Subscribe:

quarta-feira, 1 de outubro de 2014

COMO SER PASTOR NA IGREJA E SACERDOTE EM SEU LAR...


                       COMO SER PASTOR NA IGREJA E SACERDOTE EM SEU LAR...
O papel do sacerdote é ministrar do povo para Deus.
Já o profeta ministra na direção oposta, trazendo a palavra de Deus para o povo.
 Nós os homens, precisamos ser capazes de desempenhar ambas as funções, de acordo com a orientação que Deus nos der. Mas há um sacerdote em casa?A Bíblia ensina que Jesus Cristo nos comprou com seu sangue para fazer de nós reis e sacerdotes:
"Tu és digno de receber o livro e abrir os seus selos, pois foste morto, e com teu sangue compraste para Deus gente de toda tribo, língua, povo e nação. Tu os constituíste reino e sacerdotes para o nosso Deus, e eles reinarão sobre a terra". Ap 5.9,10.
 A Bíblia distingue posições de governo dentro da Igreja local, mas não limita o sacerdócio a uns poucos cristãos.
 Antes de ser sacerdote na igreja, o homem tem que ser sacerdote na sua própria casa:
"É necessário, pois, que o bispo seja irrepreensível, marido de uma só mulher, moderado, sensato, respeitável (...) Ele deve governar bem sua própria família tendo os filhos sujeitos a ele, com toda a dignidade. Pois, se alguém não sabe governar bem sua própria família, como poderá cuidar da igreja de Deus?". 1 Tm 2A,4-5.
 Portanto, o mandamento de ser sacerdote no lar é para todo o cristão.
E isto envolve uma excelente conduta familiar: "Por esta causa te deixei em Creta, para que pusessem em ordem as coisas restantes, bem como, em cada cidade, constituíste presbíteros, conforme te prescrevi: alguém que seja irrepreensível, marido de uma só mulher, que tenha filhos crentes que não são acusados de dissolução, nem são insubordinados". Tt 1.5-6
O homem, além de ser fiel a sua esposa, deve conduzir seus filhos no caminho do Senhor e numa vida de santidade, o que exigirá dele não só conselhos casuais, mas todo um acompanhamento, investimento e ministração na vida espiritual de seus familiares.
 Na condição de cabeça do lar, o homem é o responsável de quem Deus cobrará o exercício do sacerdócio.
Muitos maridos se acomodam por ver sua esposa fazendo bem o seu papel, mas não deveriam agir assim.
Por melhor que seja a ajuda da mulher, o homem tem que fazer a sua parte!
Os pais cristãos devem entender a sua responsabilidade de suprir não só as necessidades materiais e emocionais de seus filhos, como também as espirituais.
Deus está chamando os pais a assumirem um compromisso maior com Ele de ministrar a vida espiritual de seus filhos.
Os filhos não nos pertencem, são propriedades de Deus.
Ele apenas nos confiou seus cuidados, e um dia teremos que responder perante Ele por isso. Daremos conta da forma como criamos nossos filhos, e isto deve trazer temor ao nosso coração, especialmente no que diz respeito à formação espiritual deles.
Não podemos brincar com esta questão.
Quais são as consequências de se negligenciar o sacerdócio no lar?
Juízo divino para o sacerdote, além da evidente rebeldia dos filhos.
Um grande exemplo é o que Deus disse ao sacerdote Eli, isso envolvia a casa dele e sua negligencia no sacerdócio familiar:
"Naquele dia, suscitarei contra Eli tudo quanto tenho falado com respeito à sua casa; começarei e cumprirei. Porque já lhe disse que julgarei a sua casa para sempre, pela iniquidade que ele bem conhecia, porque seus filhos se fizeram execráveis, e ele não os repreendeu". 1 Samuel 3.13
O Senhor trouxe advertências anteriores, mas Eli não deu ouvido.
Se não quisermos sérios problemas futuros com os nossos filhos, e muito menos ver a qualidade do relacionamento deles com Deus sendo comprometida, então precisamos ser sacerdotes dedicados em ministrar e cobrir suas vidas.
Também vemos na Bíblia que o sacerdote do lar deve cobrir os seus com oração.
Há um clamor das esposas: gostaria que meu marido orasse comigo!
As esposas são mais sensíveis espiritualmente do que os maridos?
Elas discernem a carência espiritual antes que seus maridos?
A realidade é que as esposas quase sempre discernem a muralha espiritual no casamento antes que seus maridos admitam que haja um problema.
Se você não é o sacerdote da casa, quem é?
Os sacerdotes oravam e intercediam pelo povo de Deus no Antigo Testamento (Lv 9.16,21-22).
Cristo orava por sua igreja no Novo Testamento (Jo. 17 - oração sacerdotal).
Como sacerdotes que seguem o exemplo de Cristo, os maridos devem orar por suas esposas assim como Cristo orou por sua noiva - a igreja (Ef. 5.23-24).
Ao orar junto, o casal aumenta seu "poder de fogo" contra o inimigo.
No reino de Deus, quando dois se unem, o efeito não é a soma, mas de multiplicação.
É sinérgico!
Quando o casal ora junto, goza de princípios operando em seu favor que orando sozinho não se experimentaria.
