Subscribe:

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

APRENDENDO COM MARTA E MARIA...




                                             APRENDENDO COM MARTA E MARIA...
Lucas 10:38-42

Introdução e contexto:

Nossa história hoje menciona uma aldeia ou vila. Trata-se de Betânia, que ficava a 2 milhas ao leste do templo em Jerusalém, nas colinas no leste do Monte das Oliveiras. Ali moravam os irmãos Marta, Maria e Lázaro (João 11:1). Não sabemos muito sobre eles afora o fato de que eram amigos de Jesus e que O hospedavam de quando em quando. Sabemos que Jesus ressuscitou a Lázaro (João 11); que Jesus era conhecido de Marta (que falava com Ele de forma bastante casual e informal), que aparece em duas das três histórias servindo (João 12:2; Lucas 10:40); e que “Maria, cujo irmão Lázaro se achava enfermo, era a mesma que ungiu o Senhor com bálsamo, e lhe enxugou os pés com os seus cabelos” (João 11:2). Sim, esta Maria demonstrou um amor profundo, uma adoração sincera e agora, na nossa história de hoje, demonstra uma atenção a tudo que Jesus dizia e que recusava ser distraída por qualquer outra coisa.
Mas voltemos ao relato em João 12:1-8 pois nos ajudará a entender tanto Marta como Maria de modo mais claro e demonstrará que suas preferências e atitudes na história de hoje não foram algo aleatório, uma ocorrência única, mas algo que realmente as definia. Vejamos toda a história:
Veio, pois, Jesus seis dias antes da páscoa, a Betânia, onde estava Lázaro, a quem ele ressuscitara dentre os mortos. Deram-lhe ali uma ceia; Marta servia, e Lázaro era um dos que estavam à mesa com ele. Então Maria, tomando uma libra de bálsamo de nardo puro, de grande preço, ungiu os pés de Jesus, e os enxugou com os seus cabelos; e encheu-se a casa do cheiro do bálsamo. Mas Judas Iscariotes, um dos seus discípulos, aquele que o havia de trair disse: Por que não se vendeu este bálsamo por trezentos denários e não se deu aos pobres? Ora, ele disse isto, não porque tivesse cuidado dos pobres, mas porque era ladrão e, tendo a bolsa, subtraía o que nela se lançava. Respondeu, pois Jesus: Deixa-a; para o dia da minha preparação para a sepultura o guardou; porque o pobre sempre os tende convosco; mas a mim nem sempre me tendes.
Há algo sempre me impressionou sobre Jesus: como conseguia dizer tanto em tão poucas palavras. E hoje vemos uma história com muito a nos ensinar que ocupa apenas 5 versículos!
A História:
Enquanto estavam andando pelo caminho Jesus entrou numa vila. Uma mulher chamada Marta O recebeu em sua casa.
Marta tinha uma irmã chamada Maria que se sentou aos pés do Senhor e ficou ouvindo o que Ele estava dizendo.
[Mt] Mas Marta estava preocupada com muito serviço. Ela se aproximou e disse: “Senhor, O Senhor não se importa que minha irmã está me deixando servir sozinha? Manda ela para me ajudar!”
[J] O Senhor respondeu: “Marta, Marta, você está ansiosa e perturbada com muitas coisas; mas poucas coisas são necessárias – na verdade apenas uma só. E Maria escolheu a boa parte – e não lhe será tirada.”

Perguntas para Reflexão e Aplicação:
1) Nesta história Jesus parece estar elogiando o comportamento de Maria e criticando o de Marta. Estou certo? Mas então estou confuso! A hospitalidade não é uma coisa boa? Preparar uma refeição para visitas não é uma coisa boa de se fazer? Se decidirmos que esta história ensina que fazer estudo bíblico é melhor que cozinhar, quem vai cozinhar? Então porque Jesus está satisfeito com Maria mas não com Marta? Sabemos que Jesus sempre diz a verdade, mas exatamente que verdade Ele está dizendo nesta história? Talvez devêssemos olhar esta história mais de perto.

2) Quem recebeu Jesus em sua casa? [Isto é, quem convidou e abriu as portas?]. Há algo na história que demonstre que Marta tinha uma consideração especial por Jesus?

3) Vemos que Maria sentou-se aos pés do Senhor e ficou ouvindo Seus ensinamentos. O que significa a descrição “sentou-se aos pés do Senhor” para você?

4) De que Marta chamou Jesus? O que significa “Senhor”? O que isto mostra que Marta sabia a respeito de Jesus? Ela diz que Ele é Senhor mas fica na cozinha trabalhando e não ouve o que Ele tem a dizer? O que você acha do comportamento de Marta? Suas ações condizem com suas palavras?

5) A história nos conta que “Marta estava preocupada com muito serviço” e que estava trabalhando sozinha. Quem tomou a decisão de preparar uma refeição que exigisse “muito serviço”? O que você pensa sobre esta decisão que Marta mesmo tomou nestas circunstâncias (com a presença de Jesus em sua casa)? Vemos Marta reclamando com Jesus sobre o trabalho todo que tem a fazer, mas de quem foi esta decisão?

6) O que exatamente Marta está pedindo que Jesus faça? O que ela diz para Ele? O que suas palavras demonstram sobre sua confiança em Jesus [e Sua capacidade de ser justo, por ordem nas coisas e solucionar problemas]?

7) O que você acha sobre a solução que Marta apresenta para o “problema”? Ela manda Jesus mandar a Maria que a ajude. Como Marta está tratando Jesus? Como Senhor? Ela age como se fosse serva de Jesus ou Seu chefe?

8) Ao ouvir as palavras de Marta você vê alguma razão para Jesus lhe dar um “puxão de orelha” e elogiar a Maria? Jesus disse que apenas uma coisa é... o que? [Qual é essa coisa que é necessária? Por que ela é tão importante? Por que Jesus disse que isto não seria tirado de Maria?]

9) A que dois indivíduos Marta culpa por ter muito serviço? Como é que Marta os culpa? Mas, na verdade, de quem é a culpa? (E isto ela não menciona).

10) Repare que não só a Marta tomou um decisão que a tirou da presença de Jesus – impossibilitando que ela O ouvisse e aprendesse d’Ele – mas como é que a “solução” dela para o problema que ela mesmo havia criado afetaria outra pessoa? Sim, Maria teria que deixar a presença de Jesus também!

11) De que outra forma Marta deixou de mostrar respeito por Jesus? [R.: Jesus era um Mestre muito respeitado e procurado].
Mas Marta não deu atenção às Suas palavras e até o censurou na frente dos ouvintes.]

12) Jesus poderia estar bastante irritado com a atitude e desrespeito de Marta. Mas como foi que Jesus respondeu a Marta? [R.: Com gentileza mas com firmeza; não com raiva.]

13) Diante do dilema de Marta, de que recurso ela dispunha para solucionar seu problema? [R.: Ela poderia ter ido a Jesus e perguntado: “Senhor, não consigo preparar toda a comida e ainda estar na Sua presença. Que devo fazer?”]. [A melhor maneira de servir pessoas é perguntar ou descobrir como elas querem ser servidas. Temos a tendência de oferecer e até mesmo empurrar nossas preferências – aquilo que nós achamos bom ou importante – ao invés de oferecer aquilo que elas realmente desejam.]
- Será que Marta não pediu a ajuda de Jesus porque ela era muito tímida? [Por que então?].
BISPO/JUIZ.PHD.THD.DR.EDSON CAVALCANTE

0 comentários:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.