Subscribe:

sexta-feira, 3 de outubro de 2014

SANSÃO DE JUIZ DE ISRAEL A ESCRAVO DOS FILISTEUS...


                           SANSÃO DE JUIZ DE ISRAEL A ESCRAVO DOS FILISTEUS...
Salmo 25:12
 O conceito do pecado surge de quem governa quem (eu e sentimento). Não é errado ter sentimento, desejo, vontade, mas Deus estabeleceu um limite para toda essa potencialidade. Enquanto estamos no limite, estamos protegidos, guardados. Quando os nossos sentimentos nos governam isso é um problema. EXEMPLO:
Não é errado ter o desejo de cuidar das coisas...mais se esse “zelo” te dominar, se esse desejo te dominar...
Não é errado você ter vontade de comer “costela”, mas se essa vontade te dominar, isso é glutonaria.
Não é errado você ter um sentimento por alguém, mas se esse sentimento te dominar isso é sensualidade.
Quando começamos a construir uma família baseada na sensualidade, isso é um perigo. No namoro (sensual) a paixão(sentimento) começa a governar, então o namoro começa atropelar os princípios de Deus, as autoridades. Depois no casamento toda essa paixão se transforma em aversão, da aversão vem o esgotamento, do esgotamento vem o divórcio.        
Quando não suportamos a prova da paixão (não deixar os sentimentos governar) dificilmente nós vamos suportar a prova da aversão, que é quando temos que praticar  então o verdadeiro amor, amor que não é um sentimento é um comportamento. A família começa a ser destruída na base, quando ele(sentimento, vontade, desejo) governa o namoro, aí a família começa sem princípios e então a insegurança mina o seu relacionamento, sua família, abrindo a porta para muitas perturbações e dificilmente essa família vai atingir a estabilidade necessária para enfrentar as necessidades espirituais. Muitas pessoas tem uma garra, uma determinação para enfrentar grandes obstáculos, mas quando são abordadas por sentimentos, essas pessoas são terrivelmente nocauteadas, e aí que muitos perdem a paz.
A fraqueza sentimental, a fraqueza sentimental crônica é o que tem prejudicado muitas pessoas promissoras, muitas pessoas com potencial.
SANSÃO
Sansão era um homem que tinha tudo para dar certo, mas a sua vida acabou de forma trágica.    Deus está procurando pessoas que o temam para iluminar de uma forma sobrenatural o seu caminho. Temer não é ter medo, mas é aborrecer o pecado, e amar o que Deus ama. O homem que tem o temor de Deus enxerga o seu caminho com os olhos de Deus, o que abandona o temor de Deus terá os “olhos” do entendimento arrancados.
Sansão acabou sua vida com os olhos arrancados, ele não temeu a Deus e deixou a paixão o cegar. Sansão tinha um chamado muito grande, personalidade proeminente, alta liderança, precisava passar pelo teste da pureza. Se queremos nos encaixar nos propósitos de Deus precisamos passar (aprovados) pelo teste da pureza, onde muitas coisas vão ser estabelecidas em nossa vida.
Quando pensamos em Sansão, não pensamos em fraqueza, porque ele era um homem poderoso, forte, mais a sua vida moral foi debilitada. Sansão foi um homem muito investido com o sobrenatural de Deus (força física). A Bíblia fala que o poder de Deus se manifestou brutalmente em Sansão, para que ele derrotasse todos os inimigos, os filisteus. Ele foi vencedor em várias lutas.
A fraqueza de Sansão começa aparecer quando ele começa a ignorar que podia ser traído por seus sentimentos. A luta com os filisteus não era só algo humano, mais tinha algo espiritual, porque o deus dos filisteus era uma entidade chamada PAGON, terrível espírito de encantamento e sensualidade, sua figura é uma “sereia”. Sansão no âmbito humano estava tendo vitórias aterradoras, mas ele estava perdendo terreno no âmbito espiritual porque estava negociando princípios.
 A Rota da Decadência
Para toda queda moral existe uma escada descendo, ninguém cai de repente.
 Episódio1 – O casamento de Sansão (Juízes 14):
Sansão era vulnerável a cobiça (mulher). Apesar de todo o seu vigor físico, ele olhou, desejou, cobiçou e obedeceu seu imediatismo sentimental. O imediatismo sentimental é uma demonstração de que Deus não está nesse caráter. O caminho que o Senhor nos leva a escolher tem sempre a marca da cruz.
Sansão não estava disposto a entregar. Quando entregamos então recebemos tudo o que Ele prometeu. Quando perdemos os nossos direitos para Deus os direitos de Deus serão nossos.            Sansão fez dos seus próprios sentimentos um inimigo espiritual. Sansão cometeu dois erros nesse episódio:
