Subscribe:

segunda-feira, 16 de novembro de 2015

ESTUDO SOBRE A TRAIÇÃO A MAIOR ARMA USADA PELO DIABO...


             ESTUDO SOBRE A TRAIÇÃO A MAIOR ARMA USADA PELO DIABO...
Juízes 16:4,5,16,17,18,19
 Muitos pensam que a traição está somente ligada ao sexo, à ação de uma esposa infiel, ou de um marido desleal. No entanto, a traição está operando em muito maior escala do que apenas no aspecto sexual.
Quantas pessoas traem seus amigos, parentes e até se sabe de crente traindo suas igrejas, às vezes por vantagens irrisórias.
A TRAIÇÃO É UMA INTENÇÃO DIABÓLICA?
O termo traição pode ser entendido como deslealdade, desapontamento da expectativa de alguém; é desvendar os segredos de outrem, entregar um amigo aos seus inimigos; distanciamento; é também decepcionar um amigo alem de ser contada como engano e infidelidade, perfídia, desonestidade. A traição é baseada na mentira.
È um dos piores, senão o pior golpe que alguém pode receber de um amigo ou de uma pessoa que se considera ou que se ama.
O que o Diabo mais anseia é destruir a obra de Deus. O seu propósito é usar de todos os meios possíveis para se vingar, porque o seu plano não foi bem sucedido, lá no início da criação (Ez:28:15 a 17).
Então, ele procura atacar com fúria a obra-prima do Criador, que é o homem, criado para louvar, bendizer, adorar e enaltecer o nome do Todo-Poderoso.
O inimigo persiste em enganar as pessoas e tirar-lhes o prazer de servir ao Senhor.
Existem três pontos vulneráveis no homem, os quais Satanás procura atingir com suas artimanhas, que são: Sexo, poder e riqueza.
Vejamos alguns aspectos que marcam a traição:
A traição fere muito porque vem sempre de alguém em quem se deposita confiança. Parece que, em consequência desse fato, torna-se mais difícil perdoar uma traição do que outra qualquer afronta.
O ofendido sente o seu amor-próprio abalado, a moral ferida, e também a sua reputação abalada. Porque na maioria das vezes as pessoas fazem julgamentos  indevidos, até condenando a vítima por não ter sido mais esperta para notar os fatos e as circunstâncias a fim de fugir com tempo da situação desagradável.
Um fato que bem ilustra o exposto está registrado no Salmo 55. > Davi orava pedindo ao Senhor socorro e fazia um relatório da situação em que se encontrava a cidade de Jerusalém.
Multiplicava-se ali a iniquidade, todo tipo de maldade, engano, fraude, e até homicídios. Os habitantes viviam inseguros e amedrontados. Não havia paz e os crimes estavam acontecendo fora de qualquer controle.
Você sabe o que de fato traz maior sofrimento?
Como os demais habitantes, Davi também achava-se inseguro e temeroso. Mesmo vivendo aquela situação de tortura, crimes e maldades sem limites, o que mais feriu Davi e abalou o seu estado emocional foi a traição de um amigo (SL 55:12 a 15).
O homem que havia ameaçado sua vida éra um amigo íntimo, um companheiro, igual. Talvez até fosse um companheiro de juventude, que, como ele mesmo diz: juntos adoravam a Deus.
De súbito aquele em quem depositava tanta confiança voltou-se contra para fazer-lhe mal e até desejar a sua morte.
Alguns comentaristas afirmam que esse amigo tão chegado de Davi que o traiu foi o seu próprio filho Absalão (2SM 15:1 a 10).
Como fica o coração traído? Angustiado?
A traição foi deveras um golpe muito forte pra Davi.
Homem acostumado a enfrentar inimigos valentes e sempre sair vencedor, agora se deparava com outra espécie bem diferente de inimigo.
Esse não usava lanças nem carros de batalhas, nem tochas ardentes, mas palavras macias que se tornavam espadas agudas que o feriam sem piedade. Por isso Davi clamava ao Senhor pedindo que ele fizesse justiça (SL:55:21 a 23).
