Subscribe:

quarta-feira, 29 de abril de 2015

ESTUDO AS SETE TAÇAS DA IRA DE DEUS...


ESTUDO AS SETE TAÇAS DA IRA DE DEUS...

“Vi no céu outro sinal grande e admirável: sete anjos tendo os sete últimos flagelos, pois com estes se consumou a cólera de Deus.” Apocalipse 15:1

Parece haver uma certa inquietação por parte de alguns estudiosos das Escrituras no que diz respeito à cronologia do livro do Apocalipse. De fato, a compreensão da cronologia do Apocalipse foi escrita em mistério, porém não para os Cristãos. E embora admitamos que exista uma considerável dose de dificuldade a fim de compreendermos esta cronologia, isto não deve ser, de modo nenhum, motivo de temor ao se estudar e pregar sobre o Apocalipse.

Por motivos que estão além dos limites da nossa compreensão, e também além do que nos diz respeito, pois Deus é a Autoridade Suprema a quem compete estabelecer tempos ou épocas, e a quem também compete, segundo a sua vontade, nos revelar o que acontecerá daqui pra frente, entendemos que já é chegada a hora em que o Apocalipse precisa ser amplamente desvendado ao povo de Deus, pois que a vinda do Senhor já é muito iminente. E o Apocalipse foi dado à Igreja para preparação para o Dia do Senhor, para consolo, exortação e orientação. Deus já abriu o entendimento do Apocalipse para a Igreja. Nossa parte, isto é, da Igreja, é ler o Apocalipse e seguir as suas orientações, e isto a bem da nossa salvação.

No trecho bíblico a seguir, podemos confirmar nossas palavras, entendendo, porém, que Deus, que reservou tempos e épocas à sua exclusiva autoridade, é o mesmo Deus quem nos desvenda o Apocalipse e que deseja que estejamos plenamente preparados para o Dia do Senhor, o último dia, a fim de que não sejamos pegos de surpresa.

“Então, os que estavam reunidos lhe perguntaram: Senhor, será este o tempo em que restaures o reino a Israel? Respondeu-lhes: Não vos compete conhecer tempos ou épocas que o Pai reservou para sua exclusiva autoridade; mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria e até aos confins da terra. Ditas estas palavras, foi Jesus elevado às alturas, à vista deles, e uma nuvem o encobriu dos seus olhos.” Atos 1:6-9

Em perfeita harmonia com estas palavras, evidentemente, também o Senhor Jesus nos diz que a Igreja é guiada, orientada e instruída pelo Espírito Santo.
“Tenho ainda muito que vos dizer, mas vós não o podeis suportar agora; quando vier, porém, o Espírito da verdade, ele vos guiará a toda a verdade; porque não falará por si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido e vos anunciará as coisas que hão de vir. Ele me glorificará, porque há de receber do que é meu e vo-lo há de anunciar. Tudo quanto o Pai tem é meu; por isso é que vos disse que há de receber do que é meu e vo-lo há de anunciar.” João 16: 12-15
 
O que acabamos de ler é motivo de grande alegria e contentamento, pois podemos ter a plena certeza de fé de que o Espírito de Deus está desvendando ao povo de Deus as coisas que hão de vir, como disse o Senhor Jesus no trecho bíblico citado acima.

Apocalipse 15

“Vi no céu outro sinal grande e admirável: sete anjos tendo os sete últimos flagelos, pois com estes se consumou a cólera de Deus. Vi como que um mar de vidro, mesclado de fogo, e os vencedores da besta, da sua imagem e do número do seu nome, que se achavam em pé no mar de vidro, tendo harpas de Deus; e entoavam o cântico de Moisés, servo de Deus, e o cântico do Cordeiro, dizendo: Grandes e admiráveis são as tuas obras, Senhor Deus, Todo-Poderoso! Justos e verdadeiros são os teus caminhos, ó Rei das nações! Quem não temerá e não glorificará o teu nome, ó Senhor? Pois só tu és santo; por isso, todas as nações virão e adorarão diante de ti, porque os teus atos de justiça se fizeram manifestos.” Apocalipse 15:1-4

Pelo que lemos no trecho bíblico acima, a cólera de Deus é algo real, terrível e temível. E Deus haverá de manifestar todo o seu descontentamento e indignação contra toda a rebelião que os homens têm levado a cabo contra ele, desafiando-o e provocando a sua ira, a qual se manifestará de modo terrível quando os sete anjos que têm os sete flagelos da cólera de Deus derramarem sobre a terra estes terríveis flagelos, que são as sete taças da cólera de Deus.

