Subscribe:

segunda-feira, 15 de agosto de 2016

ESTUDO BÍBLICO SOBRE HADASSA (ESTER) E XERXES 1 (ASSUERO)...


              ESTUDO BÍBLICO SOBRE HADASSA (ESTER) E XERXES 1
(ASSUERO)...
Assuero (Xerxes I) – O Livro de Ester
493 AC – (Anno Mundi 3403) – Assuero (Xerxes I), Imperador da Pérsia
O rei Assuero, do Livro de Ester, historicamente conhecido como Xerxes I assumiu o império persa com a morte de seu pai, e tal como ele, empenhou-se ao máximo em dar continuidade à conquista da Grécia.
Tal obsessão terminou por fazê-lo perder grande parte de seu exército em batalha no território grego na baía de Salamina, em seu 5º ano de governo, a partir do que, Xerxes ficou praticamente restrito à região da Ásia Central. Construiu em Persépolis inúmeros palácios, monumentos e complexas obras arquitetônicas de grande beleza.
491 AC – (Anno Mundi 3405) – início dos acontecimentos do livro de Ester
A história de Ester começa no 3º ano de reinado de Assuero, quando este oferece um banquete aos grandes e pequenos de todo seu reino e ao fim da primeira semana a rainha Vasti se recusa comparecer perante o rei. (Et 1)
488 AC – (Anno Mundi 3408) – Assuero derrotado pelos gregos
De acordo com a história secular, Xerxes foi derrotado pelos gregos em Salamina no seu 5º ano de governo, em 29 de Setembro de 480 AC.
Como estamos seguindo o deslocamento de datas de acordo com a Bíblia, e desde a ascensão de Nabucodonosor temos uma defasagem de cerca de 6 a 8 anos com relação às datas históricas, situamos aqui este evento em 488 AC, não no sentido de desafiar a história, mas sim, de seguir com fidelidade a contagem bíblica.
Daniel profetizou sobre este evento no primeiro ano de Dario, o medo (Dn 11:1), descrevendo a investida de Assuero contra a Grécia da seguinte maneira: “Eu (Gabriel), pois, no primeiro ano de Dario, o medo, levantei-me para animá-lo e fortalecê-lo. E agora te declararei a verdade: Eis que ainda três reis estarão na Pérsia, e o quarto acumulará grandes riquezas, mais do que todos; e, tornando-se forte, por suas riquezas, suscitará a todos contra o reino da Grécia”.
Este quarto rei se refere a Xerxes, “que confiante em sua riqueza excessiva agitou-se até a Europa, tentando invadi-la, em sua ânsia de derrotar a Grécia, não só para vingar seu antecessor Hispastes (Dario, o Grande), mas sobretudo para reprimir as manifestações iniciais do agigantamento grego. Suas operações bélicas, embora calcadas em concentrada riqueza, redundaram em fracasso ao ser derrotado pelos gregos nas Termópilas e em Salamina.” (Ex-padre, Pastor Aníbal Pereira dos Reis, Edições Caminho de Damasco, 1981 – As Visões de Daniel – Pág. 68)
487 AC – (Anno Mundi 3409) – Ester levada à presença de Assuero
De acordo com Et 2:16, apenas no sétimo ano de Assuero a rainha Vasti veio a ser substituída. Como se sabe, promoveu-se no reino a procura uma nova rainha que veio a ser Ester.
É bastante sugestiva a ordem destes acontecimentos. Note-se que no 3º ano de Assuero ocorreu o incidente que culminou no afastamento da rainha Vasti, mas apenas no 7º ano é que esta é finalmente substituída.
Entendendo que Assuero esteve entre o 4º e 5º anos de seu governo envolvido com a conquista da Grécia, ocasião em que foi derrotado, só no 7º ano o assunto da reposição de Vasti volta às preocupações do rei, o que é bastante coerente.
