Subscribe:

domingo, 17 de janeiro de 2016

ESTUDO SOBRE OS DONS...


                                                   ESTUDO SOBRE OS DONS...
“Porque a um é dada, mediante o Espírito, a palavra da sabedoria” 1 Coríntios 12:8.

Chegamos ao estudo, propriamente dito, dos dons do Espírito Santo. Seguiremos o estudo dos dons baseando na sequência do texto de 1 Coríntios 12. Este texto de Paulo é o principal texto das escrituras a tratar especificamente sobre os dons e ministérios distribuídos no meio do corpo de Cristo.

O primeiro dom que trataremos é o dom da Palavra da Sabedoria. Este é, infelizmente, um dos dons que menos se tem notícia nos dias atuais. Pouco (ou nunca) vemos este dom sendo utilizado ou mesmo comentado entre os irmãos. Os outros dons podem ser notados com maior frequência, como é o caso do dom de línguas, dom de profecia, etc (apesar de que estes dons também não são, em geral, usados de forma equilibrada).

 A Palavra da Sabedoria 

Mas o que seria este dom? A palavra da sabedoria é um mensagem de extrema sabedoria dada por alguém através do mover sobrenatural do Espírito Santo, quando este se move livremente através do homem. Não é nada do que você vê corriqueiramente nas pregações atuais, mas uma palavra que vem carregada de vida, autoridade e poder, conforme falava Jesus. 

Um excelente exemplo é o texto de Mateus 4:5-7, veja:

"Então, o diabo o levou à Cidade Santa, colocou-o sobre o pináculo do templo e lhe disse: Se és Filho de Deus, atira-te abaixo, porque está escrito: Aos seus anjos ordenará a teu respeito que te guardem; e: Eles te susterão nas suas mãos, para não tropeçares nalguma pedra. Respondeu-lhe Jesus: Também está escrito: Não tentarás o Senhor, teu Deus”
.

Veja que o próprio diabo usou a palavra escrita para tentar Jesus (e ele ainda faz isso hoje em dia). Nem tudo que se diz palavra 'de Deus' procede legitimamente de Deus. Mas o Senhor não se deixou enganar, nem mesmo pelas escrituras. Ele voltou a citar a palavra, movido pelo Espírito: “Também está escrito”.

É importante entender que a palavra, como letra apenas, de nada serve. Se mesmo o diabo a utilizou para tentar o Senhor Jesus, porque ele não a usará nos nossos dias? Esta é a base da maioria das ofensas e equívocos cristãos, pois muito do que se vê não se baseia no mover do Espírito, mas em muitas outras coisas. Todas estas coisas, que não são o mover do Espírito, só podem ser o mover do diabo. 

 Equilíbrio Vs Desequilíbrio 

A maior característica, e premissa maior para entender a prática deste dom, é perceber o equilíbrio perfeito entre a sabedoria de Deus (conhecimento bíblico) e o Espírito Santo se movendo ativa e poderosamente no homem. Um dos personagens bíblicos que possuía este dom era Estevão. Veja o texto abaixo, que exemplifica bem o equilíbrio que estou dizendo: "E levantaram-se alguns que eram da sinagoga chamada dos libertinos, e dos cireneus e dos alexandrinos, e dos que eram da Cilícia e da Asia, e disputavam com Estêvão. E não podiam resistir à sabedoria, e ao Espírito com que falava” Atos 6:8-10.

Veja que não foi Estevão que resistiu a estes homens, mas estes judeus que não podiam resistir a sua sabedoria. Ele não era apenas sábio e conhecedor das escrituras sagradas, mas ele era cheio do Espírito Santo de forma tal, que o Espírito se movia com liberdade através dele e o fazia lembrar-se de tudo quanto necessitava para combater as mentiras e inverdades que aqueles judeus levantavam para o dissuadir. Não foi à toa que Estevão foi morto pelos judeus pouco tempo depois. Os judeus não podiam combater tamanha sabedoria.

O ponto central deste versículo é entender que Estevão não se movia apenas baseado no seu conhecimento, mas através do Espírito Santo. Este equilíbrio é necessário para que este dom seja manifesto, motivo que faz com que este dom esteja tão escasso em nossos dias. Esta é a minha grande tristeza! Alcançar este equilíbrio é dificílimo, pois estamos vivendo desequilibradamente. Se nos aproximamos da escrituras, então tendemos a negar ou a viver afastados do poder do Espírito Santo. E se nos aproximamos do poder do Espírito, então tendemos a não buscar a revelação exata e precisa daquilo que Deus nos deu na palavra. Mas não foi assim que aprendemos do nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. Jesus tinha uma vida de oração extremamente ativa. Sempre que podia, voltava-se ao lugar de oração para se encher do Espírito Santo.

