Subscribe:

quarta-feira, 11 de novembro de 2015

ESTUDO BÍBLICO SOBRE A MORTE...


                                       ESTUDO BÍBLICO SOBRE A MORTE...
Certo pregador ao referir-se a vida, afirmou: - O ser humano nada mais é do que uma encomenda que a parteira enviou  para o coveiro. -Um dia essa encomenda vai chegar!
Mas afinal, o que significa  morrer?  - Porventura   seria  receber  o   golpe  fatal  desferido  pela velhinha  corcunda nariguda  de orelhas enormes,  gorro preto, machadinha na mão e nada mais?
Considerando o que a bíblia diz, podemos entender que  existem três tipos de mortes classificadas da seguinte maneira:  Morte espiritual, morte física e morte eterna. Mas para não ser prolixo trataremos nesta oportunidade apenas  da morte espiritual que  é o fruto maduro da desobediência degustado no Éden, cujo veneno atingiu toda raça humana.
    
Deus criou adão e Eva do pó da terra e deu-lhes  um mandamento: (Gn 2.17..., mas da arvore do conhecimento do bem e do mal, dela não comerás; porque no dia em  que dela comeres certamente morrerás).  Porém, o citado casal deixou ser ludibriados por satanás,  e sendo vencidos pela concupiscência  desobedeceram a ordem divina e foram condenados por isso. Diz a bíblia que Deus os expulsou do jardim, e nunca mais apareceu  na virada do dia para falar com eles como era de costume. Agora separados do Criador, longe do Éden estavam MORTOS em seus delitos e pecados, prontos para  encher a terra de homem e mulheres com  prazo de validade.
Hoje, a descendência daquele casal constitui-se na numerosa  multidão de mortos vivos espalhados em toda face da terra, cujo fétido odor da sua decomposição é exalado através das terríveis barbáries que praticam. Estes cadáveres ambulantes são responsáveis por todo tipo de roubos, latrocínios, idolatrias,  assassinatos, feitiçarias, sequestros, adultérios, corrupção,  prostituição moral, espiritual e religiosa, e pela violência impressa na desigualdade social; - Pasmem-se os senhores! - A insensibilidade desses mortos vivos é tão grande que  a “casta  inferior” é obrigada a viver do lixo e das migalhas que caem da  mesa dos abastados, ou de uma cota alimentar que deixaria os cães da nobreza anêmicos e desnutridos.
Tais defuntos espirituais entesoura para si a ira de Deus, e teria como futuro apenas o lago que arde com  fogo e enxofre, não fosse o plano de salvação elaborado pelo Criador antes dos tempos dos séculos conforme Paulo escreve a Timóteo no capítulo 1 e versículo 9 da segunda epístola: (Que nos salvou, e chamou com uma santa vocação; não segundo as nossas obras, mas segundo o seu próprio propósito e graça que nos foi dada em Cristo Jesus antes dos tempos dos séculos; E que é manifesta agora pela aparição de nosso Salvador Jesus Cristo, o qual aboliu a morte, e trouxe à luz a vida e a incorrupção pelo evangelho). Partindo deste princípio bíblico  podemos  afirmar  que  há  vida  após  a  morte, até porque  corroborando este fundamento Paulo ainda  afirma:  (E vos vivificou, estando vós mortos em ofensas e pecados em que noutro tempo, andastes, segundo o príncipe das potestades do ar, do espírito que agora opera nos filhos da desobediência, entre os quais nós também, antes, andávamos nos desejos da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; éramos por natureza filhos da ira, como os outros também mas Deus que é riquíssimo em misericórdia, pelo seu muito amor com que nos amou, estando nós ainda mortos em nossas ofensas, nos vivificou juntamente com Cristo(pela graça sois salvos), e nos ressuscitou juntamente com ele, e nos fez assentar nos lugares celestiais, em Cristo Jesus). Sendo sabedor que existem dois tipos de vida após a morte, temos livre arbítrio para escolher que tipos de vida querem viver neste corpo -  Efésios 2.1-6). Mas afinal, quem são estes vivificados? – Conforme João 3.16  São aqueles que embora estivessem no mundo  do pecado, foram alcançados pelo amor de Deus e creram  no seu Filho unigênito (Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna João 3.16). Diante do exposto, Viveremos como mortos em delitos e pecados, ou deixaremos ser vivificados por Cristo para uma vida com Deus?
Seguiremos passos largos em direção ao lago de fogo, ou andaremos no caminho estreito que conduz a vida eterna na nova Jerusalém Celestial? –  Viver é possível, mas a decisão depende de cada um de nós...          
 O QUE  UM MORTO VIVO DEVE FAZER PARA  SER VIVIFICADOS  POR DEUS E PARA DEUS?
PRIMEIRO PASSO OUVIR  A PALAVRA DE JESUS E CRER NAQUELE QUE O  ENVIOU.
–  O  próprio   Jesus   diz:
(João 5.24-25 – Na verdade, na verdade vos digo que quem ouve a minha palavra e crê naquele que me enviou tem a vida eterna e não entrará em condenação mas passou da morte para vida. Em verdade em verdade vos digo que vem a hora, e agora é, em que os mortos ouvirão a voz do filho de Deus, e os que a ouvirem viveram.). Não importa a situação que esteja o cadáver, se já cheira mal, ou se tem muitos anos na podridão do pecado, se o tal der ouvido a voz do Filho e crer nele  será vivificado. Sabemos que a salvação é pela graça mas por meio da fé conforme Efésios 2.8, por   isso  Deus requer do ser humano dar ouvido a sua palavra, pois a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus, Romanos 10.17. Não paremos de pregar, a  palavra da cruz é loucura para os que perecem, mas importa Deus salvar os crentes pela loucura da pregação I Corintios 1.18,21. Muitos creem nas teorias impetradas por filósofos, cientistas e  religiosos, porém tratam com desdém o Evangelho, aos quais a graça continua encobertas e continuam mortos, pois não creram no unigênito Filho de Deus.
SEGUNDO PASSO - RENUNCIAR A SI MESMO.
(Mateus 16.24 – Então, disse Jesus aos seus discípulos: Se alguém
quiser vir após mim, renuncie-se a se mesmo, tome sobre si a sua cruz e siga-me). A palavra renunciar vem do latim e significa não querer, recusar rejeitar, deixar voluntariamente a posse de. Isso significa que quando nós renunciamos a nós mesmos estamos rejeitando a velha vida e nos comprometendo a deixar voluntariamente o fardo do pecado.
 É impossível alguém  vivificado  continuar na velha vida, o apóstolo Paulo afirma: ( 2 Corintios 5.17 – Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é: as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo), e ainda diz: ( Colossenses 3.1,5, 6.  Portanto, se já ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas que são de a cima, onde Cristo está assentado à destra de Deus. 3.5-6 Mortificai, pois, os vossos membros que estão sobre a terra: a prostituição, a impureza, o apetite desordenado, a vil concupisciência e a avareza, que é idolatria; pelas quais coisas vem a ira de Deus sobre os filhos da desobediência).
 Muitos  se diz seguidores de Jesus, alegando que a salvação pela graça não requer do cristão  a separação do mundo e seus afins, porém tal qual a igreja de Sardes tem nome de que vives e estão mortos (Ap 3. 1). Mas quem deseja ser vivificado por Jesus, precisa sair para fora da sepultura como fez Lázaro, descer da figueira como Zaqueu, deixar as redes como  Pedro e André, deixar o barco e seu pai como fizeram João e Tiago, lançar fora a capa como Bartimeu, deixar  o cântaro como fez a mulher samaritana, e acima tudo nascer de novo como Jesus ensinou ao mestre Nicodemos.
 