482 AC – (Anno Mundi 3414) – Hamã pede o extermínio dos judeus
De acordo com Et 3:7-9, no 12º ano de Assuero, Hamã pediu a morte de todos os judeus da Pérsia. No mesmo ano Assuero emitiu o decreto autorizando a petição: “E enviaram-se as cartas por intermédio dos correios a todas as províncias do rei, para que destruíssem, matassem, e fizessem perecer a todos os judeus, desde o jovem até ao velho, crianças e mulheres, em um mesmo dia, a treze do duodécimo mês (que é o mês de Adar), e que saqueassem os seus bens.” (Et 3:13)
482 AC – (Anno Mundi 3414) – Hamã e os inimigos dos judeus enforcados
Numa reviravolta dos acontecimentos, Hamã acaba por ser executado na própria forca que preparara para Mardoqueu (Et 7:10), provavelmente no mês de Sivan (Et 8:9), equivalente aos meses de Maio ou Junho, e a sentença de morte que pairava sobre todos os judeus da Pérsia tornou-se contra os seus inimigos.
Este é o motivo da festa judaica do Purim (sorte), que é festejado até hoje no dia 14 de Adar (12º mês do calendário judaico) que equivale aos meses de Fevereiro ou Março em nosso calendário. Afora o mês, os dias também não coincidem. 14 de Adar em 2010, por exemplo, equivaleu a 28 de Fevereiro de 2010.
No dia 13 de Adar (Fevereiro ou Março) foram executados os inimigos dos judeus, incluindo os dez filhos de Hamã (Et 9:7-10) que se encontravam na cidade de Susã, os quais tiveram no dia seguinte, 14 de Adar, mesmo já estando mortos, os corpos dependurados em forca para a vista de toda a cidade (Et 9:14).
Um paralelo interessante tem sido observado com relação aos nazistas executados após o julgamento de Nuremberg: Dos vinte e quatro que foram levados a julgamento, três foram absolvidos, um teve a acusação cancelada, quatro tiveram penas de prisão de 10 a 20 anos, três foram condenados a prisão perpétua, e treze foram condenados à morte por enforcamento.
Destes treze condenados à forca, Göring e Robert Levi suicidaram-se na prisão. Martin Bormann conseguiu fugir da Alemanha tendo sido julgado in absentia. Borman viria a morrer em Berlim em 1973, tendo seu corpo sido reconhecido por peritos. Restaram, portanto, dez, os chamados 10 filhos de Hitler, todos eles enforcados: Hans Frank, Wilhelm Frick, Alfred Jodl, Ernst Kaltenbrunner, Wilhelm Keitel, Joachim Ribbentrop, Alfred Rosenberg, Fritz Sauckel, Arthur Seyss-Inquart, e Julius Streicher.
473 AC – (Anno Mundi 3.423) – morte de Xerxes I
Assuero (Xerxes I) reinou, conforme dados históricos, 20 anos, e teria falecido em 465 AC. De acordo com a contagem bíblica, respeitada a informação histórica de seu tempo de governo, teria falecido em 473 AC.
1-3. (a) Por que Ester talvez tenha ficado com medo diante da perspectiva de ir falar com seu marido? (b) Que perguntas sobre Ester consideraremos?
ESTER tentou ficar calma ao se aproximar do pátio do palácio de Susã. Isso não era fácil. Tudo naquele castelo havia sido projetado para impressionar — suas coloridas esculturas em relevo de tijolos esmaltados, representando touros alados, arqueiros e leões; suas colunas caneladas de pedra; suas imponentes estátuas e até mesmo sua localização no topo de enormes plataformas perto dos montes Zagros, cobertos de neve, com vista para as águas cristalinas do rio Choaspes. Tudo isso tinha o objetivo de fazer cada visitante lembrar do imenso poder do homem que Ester iria ver, aquele que se dizia “o grande rei”, e que também era o marido dela.
2 Marido? Assuero era bem diferente de tudo o que uma fiel moça judia esperaria de um marido. * Ele não seguia o exemplo de homens como Abraão, que humildemente aceitou a orientação de Deus de escutar Sara, sua esposa. (Gên. 21:12) O rei sabia pouco ou nada sobre Jeová, o Deus de Ester, ou sobre Sua Lei. Assuero, porém, conhecia a lei persa, que incluía uma lei que proibia exatamente o que Ester estava para fazer. O quê? A lei dizia que, se uma pessoa comparecesse perante o rei persa sem ter sido convocada por ele, estava sujeita à morte. Ester não tinha sido convocada, mas estava indo ver o rei mesmo assim. Ao se aproximar do pátio interior, de onde o rei no seu trono poderia vê-la, ela talvez achasse que estava caminhando para a morte. — Leia Ester 4:11; 5:1.
