Subscribe:

terça-feira, 26 de maio de 2015

ESTUDO TEUS FILHOS (AS) PROFETIZARÃO...


                                          ESTUDO TEUS FILHOS (AS) PROFETIZARÃO...
O LIVRO DE JOEL

O livro de Joel (no hebraico Yoel), que significa “ O Senhor é Deus” ou “Jeová é Deus”,  possivelmente tenha sido escrito no reinado de Joás (II Cr 22-24).  O tema central é “O Grande e Terrível Dia do Senhor”. A data possível seria 835 a 830 a.C., porém alguns teólogos discutem sobre outras datas que o livro teria sido escrito, devido a nenhum rei ser mencionado no texto. Joel é conhecido como o Profeta do Dia do Senhor e exerceu seu ministério em Judá e Jerusalém. Na lista dos doze profetas menores, segundo o cânon hebreu, Joel aparece em segundo lugar; mas, na Septuaginta (versão do hebraico para o grego) aparece em quarto lugar. O estilo de Joel é dramático e prende a atenção do leitor. Neste período da história Atália havia usurpado o poder quando da morte de Acazias. Atália era irmã de  Acabe (II Cr 22:3) e seguia os mesmos princípios que o destruíram, quais sejam: a idolatria institucionalizada a Baal era uma das suas práticas e a prática de assassinatos pelo controle do poder real. Neste momento difícil da história de Israel o sumo sacerdote Jeoiada guarda a vida de Joás, o filho de Acazias. O sumo sacerdote eleva Joás a condição de rei e Atália é morta pelos soldados fiéis ao novo rei. As profecias de Joel ocorrem no cenário (II Cr 22-24) de um regime regencial ocupado pelos sacerdotes de Israel.
 ESTRUTURA, PROPÓSITO E PRINCIPAIS ASPECTOS DA MENSAGEM PROFÉTICA DE JOEL.
 Estrutura
A estrutura da mensagem do profeta Joel pode ser distribuída da seguinte forma:
1.    A calamidade Atual de Juda (1:2-20)
2.    Uma praga devastadora de gafanhotos (1:2-12)
3.    A chamada ao arrependimento nacional (1:13,14)
4.    A situação desesperadora de Judá (1:15-20)
5.    A iminência de um Juízo Ainda Maior (2:1-17)
6.    Um exército ameaçador preparado para marchar contra Juda (2:1-11)
7.    A chamada ao arrependimento nacional (2:12-17)
8.    O Futuro Dia do Senhor (2:18-3:21)
9.    Promessa da Restauração (2:18-27)
10. Promessa do Derramamento do Espírito Santo (2:28-32)
11. Promessa do Juízo e da Salvação (3:1-21)
12. Para as nações (3:1-15)
13. Para Sião (3:16-21)
 Propósito
1.    Juntar o povo diante do Senhor numa grande assembléia solene (1:14, 2:15,16)
2.    Exortar o povo a arrepender-se e a voltar-se humildemente ao Senhor Deus com jejuns, choro, pesar e clamor por sua misericórdia (2:12-17).
3.    Registrar a palavra  profética ao seu povo por ocasião de seu sincero arrependimento (2:18- 3:21)
Aspectos
1.    É uma das obras mais esmeradas do A.T.
2.    Contém a profecia mais profunda do A.T. a respeito do derramamento do Espírito Santo sobre toda a humanidade.
3.    Registra catástrofes/calamidades nacionais (pragas de gafanhotos, seca, fome, incêndios arrasadores, invasões militares, desastres nos céus.(Juízo Divino)
4.    Enfatiza que Deus, às vezes, opera sobrenaturalmente na história através de calamidades naturais e conflitos militares a fim de levar a efeito o arrependimento, o avivamento e a redenção da humanidade.
5.    Profeta com estreita comunhão com Deus, conclama o povo a arrepender-se e consegue resultados positivos.
 PRAGA DE GAFANHOTOS
O Livro de Joel, com 3 capítulos e 73 versículos, tem atraído a atenção dos estudiosos pela beleza poética que a sua mensagem apresenta, ao ilustrar com o fenômeno natural dos gafanhotos os fatos sobrenaturais do Dia do Senhor!
A praga de Gafanhotos que devastou as plantações da nação de Israel é apresentada no primeiro capítulo do livro de Joel. A Bíblia relata que as nuvens de gafanhotos já foram motivo de destruição no Egito (Ex 10:4-6) nas 10 pragas enviadas por Deus, causando grandes prejuízos para a economia e sociedade. As grandes nuvens destes gafanhotos ofuscam a luz do sol e devoram toda a vegetação que encontram, deixando um rastro de fome e morte para trás. No hebraico  Gazam é o gafanhoto cortador, Arbeh significa migrador, Yeleq é o gafanhoto devorador e Hasil é o gafanhoto destruidor. Estes nomes podem representar os quatro estágios da vida de um gafanhoto, a saber, o estágio de larva; o estágio do gafanhoto voador adulto; o gafanhoto que depositava ovos para aumentar a multidão dos gafanhotos; e, novamente, o estágio larval, que renova o temível ciclo da vida de um gafanhoto.
Tabela apresentada na lição sobre o profeta Joel da EETAD
Estes enxames de gafanhotos eram levados pelo vento do deserto e em sua passagem destruíam tudo que encontravam pela frente. Com a praga as folhagens das vinhas foram arrancadas, as árvores e os campos destruídos (1:7,10), o povo ficou na penúria, os sacerdotes sem a colheita nada tinham para oferecer ao Senhor; e em meio a toda esta calamidade, clima de depressão e lamentações o profeta Joel convoca o povo ao arrependimento. Conclama aos líderes espirituais de Judá a guiar a nação ao arrependimento (1:13:14).
CLAMOR, RESTITUIÇÃO E RESTAURAÇÃO.
 Clamor
O Profeta soa a trombeta espiritual em Sião (2:1-15), sendo que os  sacerdotes e o povo buscam sinceramente a misericórdia divina, com arrependimento, jejuns, clamores e genuíno, quebrantamento, diante do Senhor (2:12,17). Revela a misericórdia de Deus, e convida o povo a entrar pelo caminho do arrependimento, a fim de escapar do juízo divino.  O apelo do profeta: “ Rasgai o vosso coração”. O profeta procura despertar o ébrio (V.5), a virgem (V.11) e os lavradores, os ministros de Deus (V.13). Rasgai o vosso coração, e não as vossas vestes...” (V.13). O Senhor quer mudança interna: um coração contrito, magoado por ter cometido tão grandes faltas. Se rasgarem as suas vestes, isto evidenciará somente algo externo, o que não é suficiente, pois não demonstra o verdadeiro arrependimento. É preciso sentir e aplicar a oração de Davi: “sacrifícios agradáveis a Deus são o espírito quebrantado; coração compungido e contrito, não o desprezarás, oh Deus (Sl 51:17). Quando o infiel rasgar ou dilatar o seu coração perante o Senhor, então ele poderá consertá-lo, refazê-lo com seu terno amor. O arrependimento sincero começa no interior e torna-se conhecido através do exterior quando o pecado é abandonado. Em At 5:31 podemos ver que o verdadeiro arrependimento é produzido por Deus. “Homens e mulheres arrependidos se constituem na matéria prima de que se serve o Espírito de Deus, para transformá-los em poderosos instrumentos em sua obra”. Pag. 9
Restituição
O profeta faz uma convocação diferente das anteriores, exorta o povo a lançar fora o temor, e a regozijar-se em Deus, pois toda vegetação será renovada e gado salvo, e será abundante a colheita, porque do céu receberão chuvas para fertilidade da terra e para amadurecimento dos frutos.
Restauração
Ao profeta Joel foi dado o privilégio de profetizar que Deus derramaria o Seu Espírito sobre toda a carne (2:28-31). E no pentecostes teve início uma nova dispensação neste mundo. A inauguração da Igreja de Cristo e a presença real do Espírito Santo com os crentes, numa atividade permanente, diferente das dispensações anteriores, quando o Espírito ministrava usando apenas umas poucas pessoas. Hoje, Ele está com a Igreja. Nas suas múltiplas atividades no crente, mencionaremos apenas algumas, por ser limitado o nosso espaço:

