus: senso inequívoco da presença de Deus; oração fervorosa e louvor sincero; convicção de pecado na vida das pessoas; desejo profundo de santidade de vida e aumento perceptível no desejo de pregação do evangelho. Em outras palavras, a igreja amortecida e tristemente doente é a primeira a ser beneficiada pelo avivamento.
IV.         O sentido amplo de avivamento.
Como a própria expressão define, neste sentido não apenas a igreja, mas a sociedade não cristã também é beneficiada pelo avivamento. Isto acontece porque, além da atuação soberana do Espírito Santo no mundo, na igreja passa a existir uma conscientização profunda de sua missão; isto é, a missão integral de servir o mundo evangelística e socialmente. No avivamento a igreja vive a missão para a qual foi chamada.
A sociedade não cristã, por sua vez, volta-se para Deus em resposta ao evangelho. "o reavivamento começa na igreja e termina na comunidade maior onde ela vive. Os efeitos do reavivamento são muito mais perceptíveis nas mudanças morais que acontecem na região ou num país onde ele acontece. Ele não se limita simplesmente aos membros das igrejas atingidas pela obra de Deus. Ele causa impacto em toda a comunidade onde a igreja de Deus está inserida" .
Em suma, as duas características principais do avivamento são 1) o extraordinário revigoramento da igreja de Cristo e 2) a conversão de multidões que até o momento estiveram fora dela na indiferença e no pecado.
V.          O Avivamento e a Bíblia.
1) O padrão  do real avivamento é a Bíblia
Uma vez que a Bíblia é a nossa única regra de fé e prática, é ela e somente ela que nos pode dar a direção certa deste assunto. A relação entre a Bíblia e o avivamento é tão intrínseca que é impossível um avivamento de verdade sem que a Bíblia faça parte dele.
Além disso, numa época de tantos extremos como este em que vivemos, é fundamental o equilíbrio que só a Bíblia oferece. Sabemos que hoje existem desde aqueles que veem toda e qualquer manifestação entusiástica como avivamento, até àqueles que negam a sua existência, ou quando muito acham que avivamento é a mais nova onda do momento, uma coqueluche moderna, uma inovação humana sem respaldo bíblico. É necessário, mais do que nunca, recorrermos à lei e ao testemunho.

 É importante salientar que a Bíblia foi, é e sempre será a espada do Espírito Santo em todo avivamento bíblico. Não existe verdadeira espiritualidade sem a Bíblia. Observando os avivamentos ocorridos na Bíblia e na história da igreja, notamos que os objetos do Espírito eram sempre persuadidos com e para a Bíblia. Avivamento onde a Bíblia não está presente não passa de um mero pentecostalismo convencional.
 O avivamento é  produto da obra do Espírito Santo na igreja, certamente tem sua ênfase naquilo que tem sido esquecido por muito tempo: a Palavra de Deus. A autoridade da Palavra de Deus passa ser algo extremamente forte num momento genuíno de reavivamento. A Bíblia passa novamente a ser honrada como a única Palavra inspirada de Deus" (11).

2) Exemplos de avivamento no Antigo Testamento
Os primórdios do avivamento bíblico aparecem em Gênesis. Segundo Coleman, o que se pode chamar de "o grande despertamento geral" ocorreu nos dias de Sete, pouco depois do nascimento de seu filho Enos: "Então se começou a invocar o nome do Senhor" (Gn 4.26) (12). O nome Enos quer dizer fraco ou doente. O que é deveras significativo. Considerando o assassinato de Abel (Gn 3.9-15) e o aparecimento cada vez mais forte de doenças na raça humana, o nome Enos era bastante adequado. "É provável que fosse um reflexo da consciência da depravação humana e da necessidade da graça divina" (13). À parte desta indicação não existe nenhum outro relato de avivamento no princípio da história da raça humana. O relato subseqüente do dilúvio ilustra de modo dramático o que acontece com um povo que não se arrepende de seus pecados.
Depois temos os patriarcas que por vários séculos lideraram o povo de Deus. Sempre que a vitalidade espiritual do povo se desvanecia, eles agiam como a força que promovia novo vigor. O breve avivamento na casa de Jacó é um bom exemplo disso (Gn 35.1-15). Mais tarde, sob a liderança de Moisés, há períodos empolgantes de refrigério, especialmente nos acontecimentos ligados à primeira páscoa (Ex 12.21-28), na outorga da lei do Senhor no Sinai (Ex 19.1-25; 24.1-8; 32.1-35.29) e no levantamento da serpente de bronze no monte Hor (Nm 21.4-9).
No tempo de Josué um despertamento espiritual predominou em suas campanhas, como na travessia do rio Jordão (Js 3.1-5.12) e na conquista de Ai (Js 7.1-8.35). Mas quando terminaram as guerras e o povo se assentou para desfrutar os despojos da vitória, uma apatia espiritual se apoderou da nação. Sabendo que seu povo estava dividido, Josué reuniu as tribos de Israel, em Siquém, e exigiu que cada um escolhesse, de uma vez por todas, a quem servir (Js 24.1-15). Um verdadeiro avivamento segue-se a esse desafio, prosseguindo durante "todos os dias de Josué, e todos os dias dos anciãos que ainda viveram muito tempo depois de Josué, e sabiam toda a obra que o Senhor tinha feito a Israel" (Js 24.31).