TERCEIRO PASSO - TOMAR  SOBRE SI A SUA CRUZ  E SEGUIR APÓS JESUS.
Hoje vivemos uma era em que muitos pregam um evangelho deit , laghit , dietético, sedentário e mercante, esquecendo-se   que o Cristo do Evangelho nasceu numa manjedoura e  sendo justo,  como malfeitor entre malfeitores foi pregado na cruz que carregou aos ombros, afim de pagar o preço pela nossa redenção, tomar a chave da morte e do inferno e abrir a porta  que dá acesso à arvore da vida. Não resta dúvida, somos salvos pela graça (Porque a graça de Deus se há manifestado trazendo salvação a todos os homens- Tito 2.11), porém  existe uma cruz para ser carregada. E  Cruz fala de suplício, aflição, perseguição, momentos de angustia e dificuldade. Porém  Paulo escreve  na Epístola aos Romanos 8.37 (Mas  em todas essas coisas somos mais do que vencedores...). Concluo dizendo:  Se estamos enxertados em Cristo nada nos separa do seu amor.Porém dizer que estamos livres das fatalidades desta vida, que todo cristão será abastado, que  está imune das enfermidades e das agruras dessa vida, nada mais é do que  faltar com a verdade, e submeter ao retrocesso. Estejamos conscientes que a  nossa pátria não é aqui, que somos forasteiros neste mundo e aguardamos novos céus e nova terra. E assim prossigamos  vivos em direção ao alvo maior da nossa existência, levando aos ombros a nossa cruz, sem desistir da caminhada.  

Bispo. Capelão/Juiz. Mestre e Doutor em Ciência da Religião Dr. Edson Cavalcante.

0 comentários:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.