Como perdoar a traição? Coisa difícil não é?
O maior exemplo de amor e nobreza, foi o de Jesus com relação aos seus traidores. Não houve traição pior do que a sofrida por Ele.
Um amigo de Sua intimidade, participante do Seu ministério, foi usado por Satanás para traí-lo de maneira vil (Mt:26:14,16;42,49).
Uma traição que teve como consequência a morte mais vil e mais humilhante que foi a crucificação. Mesmo diante de tanta infâmia e de tanto sofrimento, Jesus teve a grandeza de sentimento liberando perdão para quem o fez sofrer daquela maneira.
Vamos ver onde e como a traição opera:
Desde que Adão pecou, o homem, que é sua descendência, tornou-se sujeito à prática do  mal, pois a sua natureza é pecaminosa (Rm 3:23).
A Bíblia registra vários casos de traição.
No momento em que o homem despreza os preceitos divinos, ele está dando legalidade para Satanás operar em seu coração.
Como a traição atinge os pontos vulneráveis?
Com o já foi dito, a natureza humana possui  pontos vulneráveis dos quais o inimigo se aproveita para descarregar suas armas. E uma das armas perigosas é a traição, que também é revestida de astúcia. Essa arma desfaz amizades, destrói famílias, suscita vinganças, ódio e até desperta o desejo de matar.
A traição quando alguém almeja um poder.
Um caso bem marcante de traição foi o de Saul, que intentou por várias vezes matar Davi para não perder o reinado.
Por algumas vezes, o monarca já havia intentado matar o jovem guerreiro, mas sempre em vão. Até que ele resolveu mudar de tática. Usando de astúcia e de engano ofereceu sua filha em  casamento em troca de Davi torna-se um filho valoroso para liderar as guerras contra os filisteus. Assim, pensava ele, os filisteus o matarão eu me livrarei dele, e o poder do reino será sempre meu (1Sm:18.17 a 22). Foi uma traição bem planejada. O jovem foi totalmente iludido pelos planos de Saul, mas o Senhor Deus cuidou para que o jovem não fosse prejudicado com aquela traição. E assim Deus agiu a favor de Davi livrando-o da morte pelos filisteus.
Será que a cobiça na riqueza, suscita a traição?
Possuir riquezas é muito bom, quando se tem o pensamento voltado para as coisas espirituais e não colocarmos o coração nos bens materiais (2CO 6:10). O amor às riquezas pode produzir, entre outras coisas, o esquecimento de Deus. Rejeição a Cristo. Grandes tentações. A mania de riqueza pode levar até mesmo um monarca a desejar aumentar seus bens e para isso não se importar de trair pessoas que lhe dedicaram amor e fidelidade. Esse foi o caso do rei Assuero que, dando ouvidos a uma proposta diabólica do príncipe Hamã, assinou cartas consentindo a matança dos judeus que habitavam o seu reino, em troca da doação de uma boa quantia. Foi uma traição que ele mesmo não havia planejado. Mas a cobiça levou-o a concordar com o caso.
Deus, porém, impediu que se consumasse aquela tragédia, poupando até a vida da própria rainha que era judia. Atualmente, muitas pessoas estão se deixando levar pelo mesmo expediente a fim de enriquecer com facilidade. Às vezes, não estão traindo outras pessoas, mas a si mesma, a sua reputação, a moral, a confiança e até a fé.
Como falar da traição no sexo?
A instituição do casamento, que foi determinado por Deus para trazer felicidade e plena realização ao homem, está sofrendo sérias mutações para pior. Os valores absolutos ordenados por Deus estão sendo esquecidos e substituídos por valores relativos, que trazem supostas vantagens ao homem. A mídia se incumbe de oferecer programas e propagandas indecorosas que desmoralizam e ridicularizam o casamento, ironizam a união matrimonial, facilitam os envolvimentos ilícitos, tudo sob o título de modernidade e progresso. Mas o resultado é família destruída, homens e mulheres frustrados sofrendo de depressão, mágoas, filhos desequilibrados, agressivos, sem conhecer o verdadeiro sentimento de amor, embrutecidos. E, no final, adotados pelo crime, pelas drogas, pela sexualidade desgovernada e imoral, enfim, sujeitos a doenças incuráveis e à morte. Todas estas coisas são abomináveis ao Senhor.