João viu um mar de vidro mesclado com fogo e os vencedores da besta e da sua imagem. Este é o mesmo mar de vidro que ele, João, já havia visto antes, o qual se encontra diante do trono de Deus. João foi levado ao céu de um modo que ele descreve como “eu me achei em espírito”, e descreve o ambiente celestial no qual está o trono de Deus, o qual ele viu e testemunha a respeito.

“Depois destas coisas, olhei, e eis não somente uma porta aberta no céu, como também a primeira voz que ouvi, como de trombeta ao falar comigo, dizendo: Sobe para aqui, e te mostrarei o que deve acontecer depois destas coisas. Imediatamente, eu me achei em espírito, e eis armado no céu um trono, e, no trono, alguém sentado; e esse que se acha assentado é semelhante, no aspecto, a pedra de jaspe e de sardônio, e, ao redor do trono, há um arco-íris semelhante, no aspecto, a esmeralda. Ao redor do trono, há também vinte e quatro tronos, e assentados neles, vinte e quatro anciãos vestidos de branco, em cujas cabeças estão coroas de ouro. Do trono saem relâmpagos, vozes e trovões, e, diante do trono, ardem sete tochas de fogo, que são os sete Espíritos de Deus. Há diante do trono um como que mar de vidro, semelhante ao cristal, e também, no meio do trono e à volta do trono, quatro seres viventes cheios de olhos por diante e por detrás.” Apocalipse 4:1-6

Em Apocalipse 15, é importantíssimo que se note a presença dos vencedores da besta e da sua imagem em pé no mar de vidro que está diante do trono de Deus. Isto nos informa sobre a cronologia destes eventos descritos por João, pois se em cima do mar de vidro que se acha diante do Trono de Deus estão os vencedores da besta, isto é porque a besta já terá surgido e a perseguição final contra os Cristãos estará em pleno curso. E esses vencedores são os que foram mortos durante essa perseguição. Venceram porque não se renderam nem à besta e nem ao ambiente de extrema ferocidade contra os Cristãos que estará em pleno curso nesses dias que se aproximam, sobre os quais João está falando.

O Cântico de Moisés descrito em Apocalipse 15

“E entoavam o cântico de Moisés, servo de Deus, e o cântico do Cordeiro, dizendo: Grandes e admiráveis são as tuas obras, Senhor Deus, Todo-Poderoso! Justos e verdadeiros são os teus caminhos, ó Rei das nações! Quem não temerá e não glorificará o teu nome, ó Senhor? Pois só tu és santo; por isso, todas as nações virão e adorarão diante de ti, porque os teus atos de justiça se fizeram manifestos.” Apocalipse 15:3-4

No Antigo Testamento existe o relato de dois cânticos especiais escritos por Moisés, em Êxodo 15 e em Deuteronômio 31 e 32. Sugerimos que você os leia, a bem de sua melhor compreensão e entendimento do que estaremos explicando a seguir.

O Cântico de Moisés em Êxodo 15 é um Cântico profético, ao mesmo tempo em que também se refere à vitória de Deus sobre Faraó e seus exércitos, quando Deus, por intermédio de Moisés, fez sair seu povo da escravidão do Egito. A vitória de Deus sobre Faraó e seus exércitos, literalmente reais naquele tempo, simbolizam a vitória final do Senhor Jesus Cristo e de seu povo sobre Satanás e seus anjos, quando Deus removerá sua Igreja da Terra, e a conduzirá ao seu santuário celestial. Vejamos isto no Cântico de Moisés em Êxodo15.

“Então, entoou Moisés e os filhos de Israel este cântico ao SENHOR, e disseram: Cantarei ao SENHOR, porque triunfou gloriosamente; lançou no mar o cavalo e o seu cavaleiro. O SENHOR é a minha força e o meu cântico; ele me foi por salvação; este é o meu Deus; portanto, eu o louvarei; ele é o Deus de meu pai; por isso, o exaltarei. O SENHOR é homem de guerra; SENHOR é o seu nome. Lançou no mar os carros de
Faraó e o seu exército; e os seus capitães afogaram-se no mar Vermelho.” Êxodo 15:1-4

A derrota de Faraó e de seus exércitos foi consumada com Faraó e seus exércitos sendo lançados nas profundezas do mar Vermelho, o qual além de se referir ao mar Vermelho que existe entre a África e a Ásia, prefigura de modo profético o Lago de Fogo e Enxofre, no qual Satanás e seus demônios serão lançados por toda a eternidade.

