Subscribe:

quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

O FIEL SOLDADO DE CRISTO...


                                                   O FIEL SOLDADO DE CRISTO...
2 Timóteo 2:3-4
INTRODUÇÃO
1. Todo cristãos está inserido numa batalha onde é preciso que estejamos fortalecidos, com armas espirituais. Pois, como ensinou o apóstolo Paulo: “A nossa luta não é contra o sangue e a carne, e sim contra os principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestes” (Efésios, 6:12).
2. Desde Antigo Testamento, a guerra, como um evento histórico, era algo comum entre o povo de Deus (Deuteronômio, 7:1-2). No Novo Testamento, a guerra toma um sentido espiritual. Sendo ainda mencionada como um evento histórico no contexto escatológico (Apocalipse, 16:14).
3. Quando Paulo se dirige a Timóteo em sua segundo epístola ele usa a figura de um soldado que está inserido numa peleja militar (v. 3 – “bom soldado”; cf. v.4 – “Soldado em serviço”). Timóteo deveria manter-se alerta a esse respeito. Pois, os que servem ao Senhor nesse mundo, todos os dias sofrem ataques do inimigo.
4. O interesse do adversário é desviar o soldado de Cristo de sua missão. A estratégia para isso é fazê-lo se “envolver” nos “negócios da vida” (v.4). Quando o soldado prioriza as coisas que essa vida tem a oferecer, ele se desvia da vontade de Deus. Por isso, Jesus disse que aqueles que desejam segui-lo devem perder a sua vida (Mateus, 16:24). Em outras palavras, não podemos servir ao Senhor com um coração dividido entre a vida e a missão.
5. Precisamos nos esforçar para sermos bons soldados de Cristo. Não podemos permanecer com o nosso coração dividido. Como ensinou o Reverendo Hernandes Dias Lopes: “A nossa grande dificuldade é o nosso coração dúplice” (LOPES, 2008, p. 101). Não há como ser feliz sem que a nossa vida esteja em obediência à vocação que o Senhor nos deu.
Gostaria, de refletir sobre a seguinte questão: como podemos ser bons soldados de Cristo no exercício da nossa vocação?
I. O BOM SOLDADO DE CRISTO É CONSCIENTE DO SEU SERVIÇO A DEUS (v.4)
1. O serviço de todo cristãos pode ser resumido em fazer discípulos de Cristo (Mateus, 28:19). O desejo de Paulo era que Timóteo pudesse formar entre os crentes de Éfeso verdadeiros discípulos de Cristo (cf. v. 2). A prioridade do bom soldado de Cristo, não é estruturar uma igreja, mas fazer discípulos que exalem o cheiro do Senhor por meio de sua vida.
2. Não podemos continuar escondendo de nós, a nossa obrigação missionária. Um servo de Cristo que não toma consciência de sua missão está doente espiritualmente. Em nossos dias muita gente tem criado subterfúgios na realização da obra missionária. Esses contribuem para obra missionária, mas se envergonha de falar de Cristo em seu trabalho; não se envolvem no discipulado, mas entregam folhetos. De modo consciente, não assumem a sua responsabilidade na hora de fazer discípulos.
3. Para sermos considerados bons soldados de Cristo é necessário tornar real a nossa vocação. Não adianta achar que ser salvo é o bastante, é preciso obedecer àquilo que Cristo ordenou. Assim evidenciaremos a nossa vocação.
II. O BOM SOLDADO DE CRISTO SUBESTIMA AS COISAS DESSA VIDA (v.4)
1. Paulo exorta a Timóteo a não se “enredar”, “envolver” (gr. emplekô) com os “negócios desta vida”. Ele ecoa o ensinamento de Cristo acerca do auto sacrifício necessário a quem deseja segui-lo (cf. Mateus, 16.24-25). Isso abrange o apego aos próprios recursos, estes passam a servir aos pobres (Mateus, 19: 21). O homem terreno deve ser tomado pelo homem celestial. Desse modo, tudo nessa vida será subestimado em favor do Reino de Deus entre nós.
2. A história nos mostra homens que entenderam o que significa perder a sua vida. Um exemplo disso é Francisco de Assis, que num voto de miséria rejeitou tudo que possuía para viver em favor dos pobres. Embora, temos muito a contesta de sua teologia, o seu exemplo no convida a refletir acerca da nossa relação com as coisas desse mundo.
3. Se priorizarmos essa vida e subestimamos a nossa vocação é porque nos falta um mente do céu. Não quero dizer com isso que devemos rejeitar totalmente as coisas dessa vida, mas evitar tudo aquilo que divida o nosso coração no exercício da nossa missão. Que possamos ecoar em nós as palavras de Paulo: “... já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim” (Gálatas, 2:20).
III. O BOM SOLDADO DE CRISTO BUSCA A SATISFAÇÃO DE DEUS (v.4)
1. O objetivo de todo soldado de Cristo não é fazer prodígios miraculosos, não é lotar as igrejas de gente, não é salvar, mas dar prazer ao seu Senhor. Paulo lembra a Timóteo que “o seu objetivo é satisfazer aquele que o arregimentou” (v.4). Para o Senhor a ação é mais importante do que os efeitos. Deus tem prazer naqueles que lhe obedecem.
2. A vocação que recebemos de Deus nunca é uma satisfação apenas nossa. Quando obedecemos genuinamente à vontade de Deus a satisfação é do Senhor e consequentemente nossa. Encontramos prazer no prazer do Senhor. Qualquer satisfação que agrade apenas ao homem é satisfação carnal. A palavra de Deus é o norte para quem deseja satisfazer ao Senhor.
3. Precisamos buscar o governo espiritual de Deus sobre nossa vontade através dos exercícios espirituais (por exemplo: oração, jejum, meditação da palavra). Como nos a palavra de DEUS.  “O objetivo dos exercícios espirituais, portanto, é nos tornar conscientes do Deus que está presente, a fim de nos colocarmos sob sua ação”
CONCLUSÃO
1. Não podemos ser soldados medíocres, que negligenciam as suas responsabilidades diante de sua missão. Precisamos viver nesse mundo como se não fossemos dele – e não somos! Buscando satisfazer o coração do nosso Senhor.
2. Portanto, revisemos a nossa missão e julguemos como tem andado a nossa obediência a Deus. Amém...

BISPO/JUIZ.MESTRE E DOUTOR EM ÊNFASE E DIVINDADES DR.EDSON CAVALCANTE

0 comentários:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.