Subscribe:

sexta-feira, 5 de junho de 2015

ESTUDO DE JOELHO AOS PÉS DA CRUZ...


                                          ESTUDO DE JOELHOS AOS PÉS DA CRUZ...
Lucas 23. 33-48 
Se você estivesse prestes a morrer, o que você falaria para os seus entes queridos, para as pessoas que estivessem à sua volta? Certamente não seriam palavras jogadas ao vento, seriam palavras cuidadosamente escolhidas.
Quem tem a oportunidade de presenciar os últimos momentos de vida de uma pessoa, inclusive de alguém que está agonizando antes de morrer, fica atento e impressionado pelas últimas palavras de tal pessoa.
A crucificação de Jesus Cristo e Sua ressurreição são os dois mais importantes eventos da história humana. Por quê? Por causa da morte de Cristo, a raça humana tem a oportunidade de obter salvação eterna.

Todos os quatro Evangelhos do Novo Testamento falam da crucificação de Cristo. Esses autores nos dão narrativas gráficas da prática da Roma antiga.
            Veja aqui alguns dos pontos principais da crucificação:
            1. Jesus foi preso no Jardim do Getsêmani (Marcos 14:43-52).
            2. Jesus passou por seis julgamentos – três por líderes judeus e três pelos romanos (João 18:12-14, Marcos 14:53-65, Marcos 15:1a, Marcos 15: 1b-5, Lucas 23:6-12, Marcos 15:6-15). Jesus sofreu espancamento, açoites dolorosos, assim como mangação (Marcos 15:16-20).
            3. Pilatos tentou entrar em um acordo com os líderes judeus ao permitir que espancassem Jesus, mas esse ato não lhes satisfez. Pilatos entregou Jesus para ser crucificado (Marcos 15:6-15).
            4.Jesus foi ridicularizado pelos soldados à medida que O vestiam com uma manta roxa e uma coroa de espinhos (João 19:1-3).
            5. Jesus foi crucificado no Gólgota, que significa Lugar da Caveira. (Marcos 15:22). O céu permaneceu escuro por três horas (Marcos 15:33).
            6. Jesus clamou: "Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito. E, havendo dito isto, expirou" (Lucas 23:46).
Ali Jesus enfrentou duras provas. Foi julgado e condenado de um modo injusto pelos homens, sofreu afrontas e foi pregado no madeiro. A declaração do autor aos Hebreus nos ajuda a entender a cruz ao afirmar que "sem derramamento de sangue não há remissão" (Hb 9.22). Na cruz Jesus, o Senhor, derramou o Seu sangue, a Sua vida a fim de que encontrássemos a redenção, a reconciliação do pecador com o Criador. Jesus, estando na cruz, proferiu algumas frases, as quais são grande ensino para a nossa vida. Convido-o a colocar-se sob a cruz, aos pés da cruz, e ouvirmos as palavras de Jesus.
            1. Aos pés da cruz ouvimos um brado de dor: Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?
Houve um intenso sofrimento físico pelo qual Jesus passou. Açoite, coroa de espinhos, carregar o madeiro e as dores dos pregos cravados nos punhos e nos pés. Contudo, este não foi o maior sofrimento enfrentado pelo Salvador. A bíblia nos lembra das manifestações cósmicas naquele momento. A escuridão tomou conta da terra, lembrando-nos que o juízo de Deus caía sobre o Substituto dos homens na cruz. Sobre o Cordeiro de Deus caía o peso de todo o pecado, o peso de toda culpa da humanidade. Cumpriam-se as palavras de Isaías e Jesus foi "traspassado por nossas transgressões e moído pelas nossas iniquidades". O pecado faz separação entre nós e Deus (Is. 59.2) e naquele momento o Cristo sentiu a dor da separação. Certo pastor afirmou: "Amaldiçoado, Jesus precisava suportar a solidão do pecado e da condenação, suportando a angústia do inferno, separado de Deus". É impossível compreender esse sofrimento. Mas, para os que são salvos, só resta-nos louvá-Lo, pois jamais enfrentaremos tal dor. Ele o fez por nós!