“O diabo, o sedutor deles, foi lançado para dentro do lago de fogo e enxofre, onde já se encontram não só a besta como também o falso profeta; e serão atormentados de dia e de noite, pelos séculos dos séculos.” Apocalipse 20:10

Ainda outras dentre as referências proféticas do Cântico de Moisés, e que apontam para o que está descrito no Apocalipse são os trechos bíblicos a seguir.

“Com a tua beneficência guiaste o povo que salvaste; com a tua força o levaste à habitação da tua santidade.” Êxodo 15:13

“Tu o introduzirás e o plantarás no monte da tua herança, no lugar que aparelhaste, ó SENHOR, para a tua habitação, no santuário, ó Senhor, que as tuas mãos estabeleceram. O SENHOR reinará por todo o sempre.” Êxodo 15:17,18

Isto se refere à introdução do povo de Deus, os Cristãos, no santuário de Deus, que está no céu, se referindo ao lugar da habitação de Deus, ao lugar de sua morada, que, evidentemente, não era na terra de Canaã, aqui neste mundo, pois o Cântico de Moisés diz: “no santuário, ó Senhor, que as tuas mãos estabeleceram”.  Em Apocalipse, este santuário é mencionado 16 vezes, nos Capítulos: 3, 7, 11, 14, 15, 16 e 21.

O Tabernáculo do Testemunho, o Lugar da Habitação de Deus no Céu

“Depois destas coisas, olhei, e abriu-se no céu o santuário do tabernáculo do Testemunho, e os sete anjos que tinham os sete flagelos saíram do santuário, vestidos de linho puro e resplandecente e cingidos ao peito com cintas de ouro. Então, um dos quatro seres viventes deu aos sete anjos sete taças de ouro, cheias da cólera de Deus, que vive pelos séculos dos séculos. O santuário se encheu de fumaça procedente da glória de Deus e do seu poder, e ninguém podia penetrar no santuário, enquanto não se cumprissem os sete flagelos dos sete anjos.” Apocalipse 15:5-8

O Tabernáculo do Testemunho, no Hebraico original das Escrituras, Mishkan ‘Eduwth, era o lugar onde Deus havia ordenado que fosse colocada a Arca da Aliança, o Santo dos Santos, um lugar onde não era lícito a ninguém entrar, senão ao sumo sacerdote.

“No mais interior da casa, preparou o Santo dos Santos para nele colocar a arca da Aliança do SENHOR.” 1 Reis 6:19

No Livro dos Atos dos Apóstolos, o apóstolo Pedro faz uma espetacular explanação sobre o significado do Tabernáculo do Testemunho, explicando que aquele prefigurava a habitação de Deus no céu. Pedro explica e enfatiza que o Tabernáculo do Testemunho que esteve entre os judeus no deserto, o qual havia sido feito segundo Moisés ordenou de acordo com o que Deus lhe havia orientado, e onde estava o Santo dos Santos, permanecendo no Templo que Salomão edificou, apontava para o Tabernáculo Celestial, onde o Senhor Deus habita, o lugar de sua morada eterna.  Pedro deixa claro que o lugar da habitação de Deus não pode ser feito por mãos humanas. Portanto, a abertura do santuário do Tabernáculo do Testemunho no céu, descrito em Apocalipse 15, se refere ao lugar onde Deus habita e de onde sairão os sete anjos com as sete taças da cólera de Deus para serem derramadas sobre a terra.

“O tabernáculo do Testemunho estava entre nossos pais no deserto, como determinara aquele que disse a Moisés que o fizesse segundo o modelo que tinha visto. O qual também nossos pais, com Josué, tendo-o recebido, o levaram, quando tomaram posse das nações que Deus expulsou da presença deles, até aos dias de Davi. Este achou graça diante de Deus e lhe suplicou a faculdade de prover morada para o Deus de Jacó. Mas foi Salomão quem lhe edificou a casa. Entretanto, não habita o Altíssimo em casas feitas por mãos humanas; como diz o profeta: O céu é o meu trono, e a terra, o estrado dos meus pés; que casa me edificareis, diz o Senhor, ou qual é o lugar do meu repouso? Não foi, porventura, a minha mão que fez todas estas coisas?” Atos 7:44-50

A Ira de Deus se inflama e ninguém pode entrar no Santuário até que se cumpram os Sete Flagelos dos Sete Anjos

“O santuário se encheu de fumaça procedente da glória de Deus e do seu poder, e ninguém podia penetrar no santuário, enquanto não se cumprissem os sete flagelos dos sete anjos.” Apocalipse 7:8

Isto também está anunciado no Livro dos Salmos, onde é dito que chegaria o dia em que a ira de Deus se inflamaria, e que a única maneira de se escapar à ira de Deus é beijando o Filho, significando a sujeição e o amor ao Salvador, o único que nos pode perdoar os pecados e nos livrar da ira vindoura.

