Subscribe:

terça-feira, 15 de janeiro de 2013

A DEPRESSÃO DO PROFETA ELIAS...


                                                  A DEPRESSÃO DO PROFETA ELIAS...


A depressão é um problema comum e antigo na vida humana. Todos os cristãos enfrentam períodos de depressão. Até mesmo os mais bem-sucedidos servos de Deus se depararam com ela: Jó 3.11;MoisésNm 11.15DaviSl 42.5;JonasJn 4.3Paulo2 Co 1.8. Mas o exemplo mais forte é o de Jesus. No Getsêmani, Ele ora: “Minha alma está profundamente triste até a morte” (Mt 26.38). Naquele momento o nosso Mestre passou por sofrimentos, sensações e sentimentos de agonia tão fortes que até desejou a morrer. Com isso as declarações do autor da carta aos Hebreus, em 4.15 e 2.18, se tornam vívidas e significativas hoje. Creio que a depressão, sem dúvida nenhuma, é atualmente a doença que mais afeta a humanidade. A depressão é uma doença e como tal precisa ser tratada. Ela é de difícil diagnóstico, mas o psicólogo cristão, Gary Collins, afirma que “os sinais de depressão incluem tristeza, apatia e inércia, tornando difícil continuar vivendo ou tomar decisões; perda de energia e fadiga. Normalmente acompanhadas de insônia, pessimismo, desesperança, medo, auto-conceito negativo, quase sempre acompanhado de autocrítica e sentimentos de culpa, vergonha, senso de indignidade e desamparo; perde de interesse no trabalho, sexo e atividades usuais, perda de espontaneidade; dificuldade de concentração, incapacidade de apreciar acontecimentos ou atividades agradáveis e freqüentemente perda de apetite”. O profeta Elias experimentou em sua vida a depressão (1 Reis 19.4). C. Swindoll escreveu: “Fico feliz ao ver este capítulo incluído nas Escrituras. Alegra-me saber que, quando Deus pinta o retrato de seus homens e mulheres, Ele o faz com defeitos e tudo. Deus não ignora a fraqueza ou esconde a fragilidade de seus servos”. É bom saber que o profeta era “homem semelhante a nós” ou como nos diz ARC, “era homem sujeito às mesmas paixões[sentimentos] que nós” (Tg 5.17). Nesta manhã o nosso propósito é analisar a depressão na vida de Elias e identificar suas causas e efeitos, bem como, a maneira que Deus a tratou para a cura do profeta.
01. ELIAS: UM HOMEM ZELOSO PELO SENHOR -1 Reis 19.10.
Elias era um homem de Deus. Isto é claramente percebido por sua vida:
  • Ele confrontou bravamente Acabe, anunciando a seca que viria.
  • Ele continuou fiel ao Senhor o longo e solitárioa período de espera na torrente do Querite.
  • Ele arriscou sua própria reputação quando orou para que o filho da viúva fosse ressuscitado.
  • Ele obedeceu à ordem dada por Deus para que ele se encontrasse com Acabe e com os falsos profetas no monte Carmelo.
Tais fatos são inquestionáveis. Ele realmente era um homem zeloso pelo Senhor. Mas este fato não o livrou da depressão. E, deste modo, encontramos um princípio fundamental para nós hoje. Ser um cristão fiel, dedicado e zeloso não significa que estaremos isentos de enfrentar a depressão. Nem devemos pensar que depressão significa que não estamos em comunhão com Deus. É interessante observar que a depressão na vida de Elias aconteceu logo após sua maior vitória espiritual. A pergunta que fazemos, então, o que levou o profeta a enfrentar a depressão?
02. AS CAUSAS E OS EFEITOS DA DEPRESSÃO EM ELIAS.