- O Espírito nos ajuda em nossas fraquezas (Rm 8:26)

- O Espírito guia em toda verdade (Jo 16:13)

- O Espírito livra da Lei do pecado (Rm 8:2)

- O Espírito sela o crente (Ef 4:30)

- O Espírito reparte esperança (Rm 15:13)

- O Espírito encoraja o crente (At 4:31)

 JOEL UM LIVRO ESCATOLÓGICO

 Ao profetizar sobre o Grande Dia do Senhor e o que se dará nestes dias, o profeta Joel mostra o juízo e a salvação no final dos tempos (3:1-21). O começo dos “últimos dias” se deu no dia de Pentecostes onde o apóstolo Pedro relembra aos irmãos presentes em Jerusalém, sobre as manifestações de grandes sinais em cima no céu e embaixo na terra, de sangue, fogo e colunas de fumaça, do sol convertendo-se em treva e da lua tornando-se sangue (2:30,31). A igreja será arrebatada para estar junto ao seu noivo Jesus Cristo e a Grande tribulação trará consigo, os sinais cósmicos previstos pelo profeta. Pedro termina a citação de Joel dizendo:” Todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo” At. 2:21.
 CONCLUSÃO
Assim conclamamos como o profeta Joel, a todo o povo de Deus, a se arrependerem de seus pecados, realizarem jejuns e orações pedindo a misericórdia do Senhor sobre nossas vidas e de nossa nação. Cremos que o Senhor derramará suas bênçãos sobre cada um de nós. O derramamento do Espírito também é para os nossos dias e cremos no seu agir diário em nossas vidas...
Bispo. Capelão/Juiz. Mestre e Doutor em Ciência da religião Dr. Edson Cavalcante.



0 comentários:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.