“Beijai o Filho para que se não irrite, e não pereçais no caminho; porque dentro em pouco se lhe inflamará a ira. Bem-aventurados todos os que nele se refugiam.” Salmos 2:12
 
Esta referência à ira de Deus diz respeito não somente ao momento quando serão derramadas sobre a terra as sete taças da cólera de Deus, quando o santuário celestial se encherá de fumaça procedente da glória de Deus e do seu poder, mas é também uma referência à ira de Deus no momento final, ou seja, quando o Senhor, em grande ira, lançará no lago do fogo todos os seus inimigos, a saber, Satanás, seus anjos, e todos os seres humanos que não se submeteram ao senhorio de Cristo, tendo deste modo permanecido sem o perdão de Deus, razão pela qual serão condenados.

“Por isso, quem crê no Filho tem a vida eterna; o que, todavia, se mantém rebelde contra o Filho não verá a vida, mas sobre ele permanece a ira de Deus.” João 3:36

Apocalipse 16

“Ouvi, vinda do santuário, uma grande voz, dizendo aos sete anjos: Ide e derramai pela terra as sete taças da cólera de Deus.” Apocalipse 16:1

Aqui começa o derramamento das Sete Taças da Cólera de Deus, e após o derramamento de cada uma destas taças sobre a terra, terríveis eventos se sucedem em uma cronologia sequencial bastante evidente.

Ainda uma outra questão que inquieta a muitos estudiosos das Escrituras é o desejo de saber se a Igreja estará ou não sobre a terra quando as sete taças forem derramadas. A chave para este entendimento é o que diz o Senhor Jesus Cristo no versículo bíblico a seguir.

“E a vontade de quem me enviou é esta: que nenhum eu perca de todos os que me deu; pelo contrário, eu o ressuscitarei no último dia.” João 6:39

As Escrituras são muito claras ao afirmarem que a ressurreição dos mortos só acontecerá quando vier o Senhor Jesus Cristo. E é o próprio Senhor quem nos afirma que a ressurreição ocorrerá no último dia. Logo, o dia da volta do Senhor Jesus e o dia da ressurreição se darão no mesmo dia, no último.

Porquanto o Senhor mesmo, dada a sua palavra de ordem, ouvida a voz do arcanjo, e ressoada a trombeta de Deus, descerá dos céus, e os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro; depois, nós, os vivos, os que ficarmos, seremos arrebatados juntamente com eles, entre nuvens, para o encontro do Senhor nos ares, e, assim, estaremos para sempre com o Senhor. Consolai-vos, pois, uns aos outros com estas palavras.” 1 Tessalonicenses 4:16-18
 
Importantíssimo que aqui se observe que é o próprio Senhor Jesus Cristo quem subitamente surge em meio à narrativa de João advertindo sob a sua volta iminente. E isto após o anúncio do sexto
anjo derramando a sua taça sobre o grande rio Eufrates.

“Derramou o sexto a sua taça sobre o grande rio Eufrates, cujas águas secaram, para que se preparasse o caminho dos reis que vêm do lado do nascimento do sol. Então, vi sair da boca do dragão, da boca da besta e da boca do falso profeta três espíritos imundos semelhantes a rãs; porque eles são espíritos de demônios, operadores de sinais, e se dirigem aos reis do mundo inteiro com o fim de ajuntá-los para a peleja do grande Dia do Deus Todo-Poderoso. (Eis que venho como vem o ladrão. Bem-aventurado aquele que vigia e guarda as suas vestes, para que não ande nu, e não se veja a sua vergonha.) Então, os ajuntaram no lugar que em hebraico se chama Armagedom.” Apocalipse 16:12-16

Isto nos mostra, claramente, que a volta de Cristo ainda não terá ocorrido, e nem a batalha do Armagedom, pois no versículo citado acima, os preparativos para a peleja do grande Dia do Deus Todo-Poderoso ainda estarão em curso.

