Subscribe:

sábado, 15 de março de 2014

VIVENDO PARA DEUS...


                                                       VIVENDO PARA DEUS...
Texto: João 21:1-17
Introdução
Os discípulos estavam tomados pelo medo diante do que estava por vir. Parece-me que há um estado de espírito de apatia no meio deste grupo de discípulos.
Destes Pedro é o que se sente pior. Frustrado e desanimado diante do seu fracasso recente.
O sentimento de fracasso o esmaga. Pedro carrega aquele sentimento de não acreditar mais em si mesmo.
É curioso que a primeira coisa que Pedro faz diante desta situação e consequentemente os outros discípulos é desistir do projeto de Deus para sua vida. É voltar para sua vida normal, é transitar no plano do ordinário.
Digo isto porque o chamado de Deus é para viver muito além do ordinário, Cristo nos convoca a segui-lo e isto é caminhar no nível do extraordinário.
Mas este homem porque está se sentindo fracassado, impotente e incapaz de viver este projeto volta a sua velha vida. Ele diz no verso três:
Vou pescar!
São muitos os que desistem do projeto de Deus para suas vidas por se sentirem incapazes mediante suas falhas e limitações.
São muitos os que estagnam por terem alcançado êxito. Ficam em uma área de conforto. Pedro e os discípulos voltaram pra sua área de domínio.
A tendência é voltar ao plano do “ordinário”. É sair daquele discipulado crescente e se acomodar a um cristianismo apático e estático.
Não sei qual o motivo que talvez tenha gerado este sentimento em seu coração. Talvez o diabo tenha martelado na sua alma que você não conseguirá. Que Deus desistiu de sua vida. Talvez você mesmo tenha desistido de todos os sonhos que um dia o Espírito semeou em seu coração.
Seja lá o que aconteceu permita que Deus ministre em sua vida assim como fez com Pedro naquele dia.