Certamente o motivo, e grande trunfo do diabo, seja a grande divisão que é multiplicada pelas denominações evangélicas. Deus nunca desejou que fosse assim. Pelo contrário! A Igreja é uma só unidade espiritual e deveria também ser assim na prática. Neste sentido percebemos que essa grande divisão causou uma deficiência muito grande nos homens de Deus. Isso porque, conforme diz a palavra: “Como o ferro com o ferro se afia, assim, o homem, ao seu amigo” Provérbios 27:17. Essa palavra nos diz que devemos nos 'afiar' com os nossos amigos e irmãos. Mas como nos afiaremos se cada igreja une pessoas de acordo com a sua própria conveniência, direcionamento teológico e ideológico e classe econômica e social? É simplesmente impossível. É necessário que existam pessoas diferentes na igreja para que se chegue ao equilíbrio.

 Conhecimento e revelação da palavra 


“Habite, ricamente, em vós a palavra de Cristo; instruí-vos e aconselhai-vos mutuamente em toda a sabedoria [...]”
 Colossenses 3:16.

O Senhor foi extremamente bondoso conosco ao nos deixar tantas palavras de sabedoria neste livro que chamados de 'Bíblia'. Este livro, aliás, serve para que seja lido e relido intensamente. Digo isto por um motivo muito simples: a Igreja não lê mais a bíblia. Com tantos livros cristãos disponíveis param nos ensinar tantas coisas, não temos mais necessidade de ler a bíblia. Isto está errado. Apenas conheceremos o Senhor através da palavra, pois é através de suas palavras que Ele se revela a nós.

Não devemos só conhecer a palavra, devemos conhecê-la profundamente! A palavra de Colossenses nos ensina que a palavra deve habitar ricamente em nós. Além da leitura constante, devemos também nos instruir e aconselhar mutuamente em toda a sabedoria. Este é o principal objetivo deste blog, mas ele também não é mais importante do que a leitura da bíblia. Encha-se da bíblia antes de qualquer coisa! Leia com calma entenda, leia novamente. Se você não entende um livro específico, leia este livro umas duzentas vezes. Não é brincadeira. Antes de qualquer coisa você precisa conhecer bem as palavras que deseja entender.

Entretanto, para obter a sabedoria que vem de Deus, apenas conhecer as escrituras não é suficiente, veja os textos abaixo:

"Graças te dou, ó Pai, Senhor do céu e da terra, que ocultaste estas coisas aos sábios e entendidos, e as revelaste aos pequeninos"
 Mateus 11:25.
"Para que o Deus de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai da glória, vos dê em seu conhecimento o espírito de sabedoria e de revelação" Efésios 1:17.
Por mais que possamos ler as escrituras e conhecer as palavras nelas contida, se não tivermos a revelação do Senhor, de nada valerá. A palavra fala que o Senhor ocultou a verdade aos sábios e entendidos, mas revelou aos pequeninos. Esta é uma palavra vital. Para obter a revelação do Senhor, devemos nos fazer pequenos. Todo aquele que se fizer grande, será abatido. Mas aquele que se humilhar, deliberadamente, será exaltado. Igualmente para que o Senhor revele sua palavra, devemos nos fazer pequenos, nos igualando a Ele mesmo.

"Já não vos chamo servos, porque o servo não sabe o que faz seu senhor; mas Eu vos tenho chamado amigos, pois tudo o que ouvi de meu Pai Eu compartilhei convosco" 
João 15:15.

Por último é importante pontuar que o Senhor deseja ser nosso amigo. Quem é aquele que compartilha seus segredos com o estranho? Sempre que necessário compartilhamos nossos segredos com nossos amigos mais íntimos. O Senhor não é diferente, pois Ele não esconde o que ouve do Pai para nós, que somos também filhos do mesmo Pai Eterno. à medida que nos aproximamos do Espírito Santo, e nos enchemos da vida de Deus, naturalmente o Senhor nos revela coisas inefáveis da parte do nosso Deus. A vida e revelação espirituais são coisas naturais (ou deveriam ser) na vida do crente. Não busque essas coisas unicamente, pois o Senhor não se revelará a você. Busque a comunhão com o Senhor.

 O mover do Espírito Santo 

“Então, Pedro, cheio do Espírito Santo, lhes disse”
 Atos 4:8.
“[...] entretanto, homens [santos] falaram da parte de Deus, movidos pelo Espírito Santo” 2 Pedro 1:21.

Não adianta apenas conhecer este dom e as escrituras profundamente, devemos nos mover e falar através do poder do Espírito Santo. Talvez este seja o ponto divisor, que define muito bem este dom. Veja que no versículo de Atos 4:8, Pedro fala às autoridades de Israel. A grande característica do discurso de Pedro, entretanto, é que ele fala cheio do Espírito Santo. Quando falamos movidos pelo Espírito Santo as coisas se movem.
Neste sentido devemos entender a necessidade de nos encher do Espírito Santo em nossas vidas. Além de nos encher da palavra e conhecê-la muito bem, devemos nos encher do Espírito Santo. Não podemos conhecer a palavra como letra, mas devemos conhecê-la como vida que muda nossa vida, na prática. Hoje em dia gastamos muito tempo tentando entender coisas irrelevantes das escrituras, enquanto esquecemos-nos de amar nosso próximo como a nós mesmos, por exemplo. Esquecemos-nos de nos esforçar, diligentemente, por manter a unidade do Espírito, pelo vínculo da paz. Esquecemos-nos de seguir os passos de Jesus. Enfim, esquecemos muitas coisas.

