Subscribe:

sexta-feira, 8 de novembro de 2013

VASTI UMA RAINHA REVOLTADA...



                                                 VASTI UMA RAINHA REVOLTADA...
Ester 1
O livro de Ester ("Estrela") é um livro histórico, em que o nome de Deus não é mencionado, no entanto ele conta como Deus operou de maneira circunstancial para proteger o povo israelita dos seus inimigos através do rei mais poderoso da Pérsia.
O rei chamado Assuero neste livro é identificado na história profana como sendo o rei Xerxes. Assuero significa "rei venerável" não sendo um nome, mas um título. Temos outros assim, como faraó dos egípcios e abimeleque dos filisteus.
Xerxes assumiu o trono da Pérsia em 486 a.C. ou seja, trinta anos depois da inauguração do templo em Jerusalém. Ele era filho de Dario, que havia confirmado a ordem de Ciro para a reconstrução do templo. O seu reino era vasto, abrangendo o Oriente Médio desde as fronteiras da Índia até a Etiópia, incluindo os reinos da Pérsia, Média e Babilônia. Ele reinou por 21 anos, até 465 a.C..
A Pérsia havia chegado ao ápice do seu domínio territorial, e Xerxes tinha grandes ambições de invadir a Europa através da Grécia.
Todos os príncipes e administradores principais na Pérsia e na Média e os maiores senhores das províncias estavam perante ele. No terceiro ano do seu reinado, ele os convidou para verem durante seis meses as riquezas da glória do seu reino e o esplendor da sua excelente grandeza.
Deve ter sido um período de muitas viagens e excursões através do seu território, bem como de visitas aos seus palácios, templos e tesouros, provavelmente em grupos obedecendo a roteiros próprios, não todos necessariamente de uma vez ou sem interrupção, mas de forma que ao final do período todos tivessem tido oportunidade de ver o que ele lhes queria mostrar.
A Pérsia era um dos países mais poderosos do mundo, e o rei que detinha aquele poder, era um dos homens mais ricos do mundo. Os reis persas gostavam de exibir a sua riqueza, e até usavam pedras preciosas em suas barbas. Na Pérsia os homens usavam jóias para indicar a sua posição social. Mesmo os soldados levavam jóias com eles para as batalhas.
Terminados os seis meses, em seu encerramento, Xerxes fez um convite a todo o povo que se achava na fortaleza de Susã, desde o maior até ao menor, para festejos durante sete dias no pátio do jardim do palácio real.
Susã (Lírio) era uma cidade magnífica, ao oriente do rio Tigre, e cerca de 230 quilômetros ao norte da cabeceira do golfo Pérsico. Entre suas ruínas têm sido encontradas muitas relíquias, os alicerces do esplêndido palácio de Susã que era uma das residências do rei, e muitas obras de arte que ilustram o que a Bíblia fala dela (Daniel 8:2). Ali Daniel teve uma das suas visões (Daniel 8), Neemias iniciou sua vida em público (Neemias 1) e foi onde tiveram lugar a maioria dos acontecimentos relatados no livro de Ester.
No versículo 6 temos a descrição das decorações no pátio do jardim do palácio. Havia muito vinho real, servido em vasos de ouro, todos diferentes, mas o rei havia determinado que ninguém se sentisse obrigado a beber - que estivessem todos à vontade quanto a isso, bem como que bebessem o quanto quisessem.
A rainha Vasti, por sua vez, deu também um banquete para as mulheres da casa real.
No último dia, o coração do rei estava alegre do vinho ou seja, ele estava sob a influência do álcool, e ocorreu-lhe exibir a todos os presentes a beleza da sua rainha, Vastí, que era muito formosa e o rei ordenou que ela viesse nua a sua presença para que todos os seus príncipes visse a nudez e a beleza de vasti.
