Subscribe:

quinta-feira, 1 de outubro de 2015

ESTUDO BÍBLICO PROFUNDO SOBRE O ESPIRITISMO...


                    ESTUDO BÍBLICO PROFUNDO SOBRE O ESPIRITISMO...
Espiritismo, espírita, reencarnação, Allan Kardec, Chico Xavier, espíritos
Olá, amigo(a) leitor(a).
É maravilhoso termos mais um momento para lermos a Palavra de Deus e aprendermos a verdade que só há Nele, o criador de todas as coisas, que enviou Seu Filho Unigênito, Jesus, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna (João 3:16).
Neste estudo, abordaremos os princípios da doutrina espírita, tais como: reencarnação, consulta a espíritos de mortos, o espírita é cristão?; e analisaremos o que a Bíblia nos ensina sobre esses conceitos.
Para iniciar a leitura, peço que você tenha em mãos uma Bíblia de sua preferência ou consulte uma Bíblia disponível on-line.
Ore agora
Eu oro para que a verdade, a Palavra de Deus, preencha toda a sua vida se você permitir. Peço que você ore neste momento pedindo a Deus que lhe ajude a compreender tudo que irá ler. Caso não saiba o que falar a Deus, sugiro que ore assim: "Deus, eu quero começar essa leitura apresentando a minha vida ao Senhor e peço que a Sua Palavra entre em meu coração para que eu compreenda a verdade e não seja enganado. Eu permito ao Senhor falar comigo agora pois eu quero ouvi-Lo. Peço ainda que o Senhor anule toda o mal sobre a minha vida neste momento e tudo que queira vir contra mim. Amém!".
Leia este estudo atentamente e consulte os versículos citados para que não fiquem dúvidas. Além disso, fique à vontade para nos enviar qualquer pergunta sobre Espiritismo ou qualquer doutrina ou assunto para que possamos responder a você segundo a Palavra de Deus. Nosso e-mail é estudos@viveremverdade.com.br . Deus o abençoe!
O Espiritismo
No Brasil, temos ouvido com mais frequência sobre o Espiritismo, devido ao lançamento do filme sobre o médium Chico Xavier em abril de 2010.
Doutrina Espírita é uma corrente de pensamento — nascida em meados do século XIX — que se estruturou a partir de diálogos estabelecidos entre o pedagogo francês Hippolyte Léon Denizard Rivail (que adotou o pseudônimo Allan Kardec) e o que ele e muitos pesquisadores da época defendiam tratar-se de espíritos de pessoas falecidas, a manifestar-se através de diversos médiuns.
Allan Kardec, pseudônimo de Hippolyte Léon Denizard Rivail, fundador do Espiritismo
A Doutrina Espírita caracteriza-se pelo ideal de compreensão da realidade mediante a integração entre as três formas consideradas clássicas de conhecimento, que seriam a ciência, a filosofia e a moral. Segundo Rivail, cada uma delas, se tomada isoladamente, tenderia a conduzir a excessos de ceticismo, negação ou fanatismo. A doutrina espírita se propõe, assim, a estabelecer um diálogo entre elas, visando a obtenção de uma forma original, que a um só tempo fosse mais abrangente e profunda, de compreender a realidade.
Base Doutrinária do Espiritismo
A base doutrinária do Espiritismo é o Livro dos Espíritos, primeira das chamadas obras básicas escritas por Rivail, usando o pseudônimo Allan Kardec. Nesse livro, consta o resultado preliminar dos diálogos estabelecidos por ele em diversas reuniões mediúnicas com o que seriam espíritos "desencarnados". A obra é dividida em 1018 tópicos no estilo pergunta–resposta, ordenados didaticamente pelo pedagogo. As questões levantadas em O Livro dos Espíritos serviram como base para os demais livros que compõem a Codificação espírita.
Segundo muitos de seus estudiosos, a doutrina espírita é cristã, apesar das concepções teológicas bem diferenciadas no que diz respeito a conceitos como divindade, natureza humana, salvação, graça e destino. Para eles, Jesus Cristo é o espírito mais elevado que conhecemos em toda a história da Terra, bem como o modelo de conduta para o auto-aperfeiçoamento humano e que provou, através da caridade absoluta e da encarnação, que o homem pode suportar a provação.
 
Princípios do Espiritismo
Allan Kardec, em "Obras Póstumas", propõe que o espiritismo é uma doutrina natural, que pode ser interpretada ou não como religião pelos homens, isto é, que coloca o homem – ou o espírito – diretamente em relação com Deus.
Para efeitos didáticos, os princípios foram situados na parte superior desse artigo por serem objeto de maior interesse ao público em geral que a história do espiritismo. Além disso, alguns leitores não visualizam o artigo inteiro e podem ter uma impressão completamente equivocada do termo, dada a peculiaridade de sua história. O termo sendo referenciado pela comunidade que o integra, deve ser evidenciado por sua essência e não pelas curiosidades (que não são poucas!) , pois seria uma abordagem leviana e frívola.
