Subscribe:

segunda-feira, 23 de setembro de 2013

OS SETE PINGOS DE SANGUE DERRAMADO POR JESUS...


                           OS SETE PINGOS DE SANGUE DERRAMADO  POR JESUS...
Cada lugar pelo qual Jesus passou trazia consigo sinais e representatividade do que estava para acontecer no mundo espiritual e físico. Nesta Páscoa, queremos celebrar este momento tomando posse de forma plena e consciente de todos os benefícios que Deus disponibilizou a nosso favor.
Vamos celebrar a Páscoa em memória dEle, vamos lamentar o ocorrido no sofrimento do nosso Senhor Jesus, mas não vamos ficar por aí, vamos levantar-nos e celebrar os milagres grandiosos que Ele nos proporcionou por causa do Seu sangue derramado naqueles dias.
O homem pecou no Jardim do Éden e trouxe a ruína. Ele precisaria de redenção, pois sem derramamento de sangue não há remissão de pecados. Este decreto foi estabelecido assim, pois o sangue é meio de expiação. Antes de sair do Egito, os hebreus tiveram suas casas marcadas com sangue do Cordeiro para que entrassem na terra prometida livres das maldições do Egito.
Na caminhada pelo deserto, em busca da terra que manava leite e mel, os hebreus anualmente celebravam o dia da expiação, que através de um sumo sacerdote tinham seus pecados expiados através do sangue que era aspergido por setes vezes no santíssimo lugar. As sete vezes da aspersão tinham grandes significados que apontavam para o Cordeiro perfeito que haveria de ser manifesto.
Jesus, como Cordeiro de Deus, derramou Seu sangue para nossa redenção e por sete vezes diferentes aspergiu seu próprio sangue, comprando de volta nossa liberdade. A fonte de poder de Deus na vida de cada crente é o sangue do Senhor Jesus que foi derramado a favor dos que haveriam de ser chamados de redimidos pelo sangue. O derramamento do sangue pode trazer-nos de volta para o lugar original que tem bênçãos e grandiosas provisões.
Vejamos os lugares onde o sangue de Jesus foi derramado e os seus significados para nossas vidas.
1. Força de Vontade
Tudo começou em um Jardim. Em Gênesis 3:6-17, Adão e Eva decidiram comer o fruto que Deus tinha dito que não comessem. Mas o desejo e a vontade deles foi superior e deixaram-se seduzir pelo pecado.
A coisa mais incrível que foi perdida para toda a humanidade foi a habilidade de entrar em concordância com a vontade do Pai e escolher contra a vontade do inimigo. Naquele momento, o primeiro Adão sacrificou a força de vontade de toda a humanidade.
O primeiro lugar que Jesus derramou seu sangue foi no Jardim do Getsêmani (Mt 26:30-34). A nossa primeira perda foi através de Adão em um Jardim e agora vemos Jesus, o último Adão, redimindo a nossa vontade em um jardim, também. Três vezes nós vemos Jesus clamando ao seu Pai dizendo: “Pai, se for possível, passe de mim este cálice, todavia seja feita não a minha vontade, mas a tua vontade”.
Lucas 22:43-44 diz que Jesus entrou em grande agonia, que Ele suou gotas de sangue que caíam sobre o chão. Médicos afirmam que angústia intensa, agonia e grande pressão estressante podem fazer com que os vasos sanguíneos se rompam por baixo da pele e o sangue venha para fora como se fosse suor.
O poder do sangue nos ajuda a sermos servos submissos à vontade do Pai. A grande luta da humanidade é submeter-se à vontade do Pai em vez da sua própria. Podemos vencer drogas, imoralidade, o secularismo desenfreado que assedia nossa vontade através de uma vontade redimida e entregue nas mãos do Pai.
2. Chicoteado e Flagelado
A desobediência da humanidade fez com que doenças se instalassem no planeta como consequência do pecado. Somente a redenção traria cura divina. Em Mateus 27:26, vemos que Jesus foi entregue para ser flagelado. Flagelamento era a pior e mais cruel forma de punição. A carne era geralmente cortada com açoites horríveis.
Jesus foi publicamente chicoteado com um chicote de nove tiras, e isto por 39 vezes. Esse tipo de chicote tinha as tiras de couro carregadas com pedaços de metais dentados ou ossos pesados ao final.
