Subscribe:

quinta-feira, 7 de julho de 2016

IDOLATRIA A SAFADEZA ECLESIÁSTICA DENTRO DA CASA DE DEUS...


               IDOLATRIA A SAFADEZA ECLESIÁSTICA DENTRO DA CASA DE DEUS...
“Paulo e Timóteo, servos de Jesus Cristo, a todos os santos em Cristo Jesus, que estão em Filipos, com os bispos e diáconos: Graça a vós, e paz da parte de Deus nosso Pai e da do Senhor Jesus Cristo.” (Filipenses 1:1-2)
Quando Paulo escrevia aos irmãos que estavam reunidos em determinada cidade ele utilizava de termos como “a de Deus Igreja que está em...”, “aos santificados”, “aos santos”, “a todos os santos”, dentre outros.
Paulo, o Apóstolo, tinha uma exata noção que vinha da excelente revelação que teve a respeito da obra de Cristo lá na cruz, pelo qual todos nós os que cremos para salvação somos santificados ou purificados de todos os pecados que antes nos condenavam irremediavelmente diante de Deus. Santificação tem a ver com separação, ou seja, quando um homem decide crer, pela fé na obra salvadora de Cristo, este é separado do mundo e da condenação inevitável e passa a ter um status especial diante de Deus: SALVO PELA GRAÇA.
O problema é que a igreja Católica de Roma pegou essa ideia de “santos” e afins e criou toda uma galeria de super-heróis da fé, os quais por decreto papal passaram a ser alçados ao status de “santos dignos de toda veneração”. Algo que era para ser apenas uma posição espiritual diante de Deus se transformou num título de nobreza pela igreja católica romana com direito até a estátuas e estatuetas de barro, metal, medalinhas ditas milagrosas e tudo o mais que se vende em torno desse mito. Mas não podemos esperar nada melhor dos irmãos católicos, pois eles seguem a dita tradição da autodenomina da igreja mãe.
O grande problema é quando lançamos um olhar crítico para a cena “gospel” moderna e vemos o mesmo comportamento idólatra entre os adeptos do evangelicalismo institucional.
Nesta cena o que prevalece são os novos “santos” cujas imagens estão estampadas em capas de livros, CD’s, DVD’s, nos carros, postes, páginas da web, cartazes e tantos outros meios de comunicação moderna.
Esses novos “santos” são recebidos nos templos com verdadeiro espírito de veneração por parte daqueles que deveriam estar ali reunidos apenas para adorar e honrar a Deus, mas que passam a maior parte de seus cultos venerando pessoas e os “pop gospel stars” da música e da pregação.
Lembro-me do início de minha conversão e me disseram que um Missionário renomado estaria “ministrando” em um determinada denominação perto da minha casa. Lembro-me como fiquei animado com todas as possibilidades místicas que poderia experimentar com a presença de tão ilustre santo do panteão gospel nacional. No meio da “ministração”, entre uma pregação misturada com músicas que geravam uma atmosfera específica, o Missionário pegou o microfone e disse com todas as letras para os presentes: “Se você veio aqui para me vê, então é melhor ir embora, mas se veio adora a DEUS glorifique e exalte o nome do Senhor pois somente ELE é digno de Louvor, honra e majestade ”. Silêncio total... Tinha uma garota do meu lado que tinha acabado de dizer que tinha vindo de uma cidade do interior de Goiás e que tinha o costume de viajar para acompanhar as “ministrações.” Olhei de lado para ela pensando: “Toma! Tá vendo? Vai embora para sua Cidade...”
Mas hoje analisando tudo vejo que também eu estava naquele mesmo espírito dela, menos ostensivo é claro, mas a mesma veneração idiota em cima de um homem cuja vida estava ali apenas para adorar a Deus.
E o mesmo se pode dizer de tantos outros “santos” modernos tanto do meio musical gospel quanto aqueles pregadores da moda, adivinhadores da vida dos outros, operadores de milagres que tanto frisson causa na vida dos “santos” menores e candidatos a salvos.
Isso precisa acabar, está escrito em Isaías sobre o nosso Deus que “Eu sou o SENHOR; este é o meu nome; a minha glória, pois, a outrem não darei, nem o meu louvor às imagens de escultura” (42:8) e também no livro do Êxodo temos como primeiro e segundo mandamentos “Não terás outros deuses diante de mim.
Não farás para ti imagem de escultura, nem alguma semelhança do que há em cima nos céus, nem em baixo na terra, nem nas águas debaixo da terra.
Não te encurvarás a elas nem as servirás; porque eu, o SENHOR teu Deus, sou Deus zeloso, que visito a iniquidade dos pais nos filhos, até a terceira e quarta geração daqueles que me odeiam.” (20:3-5).
Não terás outros “deuses”. Essa frase é uma terrível advertência a nós, evangélicas, que estamos aqui elegendo nossa galeria de heróis da fé para os venerarmos em nossos cultos onde o hedonismo impera e a adoração pura e verdadeira definha cada vez mais em troca de carros, casas, dinheiro, pessoas e tudo o que há no mundo.
 Fica ainda o alerta de Paulo aos irmãos de Roma:
 Porque do céu se manifesta a ira de Deus sobre toda a impiedade e injustiça dos homens, que detêm a verdade em injustiça.
Porquanto o que de Deus se pode conhecer neles se manifesta, porque Deus lho manifestou.
Porque as suas coisas invisíveis, desde a criação do mundo, tanto o seu eterno poder, como a sua divindade, se entendem, e claramente se veem pelas coisas que estão criadas, para que eles fiquem inescusáveis;
Porquanto, tendo conhecido a Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças, antes em seus discursos se desvaneceram, e o seu coração insensato se obscureceu.
Dizendo-se sábios, tornaram-se loucos.
E mudaram a glória do Deus incorruptível em semelhança da imagem de homem corruptível, e de aves, e de quadrúpedes, e de répteis.
Por isso também Deus os entregou às concupiscências de seus corações, à imundícia, para desonrarem seus corpos entre si;
Pois mudaram a verdade de Deus em mentira, e honraram e serviram mais a criatura do que o Criador, que é bendito eternamente. Amém.
(Romanos 1:18-25)...
Apóstolo. Capelão/Juiz. Mestre e Doutor em Ciência da Religião Dr. Edson Cavalcante.


0 comentários:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.