Subscribe:

quinta-feira, 6 de outubro de 2016

UM PUNHAL QUE MATA À ALMA, CORAÇÃO INGRATO...


                     UM PUNHAL QUE MATA À ALMA, CORAÇÃO INGRATO...
“Lucas 17:11-19”
11- De caminho para Jerusalém, passava Jesus pelo meio de Samaria e da Galileia. 12- Ao entrar numa aldeia, saíram-lhe ao encontro dez leprosos, 13- que ficaram de longe e lhe gritaram, dizendo: Jesus, Mestre, compadece-te de nós! 14- Ao vê-los, disse-lhes Jesus: Ide e mostrai-vos aos sacerdotes. Aconteceu que, indo eles, foram purificados. 15- Um dos dez, vendo que fora curado, voltou, dando glória a Deus em alta voz, 16- e prostrou-se com o rosto em terra aos pés de Jesus, agradecendo-lhe; e este era samaritano. 17- Então, Jesus lhe perguntou: Não eram dez os que foram curados? Onde estão os nove? 18- Não houve, porventura, quem voltasse para dar glória a Deus, senão este estrangeiro? 19- E disse-lhe: Levanta-te e vai; a tua fé te salvou.
INTRODUÇÃO:
A ingratidão é um grande perigo que ronda a vida dos crentes.
Fruto de uma insatisfação constante com as coisas que já alcançamos e recebemos.
A Bíblia nos ensina que em tudo devemos dar graças: “Em tudo, dai graças, porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco.” (1Ts.5:18)
No texto encontramos uma cena interessante e até mesmo familiar de cura.
Pessoas doentes, alijadas da sociedade que encontram com Jesus e são restauradas, mas uma olhada mais acurada nos revela uma outra realidade também exposta pela Palavra: A Ingratidão de 90% dos que receberam a cura e o milagre de Jesus.
Transição: Essa ingratidão, que muitas vezes também tenta tomar conta dos nossos corações traz consigo alguns perigos graves e é exatamente sobre esses perigos que vamos ver hoje:
1º) NÃO RECONHECIMENTO DO SEU ESTADO ANTERIOR: (Vv.12-13: 12- Ao entrar numa aldeia, saíram-lhe ao encontro dez leprosos, 13- que ficaram de longe e lhe gritaram, dizendo: Jesus, Mestre, compadece-te de nós!)
Eles eram leprosos. Eram cerimonialmente impuros.
Não podiam nem chegar perto de Jesus. Tiveram que gritar de longe. Nem por isso, voltaram para reconhecer o que Jesus fizera por eles.
Talvez pensassem que a cura foi mérito do seu próprio clamor.
Muitas vezes agimos assim também, achamos que estávamos bem demais diante do quadro atual. Consideramos que foram os nossos esforços que mudaram nossa situação.
Tem muito crente que se infla até quando as suas orações são atendidas. Imaginam que só foram atendidos pela sua diligência e esforço próprio. Como se a oração fosse uma espécie de trabalho remunerado.
A Bíblia é clara ao afirmar: “Assim, pois, não depende de quem quer ou de quem corre, mas de usar Deus a sua misericórdia.” (Rm.9:16)
Toda a ação de transformação na vida do crente é fruto da Graça e misericórdia de Deus.
2º) NÃO PERCEBER A GRAÇA DE DEUS E OS SEUS MILAGRES: (V.15; 17-18: 15- Um dos dez, vendo que fora curado, voltou, dando glória a Deus em alta voz,17- Então, Jesus lhe perguntou: Não eram dez os que foram curados? Onde estão os nove? 18- Não houve, porventura, quem voltasse para dar glória a Deus, senão este estrangeiro?)
Jesus ouviu o clamor daqueles homens, atendeu e sanou as suas necessidades, eles foram restaurados à sua comunhão religiosa.
Contudo não perceberam a grandiosidade do milagre que receberam.
O povo de Israel que saiu do Egito cometeu o mesmo erro.
O coração ingrato não consegue reconhecer a graça, não consegue saborear o milagre.
Os corações ingratos não se alegram com as conquistas já recebidas, antes, entristecem-se por aquilo que não alcançaram, e, muitas vezes, sentem saudade do que nem existe e nem existiu.
Por serem judeus os outros nove não consideraram a ação de Jesus, ao passo que o samaritano percebeu o seu milagre.
3º) NÃO RECEBER A SALVAÇÃO JUNTO COM A CURA: (V.19: E disse-lhe: Levanta-te e vai; a tua fé te salvou.)
Todos foram curados da lepra. Houve dez curas instantâneas e simultâneas, contudo nove delas ficaram limitadas apenas à cura em si.
“O milagre faz parte do evangelho, mas o milagre não é o evangelho” (Hernandes Dias Lopes). O milagre, muitas vezes cura, mas não salva.
Só o que voltou ouviu de Jesus que a sua fé também o havia salvado.
CONCLUSÃO:
Amados, que tenhamos um coração sempre grato ao Senhor Jesus por todas as maravilhas que Ele tem operado a nosso favor.
Que você abra os seus olhos e consiga ver a mão de Deus em tudo o que você tem.
Em Cristo Jesus. A quem seja toda a Glória, Honra e Louvor por toda a eternidade. Amém.

Apóstolo. Capelão/Juiz. Mestre e Doutor em Ciência da Religião Dr. Edson Cavalcante.

0 comentários:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.