            2. Aos pés da cruz ouvimos um brado de satisfação: Está consumado!
 Que maravilhosa declaração: Está consumado! Não é afirmação de alguém que foi derrotado, mas a declaração de satisfação por completar o que veio cumprir. Ela resume toda a obra de Cristo. Foi feito o que era preciso fazer! O preço foi pago! Este é o sentido. A Lei de Deus estava plenamente cumprida e a Sua justiça satisfeita. Aquele grito queria dizer que a dívida estava paga. Por isso Paulo declara que não há mais condenação para os que estão em Cristo Jesus e que o escrito de dívida foi cancelado! (Rm 8.1 e Col. 2.14). A dívida satisfeita foi a dívida do nosso pecado. Porque o salário do pecado é a morte (Rm 6.23a). Mas, o dom gratuito de Deus é a vida eterna! (Rm 6.23b). Aleluia! A dívida foi paga e o pecado dos que crêem foi cancelado!
            3. Aos pés da cruz ouvimos um brado de perdão: Pai perdoa-lhes, porque não sabem o fazem.
Quando chegou ao lugar chamado Calvário, ali o crucificaram, bem como aos malfeitores, um à direita, outro à esquerda. Contudo, Jesus dizia: Pai perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem. Então, repartindo as vestes dele, lançaram sortes.
A crucificação de Cristo somente ocorreu por causa do nosso pecado. Se não fosse por nosso pecado, Jesus não teria que morrer na cruz. Ele nos lembra deste propósito, ao perdoar aqueles que o crucificaram. Primeiramente, foram aqueles que cravaram os pregos em seu corpo. Foram também aqueles que o julgaram e condenaram injustamente. Mas, nenhum de nós escapa da responsabilidade que o nosso pecado teve e tem na morte de Jesus. A primeira palavra de Jesus é a palavra de Perdão.
Jesus dirige-se ao Pai e intercede pela multidão. Multidão que se aglomerava para ver o espetáculo da crucificação. Multidão que O seguia em busca de pão, de curas e milagres. Multidão que O aclamou na entrada de Jerusalém, a mesma que gritava: Crucifica-O! E, agora, multidão que assistia Sua morte na cruz. Em nenhum momento Jesus declarou ser a multidão inocente, mas clamou pelo perdão do Pai. Perdão que poderia ser aplicado com base no Seu sofrimento e na satisfação da justiça de Deus pelo Seu sacrifício.       
            4. Aos pés da cruz ouvimos uma palavra de Salvação.
Um dos malfeitores crucificados blasfemava contra ele, dizendo: Não és tu o Cristo? Salva-te a ti mesmo e a nós também. Respondendo-lhe, porém, o outro, repreendeu-o, dizendo: Nem ao menos temes a Deus, estando sob igual sentença? Nós, na verdade, com justiça, porque recebemos o castigo que os nossos atos merecem; mas este nenhum mal fez. E acrescentou: Jesus lembra-te de mim quando vieres no teu reino. Jesus lhe respondeu: Em verdade te digo que hoje estarás comigo no paraíso.
Embora estivesse agonizando na cruz, e podia deixar de atender a qualquer um, ele se preocupou em assegurar um pecador ao seu lado de que teria sim, salvação para ele devido ao reconhecimento do pecado dele e da sua fé em Jesus. A segunda palavra de Jesus na cruz é a palavra de Salvação
            5. Aos pés da cruz ouvimos uma palavra de Amor.
Vendo Jesus sua mãe e junto a ela o discípulo amado, disse: Mulher, eis aí teu filho. Depois, disse ao discípulo: Eis aí tua mãe. Dessa hora em diante, o discípulo a tomou para casa. Por que Jesus não deixou a sua mãe para os cuidados dos próprios irmãos?
            1. Os próprios irmãos e até a mãe não aceitaram a missão dele.
            2. Nenhum dos irmãos de Jesus o acompanhou até a cruz.
            3. Jesus deixou a mãe dele com o discípulo mais próximo – João.
Jesus valorizava família, mas, a família verdadeira é a de Cristo. A terceira palavra na cruz é a palavra de Amor
            6. Aos pés da cruz ouvimos uma palavra de angústia emocional.

