Subscribe:

segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

QUANDO DEUS CAPACITA A PALAVRA DO PROFETA TEM PODER...


                   QUANDO DEUS CAPACITA A PALAVRA DO PROFETA TEM PODER...
ELISEU = "Deus é a salvação"
Sucessor do profeta Elias, no reino do norte. Filho de Safat, vivendo em Abel Mehola no vale do Jordão, e pertencia a uma família rica, tinha possuído 12 pares de bois, que trabalhavam em seus campos.
Deus nomeou como sucessor de Elias, depois de encontrá-lo atrás do arado, jogou seu manto sobre ele (1 Reis 19:16, 19). Eliseu entendeu o significado deste gesto simbólico.
Retornando a sua própria família, ofereceu um sacrifício e deu ao seu povo uma festa de despedida, e em seguida, foi e serviu a Elias (1 Reis 19:19-21).
Elias, antes de ser levado embora, atravessou o Jordão, e Eliseu recusou a deixá-lo. Elias disse-lhe para perguntar o que ele queria. Eliseu teve a sabedoria de pedir uma porção dobrada do poder de Elias.
Ele viu o carro de fogo levando a Elias, o seu senhor, apanhou o manto que Elias tinha deixado cair, e ele bateu no Jordão, que foi aberto. Eliseu atravessou o rio, e se mudou para a Cisjordânia (2 Reis 2:1-18).
Uma série de acontecimentos sobrenaturais marca a carreira de seu ministério, milagres de conhecimento, poder e maravilhas, todos os elogios especificamente em nome do Senhor. Na história da redenção é parte do segundo grupo de milagres. Milagres de Eliseu ocorreu num momento em que a religião de Jeová estava enfrentando uma afronta da parte de adoração a Baal. Da mesma forma que os milagres de Elias, Eliseu foi concebido para demonstrar a autoridade do profeta e de apresentar o Deus vivo.
Em nome do Senhor curou com água salgada a partir da fonte de Jericó (2 Reis 2:19-22).
Alguns rapazes que zombaram do profeta receberam a maldição de Eliseu. Dois ursos esquartejaram a 42 destes jovens (2 Reis 2:23-25).
Ele previu que a expedição bem sucedida contra os moabitas (2 Reis 3:11-27), óleo multiplicado por uma viúva (2 Reis 4:1-7), anunciou o nascimento de um filho de uma sunamita, quando este filho morreu, a oração de Eliseu o chamou à vida (2 Reis 4:8-37).
Ele fez um antídoto para a planta venenosa que era a comida dos profetas (2 Reis 4:38-41).
Durante a fome, o profeta alimentou 100 homens com 20 pães de cevada e algumas espigas de cevada (2 Reis 4:42-44).
Ele ordenou a Naamã para se banhar no rio Jordão para ser curado da lepra (2 Reis 5:1-19), e anunciou que Geazi teria lepra por causa de sua ganância (2 Reis 5:20 -- 27).
Ele fez flutuar na superfície do Jordão, o machado de ferro que havia caído no rio (2 Reis 6:1-7), e revelou ao rei de Israel, os movimentos e as intenções dos seus inimigos, os sírios (2 Reis 6: 8-12).
Em resposta à oração de Eliseu, o Senhor abriu os olhos do seu servo para ver os carros e cavalos de fogo que os protegia (2 Reis 6:13-17).
Eliseu feriu com cegueira aos homens que o rei da Síria mandou prendê-lo (2 Reis 6:18-23).
Ele declarou, antes que alguém lhe dissesse que um emissário do rei de Israel estava na porta para tirar a sua vida (2 Reis 6:32, 33).
Durante a fome do cerco de Samaria, previu que no dia seguinte, a comida seria abundante e farta, acrescentando que o ajudante oficial do rei , que zombavam da profecia, que ele não iria desfrutar. A multidão atropelou esse oficial, que morreu na porta de Samaria (2 Reis 7).
Eliseu afirmou que Ben-Hadade, rei da Síria, morreria, e morreu (2 Reis 8:7-15).
Ele anunciou a destruição de Acabe e toda a sua casa, enviou um jovem profeta para ungir Jeú, que deveria executar o julgamento previsto (2 Reis 9:1-10:28).
Eliseu revelou antecipadamente que seria 3 vitórias sobre os sírios (2 Reis 13:14-19).
Ele morreu durante o reinado de Joás, se lamentou o povo e o rei (2 Reis 3:14-20).
Ainda após sua morte um milagre acontece, quando um cadáver foi jogado às pressas na sepultura de Eliseu, tocando os ossos do profeta, o homem se levantou. (R.13 2: 20, 21)...
BISPO/JUIZ. MESTRE E DOUTOR EM ÊNFASE E DIVINDADES DR.EDSON CAVALCANTE




0 comentários:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.