3 Por que ela assumiu esse risco? E o que podemos aprender da fé dessa notável mulher? Primeiro, vejamos como Ester, uma moça simples, se tornou rainha na Pérsia.
A formação de Ester
4. O que sabemos sobre a infância de Ester, e por que ela teve de ir morar com seu primo Mordecai?
4 Ester era órfã. Sabemos muito pouco sobre os pais dela. Eles lhe deram o nome de Hadassa, palavra hebraica para “murta”, um lindo arbusto de flores brancas. Quando os pais de Ester morreram, um de seus parentes, um homem bondoso chamado Mordecai, teve pena da criança. Eles eram primos, mas Mordecai era bem mais velho. Ele levou Ester para sua casa e cuidou dela como se fosse sua filha. — Ester 2:5-7, 15.
Ester serve uma refeição para Mordecai na casa dele
Mordecai tinha bons motivos para sentir orgulho de sua filha adotiva
5, 6. (a) Como Mordecai criou Ester? (b) Que tipo de vida Ester e Mordecai levavam em Susã?
5 Mordecai e Ester eram exilados judeus na capital persa, onde provavelmente eram desprezados por causa da religião e da lei que tentavam seguir. Mas Ester com certeza ficou bem achegada a seu primo à medida que ele lhe ensinava sobre Jeová, o Deus misericordioso que muitas vezes no passado havia resgatado Seu povo de dificuldades — e que faria isso de novo. (Lev. 26:44, 45) Naturalmente, surgiu um vínculo de afeto e lealdade entre Ester e Mordecai.
6 Parece que Mordecai tinha algum tipo de cargo no castelo em Susã, visto que se sentava regularmente no portão com outros servos do rei. (Ester 2:19, 21; 3:3) Não sabemos como era o dia a dia de Ester à medida que crescia, mas não é difícil imaginar que ela cuidava de seu primo mais velho e de sua casa, provavelmente num dos bairros mais pobres, do outro lado do rio em relação ao castelo. Ela talvez gostasse de ir ao mercado em Susã, onde ourives, prateiros e outros comerciantes exibiam suas mercadorias. Ester nem imaginava que todo aquele luxo mais tarde seria algo comum na sua vida; ela não tinha ideia do que o futuro lhe reservava.
“Bela de aparência”
7. Por que a rainha Vasti foi deposta, e o que aconteceu depois disso?
7 Certo dia em Susã, todos estavam comentando o tumulto que havia surgido  na corte. Durante uma grande festa em que Assuero estava recebendo a nobreza com um suntuoso banquete, ele decidiu convocar sua bela rainha, Vasti, que estava festejando separadamente com as mulheres. Mas Vasti se recusou a ir. Humilhado e furioso, o rei perguntou a seus conselheiros como Vasti deveria ser punida. O que aconteceu? A rainha foi deposta. Os servos do rei começaram a procurar por todo o império belas moças virgens, dentre as quais o rei escolheria uma nova rainha. — Ester 1:1–2:4.
8. (a) Por que Mordecai talvez tenha se preocupado com Ester à medida que ela crescia? (b) Como você acha que podemos aplicar o conceito equilibrado da Bíblia sobre a beleza? (Veja também Provérbios 31:30.)
8 Podemos imaginar Mordecai olhando de vez em quando para Ester com carinho e percebendo, num misto de orgulho e preocupação, que sua querida prima havia crescido e se tornado uma moça de notável beleza. O relato diz que “a moça era bonita de figura e bela de aparência”. (Ester 2:7) A Bíblia apresenta um conceito equilibrado sobre a beleza — é algo agradável, mas precisa estar acompanhada de sabedoria e humildade. Senão, pode gerar vaidade, orgulho e outras características indesejáveis. (Leia Provérbios 11:22.) Já notou como isso é verdade? No caso de Ester, em que resultaria sua beleza? Em algo bom ou ruim? Só o tempo diria.
9. (a) O que aconteceu quando os servos do rei notaram Ester, e por que a despedida deve ter sido difícil para ela e Mordecai? (b) Por que Mordecai permitiu que Ester se casasse com um pagão? (Inclua o quadro.)
