Subscribe:

terça-feira, 22 de setembro de 2015

ESTUDO BÍBLICO SOBRE OS GAFANHOTOS DO LIVRO DE JOEL...


                     ESTUDO BÍBLICO SOBRE OS GAFANHOTOS DO LIVRO DE JOEL...
Joel 1:4 "O que deixou o gafanhoto cortador comeu-o o gafanhoto migrador; e o que deixou o migrador comeu-o o gafanhoto devorador; e o que deixou o gafanhoto devorador comeu-o o gafanhoto destruidor". Estes gafanhotos cortador, migrador, devorador e destruidor, agem na agricultura, com um poder de extermínio muito grande e cada tipo de gafanhoto tem mais força do que o outro. O gafanhoto Cortador O gafanhoto cortador mora na lavoura, e o agricultor fica desesperado tentando expulsa-lo, usando todos os meios possíveis e imaginários para se livrar dele, mas é tudo em vão. A casa do cortador é a lavoura: inseticidas, nenhum outro veneno agrotóxico, nem pessoas tocando-os, nada os tiram da lavoura; é uma praga violenta. O gafanhoto cortador tem o poder de cortar parte do fruto, não o deixando cem por cento, sempre comendo uma parte, ele têm o poder de “bichar”, estragar um pedaço do fruto. O agricultor nunca colhe o fruto por completo. Os agricultores têm feito de tudo para se livrarem deste prejuízo, mas a ação do gafanhoto cortador é arruinar parte da lavoura. O gafanhoto Migrador O Migrador é um tipo diferente de gafanhoto, ele já não mora na lavoura, mas voa em bandos, de lugar para lugar, agindo de surpresa, comendo mais um pedaço do fruto. O cortador, já tinha levado uma parte, agora chega o migrador e leva mais um pouco. Este gafanhoto chega à lavoura faz seu serviço e vai embora. Aumentando o prejuízo para o agricultor. O Gafanhoto Devorador O gafanhoto devorador, já é um tipo mais violento; quando ele chega à lavoura, o agricultor já não pode mais vender o fruto (o produto) porque já está todo estragado, se sobra alguma coisa é de muito pouco valor para vender; este gafanhoto, tem o poder de levar o agricultor a falência, o prejuízo é certo. O que ele colhe não vale nada; não há colheita nem para sua própria subsistência. O Gafanhoto Destruidor O gafanhoto Destruidor é o bando que possui maior poder de extermínio, quando ele chega à lavoura, ele arrasa cem por cento, ele tem o poder dos escorpiões, que são capazes de ferir inclusive o agricultor, matando-o com o seu veneno. Este gafanhoto não age apenas na lavoura, mas também no agricultor, na sua casa, na sua saúde, destruindo tudo o que pode, até provocando desastres terríveis. A descrição do Profeta Joel Estratégia de guerra - Joel 2:4-11 O Profeta Joel disse que: os dentes destes gafanhotos são como dentes de leões, numerosos e poderosos, seus queixos são fortes como de leões, que não se cansam de trabalhar, destruindo dia e noite. Agem com estratégia de guerra, correm como soldados valentes, não se desviam de seus propósitos de destruição, espalham medo e terror aos agricultores, cada bando de gafanhotos percorre o seu caminho, e na se desvia da sua fileira de combate. A ação específica dos gafanhotos Joel 1:7 “Fez da minha vide uma assolação, destroçou a minha figueira, tirou-lhe a casca, que lançou por terra; os Sarmentos se fizeram brancos”. O Profeta Joel fala de maneira clara, sobre a ação dos gafanhotos na videira. O Cortador vem assolando a videira, ou seja, comendo-lhe as folhas, já o Migrador, vem destroçando a videira, quebrando-lhe os galhos. O gafanhoto Devorador, já age com poder de tirar a casca da videira e quando isso acontece, a videira perde o poder e a força de produção, ela se torna estéril. E finalmente vem o gafanhoto Destruidor, e lança a videira por terra matando-a. As conseqüências Joel 1:1-2 Estes gafanhotos agem deixando como resultado: vergonha, dor, lamento, pranto, luto e morte. Deixam à terra assolada, o cereal destruído, a videira seca, as olivas murchas e semeam tristeza entre os homens. Os agricultores que após a colheita tinham alegria de oferecer no altar de Deus uma oferta de gratidão, já não podiam fazê-lo, e por consequência, os ministros ficam impedidos de fazer a obra de Deus. A semente mirrou debaixo dos seus torrões, os celeiros foram assolados, os armazéns derribados. O gado gemia de fome e de sede porque não havia pastos, as árvores morrendo, fez com que os rios se secassem. “Antes de esses gafanhotos chegarem, o profeta Joel dizia que a terra diante deles era como o jardim do Éden, tudo verde e bonito, mas quando eles passam transformam a terra, “o Jardim do Éden” num deserto, e nada lhe escapam”...

Bispo. Capelão/Juiz. Mestre e Doutor em Ciência da Religião Dr. Edson Cavalcante.


0 comentários:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.