A doutrina espírita, de modo geral, fundamenta-se nos seguintes pontos:
§   Na existência e unicidade de Deus, desconstruindo o dogma da Santíssima Trindade;
§   Na existência e imortalidade do espírito, compreendido como individualidade inteligente da Criação Divina;
§   Na defesa da reencarnação como o mecanismo natural de aperfeiçoamento dos espíritos;
§   No conceito de criação igualitária de todos os espíritos, "simples e ignorantes" em sua origem, e destinados invariavelmente à perfeição, com aptidões idênticas para o bem ou para o mal, dado o livre-arbítrio;
§   Na possibilidade de comunicação entre os espíritos encarnados ("vivos") e os espíritos desencarnados ("mortos"), através da mediunidade;
§   Na Lei de Causa e Efeito, compreendida como mecanismo de retribuição ética universal a todos os espíritos, segundo a qual nossa condição é resultado de nossos atos passados;
§   Na pluralidade dos mundos habitados. A Terra não seria o único planeta com vida inteligente do universo.
Além dessas características principais, podem ser citadas características secundárias:
§   A noção de continuidade da responsabilidade individual por toda a existência do espírito;
§   Progressividade do espírito dentro do processo evolutivo em todos os níveis da natureza;
§   Volta do espírito à matéria (reencarnação) tantas vezes quantas necessárias para alcançar a perfeição. Os espíritas não crêem na metempsicose;
§   Ausência total de hierarquia sacerdotal;
§   Abnegação na prática do bem, ou seja, não se deve cobrar nada por esta ou aquela caridade;
§   Terminologia própria, como por exemplo, perispírito, Lei de Causa e Efeito, médium, centro espírita;
§   Total ausência de culto a imagens, altares, etc (exceto nas variações influenciadas por religiões africanas);
§   Ausência de rituais institucionalizados, a exemplo de batismo, culto ou cerimônia para oficializar casamento;
§   Incentiva ao respeito para com todas as religiões e opiniõe;
§   Embora a Doutrina Espírita não seja oriunda do Brasil, este é o país que possui a maior quantidade de adeptos. A Federação Espírita Brasileira, que integra o Conselho Espírita Internacional, é a principal entidade divulgadora da doutrina espírita no Brasil. Outra organização importante é a Confederação Espírita Pan-Americana, sendo que esta entidade não concebe o espiritismo como religião, centrando-se apenas nos seus aspectos filosóficos e científicos.
Doutrina Espírita e Cristianismo
Os espiritistas (tradução muito usada durante as primeiras décadas do século XX para o neologismo spirit) ou espíritas, afirmam-se cristãos e atribuem à doutrina espírita o caráter de uma doutrina cristã, já que seguem os ensinamentos de Jesus. Entretanto, essa associação entre o espiritismo e o cristianismo é contestada pelas religiões de matriz judaico-cristãs, sob a alegação de que, embora partilhe de valores cristãos, a rejeição espírita a diversos postulados bíblicos e teológicos preconizados por elas inviabilizaria a conceituação do espiritismo como "cristão".
Os espíritas fundamentam sua defesa do caráter cristão da doutrina espírita no fato de Allan Kardec defender que a moral cristã, isenta dos dogmas de fé a ela associados, seria o que de mais próximo a um código de ética divino e racional o homem possui. Os espíritas argumentam que os dogmas foram elaborados ao longo dos séculos pela Igreja Católica. Por isso, não é necessário segui-los para ser cristão. Além disso, o item 625 de O Livro dos Espíritos afirma ser Jesus o maior exemplo moral de que dispõe a humanidade, apesar de o espiritismo negar a ele qualquer caráter efetivamente divino.
O Espiritismo no Brasil
Divulgado em praticamente toda a Europa no século XIX, o Espiritismo chegou ao Brasil em 1865. Hoje, o país é o que reúne o maior número de espíritas em todo o mundo. A Federação Espírita Brasileira – entidade de âmbito nacional do movimento espírita – congrega aproximadamente dez mil instituições espíritas espalhadas por todas as regiões do país. De acordo com o censo realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 2000O, o Brasil possui 2,3 milhões de espíritas. Terceiro maior grupo religioso do país, os espíritas são também o segmento social que tem maior renda e escolaridade, segundo os dados do mesmo Censo. Os espíritas têm sua imagem fortemente associada à prática da caridade. Eles mantêm em todos os estados brasileiros asilos, orfanatos, escolas para pessoas carentes, creches e outras instituições de assistência e promoção social. Allan Kardec, o codificador do Espiritismo, é uma personalidade bastante conhecida e respeitada no Brasil. Seus livros já venderam mais de 20 milhões de exemplares em todo o País. Se forem contabilizados os demais livros espíritas, todos decorrentes das obras de Allan Kardec, o mercado editorial brasileiro espírita ultrapassa 4.000 títulos já editados e mais de 100 milhões de exemplares vendidos.

Análise Bíblica sobre a Doutrina Espírita
De acordo com os conceitos citados nos tópicos acima, os adeptos do espiritismo consideram a doutrina espírita como uma doutrina cristã, já que também utiliza como referência a Bíblia, a Palavra de Deus. Se a doutrina espírita considera e segue os princípios bíblicos, é necessário então que o Livro dos Espíritos e as demais obras que fundamentam a doutrina espírita não entrem em contradição com a Bíblia. Logo abaixo, abordaremos várias passagens bíblicas que a doutrina espírita utiliza para se fundamentar e iremos apresentar, de acordo com a própria Bíblia, a análise sobre essas passagens.