O período de trezentos anos de liderança dos juízes mostra os israelitas, de quando em quando, traindo o Senhor e servindo a outros deuses. O juízo de Deus é inevitável. Então, após longos anos de opressão, o povo se arrepende e clama ao Senhor (Jz 3.9,15; 4.3; 6.6,7; 10.10). Em cada ocasião Deus responde as orações, enviando-lhes um libertador que liberta o povo na vitória contra os inimigos. Um dos maiores movimentos avivalistas aparece no final desse período, sob a direção de Samuel (I Sm 7.1-17).
Tempos de renovação ocorreram periodicamente no período dos reis. A marcha de Davi, entrando com a arca em Jerusalém, possui muitos ingredientes de um avivamento (2 Sm 6.12-23). A dedicação do templo, no início do reinado de Salomão, é outro grande exemplo (I Rs 8). O avivamento também chega a Judá nos dias de Asa (I Rs 15.9-15). E Josafá, outro rei de Judá, lidera uma reforma (I Rs 22.41-50), bem como o sacerdote Joiada (2 Rs 11.4-12.16). Outro poderoso despertamento é vivenciado na terra sob a liderança do rei Ezequias (2 Rs 18.1-8). Por fim, a descoberta do livro da lei, durante o reinado de Josias, dá início a um dos maiores avivamentos registrados na Bíblia (2 Rs 22,23; 2 Cr 34,35).
Ainda, sob a liderança de Zorobabel e Jesua, outra vez começa a reacender um novo avivamento (Ed 1.1-4.24). Tendo as intimidações dos inimigos induzido os judeus a interromperem a reconstrução do templo, os profetas Ageu e Zacarias entraram em cena para instigar o povo a prosseguir (Ed 5.1-6.22; Ag 1.1-2.23; Zc 1.1-21; 8.1-23). Setenta e cinco anos depois, com a chegada de outra expedição liderada por Esdras, novas reformas são iniciadas em Jerusalém, dando-se mais atenção à lei (Ed 7.1-10.44). O avivamento alcança o auge poucos anos depois, quando Neemias se apresenta para completar a construção dos muros de Jerusalém e estabelecer um governo teocrático (Ne 1.1-13.31).
Uma oração por avivamento e a promessa de sua ocorrência encontramos também em Joel 2.28-32; Habacuque 2.14-3.19 e Malaquias 4.
No apogeu de um grande avivamento Jesus aparece e é batizado por João Batista. Escolhe e treina seus discípulos; ascende aos céus, deixando-os na expectativa de receberam a promessa do Espírito (Lc 24.49-53; At 1.1-26). O poderoso derramamento do Espírito Santo, no dia de Pentecostes, inaugura o avivamento que Jesus havia predito (At 2.1-47). "Marca-se, assim, o início de uma nova era na história da redenção. Por três anos Jesus trabalhara na preparação desse dia - o dia em que a Igreja, discipulada por intermédio de seu exemplo, redimida por seu sangue, garantida por sua ressurreição, sairia em seu nome a proclamar o Evangelho 'até os confins da terra' (At 1.8)" (14).
O livro de Atos registra a dimensão desse avivamento. Avivamento em Jerusalém, em Samaria, em Antioquia da Síria e em Éfeso. E de lá para cá, são muitos os relatos da obra vivificadora do Espírito Santo na história da igreja, como por exemplo, na Alemanha com a Reforma Protestante do século XVI, na Inglaterra no século XVIII, entre os negros Zulus da África do Sul na década de 60 e na Coréia do Sul nestes últimos tempos, dentre outros.
O Dia de Pentecoste é um exemplo de avivamento alcançando uma cidade no Novo Testamento. Além de ser um evento escatalógico1, a primeira vez nas escrituras que a frase "os últimos dias" foi utilizada no sentido do presente, quando Pedro explicou que "isto é o que foi predito pelo profeta Joel: nos últimos dias, diz Deus, derramarei do meu Espírito"2, os acontecimentos deste dia também marcaram um grande avivamento que abalou a cidade de Jerusalém.
Então eles voltaram para Jerusalém, vindo do monte chamado das Oliveiras, que fica perto da cidade, cerca de um quilômetro. Quando chegaram, subiram ao aposento onde estavam hospedados. Achavam-se presentes Pedro, João, Tiago e André; Filipe, Tomé, Bartolomeu e Mateus; Tiago, filho de Alfeu, Simão, o zelote, e Judas, filho de Tiago. Todos eles se reuniam sempre em oração, com as mulheres, inclusive Maria, a mãe de Jesus, e com os irmãos dele...
Chegando o dia de Pentecoste3, estavam todos reunidos num só lugar. De repente veio do céu um som, como de um vento muito forte, e encheu toda a casa na qual estavam assentados. E viram o que parecia línguas de fogo, que se separaram e pousaram sobre cada um deles. Todos ficaram cheios do Espírito Santo e começaram a falar noutras línguas, conforme o Espírito os capacitava.
