Subscribe:

sábado, 10 de outubro de 2015

ESTUDO APRENDENDO COM DAVI A SER O FRUTO DA OLIVEIRA NA CASA DE DEUS...


ESTUDO APRENDENDO COM DAVI A SER O FRUTO DA OLIVEIRA NA CASA DE DEUS...
"Mas eu sou como a oliveira verde na casa de Deus; confio na misericórdia de Deus para sempre, eternamente". 

Quando li este texto na bíblia fiquei curioso porque Davi disse querer ser uma azeitona e passei então a buscar o significado  e para compreender  dediquei-me a realizar uma pesquisa mais abrangente, sobre a oliveira. Esta planta já cultivada pelos israelitas no período contemporâneo ao Rei Davi possuía características multiformes em se tratando das aplicações de seu fruto. Informações obtidas por instituto de pesquisa cristã localizado em Israel dão conta de que; A azeitona, fruto da oliveira era a matéria prima utilizada para produzir quatro tipos de azeite. A extração era processada em uma grande prensa, composta de uma tora de madeira maciça e quatro grandes pedras. Nela era depositada as azeitonas e, em seguida, a primeira pedra quando deslocada apertava as azeitonas e extraia o primeiro azeite, o especial, obtido para uso no templo para a unção e a adoração ao Senhor, o Deus de Israel.
Com o peso da segunda pedra era extraído o segundo azeite. Este era para aplicação alimentar. Com o peso da terceira pedra era extraído o terceiro azeite e, este era destinado à iluminação, era uma espécie de combustível utilizado para abastecer as lâmpadas, principal instrumento de iluminação, também naquele tempo. Com o peso da quarta pedra na prensa extraia-se um quarto azeite misturado ao farelo da azeitona, uma massa de resíduo final da prensagem, que era utilizada para fabricar o sabão.
Com estas informações podemos nos remeter aos tempos do rei Davi, mais ou menos 3000 anos passados e entender a sua expressão: Sou uma azeitona na casa de Deus! Ele queria estar na presença de Deus sem que pudesse produzir algo para Deus.
Quantos podem repetir a expressão do patriarca Davi? Sou como a oliveira que floresce na casa de Deus! A análise desta expressão em um plano espiritual é muito profunda, e Deus certamente estará tratando a sua vida com esta mensagem!
O primeiro azeite: Observem que ele era o especial, era levado para o templo do gloria de Deus. Sua aplicação era na unção e na adoração ao Senhor. A lição que aprendemos aqui é; O melhor de nossa vida é para o Senhor.
1º Coríntios 10.31, Portanto, quer comais, quer bebais, ou façais outra coisa qualquer, fazei tudo para gloria de Deus.
Davi sabia que o primeiro óleo era para altar de Deus para a unção e para consagração do altar então entendia que o melhor da vida tinha que ser para Deus. Como as azeitonas o Espírito Santo ele nos levará para uma condição de perfeitos adoradores seremos como aqueles que Jesus mencionou serem procurados pelo Pai. João 4.23-24, Mas vem a hora, e já chegou, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade, pois o pai procura a tais que assim o adorem.
Quando passamos pela prensa de Jeová e de nós flui o óleo do Espírito a nossa adoração é perfeita, temos alegria em tudo que fazemos na casa do Senhor, a casa do Senhor não é mais vista como um mero local de reuniões sociais cristãs e mecânicas. Ha. unção em tudo que fazemos; se cantarmos, orarmos ou pregarmos à manifestação do poder de Deus. É isto que acontece quando nós saímos como, o primeiro azeite da prensa de Jeová. Quantos nós temos dado o melhor para Deus
O segundo azeite: O segundo azeite obtido era para uso na alimentação. Davi compreendia que deveria ser alimento para Israel. Aqueles que recebem este tratamento espiritual neste segundo estágio, além de ser alimentado, recebem também de Deus para servir a comida espiritual.
Atos 10.1-4 Havia em Cesárea um homem por nome Cornélio, centurião da corte chamada Italiana, piedoso e temente a Deus com toda a sua casa, o qual fazia muitas esmolas ao povo, e de continuo orava a Deus. Este, quase à hora nona, viu claramente, numa visão, um anjo de Deus, que se dirigia para ele e dizia: Cornélio! Cornélio fixando nele os olhos, e muito atemorizado, perguntou-lhe que é, Senhor? Respondeu-lhe o anjo: as tuas orações e as tuas esmolas têm subido para memória diante de Deus.
A palavra de Deus é alimento, quando a ouvimos, estamos comendo o pão dos céus. Mas as orações de louvor que fazemos, os hinos que cantamos, nossas ofertas e os sacrifícios de jejuns são atitudes espirituais que chegam até o Senhor com o cheiro suave, assim como também chegavam os sacrifícios que eram oferecidos sobre o altar pelos homens de Deus do passado.