Ainda vos digo mais: Se dois de vós na terra concordarem acerca de qualquer coisa que pedirem isso lhes será feito por meu Pai, que está nos céus. Pois onde se acham dois ou três reunidos em meu nome, aí estou no meio deles. Mt 18.19-20.
As orações de um marido por sua esposa não precisam ser longas e detalhadas.
Orações curtas e objetivas também são poderosas.
Isso acontece porque Deus concedeu ao marido uma autoridade no âmbito espiritual que é inigualável.
O fato de suas orações serem ou não respondidas depende de como ele lida com essa autoridade.
O poder de um marido que ora não significa obter controle sobre a esposa.
Isso porque Deus NÃO deseja que controlemos outras pessoas.
Deseja ver-nos deixar que Ele nos controle.
Quando nos submetemos a Deus e deixamos que Ele nos controle, Ele trabalha por nosso intermédio. Deus quer trabalhar por seu intermédio como um instrumento do poder dele enquanto você intercede pela sua esposa.
Quando você ora pela sua esposa, está convidando Deus a exercer seu poder divino sobre a vida dela.
Sua oração dá a ela a capacidade de ouvir melhor a voz de Deus e responder à orientação dele.
Deus já lhe concedeu o favor pelo simples fato de você ter uma esposa:
"O que acha uma esposa acha o bem e alcançou a benevolência do Senhor". Pv 18.22
Há certas bênçãos separadas por Deus especialmente para você pelo fato de ser casado.
Isso porque Deus declarou que, aos olhos dele, vocês dois tornaram-se um (Mt 19.4-6). Assim, aquilo que acontece com uma afeta o outro.
Se ela está feliz, você ficará feliz.
Se você é abençoado, ela será abençoada. É claro que o oposto também é verdade.
É por isso que as suas orações por ela são tão essenciais.
Elas afetarão vocês dois.
Aquilo sobre o que você não ora em sua vida, mas deixa por conta do acaso.
Tratando-se de casamento, isso pode ser perigoso.
O problema de se deixar o casamento ao acaso é que haverá alguns momentos difíceis. Provavelmente haverá desacordos. Provavelmente haverá mal-entendidos e magoas. Provavelmente haverá egoísmo e dureza de coração.
Isso acontece porque, afinal de contas, somos humanos.
Contudo, se deixarmos o resultado dessas coisas nas mãos do acaso, acabamos nos complicando mais adiante. No entanto, tudo isso pode ser revertido por meio da oração.
Se a falta de tempo, o excesso de trabalho, a falta de perdão, as lutas, a criação dos filhos, as carreiras, a diferença de interesses, o tédio e a má comunicação infiltraram-se entre você e a sua esposa, Deus pode agir por intermédio de sua oração a fim de derrubar o muro que separa vocês dois.
A oração dará a você uma visão de esperança quanto à maneira como Deus pode restaurar e endireitar as coisas.
Orar por sua esposa não vai apenas transformar o coração dela, mas o seu também.
De maneira alguma Deus quer que acabe na morte conjugal.
Não importa o que tenha acontecido entre vocês dois, Deus pode consertar.
Ele é o Deus da cura e da restauração.
Deus deu-nos a autoridade e o poder. Façamos bom uso deles.
Jesus disse que o maior ato de amor é dar sua vida pelo outro (J o 15.13).
Há muitas formas de dar a vida por sua mulher sem morrer fisicamente.
Uma delas é dar sua vida por ela em oração. Significa sacrificar um tempo relativamente curto visando ao bem de sua esposa que, no final das contas, é seu também.
Há muitas coisas que uma mulher deseja ouvir de seu marido.
Três das quatro mais importantes provavelmente são: Eu te amo. Você está linda. As contas estão pagas.
Porém, uma coisa que todas as mulheres desejam ouvir, aquilo que vai fazê-la sentir-se mais amada do que qualquer outra coisa é "Estou orando por você hoje".
Sempre que uma mulher ouve seu marido dizer que está orando por ela, isso a faz sentir-se amada e protegida. Também faz que se sinta importante para ele.
Se você quer que Deus transforme o coração de sua esposa, ou conserte as coisas entre vocês dois ou enriqueça sua vida juntos, ou faça as coisas correrem bem em seu casamento, então ore por ela.
Jesus enfatiza que nossas orações não são para serem ouvidas pelos outros, mas somente para Deus ouvir.
Tais orações particulares levam aquele que está orando para mais perto de Deus.
Sem orações particulares e confissão, as orações publicas se tornam arrogantes, orgulhosas, enfadonhas e religiosas.
As esposas descobrem que os maridos que oram com elas em publico sem primeiro orarem em particular podem usar o momento da oração para pregar para elas ao invés de falarem com Deus.
Como é humilhante ter um marido que usa a oração para manipular, corrigir, julgar e repreender sua esposa!
Uma esposa confessou que ela odiava orar com seu marido. "Ele faz um sermão para mim quando oramos", ela revelou. "Descubro minhas falhas, fracassos e suas expectativas frustradas em relação a mim quando oramos. Tenho pavor de nossos momentos de oração juntos!".