a) Primeiramente podemos afirmar que a depressão ocorreu após a exaustão física e emocional do profeta. Deus nos criou para operarmos dentro de certos limites fisiológicos e emocionais. Quando avançamos, indo além dos nossos limites, e permanecemos por um longo período nessa condição, sofremos as conseqüências. Quando olhamos a vida de Elias verificamos que ele viveu sempre no limite. Fora um homem procurado por Acabe e tido como seu inimigo número um. Enfrentou tempos difíceis no deserto, onde quase morreu de fome. Depois o encontramos numa confrontação com o povo de Deus e com os falsos profetas, que exauriu suas forças físicas e emocionais. Não bastasse tudo isso, o profeta correu uma verdadeira maratona de mais de 30 quilômetros! 1 Reis 18.46. G. Getz: “Todos nós temos um “sistema de alarme” físico que é ativado quando estamos sob estresse. É esse sistema que nos dá uma força física incomum para ficarmos sem dormir, fazermos o que pode ser considerado tarefas sobre-humanas e agirmos além de nossas habilidades normais. Mas, uma vez que essas atividades terminam, nosso sistema de alarme “desliga” e tudo volta ao normal. Quando isso ocorre, a depressão passa a ser previsível. Todas essas dinâmicas contribuíram para a repentina mudança de Elias – ainda que sua “explosão” de energia que o capacitou correr 32 km definitivamente tenha sido algo sobrenatural”. O homem é um ser psicossomático e isto implica que, quando sofremos fisicamente, por causa de uma enfermidade, o nosso emocional é afetado. A recíproca é também verdade. Quando sofremos emocionalmente, nosso corpo sofre. É possível afirmar que isso acontece na dimensão espiritual, pois se tivermos problemas espirituais, não deveríamos nos surpreender se também tivermos problemas físicos e psicológicos. Obviamente, tudo isso explica porque o profeta fugiu do problema. E o fato de exaurir-se física e emocionalmente levou-o a ter uma visão distorcida. Primeiro diante da ameaça de Jezabel, que o ameaçou de morte. Quem é Jezabel diante do Deus de Elias? O profeta não considerou isto. Depois, quando questionado por Deus afirma estar só. E Obadias? E os profetas que foram salvos por Obadias? Na verdade Elias demonstra um sintoma normal associado à depressão. As experiências negativas nos impedem de ver as verdades e os fatos positivos. Concentramo-nos nas coisas que nos desanimam.
b) A depressão ocorreu após uma decepção, uma frustração. Elias esperava por um avivamento em Israel. Esperava o arrependimento da nação. E esta esperança se intensifica após a reação do povo no Monte Carmelo (1Reis 18.39). Mas não é isto que acontece. Jezabel ao saber dos fatos ocorridos no monte Carmelo o ameaçou com morte! Ela decidiu permanecer e insistir na idolatria. Ao receber a mensagem da rainha, uma mudança acontece na vida do profeta. Sua alegria transformou-se em tristeza e sua coragem em medo. E ele se foi.
c) A depressão levou o profeta a isolar-se. A narração bíblica nos diz que ele fugiu para Berseba e “ali deixou o seu moço”. C. Swindoll: “Pessoas desencorajadas são pessoas solitárias. Só há espaço para uma pessoa debaixo de um zimbro no deserto. Debaixo dos galhos secos da desmotivação e solidão há somente uma pequena sombra”. Nós somos assim. Temos a tendência de nos isolar e não percebemos o quanto isto é prejudicial. Elias deveria ter ficado com um amigo de confiança, um companheiro que o estimulasse, dando-lhe coragem. Mas a natureza humana não funciona assim. “Quando ficamos desmotivados, a primeira coisa que procuramos fazer é ficar sozinhos. Normalmente esta é a pior decisão”.
03. COMO DEUS LIDOU COM A DEPRESSÃO DE ELIAS?
Deus encontrou o seu servo num momento de desmotivação e desespero. A depressão lhe era tão intensa que desejou a morte. Em sua oração disse: “Basta; toma agora, ó Senhor, a minha alma”. E nesta condição sentou-se debaixo de uma árvore e dormiu profundamente.
