Subscribe:

terça-feira, 23 de dezembro de 2014

VIVENDO NA CAVERNA, ATÉ QUANDO SENHOR...


                              VIVENDO NA CAVERNA, ATÉ QUANDO SENHOR...

·                   Extirpou de Israel a influência idolátrica dos 450 profetas de Baal e dos 400 profetas do poste-ídolo (1º Reis 18.19-40).
·                   Pela oração da fé, trouxe chuva sobre a terra, a qual, pelo espaço de 3 anos e meio, sofria uma seca sem precedentes (1º Rs 18.41,42).
·                   Correu à frente do carro de Acabe (1º Rs 18.46) cerca de 25 Km. Ao chegar em Jezreel, Elias soube que Jezabel tencionava matá-lo (1º Rs 19.1-2). Esta ameaça conduziu o profeta a tomar atitudes depressivas.
Sempre que nos vemos ameaçados, somos tentados a assumir atitudes semelhantes. A ameaça pode ser a possibilidade de falência, o término de um namoro, a perda do vestibular, a intriga de um vizinho uma enfermidade, até mesmo, um trabalho de macumba feito contra você.
É inacreditável que um homem tão bem sucedido como Elias viesse a se intimidar por uma insignificante ameaça. Ele tinha obtido vitória em situações imensamente mais difíceis. E lá estava Elias em profunda crise e depressão, numa caverna.

01. Quais as crises/ameaças que conduzem à caverna?

·                   Preocupação com a vida material (v.3): "(...) levantou-se (...) para salvar sua vida..."
·                   Rejeitar a comunhão com os irmãos (v.3) Já havia abandonado a todos: "(...) agora, deixou o seu moço - Elizeu". Afastou-se dos irmãos, dos amigos. O afastamento e isolamento produzem depressão.
·                   Medo (v.4): "ele mesmo, porém, se foi ao deserto".
·                   Desânimo (v.4): "(...) pediu para si a morte".
- A vida perde o sabor, perde o sentido, quando a nossa sobrevivência é prioridade. Quando o indivíduo perde a intrepidez, para de sonhar, já está atravessando o deserto rumo a uma "caverna espiritual".

02. O que seria uma caverna?

·                   Fuga religiosa - V. 8 - A caverna era em Horebe (Sinai), o monte de Deus. Ali Deus havia falado com Moisés e dado as Tábuas da Lei - lugar sagrado. Tem gente que vem à igreja-lugar sagrado para se esconder do marido/esposa, da família, de si mesmo.
·                   Mania de perseguição - V. 2 - São as pessoas que só veem as sombras inimigas e as ameaças não lhe saem da memória - têm medo de tudo, especialmente do diabo. Estava com medo do espírito de Jezabel, uma prostituta rebelde que depois foi lançada pelo muro de seu palácio e devorada pelos cães . E Deus?
·                   Autocomiseração - V.14 - Elias sentia muita pena de si mesmo ao ser perseguido e ameaçado, por isto foi à caverna do Monte de Deus.

03. Qual é a vontade de Deus?

·                   Que o Cristão não vire tatu: Mesmo no fundo de uma caverna Deus falou no coração Elias. Caverna = crise.
- V. 9 - Ali, entrou numa caverna, onde passou a noite; e eis que lhe veio a palavra do SENHOR e lhe disse: Que fazes aqui, Elias?
- Deus não nos criou para a depressão (v.9): "Que fazes aqui, Elias?"
- O Senhor manda sair da caverna. (19.11): "Disse-lhe Deus: Sai." Não há mistérios, obedeça a Deus, basta sair!
- Quando estamos deprimidos, não ouvimos a Deus (v.12): "cicio" no hebraico, significa murmúrio, algo que não dá para entender.
- Note bem: v. 11-12 vento que fendia os montes e despedaçava as rochas, terremoto, fogo, e mal percebeu que Deus falava com ele.
·                   Um pouquinho de sensibilidade desperta para o temor a Deus - V. 13. Não sabia direito o que estava acontecendo, mas pôr-se à porta da caverna e Deus falou com Ele.
·                   Nossa vocação é para sermos elementos de unção nas vidas das pessoas (v.15-17):"unge a Hazael...a Jeú ungirás...Elizeu (...) ungirás..."
·                   Deus está sobre os nossos inimigos, pois foi Ele mesmo quem ungiu os reis que destruiriam as ameaças feitas a Elias (v.15-17).
·                   Deus conserva Crentes fiéis para obedecerem ao comando dos seus ungidos - V. 18: - 1ª Pe 5.6-10.

Conclusão

·                   Existem crises de origem física que devem ser tratadas por profissionais habilitados.
·                   Mas crises espirituais devem também ser tratadas, com cautela e na dependência do cuidado de Deus.
·                   Nunca se deixe levar pela autopiedade. Saiba que para sair de uma crise o primeiro passo só depende de você. Venha para fora da crise/caverna!
Nunca permita que problemas possam tirar sua vocação de ungir e abençoar vidas...
Bispo. Capelão/Juiz. Mestre e Doutor em Ciência da Religião Dr. Edson Cavalcante


0 comentários:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.