Subscribe:

sábado, 16 de fevereiro de 2013

CADÊ MEUS AMIGOS?



                                                    CADÊ MEUS AMIGOS?

(Jó 19)

Todos nós conhecemos a história de Jó e o seu sofrimento. Sabemos também que este sofrimento foi causado por Satanás com uma ordem permissiva de Deus. Deus só permitiu porque conhecia o coração de Jó e sabia que ele era um homem íntegro e fiel. A idéia, na época de Jó, era que o sofrimento humano acontecia por causa do pecado, e Jó passou por todos os tipos de sofrimento possíveis de um ser humano na sua escala máxima: perdeu os seus bens, seus filhos e filhas, sua saúde, foi humilhado e menosprezado pela sua própria esposa. O que lhe restou foram 3 amigos: Elifaz, Bildade e Zofar. No primeiro momento os 3 amigos de Jó tiveram uma boa intenção: (2.11LH): “Eles ficaram sabendo das desgraças que haviam acontecido a Jó e combinaram fazer-lhe uma visita para falar de como estavam tristes pelo que lhe havia acontecido e para consolá-lo”. (12-13 RA): “Levantando eles de longe os olhos e não o reconhecendo, ergueram a voz e choraram; e cada um, rasgando o seu manto, lançava pó ao ar sobre a cabeça. Sentaram-se com ele na terra, sete dias e sete noites; e nenhum lhe dizia palavra alguma, pois, viam que a dor era muito grande.”.

Sete dias ficaram calados, mas quando abriram a boca começaram a acusá-lo dizendo que ele estava passando por aquilo por causa do pecado: (13.23): “Quantas culpas e pecados tenho eu? Notifica-me a minha transgressão e o meu pecado” (v.26): “Pois decretas contra mim coisas amargas e me atribuis as culpas da minha mocidade”. Na verdade, naquele momento o que JÓ mais precisava era de um ombro amigo, e às vezes quando nós mais precisamos deles, eles simplesmente viram as costas. Quando você está numa boa, os amigos te bajulam, mas Jó naquele momento estava na pior, na prova e na dificuldade, por baixo, e quando Jó estava assim, veja o que aconteceu:

1. JÓ VIU TODOS OS SEUS PLANOS FRACASSAREM (17.11 LH): “A minha vida vai passando; os meus planos fracassaram, e as esperanças do meu coração se foram”. Jó como qualquer um de nós foi um homem cheio de planos; e como um pai, também teve planos para os seus filhos e filhas. Só que tudo aquilo que ele tinha planejado, naquele momento já não tinha como ser concluído ou se realizar, pois, os seus filhos já não existiam mais, e por isto que ele diz: “e as esperanças do meu coração se foram”.

Sempre haverá esperança para aqueles que estão vivos: Eclesiastes 9.4: “Para aquele que está entre os vivos há esperança...”. Quem sabe que você esteja assim, completamente sem esperança ou expectativa para o futuro, achando que sua vida não tem mais jeito ou solução... Eu quero dizer para você que tem, pois enquanto você estiver vivo haverá esperança para Deus realizar um milagre na sua vida: (Jr.17.7): “Bem-aventurado o homem que confia no Senhor”. Davi foi o homem segundo o coração do Senhor, por isto certa vez ele expressou (Sl.62.5): “Somente em Deus, ó minha alma, espera silenciosa, porque dele vem a minha esperança”.

2. JÓ FOI ESQUECIDO PELOS SEUS IRMÃOS (V.13): “Pôs longe de mim a meus irmãos, e os que me conhecem, como estranhos, se apartam de mim” (v.13). Os irmãos depois dos pais são os parentes mais próximos de uma pessoa. Na verdade, muitos já passaram por isto, num momento de crise, de aperto financeiro ou até mesmo de uma doença, precisaram de ajuda e os próprios irmãos viraram as costas. Quantos que já passaram por isto, vendo um irmão/ã ajudar um de fora, que não é da família, e virar as costas para ele.

3. JÓ FOI DESAMPARADO PELOS SEUS PARENTES (V.14): “Os meus parentes me desampararam, os meus conhecidos se esqueceram de mim”. Quando você se encontra falido, doente ou de luto, uma coisa que você espera das pessoas e da sua família é o amparo. Só que muitas vezes, quando você mais precisa deste amparo, você não encontra. Talvez você se encontre completamente desamparado, e principalmente pelos da sua casa: (Is.49.14): “Mas, Sião diz: O Senhor me desamparou, o Senhor se esqueceu de mim. Acaso, pode uma mulher esquecer-se do filho que ainda mama, de sorte que não se compadeça do filho do seu ventre? Mas ainda que esta viesse a se esquecer dele, eu todavia, não me esquecerei de ti”. (Sl 18.18): “Assaltaram-me no dia da calamidade, mas o Senhor me serviu de amparo”.