Desacatou o conselho dos pais (Jz 14.3): Sansão disse que “ela agrada os meus olhos”. As consequências de não honrarmos os pais estão em harmonia com a Palavra de Deus, são maldiçoados. Sansão confiando no seu carisma, na sua força, no seu poder, ele desprezou a maior proteção que ele tinha o conselho dos seus pais, pessoas que temiam ao Senhor. Sansão foi arrogante ao exaltar o carisma em detrimento ao caráter. As consequências de não honrarmos os pais são: encurtar a vida; maldições (vícios, tormentos, relacionamentos frustrados, debilidade sentimental); cegueira – Pv.30-17 (vida de tropeço, não consegue achar soluções, cai no mesmo erro, aceita acusações, mentiras sobre Deus, pessoas, sobre si mesmo).
Julgo desigual: A Bíblia chama isso de deslealdade. Se você é filho de Deus, e aquela pessoa não é filha de Deus, ela é filha de alguma entidade. O problema é o sogro (demônio) – a pessoa ainda é escrava do pecado. Sansão não estava levando a vida espiritual a sério. Ele era um nazireu, não podei tocar em cadáver. Sansão começou comprometer seus votos e andar nas trevas, ocultar as coisas dos pais. Aí ele contrai um espírito ferido. A consequência do julgo desigual desabam sobre ele. Ele lança um enigma para os filisteus e eles não conseguem descobrir. Os filisteus então ameaçam a noiva de Sansão e ela o seduz até que ele conte o significado do enigma. Ela o traiu, e os filisteus ganharam a aposta. Ele foi traído pela noiva, pelos filisteus e pelo pai da noiva que a deus em casamento para o melhor amigo de Sansão. Aqui começa aparecer o perfil interior de Sansão, um homem decepcionado, desiludido emocionalmente, suas emoções abaladas, sentimentos atrapalhados. Os próximos passos de Sansão foram acompanhados pelo desespero.
 Episódio 2 – A prostituta de Gaza (Jz 16.1):
Novamente ele viu, cobiçou e se relacionou com a prostituta. Aqui vem uma decadência total, um tipo de rebelião sentimental. Sansão busca alívio sentimental ao relacionar-se com uma prostituta. Ele desonra Deus, família, princípio. Sansão tornou-se uma cidade sem muro, sem proteção. Sua consciência em relação aos princípios de Deus estava obscurecida. Toda a sua força física era insuficiente para essa batalha espiritual onde ele já estava numa situação crítica e delicada.
 Episódio 3 – Caso com Dalila (Jz 1 6.4):
Aqui Sansão é consumido pela paixão. Os episódios de paixão e traição vão se acumulando na vida de Sansão.
Os filisteus agora querem o segredo da manifestação de Deus em sua vida. Eles (filisteus) descobriram o ponto fraco de Sansão, a sexualidade, paixão cega, cobiça. Mais uma vez uma pessoa (noiva) está disposta a traí-lo.
Dalila começa uma insistente manipulação para consegui sua informação. Sansão estava sendo claramente traído por Dalila, mais ele não consegui enxergar um palmo. Sansão foi se tornando escravo dos seus sentimentos (2 Pe ) e se rendeu a manipulação de Dalila (v.16-17).
Quando Sansão revela seu segredo, ele quebra a última característica do voto de nazireu... Cortar o cabelo. Sansão então rompe, por causa da prostituição espiritual, sua aliança com Deus. Sansão foi traído, preso, ferido(olhos), levado para Gaza, humilhado.
Antes de Sansão ser vencido pelos filisteus, ele foi vencido pelos seus sentimentos. Seu maior inimigo estava dentro dele mesmo – sentimentos desgovernados.
Por ser governado por seus sentimentos, escravo do espírito de sensualidade, foi levado a prisão, trabalho forçado, “bobo da corte”, até a morte.
Sansão tinha tudo para dar certo, tinha um chamado legítimo de Deus.
Se abandonarmos o temor do Senhor seremos saqueados, destruídos.
Quantos homens e mulheres de Deus, que tinham um grande potencial, hoje estão na sarjeta por terem negociado os princípios de Deus e serem vencidos por seus sentimentos e vontades, destruídos pela sensualidade.
Hoje existem dois tipos de geração:
Geração Sansão: apesar do potencial que possuem, eles estão afogados nos seus sentimentos, vontades e desejos.
Geração José: que não negociam sonhos e propósitos de Deus, não negociam os princípios de Deus, que andam no rastro do Espírito Santo. São aqueles que buscam diligentemente a face do Deus vivo. Não se deixam ofuscar ou cegar pela sedução desse mundo. Estão debaixo de um poderoso derramar do Espírito Santo.

Bispo. Capelão/Juiz. Mestre e Doutor em Ciência da Religião Dr. Edson Cavalcante

0 comentários:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.