Subscribe:

quarta-feira, 25 de junho de 2014

A SABEDORIA DO REI SALOMÃO...


                                                 A SABEDORIA D O REI SALOMÃO...
Provérbios 3.13-18
INTRODUÇÃO
1.      No decorrer da história da filosofia encontramos várias definições para o que seja sabedoria:
a.       Para os filósofos sofistas a sabedoria “era considerada como um conhecimento que podia ser ensinado bem como adquirido.”
b.      Para Sócrates, a sabedoria “consistia no fato de que ele sabe que não sabe de nada.”
c.       Os estoicos entendiam que a sabedoria era a convergência da teoria com a prática. Para ele “sabedoria é o conhecimento realizado.”
d.      “Para o judaísmo rabínico, sabedoria e erudição bíblica são essencialmente idênticas.”
2.      No contexto do Antigo Testamento a sabedoria assume sua definição a partir da relação homem-revelação de Deus. Desse modo, a sabedoria “depende da reta conduta em obediência à vontade de Deus.” Quando o homem obedece ao que Deus revelou em sua palavra ele encontra sabedoria para vida.
3.      Ser sábio não significava ter um aglomerado de conhecimento, mas fazer uso do conhecimento que se pode ter de Deus na vida. Foi com esse entendimento que Tiago ensinou: “A sabedoria, porém, lá do alto é, primeiramente, pura; depois, pacífica, indulgente, tratável, plena de misericórdia e de bons frutos, imparcial, sem fingimento” (Tiago, 3:17). É por meio de boas ações que a sabedoria de Deus se revela nessa vida.
4.      Um cristão sábio vive em obediência à vontade de Deus. A fonte de sua sabedoria se encontra na revelação de Deus em sua palavra. Não é por meio de seus juízos que adquire sabedoria, mas dos juízos que Deus faz das coisas dessa vida. Por isso,  o salmista disse: “O temor ao Senhor é o princípio da sabedoria...” (Salmos, 111:10)
5.      A sabedoria de Deus é uma benção na vida daqueles que a encontram. Ele nos faz viver como Deus sonhou que vivêssemos. No sonho de Deus todos os seus filhos viveriam sob a sua benção.
Daí surge uma pergunta: como a sabedoria de Deus abençoa o homem que a possui?
I. A sabedoria de Deus torna o homem feliz (v. 13)
1. O sábio Salomão enquadrou a vida do sábio, como um homem feliz. Feliz porque ele sabe como conduzir a sua vida. Pois, a felicidade estar na condução que fazemos da nossa vida e não num lugar específico. O homem que vive sabiamente se conduz bem nessa existência.
2. Grande parte dos males que enfrentamos nessa vida provém da nossa falta de sabedoria na condução da nossa vida. Somos afligidos pelas nossas escolhas mau tomadas. Ferimos aqueles que estão a nossa volta porque não sabemos o que dizer e como dizer. Se pudéssemos nos conduzir sabiamente seríamos felizes.
3. Tiago nos consola, dizendo: “Se, porém, algum de vós necessita de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos da liberalmente e nada lhes impropera; e ser-lhe-á concedida” (Tiago, 1:5). Deus concede sabedoria ao crente pedinte que deseja direção para sua vida. Em Cristo está a nossa sabedoria (Colossenses, 2:2,3).
4. A sabedoria de Deus põe ordem em nossas desavenças com Deus e com os nossos irmãos. Não há como haver felicidade sem harmonia com Deus e nossos irmãos. Assim com a sabedoria de Deus em nós podemos ser felizes. 
II. A sabedoria de Deus é riqueza para o homem que a encontra (v.14)
1. As riquezas dos bens materiais não podem ser comparadas a riqueza que tem aquele que encontra o caminho da sabedoria. A riqueza material trás consigo preocupação, a riqueza da sabedoria de Deus, paz de espírito; a riqueza material não garante a vida, a sabedoria de Deus, vida eterna.
2. O próprio Salomão nos exorta a usar os nossos bens na aquisição da sabedoria, ele diz: “O princípio da Sabedoria é: Adquire a sabedoria; sim, com tudo o que possuis, adquire o entendimento” (Provérbios, 4:7). É tolice achar que na abundância de bens há necessariamente sabedoria de Deus. Precisamos enriquecer o nosso espírito com a vontade de Deus.
3. O homem que encontra sabedoria tem o seu espírito satisfeito. Pois encontrou é verdadeiramente rico, pois não lhe falta nada (1 Timóteo, 6:6).
III. A sabedoria de Deus dá prazer ao homem (v.17)
1. Salomão julga a sabedoria como “caminhos deliciosos”. A sabedoria de Deus não é uma carga que o sábio leva, mais uma fonte de prazer. O insensato não se deleita na sabedoria de Deus. Para ele a sabedoria de Deus é louca, pois não segue os critérios terrenos. A sabedoria desse mundo é relativa, todavia, a de Deus é absoluta e satisfaz o coração.
2. O homem que vive para Deus recebe prazer. Ao final de sua vida, Salomão disse: “Deus dá sabedoria, conhecimento e prazer ao homem que lhe agrada” (Eclesiastes, 2:26). A sabedoria e o prazer andam juntos. Não se pode encontrar gozo no Senhor sem que haja sabedoria.
CONCLUSÃO
1.      A sabedoria de Deus é uma benção imensurável na vida do homem sábio. Nada nesse mundo pode ser negociado por ela. Pois nela está a felicidade, a riqueza e o prazer que Deus reservou para os que encontram a sua sabedoria.
2.      Portanto, busquemos o bem mais precioso dessa vida: a sabedoria de Deus. Sabendo que se pedirmos Deus nos concederá por meio do seu Espírito. Amém...

Bispo. Capelão/Juiz. Mestre e Doutor em Ênfase e Divindades Dr. Edson Cavalcante

0 comentários:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.