Debaixo de uma punição judaica, um açoite deveria ser dado a um prisioneiro em 40 chicotadas, além de ser uma grande humilhação pública para um judeu (Dt 25:3). Raramente davam-se 40 chicotadas, porque ser açoitado por 40 vezes poderia ser fatal.
Salmo 129:3 diz: “Passaram o arado em minhas costas e fizeram longos sulcos”. Este é um pequeno quadro daquilo pelo qual Jesus passou. Lemos em Isaías 50:6: “Ofereci minhas costas àqueles que me batiam, meu rosto àqueles que arrancavam a minha barba; não escondi a face da zombaria e dos cuspes”.
Nosso Senhor passou ferimentos terríveis para nos redimir das doenças. Em Isaías 53:3 lemos: “Por suas pisaduras nós fomos sarados”. Seu sangue foi derramado pela segunda vez e correu por todos os órgãos expostos do seu corpo. Por conta disso, reivindicamos nossa cura no nome de Jesus por Seu sangue derramado.
Médicos têm comprovado que existem 39 raízes de doenças. Jesus foi chicoteado 39 vezes. Cada chicoteada representava uma raiz de doença. Ele foi batido com o chicote de nove tiras. E nove é o número que significa totalidade. Cada doença foi redimida na sua plenitude. Por suas feridas, nós somos curados. A cura divina já foi providenciada para nós. Enfermidades são maldição da lei. Em Cristo, todas as maldições são quebradas.
3. Coroa de Espinhos
A desobediência trouxe maldição sobre o solo: espinhos e cardos. Um espinho tem poder de ferir tremendamente. Um cardo multiplica-se tão rapidamente que é dito que alguns tipos de cardos podem ter de 3 a 400 sementes dentro de uma só cabeça. Esses espinhos e cardos prejudicam e obstruem o solo e destroem a esperança de qualquer fazendeiro. Isso fez com que Adão fizesse algo que ele nunca tinha feito antes: trabalhar duro e pesado para ganhar a vida com o suor do seu rosto (Gn 3:19).
Depois que Jesus foi chicoteado, eles colocaram uma coroa de espinhos em sua testa. É dito que os espinhos da coroa tinham em média 20 cm. Enquanto ela foi enfiada em sua cabeça, não foi suor que saiu de sua testa, mas sangue que correu sobre a sua face.
Jesus derramou o seu sangue pela terceira vez com a coroa perfurando sua testa e seu sangue vertendo sobre a sua face, para quebrar a maldição da pobreza da nossa terra.
Em Mateus 27:29, vemos que o símbolo da pobreza foi colocado em sua cabeça, e nossa liberdade de trabalhar e andar em abundância foi obtido. Fomos reconectados na prosperidade através do sangue que foi vertido em sua cabeça. Ele se fez pobre para que pela Sua pobreza fôssemos em tudo enriquecidos.
4. Suas mãos foram perfuradas
Gênesis 1:26-28 diz que Deus colocou todo o domínio e autoridade nas mãos de Adão e Eva. Por causa do pecado, Adão e Eva perderam tal autoridade e poder. Quando os pregos perfuraram as mãos de Jesus e o sangue escorreu, seu sangue, agora derramado pela quarta vez, redimiu nosso domínio e autoridade. Por causa do sangue que cobriu suas mãos, podemos tomar posse daquilo que nos foi tirado.
Olhe na história de José. Ele foi levado para a casa de Potifar e mesmo naquele lugar ele prosperou. Em Gênesis 39:2-3, lemos: “E o Senhor era com José e ele era um homem próspero e passou a morar na casa do seu senhor egípcio. Quando este percebeu que o Senhor estava com ele e que todas as obras de suas mãos prosperavam, colocou-o como mordomo em sua casa e administrador até de suas finanças”.
Precisamos tomar posse de que as obras de nossas mãos são abençoadas por causa do sangue derramado através dos pregos que perfuraram as mãos de Jesus. Imponha suas mãos sobre você mesmo, sobre seus filhos, seus negócios, sua igreja, e tome posse daquilo que foi tomado no Jardim. Tudo que você colocar as mãos para Deus, por causa do sangue, certamente prosperará.
5. Os seus pés foram perfurados
Deuteronômio 28:13 diz: “E o Senhor te porá por cabeça e não por cauda, estarás sempre por cima e não por baixo.” Essa foi a promessa de Deus aos filhos de Israel se eles ouvissem aos mandamentos do Senhor, mas eles não quiseram ouvir e então a maldição de enfermidades se instalou.