Tenha em mãos uma Bíblia para acompanhar e verificar as passagens citadas neste estudo bíblico.
Mediunidade
Levítico 19:31
"Não vos virareis para os adivinhadores e encantadores; não os busqueis, contaminando-vos com eles. Eu sou o Senhor vosso Deus."
Observe que na passagem de Levítico 19:31, Deus ordena ao povo que não busquem os adivinhadores e encantadores. O Espiritismo defende a prática da mediunidade, incentiva a busca dos poderes paranormais, como o da precognição (adivinhação). Embora diga aceitar a Bíblia, ignora versículos como esse.
Deus proibiu a mediunidade (contato com os mortos), assim como o uso de adivinhações (Levítico 20:27; Deuteronômio 18:9-14; Apocalipse 21:8).
Apocalipse 21:8
"Mas quanto aos tímidos, e aos incrédulos, e aos abomináveis, e aos homicidas, e aos fornicadores, e aos feiticeiros, e aos idólatras e a todos os mentirosos, a sua parte será no lago que arde com fogo e enxofre; o que é a segunda morte"
Hoje a adivinhação compreende, entre outras práticas: rabdomancia (adivinhação com o uso de varas), radiestesia (uso de pêndulos), quiromancia, cartomancia, consulta a búzios, runas, etc.
Deuteronômio 18:9-14
"Quando entrares na terra que o Senhor teu Deus te der, não aprenderás a fazer conforme as abominações daquelas nações. Entre ti não se achará quem faça passar pelo fogo a seu filho ou a sua filha, nem adivinhador, nem prognosticador, nem agoureiro, nem feiticeiro; Nem encantador, nem quem consulte a um espírito adivinhador, nem mágico, nem quem consulte os mortos; Pois todo aquele que faz tal coisa é abominação ao Senhor; e por estas abominações o Senhor teu Deus os lança fora de diante de ti. Perfeito serás, como o Senhor teu Deus. Porque estas nações, que hás de possuir, ouvem os prognosticadores e os adivinhadores; porém a ti o Senhor teu Deus não permitiu tal coisa."
Deus proibiu a consulta aos mortos ou a mediunidade. Além disso, também proibiu a arte divinatória (Levítico 20:27; Apocalipse 21:8). Portanto, o espiritismo é condenado, pelas seguintes razões:
I.                        a mediunidade é absolutamente proibida pela Bíblia (vimos em Levítico 19:31 e você pode ver também em 1 Crônicas 10:13-14, Isaías 8:19-20;

II.            Os espíritos mortos em Cristo estão com Ele no céu e não voltam à terra (2 Samuel 12:23; 2 Coríntios 5:6-8; Filipenses 1:21-23);

III.            Os espíritos dos mortos não retornam à terra. Lendo atentamente Lucas 16:19-31, entendemos que o homem rico pediu a Abraão que enviasse Lázaro à terra para avisar seus irmãos sobre a existência do inferno (hades). Abraão respondeu que isso não era necessário, porque seus irmãos tinham os escritos de Moisés e dos profetas. O rico não pediu que Abraão enviasse uma alma penada, mas alguém através da ressurreição (o versículo 31 diz: "ainda que algum dos mortos ressuscite"). A explicação que se pode dar sobre as manifestações espíritas é que os que se apresentam como sendo espíritos de mortos são na verdade demônios. Paulo avisou em Efésios 6:11-12 que a nossa luta é contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestes.
Mateus 17:1-3
"Seis dias depois, tomou Jesus consigo a Pedro, e a Tiago, e a João, seu irmão, e os conduziu em particular a um alto monte. E transfigurou-se diante deles; e o seu rosto resplandeceu como o sol, e as suas vestes se tornaram brancas como a luz. E eis que lhes apareceram Moisés e Elias, falando com ele."
Os adeptos do Espiritismo apoiam a doutrina da mediunidade no fato de Moisés e Elias terem conversado com Jesus no monte da transfiguração.
Essa teoria prejudica o ensino bíblico a respeito da reencarnação. Na ocasião, João Batista já estava morto (Mateus 14:6-12).
Mateus 14:6-12
"6Festejando-se, porém, o dia natalício de Herodes, dançou a filha de Herodias diante dele e agradou a Herodes, 7pelo que prometeu, com juramento, dar-lhe tudo o que pedisse. 8E ela, instruída previamente por sua mãe, disse: Dá-me aqui num prato a cabeça de João Batista. 9E o rei afligiu-se, mas, por causa do juramento e dos que estavam à mesa com ele, ordenou que se lhe desse. 10E mandou degolar João no cárcere, 11e a sua cabeça foi trazida num prato e dada à jovem, e ela a levou a sua mãe. 12E chegaram os seus discípulos, e levaram o corpo, e o sepultaram, e foram anunciá-lo a Jesus."
E, segundo os espíritas, João Batista seria a reencarnação de Elias. Todavia, tomando como base o ensino que os espíritas defendem de que o espírito toma a forma da última reencarnação, quem deveria aparecer reencarnado no monte era João Batista, e não Elias. Diferentemente de João Batista, Elias não morreu, mas foi arrebatado sem provar a morte (2 Reis 2:11).