O Primeiro Anjo Derrama a Primeira Taça da Cólera de Deus

“Saiu, pois, o primeiro anjo e derramou a sua taça pela terra, e, aos homens portadores da marca da besta e adoradores da sua imagem, sobrevieram úlceras malignas e perniciosas.” Apocalipse 16:2

Na sequência de eventos do derramamento das Sete Taças da Cólera de Deus, vemos agora o primeiro anjo que saiu de dentro do santuário derramando sua taça pela terra e úlceras surgindo nos corpos dos seguidores da besta. Isto nos mostra que estará em curso o período da Grande Tribulação, período no qual a Bíblia nos afirma que os Cristãos estarão sendo perseguidos e que a marca da besta, o nome ou o número do seu nome, que então já saberemos ser o seiscentos e sessenta e seis, já estará na fronte ou na mão direita dos adoradores da besta. Isto já está dito no Capítulo 15:1-4 do Apocalipse, já acima citado, e também no trecho bíblico de Apocalipse 13.

“A todos, os pequenos e os grandes, os ricos e os pobres, os livres e os escravos, faz que lhes seja dada certa marca sobre a mão direita ou sobre a fronte, para que ninguém possa comprar ou vender, senão aquele que tem a marca, o nome da besta ou o número do seu nome. Aqui está a sabedoria. Aquele que tem entendimento calcule o número da besta, pois é número de homem. Ora, esse número é seiscentos e sessenta e seis.” Apocalipse 13:16-18

O Segundo Anjo Derrama a sua Taça

“Derramou o segundo a sua taça no mar, e este se tornou em sangue como de morto, e morreu todo ser vivente que havia no mar.” Apocalipse 16:3

Um evento semelhante, ainda que igualmente maravilhoso, porém em
menor abrangência geográfica, ocorreu da parte de Deus quando o Senhor tirava, com mão forte, seu povo da terra do Egito.

“Disse mais o SENHOR a Moisés: Dize a Arão: toma o teu bordão e estende a mão sobre as águas do Egito, sobre os seus rios, sobre os seus canais, sobre as suas lagoas e sobre todos os seus reservatórios, para que se tornem em sangue; haja sangue em toda a terra do Egito, tanto nos vasos de madeira como nos de pedra. Fizeram Moisés e Arão como o SENHOR lhes havia ordenado: Arão, levantando o bordão, feriu as águas que estavam no rio, à vista de Faraó e seus oficiais; e toda a água do rio se tornou em sangue. De sorte que os peixes que estavam no rio morreram, o rio cheirou mal, e os egípcios não podiam beber a água do rio; e houve sangue por toda a terra do Egito.” Êxodo 7:19-21

Isto nos mostra tanto o caráter absolutamente real do que ocorreu no Egito, quando as suas águas se tornaram em sangue, quanto o seu significado profético de então, pois a saída do povo de Deus do Egito foi uma figura de algo ainda muito maior que haveria de acontecer no futuro, tratando-se neste caso, em Apocalipse 15 e 16, dos eventos que ocorrem na iminência da saída da Igreja da terra, a qual estará sendo perseguida pela besta antes do arrebatamento, o qual, como já vimos acima, acontecerá no último dia.
O Faraó do Egito que perseguiu os judeus prefigurava a besta que perseguirá os Cristãos. A segunda taça, portanto, está em equivalência ao segundo sinal feito por Deus por intermédio de Moisés no Egito, tendo sido o primeiro sinal quando lançou Arão o seu bordão diante de Faraó e diante dos seus oficiais, e ele se tornou em serpente.

O derramamento da segunda taça da cólera de Deus sobre o mundo está em equivalência à sexta praga que Deus fez vir sobre o Egito antes da saída dos filhos de Israel, período que ficou historicamente conhecido como o Êxodo.

As dez pragas derramadas sobre o Egito foram:

1-Águas transformadas em sangue
2-As rãs
3-Os piolhos
4-As moscas
5-A morte dos rebanhos do Egito
6-Úlceras sobre os homens
7-Chuva de pedras
8-Gafanhotos
9-Escuridão sobre o Egito
10-Morte dos Primogênitos do Egito

O Terceiro Anjo Derrama a sua Taça

“Derramou o terceiro a sua taça nos rios e nas fontes das águas, e se tornaram em sangue. Então, ouvi o anjo das águas dizendo: Tu és justo, tu que és e que eras, o Santo, pois julgaste estas coisas; porquanto derramaram sangue de santos e de profetas, também sangue lhes tens dado a beber; são dignos disso. Ouvi do altar que se dizia: Certamente, ó Senhor Deus, Todo-Poderoso, verdadeiros e justos são os teus juízos.” Apocalipse 16:4-7

Desta vez, também os rios e as fontes das águas de toda a terra são atingidas, sendo também transformadas em sangue, como antes ocorreu com as águas do mar. Portanto, toda a água da terra foi transformada em sangue: as águas do mar, as águas dos rios e as fontes das águas. A cronologia sequencial desses sofrimentos terá sequência quando o quarto anjo derramar a sua taça sobre o sol, o qual queimará os adoradores da besta, os quais não encontrarão água nem para beber e nem para se refrescar, pois toda a água da terra foi transformada em sangue. Será algo sobremodo terrível, e Deus nos diz, no trecho bíblico citado logo acima, que este é um de seus atos de justiça, pois os homens perseguiram e mataram santos e profetas, e agora terão de arcar com as consequências de seus atos, recebendo de Deus estes terríveis flagelos.