Havia em Jerusalém judeus, tementes a Deus, vindos de todas as nações do mundo. Ouvindo-se o som, ajuntou-se uma multidão que ficou perplexa, pois cada um os ouvia falar em sua própria língua. Atônitos e maravilhados, eles perguntavam: "Acaso não são galileus todos estes homens que estão falando? Então, como os ouvimos, cada um de nós, em nossa própria língua materna? Partos, medos e elamitas; habitantes da Mesopatâmia, Judéia e Capadôcia, do Ponto e da província de Ásia, Frígia e Panfília, Egito e das partes da Líbia próximas a Cirene; visitantes vindos de Roma, tanto judeus como convertidos ao judaísmo; cretenses e árabes. Nós os ouvimos declarar as maravilhas de Deus em nossa própria língua!" Atônitos e perplexos, todos perguntavam uns aos outros: "Que significa isto?"
Alguns, todavia, zombavam deles e diziam: "Eles beberam vinho demais".
Então Pedro levantou-se com os Onze e, em alta voz, dirigiu-se à multidão: "Homens da Judéia e todos os que vivem em Jerusalém, deixem-me explicar-lhes isto! Ouçam com atenção; estes homens não estão bêbados, como vocês supõem. Ainda são nove horas de manhã! Ao contrário, isto é o que foi predito pelo profeta Joel: “Nos últimos dias, diz Deus, derramarei do meu Espírito sobre todos os povos. Os seus filhos e as suas filhas profetizarão, os jovens terão visões, os velhos terão
sonhos. Sobre os meus servos e as minhas servas derramarei do meu Espírito naqueles dias, e eles profetizarão..."
"Portanto, que todo o Israel fique certo disto: Este Jesus, a quem vocês crucificaram, Deus o fez Senhor e Cristo".
Quando ouviram isso, ficaram aflitos em seu coração, e perguntaram a Pedro e aos outros apóstolos: "Irmãos, que faremos?"
Pedro respondeu: "Arrependam-se, e cada um de vocês seja batizado em nome de Jesus Cristo para perdão dos seus pecados, e receberão o dom do Espírito Santo. Pois a promessa é para vocês, para os seus filhos e para todos os que estão longe, para todos quantos o Senhor, o nosso Deus, chamar".
Com muitas outras palavras os advertia e insistia com eles: "Salvem-se desta geração corrompida!" Os que aceitaram a mensagem foram batizados, e naquele dia houve um acréscimo de cerca de três mil pessoas.
- Atos 1:12–14, 2:1-18, 36-41
O avivamento que começou no dia de Pentecoste continuou e teve um impacto em toda a cidade de Jerusálem4.
Vamos resumir algumas similaridades entre estes dois avivamentos:
Elias era um homem de oração (1 Reis 18: 36, 42; Tiago 5:17); a igreja primitiva era um povo de oração (Atos 1:14).
Elias obedeceu a palavra do SENHOR de enfrentar Acabe (1 Reis 18:1-2), a igreja primitiva obedeceu a palavra do Senhor Jesus de esperar em Jerusalém (Atos 1:4).
Elias não teve um "plano B", para ele era "ou confiar em Deus ou morrer" (1 Reis 18:4). A igreja primitiva não tinha outra alternativa a não ser receber a "promessa do Pai" (Atos 1:13-14, 2:1).
No Monte Carmelo, o poder de Deus manifestou-se numa forma sobrenatural que convenceu a multidão da realidade de Sua existência e poder (1 Reis 18:38-39). No dia de Pentecoste, as manifestações sobrenaturais do Espírito de Deus chamaram a atenção da multidão (Atos 2:6, 12).
Elias pregou uma mensagem de arrependimento ao povo (1 Reis 18:21), bem como o apóstolo Pedro (Atos 2:38).
Houve mudança imediata e radical no clima espiritual da nação de Israel (1 Reis 18:39) e da cidade de Jerusalém (Atos 2:47).
O avivamento do Monte Carmelo acabou com a seca sobre a nação de Israel que foi um julgamento de Deus (1 Reis 17:1, 18:45). Eu acho provável que o avivamento do dia de Pentecoste adiou por quarenta anos, uma geração, a destruição da cidade de Jerusalém profetizada pelo Senhor Jesus (Mateus 23:37-38, 24:1-2, Lucas 23:28-30), que aconteceu em AD 70.
Eu creio que o verdadeiro avivamento terá todas estas características: a oração, a obediência, o compromisso, manifestações sobrenaturais, o arrependimento, uma mudança nítida no clima espiritual da área do avivamento, e, como consequência do avivamento, o adiamento ou cancelamento dos juízos de Deus sobre a nação, região ou povo.
Que Deus derrame do seu Espírito sobre nós para que possamos, como igreja e povo brasileiros, experimentar mais uma vez daquele "fogo abrasador" que nos purifica e nos santifica para uma vida cristã de obediência à sua Palavra...

Pastor. Capelão/Juiz. Mestre e Doutor em Ciência da Religião Dr. Edson Cavalcante.

0 comentários:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.