Subscribe:

terça-feira, 24 de setembro de 2013

MESTRE SEGURA EM MINHAS MÃOS...


                                                  MESTRE SEGURA EM MINHAS MÃOS...
“Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que, segundo a sua grande misericórdia, nos regenerou para uma viva esperança, pela ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos, para uma herança incorruptível, sem mácula (incontaminável) e imarcescível (que não murcha), reservada nos céus para vós outros, que sois guardados pelo poder de Deus mediante a fé, para a salvação que está preparada para se revelar no último tempo” (1Pe 1.3-5)
“As minhas ovelhas ouvem a minha voz, e eu as conheço, e elas me seguem; eu lhes dou a vida eterna, e jamais perecerão; e ninguém as arrebatará da minha mão. Meu Pai, que mas deu, é maior do que todos; e ninguém pode arrebatá-las da mão de meu Pai” (Jo 10.27-29).
Há quem não tenha certeza da salvação? Há quem, chamando-se cristão, não leve a sério a segurança dessa salvação? Sim; por essa razão, João explicou porque escreveu o Evangelho que leva o seu nome: “Jesus, na verdade, operou na presença de seus discípulos ainda muitos outros sinais que não estão escritos neste livro; estes, porém, estão escritos para que creiais que Jesus é o Cristo. o Filho de Deus, e para que, crendo, tenhais vida em seu nome” (Jo 20. 30,31). E João, na sua Primeira Carta, “Estas coisas vos escrevo, a vós que credes no nome do Filho de Deus, para que saibais que tendes a vida eterna”, porque havia já naquela época alguns que não tinham muita segurança da salvação concedida por Jesus ( 5.13). A PESSOA QUE TEM MEDO DE PERDER A SALVAÇÃO AINDA NÃO É SALVA… POIS A SALVAÇÃO É O MAIOR TESOURO DE ALGUÉM… AQUELE QUE O GANHA NÃO O JOGA FORA. Rm 8.18 “Pois para mim tenho por certo que os sofrimentos do tempo presente não podem ser comparados com a glória a ser revelada em nós”…
I Co 15.19 “se a nossa esperança em Cristo se limita apenas a esta vida, somos os mais infelizes de todos os homens”.
É privilégio do salvo saber e viver como quem está eternamente salvo (glória a Deus por isso!), mas não é privilégio algum viver na incerteza da salvação.
E isso porque “os dons e a vocação de Deus são irrevogáveis (não podem ser anulados)” (Rm 11.29 TEB).
Pedro fala-nos da Regeneração: verbo ANAGUENAU, = fazer nascer de novo. A idéia de um novo começo, mediante um novo nascimento com a infusão da vida divina.
Imperecível – não perece
Imaculável – não é contaminada pelo mal
Imarcescível – não murcha
Ideia dos três adjetivos é que a salvação (herança = desfrutamos hoje, é uma propriedade já recebida, mas ainda aguardada) é intocável pela morte, impermeável ao mal e impenetrável pelo tempo.
A CERTEZA DA SEGURANÇA
A certeza da segurança da salvação, a certeza da perseverança vem de uma compreensão clara das coisas elementares dessa salvação. O regenerado se caracteriza por certas qualidades éticas e espirituais. Por exemplo, pelo discernimento da verdade . Não está aqui na palavra de Deus? “Quanto a vós, a unção que dele recebestes fica em vós, e não tendes necessidade de que alguém vos ensine; mas, como a sua unção vos ensina a respeito de todas as coisas, e é verdadeira, e não é mentira, como vos ensinou ela, assim nele permanecei” (1Jo 2.27).Essa é uma grande verdade espiritual que nós temos.