O Quarto Anjo Derrama a sua Taça

“O quarto anjo derramou a sua taça sobre o sol, e foi-lhe dado queimar os homens com fogo. Com efeito, os homens se queimaram com o intenso calor, e blasfemaram o nome de Deus, que tem autoridade sobre estes flagelos, e nem se arrependeram para lhe darem glória.” Apocalipse 16:8,9

Como já dito acima, a sequência dos sofrimentos sobrevém aos adoradores da besta e perseguidores dos Cristãos no período da Grande Tribulação. E mesmo a despeito de tanto sofrimento, essas pessoas não se arrependem de seus pecados, mas ainda os tornam maiores, pois blasfemam contra Deus quando experimentam estes flagelos.

Estes castigos, os flagelos das taças da cólera de Deus, notemos, possui estreita relação com o fato de a Igreja estar sendo perseguida. E esta perseguição não se iniciará na Grande Tribulação, quando se agravará, mas já teve seu início e está em pleno curso em nossos dias.
Desde o século vinte até agora, o número de Cristãos perseguidos e mortos já supera o número de Cristãos perseguidos e mortos em toda a História da Igreja até o presente momento.

Segundo dados do site Portas Abertas, cujo banner de entrada se encontra na primeira página deste website, os árabes muçulmanos lideram, juntamente com os países comunistas, como a Coréia do Norte, Laos e China, dentre outros, o mórbido rank de perseguidores de Cristãos no mundo, estando nos primeiros lugares, os seguintes países, nessa ordem: Coreia do Norte, Afeganistão, Arábia Saudita, Somália, Irã.

Os maiores perseguidores de Cristãos no mundo inteiro são os Muçulmanos, adeptos do falso profeta Maomé, e os países Comunistas, com especial destaque para a China, a Coréia do Norte e a Rússia.

E saiba também que a Perseguição aos Cristãos no Brasil passou a tomar proporções terríveis e inéditas no Brasil após a chegada do Partido dos Trabalhadores (PT) ao Governo brasileiro. Nunca o Brasil havia experimentado coisa igual. O PT é amigo e associado ao Irã, o país árabe muçulmano que tem coordenado as mais cruéis perseguições contra Cristãos e Judeus no Oriente Médio. E aqui é bom que citemos todos os partidos políticos brasileiros que apoiam o PT, o amigo do Irã, da China e da Rússia. São eles: PMDB, PR, PSB, PCdoB e PDT. O PSOL, embora não apoie diretamente oPT, possui as mesmas ideologias comunistas e anticristo desses partidos. E aqui não há margem para dúvidas, pois está escrito:

“Quem não é por mim é contra mim; e quem comigo não ajunta espalha.” SENHOR JESUS CRISTO, Mateus 12:30
 
O Quinto Anjo Derrama a sua Taça

“Derramou o quinto a sua taça sobre o trono da besta, cujo reino se tornou em trevas, e os homens remordiam a língua por causa da dor que sentiam e blasfemaram o Deus do céu por causa das angústias e das úlceras que sofriam; e não se arrependeram de suas obras.” Apocalipse 16:10,11

Novamente, outra revelação que nos mostra que a Grande Tribulação estará em curso, pois a besta já terá surgido e iniciado sua perseguição contra os Cristãos, e já estará sendo adorada pelo mundo inteiro, menos pela Igreja de Cristo, razão de estar sendo perseguida. Já terá chegado o tempo da marcação na mão direita ou sobre a fronte dos que não herdarão a salvação, conforme o Apocalipse solenemente declara.

