Subscribe:

segunda-feira, 15 de julho de 2013

JESUS SINTO O TEU DOCE PERFUME...


                                                JESUS SINTO O TEU DOCE PERFUME...

I Coríntios 2:14-17
I Razão: Deus sempre nos conduz em triunfo V 14 (a).
Paulo via o ministério cristão sempre sendo conduzido em triunfo.
Você me pergunta como em triunfo? Pois estou enfrentando todo tipo de dificuldade, problema luta e enfermidade.
A bíblia nos ensina que temos duas maneiras de vermos a vida.
 Primeira visão: do homem carnal, tem uma visão meramente humana, vendo a vida em uma perspectiva humana, de que tudo terminasse nessa vida. Sendo assim somos os mais miseráveis dos homens.
Segunda visão: O homem espiritual, pois vê a vida na perceptiva da eternidade, ou seja, tudo o que faz, faz pensando na eternidade, a luz da vida eterna, vai perceber seu ministério sendo conduzido em triunfo.
Quando Deus conduz a nossa vida soberanamente. Porque Paulo tinha certeza que Deus estava conduzindo sua vida.
Quando estudo o capítulo 11 da carta aos Hebreus, eu fico impressionado como Deus conduziu aqueles homens em triunfo. Mesmo que aos olhos deste mundo foi um fracasso, mas aos olhos de Deus foi um sucesso.
 E cada de um nós andando por fé e não por vista, estamos compondo o capítulo 11 de Hebreus.
Quando somos dirigidos por Deus através do Espírito Santo, gera em nosso coração a mesma certeza, que gerou no coração do apóstolo Paulo, quando ele compôs o cântico da vitória:
(Romanos 8:37-39) – “Mas em todas estas coisas somos mais do que vencedores, por aquele que nos amou. Porque estou certo de que, nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as potestades, nem o presente, nem o porvir, nem a altura, nem a profundidade, nem alguma outra criatura nos poderá separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus nosso Senhor.”
O que é uma vida em triunfo? A firme certeza, de que a cada dia, nada nem no mundo presente, nem no mundo futuro, poderá me separar do amor de Deus que está em Cristo Jesus.
Quando você levantar pela manhã, diga a você mesmo, em voz alta: Hoje, nada vai me separar do amor de Deus que está em Cristo Jesus. Isso sim é uma vida conduzida em triunfo.
II Razão: Através de nós, o cheiro do conhecimento de Cristo é espalhado no mundo V 14.
Por meio de nós se manifesta o cheiro do conhecimento de Cristo, em todos os lugares. O cristão carrega consigo um perfume que é o conhecimento de Jesus, o filho de Deus.
Quando andamos por fé, e quando confiamos na soberania de Jesus, nos tornamos o perfume de Cristo diante dos homens e um perfume que sobe até as narinas de Deus.
Nos evangelhos tem uma história muito bonita, pois esta acontecendo um jantar na casa Simão, o leproso. Então, aproxima por trás uma mulher com um vaso alabastro de grande valor e derramou sobre a cabeça do Senhor Jesus e toda a casa ficou cheia do perfume de Cristo.
Toda a casa ficou perfumada pelo ato daquela mulher. Assim é quando o servo de Jesus, o adorador de Jesus chega,  logo todos estão perfumados pelo conhecimento de Jesus.
Quando nossas palavras transmitem graça, bondade, amor, perdão e misericórdia.
Nossas palavras são como um perfume para a vida.
Interessante, o perfume, a gente não vê, mas sente o cheiro.
Mas o importante, é que todos nós gostamos de estar perto de um bom perfume.
Existem dois tipos de perfume:
Aquele perfume que a gente se sente mal e fica com dor de cabeça, dá uma ardência no nariz, dá náusea, é aquele que queremos distância.
Mas existe um tipo de perfume, que é gostoso e a gente gosta de sentir o cheiro, gostar de estar perto.
Qual é o tipo de perfume que você é? Aquele que as pessoas gostam de estar perto ou daquele que as pessoas querem distância.
Porque a multidão andava quilômetros a pé para ver Jesus, para ouvir Jesus.
(Mateus 8:1) -         “E, DESCENDO ele do monte, seguiu-o uma grande multidão.”
Se você deseja atrair as pessoas, precisamos observar como Jesus andava e como Jesus ensinava e seguir os seus passos.