Querem ver outra que nos dá segurança? A posse do Espírito Santo. Não andamos ansiosamente buscando o Espírito Santo, não, porque quando cremos recebemos o Espírito: Ele é nosso (creio que fica melhor dizer, nós somos dEle); não é um objeto a ser possuído, Ele é que nos possui quando somos convencidos do pecado, da justiça e do juízo (1Jo 3.24; Rm 8.9, 14).
Uma terceira realidade espiritual é o amor à paz e à fraternidade (1 Jo 3.10,11,14). Vejo que todas elas são privilégios maravilhosos dados ao crente pela misericórdia de Deus. A justificação, quando você é declarado reto, livre, limpo dos seus pecados do passado (Rm 5.1); a adoção como filho de Deus, realidade marcante do seu presente (Jo 1.12; Rm 8.14, 15; Gl 3.26; 1Jo 3.1); e a santificação, quando você é declarado separado para Deus, como reserva especial para o nosso Pai .
E isso se perde? Podemos perder a justificação, e a adoção , a santificação, e a glorificação que nos aguarda? Somos reservados, regenerados para uma herança incorruptível (ela não decai, não se estraga), incontaminável (nenhum fungo pode maculá-la), e ela não murcha, essa herança que está reservada nos céus para os santos. Isso é a glorificação! E isso se perde? E isso vai para o lixo? Não! Estamos seguros! E por que estamos seguros? Por causa do amor de Deus que é imutável (Hb 6.17,18). Não pode existir essa idéia que Deus me ama hoje, mas amanhã ,não sei não… O amor de Deus não muda! Estamos seguros por causa de Suas promessas. E as promessas de Deus mudam? A palavra de Deus diz, “ele mesmo disse: Não te deixarei,
nem te desampararei” (Hb 13.5). Que promessa extraordinária! Quero ainda ir à Carta aos Hebreus: “para que por duas coisas imutáveis, nas quais é impossível que Deus minta, tenhamos poderosa consolação, nós, os que nos refugiamos em lançar mão da esperança proposta” (Hb 6.18). As gloriosas promessas de Deus não mudam!
Porque temos segurança da nossa salvação? Por causa da aliança feita com Deus. No profeta Jeremias, o texto diz: “E lhes darei um só coração, e um só caminho, para que me temam para sempre, para o seu bem e o bem de seus filhos, depois deles; e farei com eles um pacto eterno de não me desviar de fazer-lhes o bem; e porei o meu temor no seu coração, para que nunca se apartem de mim” (Jr 32.39,40). Como Deus é fiel; nós cantamos sempre a Sua fidelidade para conosco:
“Tu és fiel, Senhor, meu Pai celeste,
pleno poder aos teus filhos darás.
Nunca mudaste, tu nunca faltaste:
Tal como eras, tu sempre serás”.
Estamos seguros por causa do valor do sacrifício de Jesus Cristo, que não foi um sacrifício em vão. Vejo em João 6.39, o próprio Senhor dizendo, e repetimos o que já foi mencionado: “A vontade do que me enviou é esta: Que eu não perca nenhum de todos aqueles que me deu, mas que eu o ressuscite no último dia”.
Estamos seguros por causa do Espírito Santo que vive nos salvos, “o qual é o penhor da nossa herança, para redenção da possessão de Deus, para o louvor da sua glória” (Ef 1.14). “
PEDRO DIZ QUE “somos guardados pelo poder de Deus” vs 5. Assim, até parece que as perguntas de Romanos 8.31 a 39 foram feitas a pessoas que não criam na salvação eterna do crente. essas perguntas são:
“Se Deus é por nós, quem será contra nós?” (v. 31b);
“Quem intentará acusação contra os escolhidos de Deus?” (v. 33a);
“Quem os condenará?” (v. 34a);
“Quem nos separará do amor de Cristo?” (v. 35a);