“[...] mas o Consolador, o Espírito Santo, a quem o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas e vos fará lembrar de tudo o que vos tenho dito”João 14:26.

Veja que o mover do Espírito é prático e totalmente atuante na vida de Pedro. Ele já não podia mais falar por si mesmo, mas falava conforme o que o Senhor lhe lembrava de que falasse. Aliás, o texto citado acima, que fala que o Espírito nos fará lembrar-se de tudo, também pode ser entendido para este caso específico deste dom. Quando temos o conhecimento prévio das escrituras (veja que mesmo esse conhecimento também é revelado pelo Espírito, conforme o versículo acima), então o Espírito Santo movendo-se através de nós, nos faz lembrar-se de tudo quanto devemos falar. Este dom é a plenitude desta palavra na prática.

A própria palavra testifica acerca do Espírito, e o Espírito também testifica acerca da palavra de Deus, pois ambos são complementares. Uma coisa não existe, necessariamente, sem a existência da outra. O Espírito cita a palavra constantemente, nos fazendo lembrar daquilo que está escrito, assim como a palavra nos diz como devemos andar conforme o Espírito Santo. É um ciclo perfeito que possui um poder ilimitado!

Nós devemos nos encher do Espírito e da revelação de Cristo, através da oração contínua. Sem oração é impossível que o Espírito Santo se mova através de nós. Neste sentido, a oração é a atividade mais importante e que deve dominar nossa vida sempre. Devemos ter nosso tempo diário de oração, e também devemos orar em todo tempo!

 O objetivo prático da Palavra da Sabedoria 

Na prática, este dom é um dos mais agudos de todos e opera poderosamente quando o Senhor o concede a alguém. O primeiro ponto que devemos entender é que este dom não se trata de orar em línguas ou nenhum tipo de manifestação espiritual atípica. Na prática este dom tende a ser um discurso normal, mas que vem cheio de sabedoria e da realidade do Espírito Santo.

São palavras que, aparentemente, são normais, mas que movem o nosso interior. Veja: "E, ouvindo eles isto, compungiram-se em seu coração e perguntaram a Pedro e aos demais apóstolos: Que faremos, homens irmãos?" Atos 2:37. Este versículo trata do primeiro discurso de Pedro, que se levantou cheio do Espírito Santo no dia de pentecoste. Veja que suas palavras causaram grande incômodo naqueles homens, de tal modo que buscavam direcionamento após as palavras de Pedro.

A palavra "compungir-se" é muito interessante. Ela significa, literalmente, se afligir com dor. Ou seja, quando permitimos que o Senhor, através do Espírito, use nossa boca, as nossas palavras causarão uma grande mudança na vida daqueles que nos ouvem.

Por esse motivo este dom é comumente visto atuando em pregações à judeus, religiosos e todos quantos não criam no Senhor Jesus. Este dom tem o poder de trazer à tona toda a sabedoria divina acerca de um tema e, por isso, pode ser comparada à Espada do Espírito da Armadura de Deus (veja o estudo aqui). Como vemos nos discursos de Pedro, Estevão e Paulo, este dom tem o poder de destruir as fortalezas que o diabo planta na mente de religiosos e incrédulos, para enganá-los. Há muita confusão acerca de doutrinas e da sabedoria do Senhor, mas quando alguém ergue a voz movido pelo Espírito, o Senhor corrige todas as coisas, pois o Espírito Santo, Ele mesmo se encarrega de esclarecer todas as coisas.

 Conclusão 

A minha oração, ao escrever este texto, é que o Senhor conceda aos seus profetas este dom. Vivemos em tempo de apostasia tal qual não houve na história. Hoje o evangelho é ofertado de acordo com a necessidade que alguém possui. Quando os problemas são resolvidos, então seguimos nossa vida despreocupadamente.

Mas devemos erguer a nossa voz como trombeta! Estevão, cheio do Espírito, discutia de tal modo com os helenistas (Atos 6 e 7), que foi apedrejado e morreu vendo o Senhor à direita de Deus! Estes helenistas não podiam suportar as palavras de Estevão tamanha era a sabedoria e poder que fluía dele.

Assim como Estevão devemos ser. Cheios de poder, fé e intrepidez para, se necessário for, arguir com quem quer que seja acerca da veracidade e da verdade do Senhor...

Bispo. Capelão/Juiz; Mestre e Doutor em Ciência da Religião Dr. Edson Cavalcante.

0 comentários:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.