Subscribe:

domingo, 1 de maio de 2016

VITÓRIAS DE JOSAFÁ...


                                                 VITÓRIAS DE JOSAFÁ...
2º livro das Crônicas de Israel 20.1-22
Josafá e toda a nação de Judá estão em grande aperto. A Palavra de Deus nos diz que o rei Josafá “andou no caminho de Asa, seu pai, e não se desviou dele, fazendo o que era reto perante o Senhor” (2 Cr 20.32). 

No entanto, mesmo um rei como ele, que tomou medidas importantes quanto à justiça e à vida religiosa da nação de Judá (2 Cr 19.4-11), buscando colocar sua vida e a de todo o povo na presença de Deus, teve seus momentos dramáticos, de grandes dificuldades e aperto.

No texto lido, observamos que esteve diante de situação de medo, insegurança e desespero, quando se viu diante dos exércitos moabitas e Amonitas. Apesar disso, ele buscou em Deus a saída e saiu vitorioso.

Sabemos que nesses dias que precedem o fim dos tempos, os exércitos inimigos se levantam contra a Igreja de Jesus, procurando obter vitórias, levando muitos cristãos para situações semelhantes à de Josafá. É provável que estejam sofrendo esses ataques do inimigo (opressão, medo e insegurança), justamente no momento em que procuram acertar suas vidas com o Senhor.

É nessa hora que podemos observar as várias formas com que muitas pessoas se portam: uns murmuram, reclamam de Deus por permitir que tais coisas aconteçam, outros, abandonam a fé, a Igreja e seus projetos de permanecerem na presença do Senhor, mas outros, no entanto, buscam uma saída correta, agem como Josafá, que deu alguns passos estratégicos que o conduziram à vitória.


Vejamos agora “ As quatro atitudes de Josafá para vencer a crise”. 

1. Josafá reconheceu a sua situação e foi buscar socorro no Senhor (v.1-6).

A verdade é que há momentos em que até rei tem medo, até crente, cheio do poder, tem medo! É um erro grave não confessar isso diante do Senhor, pois pode sinalizar uma espiritualidade falsa. Confessar a Deus e buscar a solução é uma coisa, viver em função do medo é outra.  

Como filhos do Deus vivo, não podemos ser paralisados e vencidos pelo medo. Nossos medos, ao contrário, devem nos levar a buscar mais ao Senhor, e jamais fugir dEle ou da batalha, como muitos fazem, abandonando o Senhor, a fé, a Igreja, os amigos.

Toda crise deve nos levar à confissão, à busca do Senhor, à permanência com o povo de Deus. É preciso parar de murmurar, de reclamar da situação. A solução vem quando nos ajuntamos para buscar no Senhor a saída e a vitória. Na hora da crise é necessário o ajuntamento da família, da célula e do discipulado em jejum e oração diante do Deus de poder e das maravilhas.
 2. Josafá trouxe à memória as alianças e as promessas de Deus(v. 7-13). 

A questão não era se Deus tinha se esquecido ou não das Suas palavras, porque isto é impossível (a única coisa de que Deus se esquece é dos nossos pecados confessados e arrependidos). Confessar as alianças e promessas de Deus é para que nos lembremos que Ele tem compromisso conosco e é absolutamente fiel, o que nos fortalece na fé e na esperança.

A confissão sistemática das alianças e promessas de Deus tem pelo menos dois efeitos tremendos:1) enchem os céus sobre as nossas cabeças com as sementes de vitória, tirando nossos olhos das circunstâncias e do inimigo, voltando-os para o Senhor, e 2) são decretos proféticos contra as crises, porque se tornam palavras de ordem contra a voz do inimigo, neutralizando o caos que toda crise quer instalar. 