“Seguiu-se a estes outro anjo, o terceiro, dizendo, em grande voz: Se alguém adora a besta e a sua imagem e recebe a sua marca na fronte ou sobre a mão, também esse beberá do vinho da cólera de Deus, preparado, sem mistura, do cálice da sua ira, e será atormentado com fogo e enxofre, diante dos santos anjos e na presença do Cordeiro. A fumaça do seu tormento sobe pelos séculos dos séculos, e não têm descanso algum, nem de dia nem de noite, os adoradores da besta e da sua imagem e quem quer que receba a marca do seu nome. Aqui está a perseverança dos santos, os que guardam os mandamentos de Deus e a fé em Jesus.” Apocalipse 14:9-12
“Aqui está a perseverança dos santos, os que guardam os mandamentos de Deus e a fé em Jesus” demonstra a necessidade de perseverança dos Cristãos durante as perseguições, pois somente serão salvos os que perseverarem até o fim, como disse o Senhor Jesus. Os verdadeiros Cristãos não se renderão à besta e nem se intimidarão devido à terrível perseguição que já se iniciou e que, como já dito, se agravará ainda muito mais.

Os leitores deste site não fazem idéia das ameaças que temos recebido ao longo dos dez anos de existência deste Ministério. Todavia, Deus nos tem guardado até aqui, e sabemos que continuará a nos guardar, pois este é um Ministério de serviço à Igreja de Cristo, totalmente gratuito e amorosamente dedicado aos filhos de Deus em Cristo. E perseveraremos até o dia quando os nossos olhos se fecharem e nossa respiração for interrompida, será quando já não mais aqui estaremos, mas estaremos lá em cima, nos braços do Amado, cujo nome é Jesus Cristo, o Filho de Deus, o nosso Salvador. Porém, até que isto aconteça, seguiremos em nossa perseverança na fé em Jesus Cristo e na pregação do seu Evangelho.
 
Quando o quinto anjo derrama a sua taça sobre o trono da besta, este terá se tornado em trevas, ou seja, já fracassaram os planos para a continuidade do reinado da besta, e seu fim definitivo já estará muito próximo, e os seguidores da besta estarão em intenso sofrimento e angústia a ponto de morderem as suas próprias línguas pela dor que sentirão. Mesmo assim não se arrependerão.

Adolf Hitler desejou ser o líder de um império que, segundo os nazistas, deveria durar mil anos, seu governo era chamado de Das Dritte Reich ("O Terceiro Império" ou "O Terceiro Reich"), era o governo do Partido dos Trabalhadores da Alemanha Nazista. Porém, seu “Grande Reich Alemão” (Grossdeutsches Reich) oficialmente criado em 1943, não chegou a durar nem 2 anos, pois os nazistas foram derrotados em 1945.
 
Segundo o Apocalipse, o reinado da besta durará três anos e meio.

“Foi-lhe dada uma boca que proferia arrogâncias e blasfêmias e autoridade para agir quarenta e dois meses;” Apocalipse 13:5

O Sexto Anjo Derrama a sua Taça

“Derramou o sexto a sua taça sobre o grande rio Eufrates, cujas águas secaram, para que se preparasse o caminho dos reis que vêm do lado do nascimento do sol. Então, vi sair da boca do dragão, da boca da besta e da boca do falso profeta três espíritos imundos semelhantes a rãs; porque eles são espíritos de demônios, operadores de sinais, e se dirigem aos reis do mundo inteiro com o fim de ajuntá-los para a peleja do grande Dia do Deus Todo-Poderoso. (Eis que venho como vem o ladrão. Bem-aventurado aquele que vigia e guarda as suas vestes, para que não ande nu, e não se veja a sua vergonha.) Então, os ajuntaram no lugar que em hebraico se chama Armagedom.” Apocalipse 16:12-16

O rio Eufrates é um dos rios da Mesopotâmia, e corre pelo território que hoje é o Iraque. O rio Eufrates nasce a partir da Turquia.
Segundo o Apocalipse, quando o sexto anjo derramar sua taça sobre o Eufrates, este se secará para abrir caminho para os reis que vêm do lado do nascimento do sol. O sol nasce a partir do Leste, ou do Oriente. Esta é uma referência aos exércitos que virão do Oriente em direção ao Oriente Médio, mais especificamente, estarão se dirigindo para o Vale de Josafá, um vale próximo a Jerusalém, em Israel, local que será palco da última e da maior de todas as guerras que o mundo já presenciou: o Armagedom.

“Congregarei todas as nações e as farei descer ao vale de Josafá; e ali entrarei em juízo contra elas por causa do meu povo e da minha herança, Israel, a quem elas espalharam por entre os povos, repartindo a minha terra entre si.” Joel 3:2

O Armagedom acontecerá no Dia do Senhor, segundo podemos ler no livro do profeta Zacarias.

