Subscribe:

sábado, 24 de agosto de 2013

JOVENS CRISTÃS VITIMAS DE ABUSO SEXUAL, SERÁ QUE ISSO ACONTECEU COM VOCÊ?


JOVENS CRISTÃS VITIMAS DE ABUSO SEXUAL, SERÁ QUE ISSO ACONTECEU COM VOCÊ?
A dúvida que surge em nossas mentes, e que nos inquieta, é, mas por quê? O que leva um adulto aparentemente dotado de atitudes normais, que convive perto de nós, que visita a mesma panificadora, o mesmo supermercado, a cometer um crime tão vil, tão bárbaro, tão nojento, tão repugnante? Mas por que, um pai de família, aparentemente normal, que mostra sanidade mental pública, alicia, estupra e violenta sua própria filha, para saciar seus desejos sexuais mais perversos? Por que um pai destrói a vida, a infância, a pureza de sua própria filha, com um ato irresponsável e insano?

“ A família e a própria casa são a maior proteção que uma criança pode ter contra os perigos do mundo. É nesse ninho de amor, atenção e resguardo que ela ganha confiança para lançar-se sozinha, na idade adulta, à grande aventura da vida. Mas nem todas as crianças com família e quatro paredes sólidas em seu redor são felizes. Em vez de contarem com amor de adultos responsáveis, elas sofrem estupros e carícias obscenas. Em lugar do cuidado que a sua fragilidade física e emocional requer, elas são confrontadas com surras e violências psicológicas para ficarem caladas e continuem a ser violadas por seus algozes impunes… Estima-se que, no Brasil, a cada dia, 165 crianças ou adolescentes sejam vítimas de abuso sexual. A esmagadora maioria deles, dentro de seus lares. Segundo a pesquisa de uma Ong (SaferNet Brasil) destinada a combater a pedofilia na Internet, entre 2006 a 2008 recebeu denúncia sobre 109.000 páginas com conteúdo pornográfico infantil.” Laura Diniz e Leonardo Coutinho da Revista veja

O que motiva um adulto cometer esse crime? O que está havendo com a sociedade, que não obstante a crescente cultura, as conquistas de bens de consumo, o avanço tecnológico tem tido comportamentos de bárbaros, de trogloditas, na falta de respeito aos princípios basilares de convivência social?

Como explicar tudo isso? Como explicar para a nova geração esses malefícios cometidos nos dias de hoje?

Muitos psicólogos, psicoterapeuta, pedagogos, assistentes sociais, antropólogos, homens e mulheres que estudam o comportamento humano, têm debatido e se extenuado, buscando em Freud, Lacan, Young, Sócrates, Aristóteles, Platão, e outros filósofos a resposta, mas o certo é que a pergunta continua, mas por quê?

“Claudia Araújo, pesquisadora, menciona dados alarmantes de agressões e violência sexual. Ela menciona que a agressão sexual afeta 15% dos 65 milhões de menores de 18 anos no Brasil. Dois terços das agressões são contra meninas. Cerca de 300 mil meninas são vítimas de incesto pai-filha todos os anos. Mais de 100 mil delas tentam o suicídio em decorrência desse ato. Há ainda a informação de 100 crianças morrem por dia no Brasil, vítimas de maus-tratos, segundo o LACRI (1998).”

Ainda comentando sobre o estudo financiado pela Organização Pan-americana da Saúde (1994), chama a atenção de que somente 2% dos casos de abuso sexual contra crianças e adolescentes, dentro da família, são denunciados à polícia, e devido ao constrangimento causado pelo estupro e pelos abusos, os dados sobre esses crimes são mais difíceis de serem pesquisados de acordo com o Ministério da Justiça/ Pacto contra a Violência(2000).(http://www.profissaomestre.com.br

E ainda conclui falando da violência contra mulheres (meninas, adolescentes e jovens), de grande incidência, mas de difícil registro, que segundo ela “(..) nos remete à fragilidade da atenção prestada a essas pessoas, que por falta de legislação que as ampare em todos os sentidos tais como os seus direitos constitucionais, a proteção e punição exemplar de seus agressores, continuam sujeitas aos espancamentos, violências domésticas, sexuais, psicológicas e outras”.(http://www.caminhos.ufms.br/html/artigo_claudia_araujo.pdf) “ Tirada do Livro “ As meninas do Lar Ester” do Pr Daniel Batistela

Perfil da vítima

As crianças e adolescentes vítimas de abuso sexual eram, na maioria dos casos, do sexo feminino (80,9%), enquanto que apenas 19,1% das vítimas eram do sexo masculino. A idade de início dos abusos concentrou-se em três faixas etárias, sendo que 10,6% das crianças apresentavam idade entre 2 e 5 anos, 36,2% destas tinham entre 5 e 10 anos e 19,1% tinham entre 10 e 12 anos. A maioria das crianças (26,6%) freqüentava o ensino fundamental no início das agressões. A idade da denúncia concentrou-se na adolescência, uma vez que 42,6% apresentavam idade entre 12 e 18 anos quando a situação abusiva foi delatada. Os demais casos foram denunciados quando a vítima tinha entre 1 e 5 anos (14,9%), 5 a 10 anos (20,2%) e 10 a 12 (22,3%).