a) Em primeiro lugar Deus permitiu que o seu servo tivesse um momento de descanso. O Senhor, através de Seu anjo, o alimentou e permitiu que repousasse. Não há nenhuma reprimenda. Nenhum sermão ou repreensão. Deus não disse: “Vamos lá! Levante! Ao trabalho! Não sejas ingrato!” Deus providenciou uma refeição de pão quente e água fresca e o deixou descansar. Era preciso recobrar suas forças físicas. C. Swindooll: “O cansaço pode fazer que você mude de rumo. A fadiga pode levá-lo a todo tipo de estranhas alucinações. Ela pode fazer que você acredite numa mentira. Elias estava acreditando numa mentira, em parte por estar exausto. Então Deus lhe dá descanso e refrigério, o que o permitiu que, depois, Elias se levantasse para uma caminhada de quarenta dias e quarenta noites”.
Creio que isto é necessário não só no caso de Elias. É preciso repousar, descansar. Mas quero dizer que podemos prevenir a depressão, proporcionando um período de descanso. Deus nos ensina que é preciso repousar de nossas fadigas, por isso descansou no sétimo dia.
b) Depois ouviu a Elias. Como disse Deus não o condenou por sua atitude. Ao invés disso, pergunta: “Que fazes aqui Elias?” Deus queria entender. Não que Ele não entendesse, mas queria que o profeta expressasse, verbalizasse o seu problema.Certas vezes precisamos colocar para fora os nossos sentimentos, mas devemos fazê-lo de uma maneira responsável.“Independentemente de como estejamos nos sentindo, Deus está sempre disposto a nos ouvir. Ele não está esperando para bater em nossa cabeça e nos condenar quando decidimos compartilhar com Ele os nossos sentimentos – mesmo que eles possam ser negativos” (G. Getz).
c) Deus fez Elias entender e enfrentar a realidade. Para vencer a depressão é preciso entender e enfrentar a realidade. Expor os nossos sentimentos repetidamente não resolve os problemas emocionais. Na verdade, se repetirmos uma idéia errada durante algum tempo, temos a tendência de nos convencer que estamos certos. É preciso para de falar e somente ouvir o que os outros têm a dizer. A nossa ação deve basear-se na realidade.
Elias estava acreditando numa enorme mentira. “Estou sozinho. Sou a única voz de Deus. E ainda estão tentando me matar!” Vejam a resposta de Deus: 1Reis 19.11,12. Vento... terremoto... fogo. Deus não estava em nenhum destes fenômenos poderosos. Sua voz veio de um cicio, uma brisa suave. É como dissesse: Você não está só Elias, Eu estou com você.
E mais uma vez pergunta: “que fazes aqui, Elias? E de novo a expressão de autocomiseração. Mas Deus lhe mostra a realidade (1 Reis 19.15-18):
· Deus mostra ao profeta que ele ainda tinha um trabalho a fazer. Ele ainda era um homem de Deus.
· Deus lhe diz: você não está sozinho. C. Swindoll nos adverte que “nenhuma pessoa é suficientemente forte física, psicológica ou espiritualmente para fazer a obra de Deus”. Elias precisava aprender isto.
d) Deus lhe providenciou um amigo próximo (1 Reis 19.19-21). È interessante observar que Deus não lhe deu apenas um sucessor, mas alguém que o amava e o compreendia suficientemente bem para servi-lo e encorajá-lo. Todos nós precisamos de outros cristãos em nossa vida para nos ajudar e encorajar. É por isso que Deus estabeleceu a igreja, para vivermos em comunhão, em amizade e em encorajamento mútuo.
“Os princípios para derrotarmos a depressão que podemos aprender com a maneira como Deus lidou com Elias são básicos para nos ajudar a derrotar qualquer tipo de depressão. Mesmo que as lutas que causam a depressão em nossa vida possam ser bastante distintas dos problemas de Elias, esses princípios são os mesmo quando tratarmos desse tipo de problema. Isso nos fornece uma estratégia básica e um ponto de partida para solucionar nossos problemas. Porém, se você já colocou esses princípios em prática durante algum tempo e não conseguiu curar a sua depressão, você deve consultar um médico – de preferência um psiquiatra cristão que entenda nossos problemas como um todo: física, mental e espiritualmente”...
BISPO/JUIZ.PHD.THD.DR.EDSON CAVALCANTE

0 comentários:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.