9 Em sua busca, os servos do rei notaram Ester. Eles a levaram da casa de Mordecai para o grande palácio, do outro lado do rio. (Ester 2:8) Deve ter sido uma despedida muito difícil, pois Mordecai e Ester eram como pai e filha. Ele não queria que sua filha adotiva se casasse com um descrente, nem mesmo com um rei. Mas não havia nada que ele pudesse fazer. * Ester deve ter escutado com bastante atenção os conselhos de Mordecai antes de partir. Enquanto era levada para o castelo de Susã, muitas perguntas devem ter passado pela sua mente. Que tipo de vida a esperava?
Ela ganhava favor “aos olhos de todos os que a viam”
10, 11. (a) Como Ester poderia ter sido facilmente afetada pelo novo ambiente em que se encontrava? (b) Como Mordecai mostrou que estava preocupado com o bem-estar de Ester?
10 Ester se viu num mundo totalmente novo e estranho para  ela. Estava entre as “muitas moças” que haviam sido trazidas de diferentes lugares do Império Persa. Seus costumes, idioma e atitudes provavelmente variavam muito. As moças foram colocadas sob a supervisão de um encarregado chamado Hegai e passariam por um extenso tratamento de beleza, um programa de um ano que incluía massagens com óleos perfumados. (Ester 2:8, 12) Um ambiente e um modo de vida assim poderiam facilmente ter feito com que aquelas moças ficassem obcecadas pela aparência, além de gerar vaidade e competição. Será que isso afetou Ester?
11 Ninguém estava mais preocupado com Ester do que Mordecai. O relato mostra que todos os dias ele chegava o mais perto possível da casa das mulheres para saber se ela estava bem. (Ester 2:11) À medida que conseguia algumas informações, talvez  por meio de servos cooperadores que trabalhavam ali, é provável que seu coração se enchesse de orgulho paternal. Por quê?
12, 13. (a) Até que ponto Ester impressionou as pessoas ao seu redor? (b) Por que Mordecai ficou alegre por saber que Ester não tinha revelado sua origem judaica?
12 Ester impressionou tanto Hegai que ele a tratou com muita bondade, dando-lhe sete servas e o melhor lugar na casa das mulheres. O relato diz até que “Ester ganhara continuamente favor aos olhos de todos os que a viam”. (Ester 2:9, 15) Será que foi a beleza por si só que teve esse efeito? Não. No caso de Ester foi muito mais do que isso.
Ester admira a natureza enquanto outras jovens se embelezam
Ester sabia que a humildade e a sabedoria são muito mais importantes do que a aparência
13 Por exemplo, lemos: “Ester não dera informações sobre o seu povo ou sobre a sua parentela, porque o próprio Mordecai  lhe dera ordem de que não o contasse.” (Ester 2:10) Mordecai tinha instruído Ester a ser discreta sobre sua origem judaica. Com certeza, ele notava que havia muito preconceito contra seu povo entre a realeza persa. Como ele ficou alegre por saber que Ester, apesar de estar longe dele, ainda mostrava o mesmo espírito sábio e obediente!
14. Como os jovens hoje podem imitar o exemplo de Ester?
14 Hoje em dia, os jovens também podem alegrar o coração de seus pais ou de outros responsáveis por eles. Quando não estão à vista dos pais — mesmo rodeados de pessoas superficiais, imorais ou ruins —, eles podem resistir a más influências e se apegar ao que sabem ser certo. Quando fazem isso, alegram o coração de seu Pai celestial, assim como Ester. — Leia Provérbios 27:11.
15, 16. (a) Como Ester conquistou o amor do rei? (b) Por que as mudanças na vida de Ester devem ter sido desafiadoras?
15 Quando chegou o momento de ser apresentada ao rei, Ester recebeu a liberdade de escolher qualquer coisa que achasse necessário, talvez para ficar ainda mais bonita. Mas Ester foi modesta e não pediu nada além do que Hegai havia mencionado. (Ester 2:15) É provável que ela tenha percebido que o coração do rei não seria conquistado só pela beleza. Um espírito humilde e modesto seria algo bem mais raro naquela corte. Será que ela estava certa?

16 O relato responde: “O rei veio a amar Ester mais do que a todas as outras mulheres, de modo que ela obteve mais favor e benevolência diante dele do que todas as outras virgens. E passou a pôr-lhe o toucado real sobre a cabeça e a fazê-la rainha em lugar de Vasti.” (Ester 2:17) Deve ter sido difícil para aquela humilde jovem judia adaptar-se a essa mudança em sua vida — ela era a nova rainha, esposa do monarca mais poderoso da Terra naquela época! Será que sua nova posição lhe subiu à cabeça, deixando-a orgulhosa? Muito pelo contrário!