Em 90, dos 94 documentos analisados, havia registro de características do agressor. Na maioria dos casos este era do sexo masculino (98,8%) e tinha vínculos afetivos e de confiança com a vítima. Em 57,4% dos casos, o agressor era pai da vítima e em 37,2% dos casos, este era padrasto ou pai adotivo desta. Estes resultados corroboram a literatura especializada que aponta que o abuso sexual contra crianças e adolescentes são perpetrados, na maioria dos casos, por cuidadores do sexo masculino.

A maioria dos agressores (52,2%) tinha idade entre 31 e 40 anos. Verificam-se, ainda, informações disponíveis nos processos sobre características pessoais comumente apontadas como fatores de risco para violência sexual. Entre estas, as mais significativas são agressividade, problemas com álcool e outras drogas, transtornos mentais, rigidez, fanatismo religioso e possessividade. (Pesquisa da Universidade doe Rio Grande do Sul)

“No norte essa estatística é mais agravante, segunda a advogada Maíra Barreto lembra que determinadas comunidades ribeirinhas da Amazônia, o costume de um pai iniciar sexualmente suas  menores é aceitável. Essa combinação de incesto e pedofilia pode explicar, inclusive, a origem de uma lenda regional: a do boto que, em noites de lua cheia, se transforma em homem e engravida as virgens incautas. Ou seja, grande parte dos ‘filhos do boto’ é fruto de incesto. Em relação ao total de nascimento registrado no país entre 2003 a 2006, a porcentagem de crianças de mães com idade até 14 anos é de 1,47% no Norte. É o mais alto índice entre as regiões do país.” Veja

Do ponto de vista médico, a pedofilia é um distúrbio psicossexual – para que alguém seja considerado pedófilo, basta que sinta desejo sexual por crianças e nutra fantasias constantes com elas. Já a lei só considera criminoso aquele que, da fantasia, parte para a ação.

PERSPECTIVAS BÍBLICAS SOBRE O ABUSO INFANTIL


São dois os maiores pecados que se cometem nos dias de hoje: o primeiro é contra a criança, que busca em seus pais o amor, a proteção e o acolhimento. O segundo é contra os velhos, nossos pais e avós, que depois de lutar a vida inteira para criar e educar filhos e netos são agredidos, espancados e tidos como um estorvo e um objeto que se quer descartar, e se livrar.

Que tipo de homens, destrói sonhos de uma vida, que tem uma criança, e repudia desonrando àqueles a quem deveria prestar honra que são os nossos velhos?

Que geração advirão depois dessas mazelas cometidas contra uma geração que está chegando e a outra que está deixando essa vida?

“Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e desesperadamente corrupto; quem o conhecerá? Eu, o SENHOR, esquadrinho o coração, eu provo os pensamentos; e isto para dar a cada um segundo o seu proceder, segundo o fruto das suas ações.” Jeremias 17:9,10

Na Bíblia se encontra varias referencias sobre o incesto, cabe citar uma delas:

“Nenhum homem se chegará a qualquer parenta da sua carne, para descobrir a sua nudez: Eu sou o Senhor. Não descobrirás a nudez do teu pai e da tua mãe: ela é tua mãe; não descobrirás a sua nudez. Não descobrirás a nudez da mulher do teu pai. A nudez da tua irmã, filha do teu pai, ou filha da tua mãe, nascida em casa ou fora da casa, a sua nudez não descobrirás. A nudez da filha do teu filho, ou da filha da tua filha, a sua nudez não descobrirás: porque é tua nudez. A nudez da filha da mulher do teu pai, gerada do teu pai (ela é tua irmã), a sua nudez não descobrirás. A nudez da irmã do teu pai não descobrirás; ela é parenta do teu pai. A nudez da irmã da tua mãe não descobrirás; pois ela é parenta da tua mãe. A nudez do irmão do teu pai não descobrirás; não te chegarás à sua mulher; ela é tua tia. A nudez da tua nora não descobrirás; ela é mulher do teu filho; não descobrirás a sua nudez. A nudez da mulher do teu irmão não descobrirás; é a nudez do teu irmão. A nudez de uma mulher e da sua filha não descobrirás: não tomarás a filha do seu filho, nem a filha da sua filha, para descobrir a sua nudez; parentas são; maldade é. Com nenhuma destas coisas vos contamineis; porque em todas estas coisas se contaminaram as gentes que eu lanço fora de diante da vossa face. Pelo que, a terra está contaminada; e eu visitarei sobre ela a sua iniqüidade, e a terra vomitará os seus moradores. “ (Levítico 18:6-18, 24,25) .

Deus ama as crianças e quer o bem delas e isso é expresso no comportamento de Jesus em relação às crianças, repreendendo os discípulos quando tentavam impedi-las de chegar-se a ele.