Elucidação:
Neste episódio Jesus proporciona um ambiente pedagógico onde trás a memória de Pedro duas experiências marcantes em sua vida:
A alegria do seu chamado (Lucas 5:1-11) e a experiência do seu fracasso. (João 13:36-38 / 18)
E isto fez com que Pedro refletisse sobre alguns fatores que o conduziram à queda, mas principalmente fez com que ele se lembrasse de princípios essenciais para experimentar a vida abundante que Deus preparou para nós.
Tema: Vivendo o Extraordinário Projeto de Deus!
O primeiro princípio que a relação destas duas experiências de Pedro nos ensina é:
1. Dependência de Deus ao invés de autossuficiência / Confiança;
Vejamos a experiência do chamado de Pedro:
E, respondendo Simão, disse-lhe: Mestre, havendo trabalhado toda a noite, nada apanhamos; mas, sobre a tua palavra, lançarei a rede.
(Lucas 5:5)
 Ele inicia a caminhada percebendo que precisava depender de Deus, confiar em sua palavra.
 Pedro é um experiente pescador, como muitos são profissionais experientes em nosso meio, no entanto ele fica espantado diante daquela pescaria.
 Ele com toda experiência não havia apanhado peixe algum naquela noite, mas quando obedece à palavra de Cristo se vê em uma pescaria na qual ele estava despreparado. Eles são surpreendidos por Deus.
 No entanto autossuficiência / confiança faz-nos barrar em nossas limitações:
o Exemplo pastor etíope e americano.
 A igreja pós-moderna é vista na advertência feita a Laodicéia:
“Como dizes: Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta; e não sabes que és um desgraçado, e miserável, e pobre, e cego, e nu”.
(Apocalipse 3:17)
“O Novo Testamento começa com Deus expulso do templo e termina com Jesus do lado de fora da igreja”. (Ariovaldo Ramos)
O Foi à dependência de Deus que fez a Igreja primitiva impactar o mundo de sua época.
o Exemplo de Gideão.
 Jesus lembra que Pedro começou bem, dependendo de Deus, mas permitiu que a auto-suficiência encontrasse espaço em sua vida.
 Este é o primeiro princípio que Pedro se lembra:
Deus quer nos levar muito além de nossos limites, mas para que isto aconteça precisamos depender Dele.
2. Comunhão ao invés de isolamento;
Pedro começou a caminhar sozinho, começou a ter um conceito de si maior do que os outros.
Pedro respondeu: "Ainda que todos te abandonem, eu nunca te abandonarei! “
(Mateus 26:33)
 Quando nos isolamos negamos nossa vocação de ser imagem de Cristo (Unidade).
É andar na contramão do propósito de Deus.
Esta atitude de Pedro exemplifica o conselho do sábio:
“Quem se isola, busca interesses egoístas, e se rebela contra a sensatez.”
(Provérbios 18:1)
Cristo trás a memória de Pedro a experiência do seu chamado:
“E fizeram sinal aos companheiros que estavam no outro barco, para que os fossem ajudar. E foram, e encheram ambos os barcos, de maneira tal que quase iam a pique.” (Lucas 5:7)
 Cristo faz Pedro se lembrar que dificuldades são vencidas na comunhão dos santos.
 A bíblia esta repleta dos chamados “mandamentos recíprocos”.
 Se um homem de fé pode ir além de seus limites em Deus que dirá a comunhão de vários homens de fé.
 É a superlativação do milagre. (Sinergia)
Dois cavalos puxam três vezes mais o peso que um puxaria.
Eles não somam, se multiplicam.
3. Antes importa temer a Deus do que aos homens;
“Quando Simão Pedro viu isso, prostrou-se aos pés de Jesus e disse: "Afasta-te de mim, Senhor, porque sou um homem pecador!
Pois que o espanto se apoderara dele, e de todos os que com ele estavam, por causa da pesca de peixe que haviam feito”.
(Lucas 5:9)
 No A.T. Daniel cai diante da visão. João na visão do Apocalipse perde as forças.
 O temor a Deus faz com que não nos aproximemos dele de qualquer forma. Há não tratar com o sagrado de qualquer jeito. (Sansão)
 Lembra-nos que Deus é Santo, Santo, Santo. É fogo consumidor.
 É o primeiro degrau: “O temor do Senhor é o princípio da sabedoria”. (Provérbios 1:7)
A experiência de Pedro é diferente das outras, ele está diante do amor de Deus que o constrange.
 O temor nos coloca de joelhos, reconhecendo a grandeza de Deus. E aquele que habita no alto e sublime trono também habita com o contrito e quebrantado de coração.
 Quem teme a Deus, quem procura agradá-lo não teme a opinião dos homens, não teme o que estes podem lhe fazer.
“Acaso busco eu agora a aprovação dos homens ou a de Deus? Ou estou tentando agradar a homens? Se eu ainda estivesse procurando agradar a homens, não seria servo de Cristo.”
(Gálatas 1:10)
4. Ame mais a Cristo do que sua própria vida;
“Eles então arrastaram seus barcos para a praia, deixaram tudo e o seguiram.”
(Lucas 5:11)
 Cristo trás a memória de Pedro a decisão que este tomou.
 Este movido por amor ao Senhor Jesus decidiu deixar tudo para segui-lo.
 Toda decisão envolve em “cisão”.
Pedro viu que não valia à pena ficar aprisionado em si mesmo. Ele entregou sua vida nas mãos de Deus.
E as três perguntas de Jesus não são para constranger Pedro.
São perguntas restauradoras, para lhe colocar de volta no caminho.
A pergunta que ele nos faz nesta noite:
Tú me amas?
 Como todo noivo apaixonado, ele só quer o amor de sua noiva.
“Contra você, porém, tenho isto: você abandonou o seu primeiro amor.
Lembre-se de onde caiu! Arrependa-se e pratique as obras que praticava no princípio. Se não se arrepender, virei a você e tirarei o seu candelabro do seu lugar.”
(Apocalipse 2:4-5)
Conclusão:
“E disse Pedro: Não tenho prata nem ouro; mas o que tenho isso te dou. Em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, levanta-te e anda.” (Atos 3:6)
O Pedro frustrado, desacreditado é restaurado.
O Pedro sem forças é levantado por Deus. Torna-se líder da igreja.
O Pedro agora é um agente de milagre. Experimenta o extraordinário de Deus em sua vida.
Talvez como Pedro você desacredite de si mesmo, tenha deixado de lado tantos sonhos que um dia o Espírito semeou em seu coração. Tem desistido dos planos que ele preparou.
O que tem te impedido de viver este projeto?
Quem sabe você precisa dizer sim a ele novamente.
Deixa Cristo restaurar sua vida, seus sonhos, deixa ele te encher de esperança novamente como fez no dia do seu chamado...
BISPO/JUIZ. MESTRE E DOUTOR EM ÊNFASE E DIVINDADES DR.EDSON CAVALCANTE

0 comentários:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.