Com frequência as esposas fazem esta confidencia: "Ele não entende mesmo minhas necessidades".
Pedir o que necessita em oração é a base para o fundamento da construção da vida de oração do casal.
Há algumas necessidades em comum que os maridos expressam:
Quando o marido ora com a esposa, ele geralmente necessita...
Tempo para pensar. Isto mesmo! Os maridos reclamam que suas esposas de repente, sem mais nem menos, os pedem para orar sobre algo em que ainda não tiveram tempo para pensar.
As esposas desejam que os maridos sejam espontâneos, guerreiros de oração prontos para orar a qualquer momento. Mas os maridos frequentemente gostam de meditar e refletir sobre o que irão orar. Há ocasiões para as orações instantâneas ocasionadas por situações de emergência. Mas, geralmente, se a esposa compartilha uma preocupação e pede ao marido para pensar a respeito por um instante, a sua oração com ela sobre esta necessidade flui de sua mente e coração.
Tempo para sentir. Os maridos sentem! Em meio ao furacão que o envolve, o marido pode geralmente se retirar para o olho da tempestade como forma de obter alguma tranquilidade para digerir seus sentimentos e emoções sobre o pedido de oração da sua esposa.
Este tempo gasto com suas próprias emoções dará frutos sensíveis quando for orar com sua esposa.
As palavras certas para orar. Os maridos sempre se preocupam em falar a coisa certa. Enquanto suas esposas jorram uma fonte de palavras vivas que expressam uma contínua corrente de sentimentos e pensamentos, os maridos geralmente escolhem suas palavras mais cuidadosamente por uma série de razões.
Primeiro, eles não querem que suas esposas os interpretem mal. Segundo, eles genuinamente desejam ser compreendidos e transparentes. Finalmente, eles não estão dispostos a pagarem o preço de se dizer algo errado e ter de se desculpar mais tarde - à sua esposa e a Deus.
Um enfoque ou direção para a oração. Quando a esposa exclama: "Precisamos orar", o marido geralmente pensa: "Sobre o que?". Quando a esposa sugere áreas específicas que necessitam de oração em seu casamento, vidas, família e igreja, ele consegue articular suas orações baseadas nas sugestões dela.
Um tempo determinado para orar. Esta ultima necessidade diz respeito a estabelecer um horário para orar quando ambos os cônjuges estiverem dispostos. Mas agora não é sempre a hora em que o marido se sente pronto para orar. Então, senão é agora, quando é?
A esposa pode pedir ao marido que determine o horário e lugar de oração. Juntos devem marcar um compromisso divino para orar um com o outro.
As necessidades não satisfeitas nos fazem construir muralhas na intimidade espiritual.
Aceitação. "Portanto, acolhei-vos uns aos outros, como também Cristo nos acolheu para a glória de Deus". Rm 15.7
Aprovação. "Aquele que deste modo serve a Cristo é agradável a Deus e aprovado pelos homens". Rm 14.8
Encorajamento."Consolai-vos, pois, uns aos outros, e edificai-vos reciprocamente, como também estais fazendo". 1 Ts 5.11
Apoiar/Levar fardos. "Levai as cargas uns dos outros, e assim cumprireis a lei de Cristo". Gl 6.2
Afeição. "Saudai-vos uns aos outros com ósculos santos". Rm 16.6
Segurança. "Sejam prósperos os que te amam". Sl 122.6
Respeito. "Tratai a todos com honra, amai aos irmãos, temei a Deus, honrai ao rei". 1 Pe 2.17
Atenção. "Cooperem os membros com igual cuidado, em favor uns dos outros". 1 Co 12.25
Conforto. "Deus de toda consolação! É ele que nos conforta em toda a nossa tribulação, para podermos consolar os que estiverem em qualquer angústia...". 2 Co 1.3-4
Estima. "Eu vos louvo". 1 Co 11.2
 Concluindo...
Ao contrário do que muitos ensinam o sacerdócio no lar não tem a ver com poder ou controle.
O apóstolo Paulo fala sobre uma submissão mútua, e diz aos maridos que sejam figuras de Cristo.
Como Cristo dirigiu a Igreja?
Ele alimentou, ensinou, chorou, curou e morreu na cruz.
O sacerdócio espiritual significa dar-se por outra pessoa, significa assumir responsabilidades pelo bem estar e pelo desenvolvimento de suas relações.
Avalie a liderança em seu lar a partir de cada uma das seguintes categorias:
Iniciativa - conduzo e me responsabilizo por minhas relações primordiais?
Intimidade - experimento intimidade com Deus e com os demais através de conversas francas?
Influencia - sirvo de influencia bíblica ao incentivar e desenvolver os demais?
Integridade - vivo uma vida honesta, sem vergonha de quem sou quando ninguém está olhando?
Identidade - estou seguro de quem sou em Cristo...

Bispo. Capelão/Juiz. Mestre e Doutor em Ciência da Religião Dr. Edson Cavalcante

0 comentários:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.