17. (a) De que maneiras Ester continuou obediente ao seu pai adotivo? (b) Por que o exemplo de Ester é importante para nós hoje?
17 Ester continuou obediente ao seu pai adotivo, Mordecai. Manteve em segredo sua ligação com o povo judeu. Além disso, quando Mordecai descobriu uma trama para assassinar Assuero, Ester obedientemente informou o rei, e a conspiração foi frustrada. (Ester 2:20-23) Seu espírito humilde e obediente mostrava que ela não havia perdido a fé em seu Deus. O exemplo de Ester é muito importante para nós hoje, visto que poucos consideram  a obediência uma virtude, e a desobediência e a rebeldia são a regra. Mas pessoas de genuína fé prezam a obediência, assim como Ester.
A fé de Ester é testada
18. (a) Por que Mordecai deve ter se recusado a se curvar diante de Hamã? (Veja também a nota.) (b) Como homens e mulheres de fé hoje imitam o exemplo de Mordecai?
18 Um homem chamado Hamã obteve destaque na corte de Assuero. O rei o nomeou primeiro-ministro, o que fazia de Hamã seu principal conselheiro e o segundo homem mais poderoso no império. O rei até mesmo decretou que quem visse esse alto funcionário deveria se curvar diante dele. (Ester 3:1-4) Para Mordecai, essa lei era um dilema. Ele sabia que devia obedecer ao rei, mas só quando isso não envolvesse desobedecer a Deus. O problema é que Hamã era agagita. Pelo visto, isso significava que ele era descendente de Agague, o rei amalequita executado pelo profeta Samuel. (1 Sam. 15:33) Os amalequitas eram tão maus que se declararam inimigos de Jeová e de Israel. Como povo, eram condenados por Deus. * (Deut. 25:19) Como é que um judeu fiel poderia se curvar diante de um amalequita? Mordecai nunca faria isso. Ele manteve sua posição. Até hoje, homens e mulheres de fé têm arriscado a vida para cumprir este princípio: “Temos de obedecer a Deus como governante antes que aos homens.” — Atos 5:29.
19. O que Hamã queria fazer, e como conseguiu convencer o rei?
19 Hamã ficou furioso. Mas tramar algo para matar apenas Mordecai não era suficiente. Ele queria exterminar o povo de Mordecai. Para convencer o rei a fazer isso, Hamã passou uma ideia negativa dos judeus. Sem mencionar nomes, deu a entender que eles eram insignificantes, um povo “disperso e separado entre os povos”. Pior ainda, Hamã disse que eles não obedeciam às leis do rei, ou seja, que eram rebeldes perigosos. Ele propôs doar uma enorme quantia ao tesouro do rei para pagar as despesas da chacina dos judeus no império. * Assuero deu o seu próprio anel de sinete a Hamã para ele aprovar qualquer ordem que tivesse em mente. — Ester 3:5-10.
20, 21. (a) Como a proclamação de Hamã afetou os judeus em todo o Império Persa, incluindo Mordecai? (b) O que Mordecai implorou que Ester fizesse?
 20 Em pouco tempo, mensageiros foram rapidamente a cavalo a cada canto do vasto império, levando o que resultaria numa sentença de morte para o povo judeu. Imagine o impacto que essa proclamação deve ter tido ao chegar à distante Jerusalém, onde um restante de judeus, depois de voltar do exílio em Babilônia, lutava para reconstruir a cidade que ainda não tinha muralhas para se defender. Ao receber a terrível notícia, talvez Mordecai tenha pensado neles, bem como em seus amigos e parentes em Susã. Muito aflito, ele rasgou suas vestes, cobriu-se de serapilheira, colocou cinzas sobre a cabeça e ficou no meio da cidade clamando. Hamã, porém, sentou-se com o rei para beber, sem remorso pelo sofrimento que estava causando aos judeus e aos amigos deles em Susã. — Leia Ester 3:12–4:1.