2 Reis 2:11
"E sucedeu que, indo eles andando e falando, eis que um carro de fogo, com cavalos de fogo, os separou um do outro; e Elias subiu ao céu num redemoinho."
De acordo com o ensino espírita (que defende a doutrina reencarnacionista), para que alguém possa reencarnar é preciso que morra. Elias não morreu, logo ele não poderia reencarnar. O assunto tratado durante a aparição de Elias e Moisés no monte da transfiguração era sobre a morte de Jesus, que estava para ocorrer dali a alguns dias (Lucas 9:30-31).

Lucas 9:30-31
"E eis que estavam falando com ele dois varões, que eram Moisés e Elias, os quais apareceram com glória e falavam da sua morte, a qual havia de cumprir-se em Jerusalém."
Em nenhuma reunião espírita os espíritos abordam a morte de Cristo como um meio de redenção. Ao contrário, negam esse fato. A morte e ressurreição de Cristo constituem a mensagem central do evangelho (1 Coríntios 15:1-6).
1 Coríntios 15:1-6
"1Também vos notifico, irmãos, o evangelho que já vos tenho anunciado, o qual também recebestes e no qual também permaneceis; 2pelo qual também sois salvos, se o retiverdes tal como vo-lo tenho anunciado, se não é que crestes em vão.
3Porque primeiramente vos entreguei o que também recebi: que Cristo morreu por nossos pecados, segundo as Escrituras, 4e que foi sepultado, e que ressuscitou ao terceiro dia, segundo as Escrituras, 5e que foi visto por Cefas e depois pelos doze. 6Depois, foi visto, uma vez, por mais de quinhentos irmãos, dos quais vive ainda a maior parte, mas alguns já dormem também."
Consolador
João 14:16-26
"E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, para que fique convosco para sempre, 17o Espírito da verdade, que o mundo não pode receber, porque não o vê, nem o conhece; mas vós o conheceis, porque habita convosco e estará em vós.
18Não vos deixarei órfãos; voltarei para vós. 19Ainda um pouco, e o mundo não me verá mais, mas vós me vereis; porque eu vivo, e vós vivereis. 20Naquele dia, conhecereis que estou em meu Pai, e vós, em mim, e eu, em vós. 21Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda, este é o que me ama; e aquele que me ama será amado de meu Pai, e eu o amarei e me manifestarei a ele. 22Disse-lhe Judas (não o Iscariotes): Senhor, de onde vem que te hás de manifestar a nós e não ao mundo? 23Jesus respondeu e disse-lhe: Se alguém me ama, guardará a minha palavra, e meu Pai o amará, e viremos para ele e faremos nele morada. 24Quem não me ama não guarda as minhas palavras; ora, a palavra que ouvistes não é minha, mas do Pai que me enviou.
25Tenho-vos dito isso, estando convosco. 26Mas aquele Consolador, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, vos ensinará todas as coisas e vos fará lembrar de tudo quanto vos tenho dito."
O Espiritismo declara que a promessa da vinda do Consolador se cumpriu em 18 de abril de 1857 com o surgimento do Espiritismo. Nessa data, Allan Kardec publicou o Livro dos Espíritos, em francês, e essa data foi indicada como o surgimento do espiritismo moderno.
Porém, a Bíblia declara que a promessa de Jesus sobre a vinda do Consolador se cumpriu no dia de Pentecostes (Atos 2:1-4), que veio revestir os discípulos de poder para testemunharem do evangelho (Atos 1:8). O Consolador prometido era alguém como Jesus, que iria ficar no lugar dele (João 14:18). Trata-se da terceira Pessoa da Trindade, e não de um movimento religioso como o Espiritismo, cujos ensinos são contrários à Bíblia (Mateus 28:19; Gênesis 1:26).
Contradições
1 Samuel 28
Esse capítulo narra o momento em que Saul consultou a pitonisa En-Dor. Leia em sua Bíblia.
Desobedecendo todas as ordens divinas contrárias à comunicação com os mortos, Saul, desesperado pelo fato de Deus não mais lhe responder nem por sonhos, nem por Urim, nem por profetas (versículo 6) procura uma pitonisa (médium). Durante toda a sessão, apenas a mulher vê algo e dá uma descrição vaga e imprecisa dos traços do espírito que lhe está falando. Isso é suficiente para que Saul se iluda, pensando em tratar-se de Samuel. Eis algumas das razões que demonstram que houve fraude ou manifestação demoníaca:
1) Saul perdera a graça de Deus (1 Samuel 15:23). Daí Deus não lhe responder mais (1 Samuel 28:6). Havia 3 maneiras de Deus comunicar-se com os homens naquela ocasião:
§   por sonhos - revelação pessoal (Jó 33:15-17)
§   por Urim e Tumim - revelação sacerdotal (Êxodo 28:30)
§   por profetas - revelação inspiracional (Hebreus 1)
2) Não se pode entender que Samuel, que foi um homem santo durante sua vida, pudesse prestar-se a obedecer a pitonisa - mulher abominável - depois de morto, cometendo um pecado tão claramente proibido por Deus (Êxodo 22:18; Levítico 20:27; Deuteronômio 18:9-14; Isaías 47:13)
3) Não se pode conceber que Deus tenha proibido a feitiçaria e a consulta aos mortos e depois Ele próprio concordasse em permitir que a feitiçaria trouxesse, de fato, o espírito de Samuel (Tiago 1:17).