Xerxes não pensou com suficiente cuidado sobre as repercussões que tal exibição teria, nem como isso seria humilhante para a rainha. As mulheres costumavam se cobrir bem, como ainda fazem na maioria dos países do Oriente Médio, e a rainha perderia a sua dignidade se fosse apresentada como um objeto atraente aos olhos do público. Sem dúvida a ordem dada por Xerxes aos eunucos para trazerem Vasti foi devido ao enfraquecimento da sua razão e domínio próprio pelo álcool.
Quando as pessoas não conseguem pensar direito elas podem tomar más decisões. É preciso pensar com clareza, não impulsionadas pelas emoções do momento, que podem conduzir a sérias complicações.
A rainha teve que optar entre desobedecer às convenções e humilhar-se diante dos convidados do rei, ou manter a sua dignidade e arriscar-se ao desagrado do rei. Alguns sugerem que Vasti se encontrava também visivelmente grávida com seu filho Artaxerxes naquela época, pois ele nasceu pouco depois, naquele mesmo ano, 483 a.C.
Vasti decidiu não se expor aos olhos daquela audiência, e recusou a comparecer nu perante o público, muitos pregadores (as) por falta de conhecimento teológico tem vasti como uma rainha negligente. Criou-se então um sério impasse:
O rei considerava natural para a mulher obedecer aos desejos do seu marido.
Ele era rei e estava acostumado a ser obedecido por todos, sem exceção.
Qualquer desobediência era um desafio à sua soberania.
Uma vez dada uma ordem como rei dos persas ele não podia revogá-la.
Os convidados, que eram as pessoas mais importantes do seu reino, estavam assistindo e esperando a sua reação. Se mostrasse fraqueza, ele poderia perder alguma confiança deles, como líder militar que era.
Foi por isso que ele muito se enfureceu, e ardeu em ira, pois estava num beco sem saída.
Então Xerxes perguntou ao seu conselho (sete doutores em lei e direito e sete príncipes dos persas e dos medos) o que a lei determinava que se fizesse da rainha Vasti, por não haver cumprido o seu mandado através dos eunucos.
Um deles, chamado Memucã, declarou que a rainha havia cometido falta grave não só contra o rei, mas também contra todos os príncipes e contra todos os povos em todas as províncias do rei Assuero.
Explicou que o que ela havia feito viria a ser conhecido por todas as mulheres, e elas usariam o exemplo da rainha para desprezar os seus maridos também. Pior ainda, nesse mesmo dia as princesas da Pérsia e da Média, ouvindo o feito da rainha, fariam o mesmo com os seus maridos, dando origem a grande desprezo e indignação.
Recomendou então que o rei emitisse um edito real, irrevogável, que fosse incluído nas leis dos persas e dos medos, proibindo Vasti de entrar mais na presença do rei Assuero, e determinando que o rei desse a posição que ela ocupava a uma pessoa melhor do que ela.
Esse decreto teria por efeito fazer com que todas as mulheres dessem honra aos seus maridos.
O rei e os príncipes aprovaram a ideia e o decreto foi escrito, assinado e publicado. Foram, também, enviadas cartas a todas as províncias em seu próprio alfabeto e idioma, determinando que cada homem fosse senhor em sua casa; e que isso se publicasse em todos os povos conforme a língua de cada um.
Vasti foi afastada da presença do rei e destituída do seu poder como rainha. Segundo documentos gregos da antiguidade, que chamam Vasti de Amestris, provavelmente o equivalente do seu nome em grego, ela foi deposta em 484/483 a.C., mas aparece outra vez como a rainha mãe durante o reinado do filho Artaxerxes, que sucedeu a Xerxes. Se isso realmente aconteceu, é provável que ela tenha voltado a ter a influência que tinha depois da morte de Ester, quando seu filho estava no trono. Mas é a história profana, que não tem a mesma garantia de veracidade que tem a Bíblia...

BISPO/JUIZ. MESTRE E DOUTOR EM ÊNFASE E DIVINDADES DR. EDSON CAVALCANTE

0 comentários:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.