Subscribe:

segunda-feira, 30 de julho de 2012

PREGAÇÃO COMO VENCER O GIGANTE...


PREGAÇÃO COMO VENCER O GIGANTE...
TEXTO: I Sm. 17.4 – 8 e 24 – 40
INTRODUÇÃO
O jovem esbelto e ainda sem barba ajoelha-se a beirado do riacho. A lama suja seus joelhos. A água borbulhante molha suas mãos.

Se quisesse poderia ele observar sua bela imagem refletida na água. Seu cabelo tem a cor do cobre. Ele tem a pele bronzeada, cor – de – sangue, e os olhos que roubam o fôlego das moças hebréias.

Entretanto ele não busca sua própria imagem, mas por pedras. Pedras lisas. O tipo de pedra que fica bem acomodada no alforje (bisaco, sacola) de um pastor; que se acomoda bem na funda de couro de um exímio caçador.

Pedras achatadas que pesam na palma da mão e são, com a força de um cometa, lançadas contra a cabeça de um leão, de um urso ou, nesse caso, de um gigante.

Da encosta da montanha, Golias olha lá para baixo. Ele só não ri porque não acredita no que vê. Ele o bando de filisteus transformaram metade do vale em uma floresta de lanças; uma gangue rosnenta e sedenta de sangue, formada por alcoviteiros gritando á procura de destruição.

Golias está acima de todos eles: com quase 3 metros de altura, sem sandálias, usando cerca de 55 quilos de armadura e rosnando como se fosse o principal competidor na noite do campeonato da Federação Mundial de Luta Livre.

Ele usa gola tamanho 48, um capacete GG e um cinto com cerca de 1,40 centímetros de comprimento. Os músculos de seus braços se sobressaem aos músculos de suas pernas que se juntam aos elogios que faz a si mesmo.

E grita em meio ao desfiladeiro de homens prontos para guerra: “Eu desafio hoje as tropas de Israel! Mandem-me um homem para lutar sozinho comigo”.


O gigante Golias durante 40 dias fez isso, (I Sm. 17.16) desafiava e zombava do Exercito de Israel e ninguém apareceu. Aqueles homens tremiam em suas bases. Mas naquele dia apareceu Davi, um jovem magricelo, esquelético, quase um palito, mas que confiava profundamente no Senhor.

Talvez ao olharmos para Davi e Golias poderíamos dizer: Era a luta de um magricelo e esquelético conta o bruto e corpulento Golias, era o palito de dentes contra o tornado, a motoca indo de encontro ao caminhão de 18 rodas, o poodle contra o rottweiler. (Palavras do escritor Max Lucado na livro: Derrubando Golias).

O interessante é que Davi não se sentia assim. Muitas vezes a visão que temos de nós mesmos nos derrota antes mesmo da luta. Como você se sente diante dos gigantes que você que enfrentar?

Não sei qual é o gigante, ou gigantes que você tem que enfrentar em sua vida (O desemprego, a depressão, a falta de perdão, o passado, o presente, o futuro, relacionamentos em fim).

Ao olharmos para esse texto encontramos de forma prática como devemos resolver problemas, enfrentar gigantes e vencer em nome de Jesus.

É interessante como às pessoas buscam meios supersticiosos para resolver suas crises (nó na camisa, o exemplo na televisão).
Olhando para esse texto quero usar como tema para nossa reflexão nessa noite: Como vencer os gigantes?

1ª lição: Agindo com coragem (V. 32, 36,37).
Podemos imaginar a multidão de homens que compunha o exercito de Israel, homens fortes, treinados para guerra, hábeis para lutar.

Mas diante de Golias, se sentiam como moscas ou talvez como esqueletos, como palitos. Sem chance.

Homens que receberam todo treinamento, mas lhes faltou algo importantíssimo à coragem que nem sempre vem com o treino.

Durante quarenta dias aqueles homens foram humilhados pelos insultos de Golias, covardes, tímidos, vencidos pelo medo.

Meus irmãos, quantas vezes nos comportamos assim diante das dificuldades, quantas vezes somos derrotados antes mesmo da luta.