Em Deuteronômio 11:24, lemos: “Todo lugar que puseres a planta do vosso pé será vosso por herança”. Quando o prego atravessou os pés de Jesus e o seu sangue correu pela quinta vez,
Autoridade e o Domínio foram tomados de volta. Seu sangue precioso nos deu novamente autoridade no nosso caminhar.
Aonde quer que estejamos o Reino de Deus está a nossa disposição. Somos benditos ao entrar e benditos ao sair. Temos autoridade de ir no campo do inimigo, despojar seu território, e amarrá-lo no nome de Jesus, por causa do sangue do Cordeiro.
Deus disse a Josué que todo solo que pisasse a planta do seu pé seria dele. É chegada nossa hora. Vamos reconquistar os territórios perdidos de nossa casa, família, finanças e tudo o mais.
6. Seu lado foi traspassado
O sexto lugar onde sofremos perdas é onde o inimigo colocou dores, pesares e sofrimentos em nossos corações. O sexto momento em que Jesus derramou seu precioso sangue foi quando uma lança foi enfiada em sua lateral. Quando isto aconteceu, na mesma hora, sangue e água jorraram dali.
Jesus sabia o que era ter um coração quebrantado e ferido. Ele foi traído por Judas, foi rejeitado pela multidão que pedia que ele fosse crucificado. Uma pessoa de dentro do seu círculo íntimo de amizades o havia negado. Sua nudez foi vista por todos e ele sofreu a pior experiência de todas: ter sido abandonado por Deus Pai (Mc 15:34). Sua dor resumiu-se em um profundo clamor: “Deus meu, Deus meu, por que me abandonaste?” Seu coração se arrebentou de dor e pesar naquela experiência.
Clinicamente é dito que, quando você sofre tamanha agonia, o seu coração desenvolve um saco de água ao redor dele. Os soldados não perfuraram o seu coração. Nosso Senhor morreu com um coração ferido pela própria humanidade, fazendo com que a água e o sangue fossem derramados por nós.
A alegria do Senhor é roubada quando temos corações feridos. Não temos forças. A vida inteira de uma pessoa pode ser afetada. Perdão é a chave para seu coração curado.
Jesus anunciou o seu ministério em Lucas 4:18 dizendo: “O Espírito do Senhor é sobre mim, pelo que ele me ungiu para pregar as boas novas aos pobres ele me enviou a curar os quebrantados de coração”.
Porque o sangue e a água escorreram, podemos reivindicar nossos corações sarados de volta. Podemos andar na alegria do Senhor, sermos fortes emocionalmente e seguros, e vivermos debaixo de céus abertos.
7. Ele foi ferido
A última parte que sofremos perdas em nossas emoções é a do nosso homem interior. Em Isaías 53:5 vemos: “Ele foi traspassado por nossas transgressões, ele foi moído por nossas iniquidades”.
A sétima vez que Jesus derramou o seu sangue foi quando Ele foi moído por nossas iniquidades. Ser moído fala de uma hemorragia interna. A Bíblia diz que os pecados dos pais são visitados na terceira e quarta geração. Isto é chamado de maldição hereditária.
Muitos sofrem de dores internas resultado das iniquidades de seus antepassados repassados a eles. E isso resulta, muitas vezes, em dores emocionais ou sofrimentos. Jesus foi moído de tal forma que podemos ser curados de dentro para fora. Por causa do sangue, podemos ser curados física, emocional e espiritualmente.
Tais bênçãos e recursos encontram-se à disposição de todos aqueles que crerem, confessarem as conquistas e se dispuserem a reinar com Cristo em vida. Podemos viver nesta vida aquilo que Deus projetou para Adão e Eva, sim.
No mundo, teremos aflições, mas Ele nos promete a vitória, o consolo e o êxito. Ele nos promete fazer mais do que vencedores, por causa da redenção, para que possamos conquistar a terra que mana leite e mel nos mais diferentes setores da sociedade que estivermos inseridos, desfrutando da vida abundante que Ele, como bom Pai, quer para nós, Seus filhos...

BISPO/JUIZ.MESTRE E DOUTOR EM ÊNFASE E DIVINDADES DR. EDSON CAVALCANTE

0 comentários:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.