Podemos também observar o poder da alimentação trazida pelo Espírito, remetendo-nos aos dias da igreja primitiva. Lá estava ela; tímida e cabisbaixa, enclausurada no cenáculo a esperar pela promessa. O Espírito Santo chegou e encheu o cenáculo com um vento veemente e línguas de fogo repartidas sobre os cristãos. Eles foram totalmente tomados de poder e quando saem do cenáculo vão para as ruas de Jerusalém, agora estão alimentados; cheio do Espírito e de ousadia. Pedro publicamente vai servir o alimento; a palavra do evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo, composta com o azeite do Espírito Santo. Só de uma vez, quase 3000 almas foram alimentadas e alcançadas por Cristo
Quando descemos da prensa de Jeová neste segundo estágio temos forças espirituais para vencer as doenças, os problemas e resistimos a Satanás e, ele foge de nós. Os enfermos são curados, assim como Pedro ordenou em nome de Cristo a cura do paralítico que pedia esmola na porta do templo que se chamava formosa. Pedro cheio da unção diz para o paralítico; nós não temos ouro e nem prata, mas o que temos isto nós te damos; levanta e anda em nome do Senhor. Aquele homem ficou curado, entrou para o templo saltando, glorificando a Deus e exclamando; fiquei curado pelo poder de Deus.
Ser uma azeitona na casa de Deus, é poder alimentar e também compor o alimento com a nossa fé e alegria, é viver e ser uma benção.
Terceiro azeite: O terceiro azeite era utilizado como combustível para as lâmpadas.
Filipenses 2.15, Para que sejam irrepreensíveis e sinceros filhos de Deus inculpáveis no meio de uma geração corrompida e perversa, entre a qual resplandeceis como astros no mundo.
Davi sabia que ele tinha que ser luz para Israel e grande a responsabilidade que temos como lâmpada que somos. Jesus disse para os seus discípulos, algo que hoje se aplica à sua igreja; vós sois a luz do mundo. Temos que brilhar nas trevas. Os ímpios são as trevas e estão em trevas e, eles têm que ver a luz em nós. Nossas atitudes têm que refletir esta luz. O conselho do apóstolo Paulo para os cristãos de Filipo, é: sejais irrepreensíveis, isto é não necessitar de correção, é ser um autentico padrão da fé e do amor cristão. Assim o cristão reflete o brilho do Espírito Santo e satanás não pode atingi-lo com suas flechas e seus dardos inflamados, os seus olhos ficam ofuscados, impedidos de ver o alvo, e ele é derrotado.
Quarto azeite: O quarto azeite era extraído impregnado ao resíduo que sobrava de todas as prensagens, essa massa final era utilizada como componente principal para a obtenção de um tipo de sabão. Davi sabia que tinha que ser santificar e o sabão representa limpeza espiritual estar limpo pelo sangue de Jesus que representa o sabão é bom considerar que na visão espiritual o sabão também aqui é o Espírito Santo, este atuando juntamente com água que é a Palavra de Deus, produz a purificação para a nossa vida.
Tiago 4.8-10 Chegai-vos a Deus, e ele se chegará até vós. Lavai as mãos, pecadores e vós de duplo ânimo, purificai os corações.
Para Nos limparmos fisicamente precisamos de água e sabão. Na visão espiritual, a limpeza para ser completa tem que ser feita com a palavra e o Espírito.
Alguns cristãos não consideram a autoridade do Espírito Santo, lêem a Bíblia, organizam sermões até emocionantes, mas não atingem o objetivo principal que é oferecer a salvação e a libertação concedida pelo Senhor a todos quantos houve a sua palavra e são selados pelo Espírito. Jesus disse; é necessário nascer da água e também tem que nascer do Espírito.
Conclusão:
Aceitar ser tratado na prensa de Jeová, é um ato de fé. Este processo é semelhante ao da tribulação, Você sabe o que é tribulação no sentido literário da palavra? Esta palavra advém de um vocábulo do latim; tribulum, ela está relacionada a uma grade mecânica utilizada até a idade medieval, para apurar o trigo no processo de moagem. Passar por tribulações, é ser moído, é ser experimentado e provado e aquele que são aprovados como o bom trigo, é muito abençoado.
Romanos, 5. 3-4, Não somente isto, mas também nos gloriamos nas tribulações, sabendo que a tribulação produz perseverança e a perseverança a experiência e a experiência esperança.
Quando o cristão passa por uma tribulação, ele procura a casa de Deus, ora intensamente e é determinado a vencer, é tratado pela palavra de Deus e pelo Espírito Santo, sua fé o leva a vitória e ele, renovado, ama e espera com alegria a volta de Cristo.
O patriarca Davi, sabia o que estava dizendo. Eu sou como a azeitona na casa de Deus porque quero servir ao meu Pai de todo o meu coração...
Bispo. Capelão/Juiz. Mestre e Doutor em Ciência da Religião Dr. Edson Cavalcante


0 comentários:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.