4) Em 1 Samuel 28:13 a mulher diz: "Vejo deuses que sobem da terra". Quem eram eles? Só podiam ser demônios passando-se por espíritos de luz ou adivinhadores (2 Coríntios 11:13-14; Marcos 5:9; Lucas 8:30)
2 Coríntios 11:13-14
"Porque tais falsos apóstolos são obreiros fraudulentos, transfigurando-se em apóstolos de Cristo. E não é maravilha, porque o próprio Satanás se transfigura em anjo de luz."
5) Os mortos não se comunicam com os vivos (Lucas 16:19-31; Hebreus 9:27)
6) O resultado dessa consulta foi trágica para Saul (1 Crônicas 10:13).
1 Crônicas 10:13
"Assim, morreu Saul por causa da sua transgressão com que transgrediu contra o Senhor, por causa da palavra do Senhor, a qual não havia guardado; e também porque buscou a adivinhadora para a consultar"
De acordo com Deuteronômio 18:20-22, as profecias devem ser julgadas. E essas do falso Samuel não resistem ao exame. São ambíguas, imprecisas e infundadas, vejamos:
§   Saul não foi entregue nas mãos dos filisteus (1 Samuel 28:19), mas se matou (1 Samuel 31:4) e veio parar nas mãos dos homens de Jabes Gileade (1 Samuel 31:11-13)

§   Não morreram todos os filhos de Saul - "tu e teus filhos estareis" (1 Samuel 28:19), como insinua a obscura profecia. Ficaram vivos pelo menos três filhos de Saul - Is-Bosete (2 Samuel 2:8-10), Armoni e Mefibosete (2 Samuel 21:8). Apenas três morrreram, como está registrado em 1 Samuel 31:6 e 1 Crônicas 10:2-6. As Escrituras declaram que as palavras de Samuel nunca caíram por terra (1 Samuel 3:19)
A desobediência sempre traz o juízo divino. A consulta aos mortos é proibida por Deus (Levítico 19:31; 1 Crônicas 10:13-14), e qualquer tentativa de se estabelecer contato com eles é desobediência aos preceitos de Deus, e suas trágicas consequências não se farão esperar. O profeta Isaías nos adverte em Isaías 8:19-20.
Isaías 8:19-20
"19Quando vos disserem: Consultai os que têm espíritos familiares e os adivinhos, que chilreiam e murmuram entre dentes; – não recorrerá um povo ao seu Deus? A favor dos vivos interrogar-se-ão os mortos? 20À lei e ao testemunho! Se eles não falarem segundo esta palavra, nunca verão a alva."
João 1:1
"No princípio, era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus."
O Espiritismo declara que "as palavras citadas... são de João, e não de Jesus. Admitindo-se que não tenham sido alteradas, não exprimem, na realidade, senão uma opinião pessoal..." (Obras Póstumas. Allan Kardec. Obras Completas. Edição especial da Opus Editora, p.1182).
Porém, Jesus invocou o testemunho de suas obras como prova de sua divindade absoluta (João 10:37-38; João 14:9-11).
João 10:37-38
"Se não faço as obras de meu Pai, não me acrediteis. Mas, se as faço, e não credes em mim, crede nas obras, para que conheçais e acrediteis que o Pai está em mim, e eu, nele."
João 14:9-11
"Disse-lhe Jesus: Estou há tanto tempo convosco, e não me tendes conhecido, Filipe? Quem me vê a mim vê o Pai; e como dizes tu: Mostra-nos o Pai? Não crês tu que eu estou no Pai e que o Pai está em mim? As palavras que eu vos digo, não as digo de mim mesmo, mas o Pai, que está em mim, é quem faz as obras."
Os espíritas citam a Bíblia mas não crêem na sua inspiração divina (2 Timóteo 3:16), do contrário não diriam que as palavras são de João, externando apenas uma opinião pessoal.
2 Timóteo 3:16
"Toda Escritura divinamente inspirada é proveitosa para ensinar, para redargüir, para corrigir, para instruir em justiça,"
Inferno / Juízo Final
Mateus 25:41
"Então, dirá também aos que estiverem à sua esquerda: Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos;"
O Espiritismo diz que Jesus não foi muito claro ao falar sobre o inferno: "(Jesus) Limitou-se a falar vagamente da vida bem-aventurada, dos castigos reservados aos culpados..." (O céu e o inferno. Obras Completas. Allan Kardec. Opus Editora. 2º edição. Edição Especial, p. 726).
Porém, a evidência bíblia mostra que Jesus foi enfático ao falar sobre o inferno, realmente mencionou mais do inferno do que do céu (Mateus 11:23; Mateus 16:18; Lucas 10:15; Lucas 16:23; Atos 2:27). Ao falar do inferno, Jesus usou as palavras hades, que aparece dez vezes no Novo Testamento, e geena, doze vezes (Mateus 5:22,29-30; Mateus 10:28; Mateus 18:9; Mateus 23:15; Marcos 9:43-47; Lucas 12:5; Tiago 3:6).
