Subscribe:

sexta-feira, 1 de novembro de 2013

CUIDADO CRENTES PLACAS DE IGREJAS NÃO SALVA NINGUÉM...


                     CUIDADO CRENTES PLACAS DE IGREJAS NÃO SALVA A NINGUÉM...
Os  sermões neopentecostais mostram um Jesus fraco e demônios fortes.  Mostram um Jesus que salva, mas não tem poder para encher a vida da  pessoa. Tanto isso é verdade que na visão neopentecostal o crente  continua de quando em quando sendo possesso de demônios. Há uma  supervalorização dos demônios chegando às raias do ridículo: “Comece a  se manifestar pomba gira”, “Manifeste-se exu tranca-rua” são frases que  saem da boca dos gurus neopentecostais.
O  clima de um culto neopentecostal é de lavagem cerebral pela técnica de  repetição de frases curtas: “Olhe para seu irmão e diga…” Não é um clima  de ensino e doutrina. A técnica é de manipulação e de  despersonalização. A letra dos cânticos nos cultos neopentecostais  expressa uma linguagem mística, e muitas vezes esotérica, sem abordar as  verdades fundamentais da teologia cristã. Os grandes temas da fé como a  salvação, a cruz, a redenção e a justificação não são mencionados nos  cânticos. A realidade é que se espremermos a maioria dos cânticos  neopentecostais não dá uma colher de sopa de doutrina. As letras das  músicas são guisados de Jacó que trazem malefícios à fé apostólica.  Falam de paz e amor para elevar o ego dos ouvintes. Quanto à cristologia  constata-se claramente que a pessoa de Jesus se esvanece no  neopentecostalismo.
O  Cristo dos neopentecostais é uma pessoa decorativa, é uma pálida  caricatura do Cristo do Novo Testamento, pois o nome de Jesus é mostrado  como se fosse uma senha para acessar o site das maravilhas e fazer o  download do milagre de que se necessita. O Jesus dos neopentecostais é  mostrado não como a segunda pessoa da trindade, mas como um mágico, um  talismã, um nome a manipular, um dístico. Tanto isso é verdade que a  ênfase teológica do neopentecostalismo não é cristológica, mas  pneumatológica, ou seja, a pessoa de Jesus é apagada e a ênfase é dada  ao Espírito Santo. Para os pastores neopentecostais, Cristo é o canal  para nos trazer o Espírito Santo, quando na verdade é o Espírito Santo  quem nos conduz a Cristo e que desvenda a pessoa de Cristo ao fiel.  Quando a cristologia é fraca a soberba do homem é grande. A palavra de  João Batista “Importa que Ele cresça e que eu diminua” não encontra  espaço no neopentecostalismo.
Os  líderes neopentecostais se vêem como mediadores entre Deus e os homens.  Sua palavra supera o valor das Escrituras. Eles disputam espaço com  Cristo. Eles gritam: “Eu senti no meu coração e pronto”, ou seja, se  sentiu no coração é verdade absoluta. Esquecem esses líderes que não é  que nós sentimos em nosso coração, é o que a Bíblia diz. Se sentirmos de  uma maneira, e a Bíblia disser de outra, nós é que estamos equivocados,  e não a Bíblia.
Os  crentes antigos oravam assim: “Senhor me esconde atrás da cruz de  Cristo”, os líderes neopentecostais trocaram a oração por: “Senhor  esconde a cruz de Cristo atrás de mim”. De acordo com as Escrituras o  verdadeiro pastor pregar a obra de Jesus, mas os pastores  neopentecostais completam a obra de Jesus, ou seja, Jesus só produz  efeito na vida de uma pessoa através da “oração forte” que eles fizerem.  Só eles têm poder sobre os demônios, só eles têm “a chave da oração  forte”. Eles são o Sumo-Sacerdote e Jesus é apenas um ente espiritual.  Nesse contexto, Jesus precisa ser reforçado pela “oração forte” de um  guru neopentecostal. O neopentecostalismo é maléfico, pois apresenta um  Evangelho descorado onde as visões e revelações estrambóticas é o  referencial para o crescimento espiritual...
BISPO/JUIZ MESTRE E DOUTOR EM ÊNFASE E DIVINDADES DR. EDSON CAVALCANTE

0 comentários:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.