e , aí, temos outras perguntas: “a tribulação, ou a angústia, ou a perseguição, etc.” (cf. v. 35), perguntas que falam de um modo tão claro, e para cada uma delas a resposta é “nada, ninguém, coisa alguma pode nos separar”. É verdade que Satanás, que é o nosso arqui-inimigo, tudo faz para derrubar o crente. Ele usa anjos maus, é verdade, e usa gente incrédula, é verdade. E a lista do verso 35 de Romanos 8 fazem parte de um rol das possíveis dificuldades que poderiam ser interpretadas como ausência do amor de Deus. Quais são elas? A tribulação, a angústia, a perseguição, a fome, a nudez, o perigo (seja qual for), a espada . Não, nada disso nos separa do amor de Deus. Pelo contrário, vou, então, ao Salmo 44.22, e encontro a expressão, “Mas por amor de ti somos entregues à morte o dia todo; somos considerados como ovelhas para o matadouro”.
Assim, a nossa maior qualidade dada por Jesus Cristo é sermos “mais que vencedores”, diz a Escritura (Rm 8.37).
Um salvo pode cair em pecado? Pode distanciar-se de Deus? Sim, porque o crente em Jesus Cristo, o verdadeiro crente, não fica derrubado, não. Miquéias, o profeta, diz: “Não te alegres, inimiga minha, a meu respeito; quando eu cair, levantar-me-ei; quando me sentar nas trevas, o Senhor será a minha luz. Sofrerei a indignação do Senhor, porque tenho pecado contra ele; até que ele julgue a minha causa, execute o meu direito. Ele me tirará para a luz, e eu verei a sua justiça” (7.8,9), pois, “Confirmados pelo Senhor são os passos do homem em cujo caminho ele se deleita; ainda que caia, não ficará prostrado, pois o Senhor lhe segura a mão” (Sl 37.23,24).
Até o erro, o pecado, tem seu lado de crescimento. Paulo quando escreve o Hino de Exaltação a Deus pelo Seu cuidado amoroso, diz que “sabemos que todas as coisas concorrem para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito” (Rm 8.28). Até o pecado, até o engano, até aquilo que não devíamos fazer mas fazemos, sendo circunstancial, ele nos ensina, tem seu valor pedagógico. O crente em Jesus Cristo não pode perder a salvação porque tem um grande Salvador que não deixa a Sua obra pela metade, não. A missão de Jesus não ficou no Calvário, não: foi até à ressurreição, e Ele saiu dentre os mortos, e garantiu a nossa salvação. Como é que um grandioso Salvador como esse nos deixaria na metade do caminho?
Também porque não podemos perder a nossa redenção, visto que, mesmo acusados por Satanás, temos um advogado diante do Pai (1Jo 2.1; cf. Hb 9.24).
SEGURANÇA E PERSEVERANÇA
No entanto, que tranquilidade tem o crente em Jesus Cristo que leva a sério a segurança da salvação!… As promessas do Senhor nos dão segurança (cf. Jr 32.40; Jo 6.37; 2Tm 2.19); vida eterna não é fumaça (cf. Jo 6.47)! (cf. 1Jo 5.11-13). Nós estamos seguros, seguros nas mãos fortes do Senhor! (cf. Sl 37.23,24,28a; 97.10). E lembremos que a ressurreição de Jesus Cristo é o alicerce desta segurança (Ef 2.6).
Vejam agora uma coisa muito séria: só quando se confia em Jesus até certo ponto é que se tem medo de perder a salvação. Se a nossa confiança é até certo ponto, fica difícil, porque aí você tem medo de perder a salvação porque nunca viveu de verdade o amor de Deus… Nunca olhou em seus olhos como o filho perdido que voltou para casa e não merecendo nada, teve o amor do pai exposto a ele. TEMOS MEDO?
Como fica, então, a promessa de Jesus em João 14.18 que diz: “Não vos deixarei órfãos”? E aquela que diz “estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos”? (Mt 28.20). Ou Jesus é nossa esperança para tudo, ou não é esperança para coisa nenhuma! Mas, Paulo, apóstolo, nos fala ao coração dizendo: “o qual vos confirmará até o fim, para serdes irrepreensíveis no dia de nosso Senhor Jesus Cristo. Fiel é Deus, pelo qual fostes chamados para a comunhão de seu Filho Jesus Cristo nosso Senhor” (1Co 1. 8,9). Que palavra linda e extraordinária! Por isso, à luz destes fatos, não entendo como há quem pregue que a salvação pode ser perdida?! e graças a Deus não é salvação temporária, não é condicional, não é até certo limite. É uma eterna e gloriosa salvação! Por isso, os santos perseveram: porque Deus é fiel (1Co 1.9). E Deus é fiel no que planejou, e no que prometeu.
Mas há quem saia do nosso meio? Há? Sem dúvida! E a Bíblia diz que há aqueles que não se aguentaram no nosso meio porque “saíram dentre nós, mas não eram dos nossos; porque, se fossem dos nossos, teriam permanecido conosco; mas todos eles saíram para que se manifestasse que não são dos nossos” (1Jo 2.19). Voltaram para o mundo porque a ele pertenciam, abandonaram a família de fé. Mas, há quem saia do nosso meio? Há sim: são aqueles a quem Jesus Cristo vai dizer, “Nunca vos conheci” (cf. Mt 7.21-23).
A Escritura Sagrada tem três lições que não podemos jamais esquecer. A perdição humana é total, porque a Queda foi total, e todos fomos arrastados pelo pecado.
MAS DEUS NOS DEU VIDA ESTANDO NÓS MORTOS. Essa vida não se perde… É uma herança
que a morte não pode tocar = incorruptível
Que o mal não pode alcançar = sem mácula
Que o tempo não pode vencer = imarcescível…
RESERVADA AONDE? Nos céus… PARA QUEM? Para vós que sois guardados pelo poder de Deus...

BISPO/JUIZ.MESTRE E DOUTOR EM ÊNFASE E DIVINDADES DR.EDSON CAVALCANTE

0 comentários:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.