Mundos
João 14:2-3
"Na casa de meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim, eu vo-lo teria dito, pois vou preparar-vos lugar. E, se eu for e vos preparar lugar, virei outra vez e vos levarei para mim mesmo, para que, onde eu estiver, estejais vós também."
O Espiritismo declara que o céu dos remidos são os planetas, interpretando que muitas moradas sejam os corpos celestes. Dizem: "Em que sentido se deve entender a palavra céu? Achais que seja um lugar...? Não, é o espaço universal; são os planetas, as estrelas..." (O Livro dos Espíritos. Allan Kardec. Obras Completas. 2º Edição. Opus Editora, edição especial. p. 250)
Porém isso não é verdade. O céu é um lugar prometido por Jesus para todos os seus seguidores (João 17:24).
João 17:24
"Pai, aqueles que me deste quero que, onde eu estiver, também eles estejam comigo, para que vejam a minha glória que me deste; porque tu me hás amado antes da criação do mundo."
Paulo falou que a esperança do cristão é a cidade celestial (Filipenses 3:20-21).
Filipenses 3:20-21
"Mas a nossa cidade está nos céus, donde também esperamos o Salvador, o Senhor Jesus Cristo, que transformará o nosso corpo abatido, para ser conforme o seu corpo glorioso, segundo o seu eficaz poder de sujeitar também a si todas as coisas."
João viu uma multidão incontável no céu (Apocalipse 7:9; Apocalipse 19:1-2).
Apocalipse 7:9
"Depois destas coisas, olhei, e eis aqui uma multidão, a qual ninguém podia contar, de todas as nações, e tribos, e povos, e línguas, que estavam diante do trono e perante o Cordeiro, trajando vestes brancas e com palmas em suas mãos;"
Apocalipse 19:1-2
"E, depois destas coisas, ouvi no céu como que uma grande voz de uma grande multidão, que dizia: Aleluia! Salvação, e glória, e honra, e poder pertencem ao Senhor, nosso Deus, porque verdadeiros e justos são os seus juízos, pois julgou a grande prostituta, que havia corrompido a terra com a sua prostituição, e das mãos dela vingou o sangue dos seus servos."
Origem
Gênesis 3:1-5
"1Ora, a serpente era mais astuta que todas as alimárias do campo que o Senhor Deus tinha feito. E esta disse à mulher: É assim que Deus disse: Não comereis de toda árvore do jardim? 2E disse a mulher à serpente: Do fruto das árvores do jardim comeremos, 3mas, do fruto da árvore que está no meio do jardim, disse Deus: Não comereis dele, nem nele tocareis, para que não morrais. 4Então, a serpente disse à mulher: Certamente não morrereis. 5Porque Deus sabe que, no dia em que dele comerdes, se abrirão os vossos olhos, e sereis como Deus, sabendo o bem e o mal."
O Espiritismo moderno começou com as manifestações mediúnicas, em 31 de março de 1848, das irmão Fox, Catarina e Margarida, em Hydesville, NY, EUA. Os espíritas consideram como data da fundação do espiritismo o dia 18 de abril de 1857, quando foi publicado o Livro dos Espíritos, de Allan Kardec.
Alguns estudiosos consideram Eva a primeira vítima de uma manifestação mediúnica, quando o diabo se utilizou da serpente como uma espécie de médium para enganá-la. O aumento das atividades espíritas é cumprimento da profecia de 1 Timóteo 4:1-2.
1 Timóteo 4:1-2
"1Mas o Espírito expressamente diz que, nos últimos tempos, apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores e a doutrinas de demônios, 2pela hipocrisia de homens que falam mentiras, tendo cauterizada a sua própria consciência,"
Reencarnação
2 Reis 2:9-14
"9Sucedeu, pois, que, havendo eles passado, Elias disse a Eliseu: Pede-me o que queres que te faça, antes que seja tomado de ti. E disse Eliseu: Peço-te que haja porção dobrada de teu espírito sobre mim. 10E disse: Coisa dura pediste; se me vires quando for tomado de ti, assim se te fará; porém, se não, não se fará. 11E sucedeu que, indo eles andando e falando, eis que um carro de fogo, com cavalos de fogo, os separou um do outro; e Elias subiu ao céu num redemoinho. 12O que vendo Eliseu, clamou: Meu pai, meu pai, carros de Israel e seus cavaleiros! E nunca mais o viu; e, tomando das suas vestes, as rasgou em duas partes. 13Também levantou a capa de Elias, que lhe caíra; e voltou-se e parou à borda do Jordão. 14E tomou a capa de Elias, que lhe caíra, e feriu as águas, e disse: Onde está o Senhor, Deus de Elias? Então, feriu as águas, e se dividiram elas para uma e outra banda; e Eliseu passou."
O Espiritismo diz que João Batista é a reencarnação de Elias.
Porém isso não é verdade. O fato de Elias ter sido elevado aos céus em corpo refuta a idéia espírita de haver ele reencarnado em João Batista. Allan Kardec sintetizou a doutrina da reencarnação da seguinte maneira: "Nascer, morrer; renascer e progredir ainda. Esta é a lei". Se Elias não morreu, não poderia reencarnar. A frase no espírito e virtude de Elias (Lucas 1:17) refere-se ao fato de que João deveria continuar o ministério profético (Mateus 11:14).