“Eis que vem o Dia do SENHOR, em que os teus despojos se repartirão no meio de ti. Porque eu ajuntarei todas as nações para a peleja contra Jerusalém; e a cidade será tomada, e as casas serão saqueadas, e as mulheres, forçadas; metade da cidade sairá para o cativeiro, mas o restante do povo não será expulso da cidade. Então, sairá o SENHOR e pelejará contra essas nações, como pelejou no dia da batalha.
Naquele dia, estarão os seus pés sobre o monte das Oliveiras, que está defronte de Jerusalém para o oriente; o monte das Oliveiras será fendido pelo meio, para o oriente e para o ocidente, e haverá um vale muito grande; metade do monte se apartará para o norte, e a outra metade, para o sul. Fugireis pelo vale dos meus montes, porque o vale dos montes chegará até Azal; sim, fugireis como fugistes do terremoto nos dias de Uzias, rei de Judá; então, virá o SENHOR, meu Deus, e todos os santos, com ele. Acontecerá, naquele dia, que não haverá luz, mas frio e gelo. Mas será um dia singular conhecido do SENHOR; não será nem dia nem noite, mas haverá luz à tarde.” Zacarias 14:1-7

Importantíssimo que aqui se observe, como já dito acima neste mesmo estudo, que é o próprio Senhor Jesus Cristo quem subitamente surge em meio à narrativa de João advertindo sobre a sua volta iminente. E isto após o anúncio do sexto anjo derramando a sua taça sobre o grande rio Eufrates. Isto nos mostra que a volta de Cristo ainda não terá ocorrido, e nem a batalha do Armagedom, pois no versículo citado acima, os preparativos para a peleja do grande Dia do Senhor estão em andamento, e o Armagedom já estará muito próximo.

O Sétimo Anjo Derrama a sua Taça
“Então, derramou o sétimo anjo a sua taça pelo ar, e saiu grande voz do santuário, do lado do trono, dizendo: Feito está! E sobrevieram relâmpagos, vozes e trovões, e ocorreu grande terremoto, como nunca houve igual desde que há gente sobre a terra; tal foi o terremoto, forte e grande. E a grande cidade se dividiu em três partes, e caíram as cidades das nações. E lembrou-se Deus da grande Babilônia para dar-lhe o cálice do vinho do furor da sua ira. Todas as ilhas fugiram, e os montes não foram achados; também desabou do céu sobre os homens grande saraivada, com pedras que pesavam cerca de um talento; e, por causa do flagelo da chuva de pedras, os homens blasfemaram de Deus, porquanto o seu flagelo era sobremodo grande.” Apocalipse 16:15-21

Este é um dos cenários mais dramáticos descritos no Apocalipse. Quando o sétimo anjo derrama a sua taça pelo ar, a terra será devastada quase por completo. Um terremoto qual nunca houve igual desde que há gente sobre a terra, será de tal maneira poderoso e tremendo que atingirá as cidades das nações, dando a entender que abalará todo o planeta. Não bastasse isso, uma grande saraivada de pedras desaba sobre o mundo. Estas pedras são enormes e pesam cerca de um talento. No Grego do original do Apocalipse, talento (talantiaios) era uma medida para pesar grandes quantidades de prata e de ouro. O peso de um talento de prata equivalia a cerca de 45 Kg, e o peso de um talento de ouro (o ouro é bem mais pesado do que a prata) era de cerca de 90 Kg. Esta é mais uma das razões que mostram o estado em que se encontrará a terra, abalada e devastada pelo maior terremoto da História e arruinada por uma saraivada de pedras enormes. Mesmo assim, os homens não se arrependeram e ainda blasfemarão contra Deus.
 
A grande voz que sai do santuário afirmando “feito está!” é a voz do Senhor, pois com a sétima taça se consuma a cólera de Deus contra o mundo inteiro.

“Vi no céu outro sinal grande e admirável: sete anjos tendo os sete últimos flagelos, pois com estes se consumou a cólera de Deus.” Apocalipse 15:1

O mundo já não será mais um lugar habitável, estará todo destruído, e na sequência destes eventos acontecerá a batalha do Vale de Josafá, o Armagedom, a última das batalhas entre Deus e Satanás.
Quanto aos homens iníquos e inimigos de Cristo, estes ainda não terão sido destruídos por completo. Sua destruição final como seres humanos acontecerá no Armagedom, após o qual estes céus e esta terra que hoje vemos serão removidos para sempre, e Deus fará sua Igreja entrar em novos céus e em nova terra, segundo também viu e testemunhou o apóstolo João no Apocalipse.

“Vi novo céu e nova terra, pois o primeiro céu e a primeira terra passaram, e o mar já não existe.” Apocalipse 21:1...
Bispo. Capelão/Juiz. Mestre e Doutor em Ciência da Religião Dr. Edson
Cavalcante


0 comentários:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.