“Trouxeram-lhe, então, algumas crianças, para que lhes impusesse as mãos e orasse; mas os discípulos os repreendiam. Jesus, porém, disse: Deixai os pequeninos, não os embaraceis de vir a mim, porque dos tais é o reino dos céus. E, tendo-lhes imposto as mãos, retirou-se dali.” Mateus 19:13-15

Satanás o grande inimigo de Deus e do homem tenta destruir aquilo que mais de precioso foi criado, que são as crianças nascidas por dádiva divina.

A bíblia relata situações que demonstra a ira de Satanás se revelando através das ações de homens perversos, homens sem Deus, homens sem temor, que usam de sua autoridade para destruir o que tem de mais precioso em uma sociedade, que é a criança.

Faraó, que por inveja e ciúme, com medo de perder o poder, manda matar todas as crianças israelitas, tentando atingir Moisés, a quem Deus prometera ser o libertador do povo.

Semelhantemente, Herodes, se vendo ameaçado de perder o poder e na busca de satisfação pessoal, também manda matar crianças israelitas, destruindo com isso sonhos e deixando milhares de famílias enlutadas.

Se não bastasse todos esses crimes e abusos contra crianças, Satanás  consegue colocar na mente de muitos pais sem o temor de Deus em suas vidas para oferecer seus próprios filhos há deus diabólico, perverso onde as crianças eram sacrificadas.

imagem deus moloque

Esse deus se chamava Moloque, dos amonitas, deus do sacrifício infantil. Levítico 20.1-3. Era uma imagem horrenda. Davam-lhe a aparência de um deus meio homem, meio boi. Sua estátua era toda de bronze, tinha os braços compridos, a fim de receber as criançinhas dos seus tolos adoradores. Os seus sacerdotes o recheavam de produtos inflamáveis, aqueciam-no, e com o deus todo esbraseado, aos rumores de tambores, e incentivados por satanás os amonitas vinham e colocavam os seus filhinhos nas mãos de Moloque. Covarde e barbaramente, assim eram assassinadas milhares de crianças amonitas. Era conhecido como Moleque, Malcã e Milcon. Seus sacrifícios eram crianças recém-nascidas, filhas dos amonitas. Deixavam-nas cair numa fornalha onde eram carbonizadas. Os pais dessas crianças pensavam estar buscando o favor de Moloque e expiação das suas faltas, o louvor e as vitórias nas guerras perante seu deus.

A busca da satisfação pessoal, era tamanha que os filhos eram sacrificados, não se importando com sofrimentos advindos de tal ato insano.

Existem ainda hoje, algumas religiões em tribos que oferecem aos seus deuses suas crianças, praticando o infanticídio. Tal prática, todavia, é condenada de forma enérgica pela Palavra de Deus. Somente Deus poderá tirar a vida. Ele deu vida e Ele é quem nos recolhe.

A pedofilia é um ato insano, realizado por homens que não diferentemente dos adoradores de Moloque, cometem as maiores barbaridades contra crianças e adolescentes, para satisfazer sua satisfação pessoal e a sua afirmação de macho, certos de que serão impunes, contando com a fraqueza das leis, a leniência da justiça e das injustiças cometidas por aqueles que deveriam aplicar a lei com severidade.

Ainda hoje, infelizmente, muitas crianças estão sendo oferecidas a Moloque, para serem destruídas em seus sonhos, sua beleza, sua pureza.

“O silêncio dos justos causa mais barulho que o tumulto dos violentos”, Martin Luther King

A apatia, a indiferença, a negligência e a conivência de muitos fazem crescer o índice desse crime no meio da nossa sociedade. Os homens de bem tem o dever de se posicionar, de mostrar que não concordam com essa prática maligna e perversa.

Sobretudo, construir valores cristãos dentro de nossas próprias casas, a fim de que nossos filhos encontro no lar o aconchego, a  paz, a saúde e a vida para propagar uma posteridade abençoada e próspera.

Fundamentalmente os pais precisam converter-se aos corações de seus filhos e dos filhos aos corações de seus pais, para que aja bênção na terra. “Eis que eu vos enviarei o profeta Elias, antes que venha o grande e terrível Dia do SENHOR; ele converterá o coração dos pais aos filhos e o coração dos filhos a seus pais, para que eu não venha e fira a terra com maldição.” Malaquias 4:5,6

Quando o homem compreender que através do temor a Deus muitas bênçãos virão na sua vida, família e nação, certamente muitas desgraças deixarão de existir dentro de seus próprios lares. Onde o deus Moloque tem mais agido, pois tem faltado Deus.

“Bem-aventurado aquele que teme ao SENHOR e anda nos seus caminhos! Do trabalho de tuas mãos comerás, feliz serás, e tudo te irá bem. Tua esposa, no interior de tua casa, será como a videira frutífera; teus filhos, como rebentos da oliveira, à roda da tua mesa. Eis como será abençoado o homem que teme ao SENHOR! O SENHOR te abençoe desde Sião, para que vejas a prosperidade de Jerusalém durante os dias de tua vida, vejas os filhos de teus filhos. Paz sobre Israel!” Salmo 128...
BISPO/JUIZ. MESTRE E DOUTOR EM ÊNFASE E DIVINDADES DR.EDSON CAVALCANTE

0 comentários:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.