Mateus 11:14
"E, se quereis dar crédito, é este o Elias que havia de vir."
Jó 7:9
"Tal como a nuvem se desfaz e passa, aquele que desce à sepultura nunca tornará a subir."
Contradiz esse versículo a doutrina da ressurreição? Não! Mais a frente (Jó 19:26), Jó declara sua esperança na ressurreição.
Jó 19:26
"E depois de consumida a minha pele, ainda em minha carne verei a Deus."
Portanto, o que ele realmente pretendeu ao dizer "nunca tornará ao subir?" o versículo seguinte (v. 10) esclarece: "nunca mais tornará à sua casa". Realmente, os bens materiais não nos voltarão na ressurreição. Aliás, teremos uma vida imortal, com bens que não serão passageiros, mas permanentes (Hebreus 13:14). Jó não está negando sua fé na ressurreição, mas afirmando que as coisas terão a mesma sequência que ele enfrentava nos seus dias de aflição. Também nós não desejaríamos voltar às mesmas aflições! A ressurreição é uma doutrina estabelecida nas Escrituras (Daniel 12:2; 1 Coríntios 15:22; Apocalipse 20:4-6). O Senhor ensinou que todos os que estão nos sepulcros ouvirão a sua voz e serão ressuscitados (João 5:28-29).
João 5:28-29
"Não vos maravilheis disso, porque vem a hora em que todos os que estão nos sepulcros ouvirão a sua voz. E os que fizeram o bem sairão para a ressurreição da vida; e os que fizeram o mal, para a ressurreição da condenação."
Hebreus 9:27
"E, como aos homens está ordenado morrerem uma vez, vindo, depois disso, o juízo,"
A principal doutrina do Espiritismo é a reencarnação, porém, além do que já abordamos anteriormente, o versículo de Hebreus 9:27 nos ensina que há somente uma oportunidade de salvação e esta é enquanto temos vida (Isaías 55:6-7; 2 Coríntios 6:2). Depois da morte segue-se o juízo e os estados finais são irreversíveis (Lucas 16:19-31; Mateus 25:34,41,46)
Isaías 55:6-7
"6Buscai ao Senhor enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto. 7Deixe o ímpio o seu caminho, e o homem maligno, os seus pensamentos e se converta ao Senhor, que se compadecerá dele; torne para o nosso Deus, porque grandioso é em perdoar."
2 Coríntios 6:2
"(Porque diz: Ouvi-te em tempo aceitável e socorri-te no dia da salvação; eis aqui agora o tempo aceitável, eis aqui agora o dia da salvação.);"
Resgate
Mateus 20:28
"bem como o Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir e para dar a sua vida em resgate de muitos."
O Espiritismo afirma que a missão de Cristo não foi resgatar a humanidade por meio de seu sangue. "Não, a missão de Cristão não foi resgatar, com o seu sangue, os crimes da humanidade. O sangue, mesmo de um Deus, não seria capaz de resgatar ninguém. Cada qual deve resgatar-se a si mesmo" (Cristianismo e Espiritismo. FEB. 7º Edição, 1978, p.85)
Porém isso é um dos maiores enganos da doutrina espírita. A Bíblia declara que a missão de Cristo foi justamente redimir a humanidade pela sua morte na cruz (João 1:29; 1 Pedro 2:24;1 João 1:7-9; 1 João 2:1-2).
João 1:29
"No dia seguinte, João viu a Jesus, que vinha para ele, e disse: Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo."
1 Pedro 2:24
"levando ele mesmo em seu corpo os nossos pecados sobre o madeiro, para que, mortos para os pecados, pudéssemos viver para a justiça; e pelas suas feridas fostes sarados."
1 João 1:7-9
"7Mas, se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo pecado.8Se dissermos que não temos pecado, enganamo-nos a nós mesmos, e não há verdade em nós. 9Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça."
1 João 2:1-2
"1Meus filhinhos, estas coisas vos escrevo para que não pequeis; e, se alguém pecar, temos um Advogado para com o Pai, Jesus Cristo, o Justo. 2E ele é a propiciarão pelos nossos pecados e não somente pelos nossos, mas também pelos de todo o mundo."
O homem não pode redimir-se a si mesmo através de suas obras (Salmos 49:6-8, 15).
Salmos 49:6-8
"6Aqueles que confiam na sua fazenda e se gloriam na multidão das suas riquezas, 7nenhum deles, de modo algum, pode remir a seu irmão ou dar a Deus o resgate dele 8(pois a redenção da sua alma é caríssima, e seus recursos se esgotariam antes);"
Salmos 49:15
"Mas Deus remirá a minha alma do poder da sepultura, pois me receberá."
A razão humana não consegue admitir que a salvação é uma dádiva exclusiva de Deus (Efésios 2:8-9). O ser humano quer salvar-se a si próprio lançando mão de sua capacidade, sabedoria e razão. Segundo a Bíblia, a palavra da cruz é loucura para os que perecem (1 Coríntios 1:18-25).
Efésios 2:8-9
"8Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isso não vem de vós; é dom de Deus. 9Não vem das obras, para que ninguém se glorie."
Ressurreição
Lucas 24:6-7
"Não está aqui, mas ressuscitou. Lembrai-vos como vos falou, estando ainda na Galiléia, 7dizendo: Convém que o Filho do Homem seja entregue nas mãos de homens pecadores, e seja crucificado, e, ao terceiro dia, ressuscite."