Jesus tinha os braços abertos para os enfermos, Jesus tinha braços abertos para os pecadores, Jesus tinha braços abertos para os excluídos, e ninguém saía sem uma palavra que cheirasse amor, cheirasse esperança, cheirasse animo e cheirasse vida.
O evangelho é o perfume de Deus aos homens.
III Razão: a mensagem do evangelho nunca é neutra V 15.
Paulo está ensinando que diante da mensagem do Evangelho não tem como ficar neutro.
Pois a mensagem é o cheiro de vida para aqueles que recebem e crê em Jesus como seu salvador. Mas é cheiro de morte para aqueles que rejeitam a mensagem.
O evangelho tem duplo efeito, salva ou condena, mas  ninguém fica sem se posicionar diante da mensagem.
A bíblia sempre exige um posicionamento daqueles que ouvem a mensagem, pois só existem dois caminhos, o caminho da vida e o caminho da morte.
Moisés:
(Deuteronômio 30:19) – “Os céus e a terra tomo hoje por testemunhas contra vós, de que te tenho proposto a vida e a morte, a bênção e a maldição; escolhe pois a vida, para que vivas, tu e a tua descendência,”
Josué:
(Josué 24:15)  - “Porém, se vos parece mal aos vossos olhos servir ao SENHOR, escolhei hoje a quem sirvais; se aos deuses a quem serviram vossos pais, que estavam além do rio, ou aos deuses dos amorreus, em cuja terra habitais; porém eu e a minha casa serviremos ao SENHOR.”
Jesus -(Mateus 7:13-14) – “Entrai pela porta estreita; porque larga é a porta, e espaçoso o caminho que conduz à perdição, e muitos são os que entram por ela; E porque estreita é a porta, e apertado o caminho que leva à vida, e poucos há que a encontrem.”
Pedro
(I Pedro 2:7-8) – “E assim para vós, os que credes, é preciosa, mas, para os rebeldes, a pedra que os edificadores reprovaram, Essa foi a principal da esquina, E uma pedra de tropeço e rocha de escândalo, para aqueles que tropeçam na palavra, sendo desobedientes; para o que também foram destinados.”
Diante da mensagem não tem como ficar em cima do muro.
Por isso que Paulo vê o evangelho triunfando sempre, ele sempre cumpre o seu papel, pois, salva ou condena, o pecador.
IV Razão: fidelidade a pregação da palavra de Deus V 17.
Salienta o contraste entre a sua mensagem e dos falsos mestres:
 Eram os falsos mestres, era judaizante que misturando o evangelho da graça e com a Lei de Moisés. Eles ensinavam: que apenas crer em Jesus não era suficiente para a salvação, que precisavam guardar a lei e suas cerimônias para ser salvo.
Quando olhamos para os falsos mestres, aprendemos o que não devemos pregar: Não devemos pregar o evangelho pela metade. Explico desde o começo do meu ministério, sempre preguei livros inteiros, em formato expositivo, assim, tenho que pregar o que está no livro, sem fugir de nenhuma doutrina ou ensino do Senhor. Mas a característica dos falsos mestres é pregar os versículos fora do contexto, apenas, parte da bíblia que lhes interessa.
Quando olhamos para Paulo apreendemos o que devemos pregar:
Antes, falamos com sinceridade a palavra de Deus, como na presença de Deus V 17 (b).
Dois princípios que aprendemos na pregação de Paulo:
Paulo era sincero, não era um homem de duas ideias, duas palavras ou dois ensinos, ensinava a verdade as suas ovelhas.
Paulo pregava na presença de Deus, ou seja, Deus era a principal testemunha da sua pregação. Esse deve ser o princípio seguido por todos os pregadores, pastores e professores, etc.
Toda às vezes que pregamos a palavra com fidelidade, independente dos resultados visíveis e humanos, será um triunfo, pois fomos fiéis a mensagem de Deus.
Penso em Jeremias que pregou durante quarenta anos e não houve mudança, mas ele foi fiel a mensagem.
Mas a palavra triunfou? Sim, por quê? Porque aquela geração não ficou sem o testemunho da verdade.
Conclusão: Essa era a visão de Paulo sobre o ministério cristão, pois todas às vezes que houver testemunho de Cristo, todas as vezes que o evangelho for pregado com fidelidade, independente do resulto, o evangelho triunfou...

BISPO/JUIZ.MESTRE E DOUTOR EM ÊNFASE E DIVINDADES DR.EDSON CAVALCANTE

0 comentários:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.