21 Mordecai sabia que precisava agir. Mas o que ele poderia fazer? Ester ficou sabendo da aflição dele e lhe enviou roupas. Mordecai, porém, se recusou a ser consolado. Pode ser que ele se perguntasse já por muito tempo por que seu Deus, Jeová, havia permitido que sua querida Ester fosse tirada dele para ser rainha de um governante pagão. Agora as coisas estavam começando  a fazer sentido. Mordecai enviou uma mensagem a Ester, implorando que ela intercedesse junto ao rei em defesa de “seu próprio povo”. — Ester 4:4-8.
22. Por que Ester ficou com medo de comparecer perante seu marido, o rei? (Veja também a nota.)
22 Ao ouvir aquela mensagem, Ester deve ter ficado apavorada. Esse seria o maior teste de sua fé. Ela ficou com medo, como indica sua resposta a Mordecai. Ela o lembrou da lei que dizia que comparecer perante o rei sem ser convocado significava pena de morte. O transgressor só seria poupado se o rei estendesse o seu cetro de ouro. E será que Ester podia esperar essa clemência, ainda mais depois do que tinha acontecido com Vasti quando se recusou a obedecer a uma ordem do rei? Ester disse a Mordecai que já fazia 30 dias que o rei não a chamava para comparecer perante ele. Esse desinteresse lhe dava bons motivos para se perguntar se havia perdido o favor daquele rei cheio de caprichos. * — Ester 4:9-11.
23. (a) O que Mordecai disse para fortalecer a fé de Ester? (b) Por que vale a pena imitar o exemplo de Mordecai?
23 Mordecai respondeu com firmeza para fortalecer a fé de Ester. Ele assegurou que, se ela não agisse, a salvação dos judeus viria de outra fonte. Mas como ela poderia esperar ser poupada quando a perseguição ganhasse força? Assim Mordecai mostrou sua profunda fé em Jeová, que nunca deixaria Seu povo ser exterminado nem Suas promessas sem se cumprir. (Jos. 23:14) Depois, Mordecai perguntou a Ester: “Quem sabe se não foi para um tempo como este que atingiste a realeza?” (Ester 4:12-14) Não acha que vale a pena imitar o exemplo de Mordecai? Ele  tinha plena confiança em seu Deus, Jeová. E nós, temos? — Pro. 3:5, 6.
Uma fé mais forte do que o medo da morte
24. Como Ester mostrou fé e coragem?
24 Havia chegado a hora de Ester tomar uma decisão. Ela disse a Mordecai para pedir que seus compatriotas se juntassem a ela num jejum de três dias. Sua mensagem termina com uma declaração de fé e coragem que ficou registrada até hoje: “Se eu tiver de perecer, terei de perecer.” (Ester 4:15-17) Naqueles três dias, ela deve ter orado mais fervorosamente do que nunca. Finalmente, chegou o momento. Ela colocou sua melhor vestimenta real, fazendo tudo o que podia para agradar o rei. E então saiu ao seu encontro.
Ester na corte do rei Assuero com sua melhor vestimenta real
Ester arriscou a vida para proteger o povo de Deus
25. Descreva o que aconteceu quando Ester entrou para falar com seu marido.
25 Como descrito no começo deste capítulo, Ester dirigiu-se à corte do rei. Podemos imaginar suas preocupações e suas orações fervorosas enchendo-lhe a mente e o coração. Ela entrou no pátio, de onde podia ver Assuero. Talvez tenha tentado ler a expressão no rosto do rei. Se ela teve de esperar, isso deve ter parecido uma eternidade. Mas a espera acabou quando o rei a viu. Com certeza ele ficou surpreso, mas sua expressão facial se abrandou, e ele estendeu seu cetro de ouro! — Ester 5:1, 2.
26. Por que os cristãos verdadeiros precisam de coragem como a de Ester, e por que a missão dela estava apenas começando?
26 Ester tinha conseguido uma audiência, um ouvido atento. Ela havia tomado posição a favor de seu Deus e de seu povo, estabelecendo um belo exemplo de fé para todos os servos de Deus ao longo dos tempos. Os cristãos verdadeiros hoje dão valor a exemplos assim. Jesus disse que seus verdadeiros seguidores seriam identificados pelo amor abnegado. (Leia João 13:34, 35.)

Apóstolo. Capelão/Juiz. Mestre e Doutor em Ciência da Religião Dr. Edson Cavalcante

0 comentários:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.