Há quanto tempo o gigante ou os gigantes da sua vida rosnam diante de você? Talvez não sejam 40 dias, mas 4 nos, 10 anos, 1 mês, 1 semana sei lá.

A questão é: quanto tempo ainda você vai ser amedrontado, se sentido derrotado, até quando você vai permanecer no se casulo. Deus já nos deu o melhor treinamento.

2ª Lição: Identificando o que atrapalha (V. 38,39).
Davi nunca antes tinha vestido uma armadura. Podemos imaginamos o jeito desengonçado dele tentando andar dentro da armadura de Saul.

Era a armadura do rei, que privilégio pra aquele jovem pastor de ovelhas. Mas logo identificou que não servia para ele.

Ele chama a armadura de “isto” “não posso andar com isto”. Antes de enfrentar o gigante Davi tirou de si o que lhe atrapalhava.

Meus amados, antes de enfrentar os gigantes de sua vida, se desfaçam daquilo que atrapalha. Como a armadura de Saul que servia para Davi, o que tem lhe atrapalhado?

Muitas vezes o que atrapalha: São pecados, são ressentimentos de amargura, o orgulho, a falta de amor, a falta de perdão, a falsidade, a mentira, conselhos errados, etc.

Precisamos identificar o que nos atrapalha e para isso é necessário muita coragem, é olhar para seus próprios erros.

Procure se desfazer de todas estas coisas para a batalha, se você se você quiser vencer. Foi isso que Davi fez você está disposto?

3ª Lição: Agindo com prudência (V. 40)
Hora Davi só precisou de uma pedra para matar o gigante, porque ele escolheu cinco pedras lisas? Isso se chama de prudência?

Davi era um exímio caçador, que sabia usar bem a sua funda (atiradeira), mas ele foi prudente levando quatro de reserva. Se ele errasse teria outras para usar.

Irmãos, para o enfrentamento dos gigantes se faz necessário também agirmos com prudência. Você não precisa creio eu, de pedras e de uma funda para enfrentá-los, pois o seu gigante não é um Golias literal.

Mas com certeza você precisa agir com prudência. Para enfrentar os gigantes sejam prudentes, levem reservas. Se arme com amor, mas leve de reserva o perdão, a compreensão, a renuncia, a verdade, etc.

Quantas vezes nas dificuldades confiamos tanto em nós mesmo que somos imprudentes e por isso ao invés de resolver dificuldades acabamos por piorar a situação.

O texto nos mostra que Davi escolheu pedras lisas do ribeiro, ou seja, eram pedras trabalhadas, que atingiriam o alvo. Quantas vezes na nossa sacola espiritual só há pedras deformadas, cheias de pontas, irregulares.

Quantas vezes no nosso alforje só têm amargura, frieza, intriga, rancor, indiferença e dureza. Se assim for não venceremos nossos gigantes. 

4ª Subordinando as nossas ações à vontade de Senhor (V. 45)
Golias tinha ao seu dispor tudo que o fazia dele um grande e indestrutível guerreiro, mas faltava uma coisa: a direção de Deus.

Davi não tinha nenhum instrumento de guerra que despertasse nos outros alguma perspectiva de vitória, mas tinha algo que fez a diferença: a benção do Senhor.

Talvez, no enfrentamento dos gigantes dessa vida você possa se ver assim: “mas não conseguirei vencer essa situação, eu sou inferior a ele”.

Talvez intelectualmente, fisicamente, mentalmente, financeiramente você possa ser inferior aos seus gigantes, mas saiba de uma coisa: Você tem a benção do Deus vivo!

Não se dobre, não se intimide, não se acovarde diante deles, pois o Senhor é contigo. Enfrente seus gigantes em nome do Senhor.

Foi assim que Davi agiu e você como vai agir a partir de hoje?

Conclusão:
Eu concluo lembrando que Davi venceu o grande gigante Golias, por agir da forma certa, prudente e nos deixou grandes lições que são aplicáveis à nossas vidas em qualquer momento e situação. (V. 48-51) Lembremos que somos mais que vencedores por de Cristo...
BISPO/JUIZ.PHD.THD.DR.EDSON CAVALCANTE

0 comentários:

Postar um comentário