Subscribe:

terça-feira, 2 de abril de 2013

PARA DEUS AGIR É NECESSÁRIO MUDANÇA DE ATITUDES...



                               PARA  DEUS AGIR É NECESSÁRIO MUDANÇA DE ATITUDES...

(At. 3.1-10)

1.1 Introdução:
O texto começa a montar o cenário: que tinha um coxo que se acostumou diariamente a ficar em um determinado lugar: a porta do templo chamada Formosa. Esta porta ficava na parte leste do santuário e, provavelmente era conhecida como Coríntia, a qual dava acesso ao primeiro pátio inferior que era o pátio das mulheres. Ali era o limite máximo para um coxo permanecer no templo naquela época: “na porta, no lado de fora”. Pois o sacerdote não poderia ter defeitos físicos: (Lv. 21.18): “ Pois nenhum homem em que houver defeito se chegará: como homem cego, ou coxo, ou rosto mutilado, ou desproporcionado”. E certa vez quando Davi estava conquistando Sião (Jerusalém), o próprio Davi viu os deficientes como pessoas que atrapalhavam o desenvolvimento da sociedade, e por isto disse: “ todo o que está disposto a ferir os jebuseus suba pelo canal subterrâneo e fira os cegos e os coxos, a quem a alma de Davi aborrece ( Por isso, se diz: Nem cego nem coxo entrará na casa)” (2 Sm 5.8). O coxo que esmolava na porta do templo Formosa era recriminado, tanto pela religião como pela sociedade. Talvez você esteja se perguntando: E por Deus? Com certeza não, pois Jesus vivia no meio deles realizando várias curas.

Só que naquele dia, às três horas (hora nona) o coxo iria receber aquilo que talvez já tinha esquecido por causa do tempo, que um dia ele poderia andar, ser curado e restaurado.

1.2 Transição:
O que o texto nos mostra?

1.3 O coxo estava no lugar certo, mas agia de forma errada: O coxo tinha uma oportunidade que muitos da época gostaria: “de estar todos os dias no templo, na casa do Senhor”.A finalidade maior para qualquer pessoa ir ao templo tem que ser Deus. Mas a finalidade que levava o coxo ao templo todos os dias, não era Deus, e sim as esmolas. Muitas pessoas, infelizmente, têm agido da mesma forma no que diz respeito à casa do Senhor, pois, o seu prazer de ir a casa do Senhor não é Deus e sim um amigo, a necessidade de procurar uma namorada, ter um momento para conversar (na hora a pregação), ou por causa da teologia da troca: eu vim e agora eu tenho que receber. O salmo 84 revela três motivos que nos levam à casa do Senhor: Primeiro é o prazer: “ A minha alma suspira e desfalece pelos átrios do Senhor” (v.2); segundo é o amor: “Quão amáveis são os teus tabernáculos” (v.1) e terceiro, a necessidade: “ Pois um dia nos teus átrios vale mais que mil; prefiro estar à porta da casa do meu Deus, a permanecer nas tendas da perversidade” (v. 10).

• O tempo acabou fazendo monótona a sua ida à Casa de Deus: Sem o prazer, sem o amor, sem a necessidade, e ter que ir à Casa de Deus somente por interesse, acabou deixando a vida religiosa do coxo completamente monótona: assentado à porta do templo, com cabeça baixa e se sentindo o pior de todos (sentimento de inferioridade) . Olha como ficou a vida daquele coxo na casa de Deus depois que ele foi curado: “de um salto se pôs em pé, passou a andar e entrou com eles no templo, saltando e louvando a Deus”. O que lhe faltava era ter uma experiência com Deus. Quantas pessoas que entraram em um ritual de ir e vir da casa de Deus que ainda não têm nenhuma experiência com Deus para se alegrar e testemunhar para os outros que Deus fez algo em suas vidas?

• A síndrome de Gabriela (conformismo): “eu nasci assim, vou ser sempre assim”. Quantas pessoas estão vivendo uma vida de comodismo: Ah! Eu não tenho dom, eu não sou capaz, eu sou limitado. Pare com isto meu irmão! Dê um salto, e se ponha de pé” e comece a pedir a Deus uma experiência espiritual. Passe a buscar a sua própria unção e deixe de correr atrás da unção dos outros, porque a necessidade da unção dos outros e a falta de ter a sua própria unção faz de você uma presa fácil para com os falsos profetas. Quantas pessoas já foram enganadas por falsas profecias, e continuam sendo enganadas primeiramente, porque não querem aceitar que sofreram uma decepção, mas lembre-se: foram decepcionadas pelo homem e não por Deus, porque aquilo que Deus promete, ele cumpre. Segundo por causa do comodismo de depender da unção e da oração dos outros.

1.4 Pedro e João fitaram os olhos no coxo:
É o mesmo que fixaram, ou olharam mutuamente para o coxo. Na verdade, a primeira atitude do ser humano quando vê que alguém deficiente vai lhe pedir uma esmola é virar o rosto, é dar as costas, é fazer que não está vendo. Só que a atitude de Pedro e João foi outra: eles olharam firmemente para o coxo... Olho no olho.

• Deus jamais irá das as costas para os seus problemas e o seu sofrimento: Pedro e João eram agentes de Deus naquele momento. O coxo tinha um grande problema, e eles não deram as costas, pelo contrário, eles encararam o problema. Quantas vezes, quando você estava atravessando um momento difícil, nestas horas em que você mais precisou as pessoas lhe viraram as costas. Mas uma coisa gostaria de lhe falar: Deus jamais irá virar as costas para os seus problemas, o seu sofrimento: “ No dia em que o Senhor vier a dar-te descanso do teu sofrimento, das tuas angústias...” (Is.14.3).

1.5 O coxo olhou atentamente, esperando alguma coisa:
Na verdade esta frase abre uma lacuna no que o coxo estava esperando: talvez uma resposta grosseira: vá trabalhar vagabundo! Eu não tenho culpa de você ter nascido assim; ou talvez esperava receber uma boa esmola, mas mesmo recebendo uma boa esmola o coxo iria continuar sendo coxo. Pedro então disse: não tenho cousas materiais: prata e ouro. Mas tenho Jesus de Nazaré, tenho fé! Mesmo depois de proferir as palavras de cura Pedro teve que tomar pela mão direita e levantar. Isto mostra que Deus não faz a obra pela metade.

1.6 Conclusão:
Vimos então que o coxo de nascença já tinha perdido a esperança de um dia voltar a andar. O tempo acaba sendo nosso inimigo quando estamos esperando algo de Deus, pois, quanto mais demora, mais longe parece ficar das nossas mãos a esperança ou o sonho. Mas, lembre-se: se Deus não esqueceu de um coxo de nascença e o fez andar sendo que jamais tinha andado, da mesma forma Ele nunca se esqueceu de você. Pense Nisso!

1.7. Perguntas para o grupo em Discipulado:

1. Quais os comodismos que temos visto das pessoas no templo?

2. O que tem faltado hoje para as pessoas terem mais prazer em ir a casa de Deus?

3. Conte uma experiência de uma situação difícil que você precisou de ajuda e as pessoas viraram as costas para você?

BISPO/JUIZ.PHD.THD.DR.EDSON CAVALCANTE

0 comentários:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.