O apóstolo Paulo faz um veemente apelo, aos crentes de Corintos, que é próprio para os crentes de todas as épocas. A traição é um pecado que fere profundamente porque parte de uma pessoa amada, que comunga que divide as alegrias e as tristezas, que planeja, que participa intensamente da vida um do outro. Pelo menos, é o que se espera do casamento. Por essa razão, é mais difícil a um cônjuge perdoar o traidor. No entanto, não há pecado que não possa ser perdoado, e mais "Onde o pecado abundou, superabundou a graça".
Então, a força do amor prevalece e é capaz de liberar o perdão, desde que haja, de fato, arrependimento e o firme propósito de deixar o pecado.
Qual foi a traição que terminou em tragédia?
A Bíblia conta a história de Sansão, um dos mais dramáticos registros de traição, que levou um grande homem de Deus ao nível mais baixo de humilhação. A traição da mulher amada levou Sansão ao ponto mais baixo de sua vida. Porém, a misericórdia de Deus o alcançou, e ele pode, na hora da sua morte, conquistar uma vitória inesquecível para o povo de Israel.
O que acontece quando temos nossa vida consagrada a Deus?
A vida de Sansão foi um milagre. Sua mãe era estéril, não podia conceber. Mas Deus a escolhei para ser mãe de um dos heróis mais valentes do seu povo; o qual livraria Israel das  mãos dos filisteus.
Esse menino seria nazireu, isto é consagrado ao Senhor.
Desde jovem, Sansão foi usado pelo Espírito Santo e operava prodígios. Todavia, Sansão não manteve integralmente o seu nazireado, e isso foi a causa de ele pagar um alto preço.
Uma traição poderá levar a queda. Os príncipes dos filisteus procuravam, por todas as maneiras, ocasião para dar fim aquele inimigo terrível, pois êle já era conhecido de todos, por sua bravura.
Sabendo os filisteus que Sansão estava enamorado por uma mulher filistéia, armaram então um plano para sua execução. Ela foi orientada a descobrir de onde provinha a força descomunal daquele homem. Tentada pela grande soma de dinheiro que lhe foi oferecida não excitou em trair o seu amado.
È muito perigoso brincar com o pecado. Foi o que Sansão fez. Não vigiou e deixou-se levar pelos caprichos de Dalila que por três vezes tentou obter o seu segredo. Nem assim Sansão despertou para o mal que estava tão próximo dele se, por acaso, aquela mulher descobrisse o segredo da sua força. A cobiça pela grande soma que pagaria a traição impeliu Dalila a perseverar tentando descobrir o segredo de Sansão, até que conseguiu o seu intento, depois de muitas palavras manhosas e de muitas lágrimas. Por sua vez, Sansão já desgastado por tanta conversa tanta súplica e também por estar muito afeiçoado a ela, cedeu às petições e desvendou o segredo do seu nazireado: os seus cabelos não poderiam ser raspados nem aparados. A FORÇA DO PECADO PREVALECEU.
Será que existe algum cristão que, como Sansão, está tão seguro de sua própria força que brinca com o pecado e, por isso, chega muito perto de escorregar?
Pense. Dê um passo decisivo. Se existe algo que você possa fazer para fugir de uma tentação maior, não hesite. Peça a ajuda do Espírito Santo e não deixe Satanás armar ciladas para destruir seu lar, sua família e a você próprio.
Confie nas misericórdias do Senhor Jesus. Ele quer o melhor para os seus servos. Abrace a Jesus e peça misericórdia por ter traído algum irmão ou qualquer pessoa, se  é que você o fêz. Jesus disse a Maria Madalena quando estava em adultério e foi acusada. Filhas, perdoadas estão seus pecados, vais e não peques mais.
MEDITE: O salário do pecado é a morte...
Bispo. Capelão/Juiz. Mestre e Doutor em Ciência da Religião Dr. Edson Cavalcante.



0 comentários:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.