Por volta da hora nona, clamou Jesus em alta voz, dizendo: Eli, Eli, lamá sabactâni? O que quer dizer: Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste? (Salmo 22)
Jesus, apesar de ser filho de Deus, passou por tudo que um ser humano passa, e do pior, para ser nosso Salvador. Para que não duvidássemos de quanto ele participou, fisicamente, emocionalmente, e de todas as formas em nosso estado físico e mental, temos dele aqui a palavra de angústia emocional.
O autor Arthur W. Pitt descreve a crucificação dessa forma: "Com as costas sangrentas, carregando Sua cruz sob o calor do meio-dia, Ele (Jesus) caminhou às alturas do Gólgota. Alcançando o lugar selecionado de execução, Suas mãos e pés foram pregados à Madeira. Por três horas, Ele ficou pendurado com fortes raios de sol sendo lançados à Sua cabeça machucada com uma coroa de espinhos. Depois disso, escuridão tomou conta pelas próximas três horas. Aquela noite e dia foi horas nas quais uma eternidade foi resumida.”.
O Salvador do mundo tinha emergido de três horas de escuridão, durante as quais Ele estava separado do Deus Pai. Por que Deus Pai tinha se afastado dEle? É contra o caráter de Deus encarar o pecado, então Deus se retirou de qualquer comunicação com Seu Filho enquanto Jesus carregava a culpa pelos pecados do mundo.
            7. Aos pés da cruz ouvimos uma palavra de sofrimento físico.
Depois, vendo Jesus que tudo já estava consumado, para se cumprir a Escritura, disse: Tenho sede! (Salmo 22)
Uma das maiores heresias de todos os tempos sempre foi a de que Jesus não morreu fisicamente. Existem várias teorias, mas todos dão no mesmo – de que Jesus não sofreu como ser humano na cruz. A palavra de sofrimento físico nos lembra que ele sofreu sim, e sentiu as mesmas carências físicas que nós sentimos.
            8. Aos pés da cruz ouvimos uma palavra de Vitória.
Estava ali um vaso cheio de vinagre. Embebeu de vinagre uma esponja e, fixando-a num caniço de hissopo, lhe chegaram à boca. Quando, pois, Jesus tomou o vinagre, disse: Está consumado!...
Embora Jesus agonizasse por pelo menos seis horas no processo de tortura chamada de crucificação, ele nunca esqueceu seu propósito. Ele nos lembra com esta palavra vitoriosa, de que a sua missão foi cumprida. Ele aguentou até o fim. Agora temos a palavra de Vitória.
            9. Aos pés da cruz ouvimos uma palavra de Fé.
Então, Jesus clamou em alta voz: Pai, nas tuas mãos, entrego o meu espírito! E, dito isto, expirou.
A morte física, e o que espera o ser humano do outro lado da morte é uma das dúvidas que mais atormenta a alma do ser humano. Puder enfrentar este momento com paz e convicção é sinal de grande fé. Quantos de nós hoje podemos dizer que estamos prontos a partir? Jesus sinalizou o tamanho da sua confiança no Pai, ao terminar a sua vida aqui com a palavra de Fé.
Que estas palavras de Jesus, e o seu significado eterno estejam sempre lembrados por todos que depositam a sua fé em Jesus, o nosso Senhor e Salvador.
 Apesar da nossa angústia emocional ou sofrimento físico, podemos encontrar conforto, esperança, e convicção nas palavras de Jesus de Perdão, Salvação, Amor, Vitória, e Fé. Que até as últimas palavras de Jesus na cruz sejam sempre lembradas e guardas por aqueles que nEle creem. Como é grande o amor que Jesus tem por nós!
            Conclusão
Precisamos de salvação, porque o pecado é um vírus replicaste que tem tomado conta da raça humana. O pecado destrói nossos relacionamentos com Deus, como os outros seres humanos e também a imagem que temos de nós mesmos. Precisamos de salvação, porque o pecado nos torna inaceitável na presença santa de Deus. Por isso, se não formos alcançados por essa salvação, nosso destino eterno é o inferno, a eterna separação do amor de Deus.

O plano de Deus para essa salvação encontrou seu ápice na Cruz de Cristo. Por isso não é possível compreender a Cruz sem antes compreender o estado lastimoso em que nos encontramos...
Bispo. Capelão/Juiz. Mestre e Doutor em Ciência da Religião Dr. Edson Cavalcante.


0 comentários:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.