3. Josafá se colocou na posição certa, por isso ouviu o consolo e as estratégias do Senhor (v.14-17). 

Como é bom saber que o Senhor cuida de nós e toma para si as nossas batalhas. Estando com o Senhor, as “nossas” batalhas não são nossas, são dEle. Diz o texto bíblico que eles estavam em jejum, oração, quebrantamento e confissão, “então, veio o Espírito do Senhor… e disse”. Deus nunca deixa de nos responder; o problema é que às vezes não estamos na posição de ouvi-LO.

Precisamos nos treinar na prática do quebrantamento diante do Senhor, com jejuns, orações e confissões sinceras. Tais coisas nos “limpam” espiritualmente e nos habilitam quanto a ouvirmos a direção de Deus para nossas vidas em muitas situações. É preciso tempos de jejum e orações específicos em família, nas células, nas equipes de discipulado, para que o Deus de maravilhas seja glorificado no meio das adversidades. 

4. Josafá adorou, obedeceu e provou a vitória (v.18-22). 

Não basta saber Quem o Senhor é e nem o que Ele pode fazer. É preciso agir! Tomar uma atitude de fé, atitude de vencedor no Senhor! 
 Se o Senhor já falou, só nos resta obedecer, isto é, por em prática Seus conselhos e assumir uma atitude de louvor e adoração. Obediência assim mostra que descansamos n‘Ele, em plena crise, porque sabemos que a nossa vitória é certa. 
 Até porque adoração, obediência e fé andam de mãos dadas e são garantia de vitória para os santos de Deus.

É possível que você esteja passando por alguma crise. Talvez esteja lutando contra as hostes da maldade, enfrentando batalhas ferrenhas a favor do casamento, da família, da célula, do discipulado, das finanças, dos sonhos ministeriais. Primeiro, entenda que o inimigo não tem poder para decidir seu futuro; esta decisão é sua e você precisa tomar a decisão de ser vencedor(a). 

Segundo, creia que nem toda crise é selo de fracasso, caminho errado ou perda de unção: Josafá estava fazendo tudo certo e a crise bateu na sua porta. Terceiro, é claro que o Senhor pode nos livrar das adversidades, mas, em geral, quando Ele as permite, é porque Ele quer glorificar o Seu nome no meio delas e nos dar as vitórias mais expressivas de nossas vidas.

O rei Josafá vai nos mostrar como vencer multidões que se levantam contra nós. Você poderá ver isso no II livro de Crônicas cap. 20 do vers. 1 ao 26. Diz a Palavra de Deus que quando disseram isso para Josafá ele teve medo (sentimento natural do ser humano), convocou o povo para jejuar e buscou ao Senhor e todo o povo acompanhou ele.
 A primeira lição que nós aprendemos aqui é que Josafá jejuou e orou ao Senhor. Duas armas espirituais importantíssimas que vêm sido esquecidas pelos Cristãos.
 Muitos querem louvar, pregar, tocar, mas quem quer orar e jejuar?

Quantos estão dispostos a dedicar tempo com seus joelhos no chão e buscar à Deus em oração?

Josafá compreendeu que diante de uma grande multidão contra ele não tinha alternativa a não ser a de buscar à Deus em jejum e oração. Porque a força que está em nós não vem de mim e nem de você, mas vem do Senhor.

Feliz é homem que aprende a dobrar os seus joelhos e buscar à Deus. No vers. 5 nós vamos notar que Josafá se colocou em pé na congregação e aí fica outra lição para nossa vida.

Diante das dificuldades você tem que se colocar de pé.
 O seu posicionamento diante das suas dificuldades tem que ser de pé. Tem um monte de gente que sofre uma luta, uma perda e se abate de tal forma que não consegue se reerguer.

Ficam prostradas, ficam desanimadas e quando isso acontece o diabo manda mais luta e mais opressão.