Os espíritas negam a ressurreição corporal de Jesus, fazendo coro com as Testemunhas de Jeová. Afirma que: "depois da ressurreição, quando quis deixar a terra, não tornou a morrer; seu corpo elevou-se, apagou-se e desapareceu, sem deixar vestígio algum...Jesus teve, pois, como toda a gente, um corpo carnal e um corpo fluídico..."
Porém, essa é outras das grandes mentiras em que algumas doutrinas, entre elas a doutrina espírita, se apoiam. A Bíblia declara a ressurreição corporal de Jesus (Lucas 24:1-3).
Lucas 24:1-3
"1E, no primeiro dia da semana, muito de madrugada, foram elas ao sepulcro, levando as especiarias que tinham preparado. 2E acharam a pedra do sepulcro removida. 3E, entrando, não acharam o corpo do Senhor Jesus."
Jesus afirmou que ressuscitaria corporalmente em João 2:19-22.
João 2:19-22
"19Jesus respondeu e disse-lhes: Derribai este templo, e em três dias o levantarei. 20Disseram, pois, os judeus: Em quarenta e seis anos, foi edificado este templo, e tu o levantarás em três dias? 21Mas ele falava do templo do seu corpo. 22Quando, pois, ressuscitou dos mortos, os seus discípulos lembraram-se de que lhes dissera isso; e creram na Escritura e na palavra que Jesus tinha dito."
Quando ressuscitou e as mulheres foram levar especiarias encontraram o túmulo vazio e foram informadas pelos anjos que Ele havia ressuscitado. Posteriormente, apareceu aos discípulos, mostrando-lhes mãos e pés como prova evidente da Sua ressurreição (Lucas 24:36-39), comeu diante deles (Lucas 24:36-41).
Lucas 24:36-41
"36E, falando ele dessas coisas, o mesmo Jesus se apresentou no meio deles e disse-lhes: Paz seja convosco. 37E eles, espantados e atemorizados, pensavam que viam algum espírito. 38E ele lhes disse: Por que estais perturbados, e por que sobem tais pensamentos ao vosso coração? 39Vede as minhas mãos e os meus pés, que sou eu mesmo; tocai-me e vede, pois um espírito não tem carne nem ossos, como vedes que eu tenho. 40E, dizendo isso, mostrou-lhes as mãos e os pés. 41E, não o crendo eles ainda por causa da alegria e estando maravilhados, disse-lhes: Tendes aqui alguma coisa que comer?"
Negar a ressurreição corporal de Jesus é pregar outro Evangelho (Gálatas 1:9; 1 Coríntios 15:3-4; 1 Coríntios 15:14-17). A ressurreição de Jesus é doutrina fundamental do cristianismo.
1 Coríntios 15:14-17
"14E, se Cristo não ressuscitou, logo é vã a nossa pregação, e também é vã a vossa fé. 15E assim somos também considerados como falsas testemunhas de Deus, pois testificamos de Deus, que ressuscitou a Cristo, ao qual, porém, não ressuscitou, se, na verdade, os mortos não ressuscitam. 16Porque, se os mortos não ressuscitam, também Cristo não ressuscitou. 17E, se Cristo não ressuscitou, é vã a vossa fé, e ainda permaneceis nos vossos pecados."
Satanás
1 Pedro 5:8
"Sede sóbrios, vigiai, porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar;"
O Espiritismo declara que Satanás não existe como pessoa espiritual. É apenas uma personificação do mal. Os espíritas afirmam: "Satã, segundo o Espiritismo é a opinião de muitos filósofos cristãos, não é um ser real; é a personificação do mal" (O que é o Espiritismo. Edicação indicada. p.297)
Essa é outra mentira da doutrina espírita. Satanás é uma pessoa espiritual que pode falar, arquitetar e fazer armadilhas com o propósito de ludibriar os homens, é adversário de Deus e dos homens (Mateus 4:1-10; João 8:44; 2 Coríntios 2:10-12; 2 Coríntios 4:4; Efésios 6:12). A Bíblia declara a respeito dele em 1 João 3:8.
1 João 3:8
"Quem comete o pecado é do diabo, porque o diabo peca desde o princípio. Para isto o Filho de Deus se manifestou: para desfazer as obras do diabo."
A Bíblia declara ainda o fim do diabo em Apocalipse 20:10.
Apocalipse 20:10
"E o diabo, que os enganava, foi lançado no lago de fogo e enxofre, onde está a besta e o falso profeta; e de dia e de noite serão atormentados para todo o sempre"
Glória a Deus! Chegamos ao final de mais um estudo. Agradeço ao Senhor Jesus por nos abençoar com a verdade. Para você que tem ingressado no Espiritismo, saiba que o Senhor Jesus quer libertá-lo e deseja que você ande no verdadeiro caminho à salvação.
Indique este estudo a todos os seus amigos. Que Deus continue nos abençoando para que nunca paremos de evangelizar e anunciar a Palavra de Deus...

Bispo. Capelão/Juiz. Mestre e Doutor em Ciência da Religião Dr. Edson Cavalcante.

0 comentários:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.