Josafá se pôs de pé, porque ele era o rei, o comandante daquele povo e ele sabia que se o povo o visse abatido, eles desanimariam e entregariam os pontos para o adversário.
 Coloque-se de pé diante da luta meu irmão, levante a sua cabeça porque a sua posição é de pé, o Senhor te fez por cabeça e não por cauda. Você nasceu para vencer, porque em Cristo Jesus nós somos mais do que vencedores. 
Depois disto, Josafá então dos vers. 5 à 11 ele vai manter um diálogo com o Senhor e vai trazer de volta à memória os feitos gloriosos que o Senhor fez pelo seu povo (Israel) no passado.

Amados (as), a Palavra de Deus diz que aquele que está em Cristo nova criatura é, as coisas velhas já passaram eis que tudo se fez novo.
 Quando Deus diz isso, Ele está se referindo ao seu velho homem, à sua velha mulher, aos seus pecados, mas quando se trata de um passado com Deus, nunca poderemos nos esquecer.

Teremos que nos lembrar sempre dos milagres e das bênçãos que Deus nos concedeu.
 Primeiro, para glorificarmos e honrarmos o Seu nome; Segundo, para trazer a nossa memória aquilo que pode nos dar esperança. 
 Josafá então, depois de lembrar ao seu povo dos grandes feitos de Deus no passado, vai no vers. 12 fazer algo que todo o Cristão deve fazer na sua caminhada de fé. Reconhecer suas limitações. 

Ele vai dizer o seguinte: “Deus, nós não temos forças para resistir a esta grande multidão que vem contra nós, somos poucos diante deles.” “Deus, não sei mais o que pensar, nem o que dizer, e nem como agir, mas uma coisa eu quero te dizer, OS MEUS OLHOS ESTÃO POSTOS EM TI!” – Oh gloria, aleluia, aleluia, aleluia, eu sinto a presença de Deus aqui comigo amados (as) escrevendo essa mensagem… glorias a Deus, glorias, glorias… 

Não está agüentando a luta irmão(ã)? Não tem mais forças? Faça como Josafá, coloque os seus olhos no Senhor… Sl.121.1 – Elevo os meus olhos para os montes de onde me virá o socorro? O meu socorro vem do Senhor,… 

Quando Josafá faz isso, o Espírito Santo de Deus por meio do profeta diz: “Não temais, nem vos assusteis por causa dessa grande multidão que vem contra ti, porque a peleja não é vossa, mas de Deus. Amanhã descerão até a ladeira de Ziz e lá ao encontrá-los não precisarão fazer nada, porque o salvamento virá do Senhor.” 

Saiba de uma coisa meu irmão e minha irmã, se você está passando por uma grande luta, ela não é sua, mas sim, de Deus, do Senhor Eterno sobre nossa vida. 

O Espírito Santo de Deus disse: Amanhã… Você pode estar passando por uma grande luta hoje, mas o Espírito Santo manda te dizer que o choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã. 
 Versículo 18 diz que Josafá se prostrou diante de Deus e com ele o seu povo e adoraram ao Senhor. No versículo 5 vamos ver Josafá de pé diante das dificuldades.

Fica uma lição prática para nossa vida. Diante das lutas a nossa posição tem que ser de pé, mas diante do nosso Deus a nossa posição tem que ser prostrado aos seus pés. 
 Depois dessas atitudes, Josafá e o povo começaram a louvar à Deus, sabe porque? Porque nós somos o único povo que podemos cantar a vitória antes do tempo, porque servimos a Jeová Sabaoh, o Senhor dos exércitos. 

O resultado das atitudes de Josafá foi que os Moabitas e os Amonitas mataram-se uns aos outros e mais uma vez Deus foi fiel a um povo que o buscou. 

Quais são as tuas dificuldades (vícios, prostituição, idolatria, sodomia, homossexualismo, porfias, brigas, dissensões, fofoca, impurezas). Decida vencer e busque a Deus. Amém...
Apóstolo. Capelão/Juiz. Mestre e Doutor em Ciência da Religião Dr. Edson Cavalcante.


0 comentários:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.