4. JÓ SE TORNOU REPUGNANTE AOS OLHOS DE SUA ESPOSA E DESPREZADO ATÉ MESMO PELAS CRIANÇAS (V.17-18 LH): “A minha mulher não tolera o mau cheiro da minha boca; os meus irmãos têm nojo de mim. Até as crianças me desprezam; assim que levanto, já estão zombando de mim”. A situação de Jó era terrível, pois, era o homem mais rico da face da terra, de uma hora para outra perdeu tudo e ficou na pobreza total, sem contar ainda os filhos e as filhas que morreram. Por isto, a maioria das palavras de Jó em alguns momentos era de alguém que estava vivendo em uma depressão profunda. Além de tudo isso, era uma pessoa completamente debilitada, com tumores e feridas, desde as solas dos pés até o alto da cabeça, e usava um caco para se coçar (2.7). Só que as feridas de Jó também eram internas, ao ponto da sua esposa não suportar o mau cheiro do seu hálito (têm mulheres que só amam os seus esposos quando eles se encontram arrumadinhos, cheirozinhos e com saúde) – juntou tudo, o mau cheiro das feridas, o mau cheiro do seu hálito, ao ponto das crianças logo de manhã zombarem da sua cara. Do homem mais rico do Oriente, se tornou a piada e o vexame da sua região.

5. JÓ SE VIU COMPLETAMENTE ABANDONADO POR TUDO E POR TODOS (V.19): “Todos os meus amigos íntimos me abominam, e até os que eu amava se tornaram contra mim”. Este é o momento terrível, é quando você se encontra sozinho, desamparado, enfermo, falido e oprimido pelos homens e pela família, por isto que Jeremias diz (Jr.17.5): “maldito o homem que confia no homem, faz da carne mortal o seu braço e aparta o seu coração do Senhor”. Até os amigos mais íntimos de Jó o abandonaram.

Mas foi em meio a toda esta crise que Jó descobriu um amigo que jamais nos abandona, o qual é DEUS, Tiago 2.23 diz que: “Abraão creu em Deus, e isso lhe foi imputado para justiça; e: Foi chamado amigo de Deus”. Como Abraão, nós também somos amigos de Deus em Jesus Cristo nosso Senhor: (Jó.14-15) “Vós sois meus amigos, se fazeis o que vos mando. Já não vos chamo servos, porque o servo não sabe o que faz o seu senhor; mas tenho-vos chamado amigos, porque tudo quanto ouvi de meu Pai vos tenho dado a conhecer”.

Na crise Jó percebeu que não passou por ela sozinho, pois, passou a saber:

1. QUE DEUS ADVOGA AS CAUSAS DAQUELES QUE SÃO SEUS (V.16.19): “Já agora sabei que a minha testemunha está no céu, e, nas alturas, quem advoga a minha causa”. Jó foi menosprezado pelos seus parentes, humilhado pela esposa, e acusado por seus 3 melhores amigos, mas sabia de uma coisa: a sua causa estava nas mãos do advogado dos advogados, e que no final seria absolvido e honrado por ele. Talvez você esteja sendo acusado ou menosprezado por alguém... Tenha certeza de uma coisa: Jesus está como advogado à sua defesa, e como Jó, os que te acusam hoje vão pedir que você ore por eles amanhã. Veja o que aconteceu com Jó: (42.7-8) “Tendo o Senhor falado estas palavras a Jó, o Senhor disse também a Elifaz, o temanita: A minha ira se acendeu contra ti e contra os teus dois amigos; porque não disseste de mim o que era reto, como o meu servo Jó. Tomai, pois, 7 novilhos e 7 carneiros, e ide ao meu servo Jó, e oferecei holocaustos por vós. O meu servo Jó orará por vós; porque dele aceitarei a intercessão, para que eu não vos trate segundo a vossa loucura...” Em outras palavras, Deus honrou o seu servo Jó e fez com que o seus inimigos se humilhassem e suplicassem a Jó o perdão. E falou assim: a oração de meu servo Jó eu aceito, mas a de vocês que se achavam ser os “bons”, esta eu não aceito.

2. JÓ PASSOU A SABER QUE QUANDO TEMOS DEUS NAS NOSSAS VIDAS, O SEU PLANO NÃO PODE SER FRUSTRADO (42.2): Antes, Jó tinha falado: “A minha vida vai passando; os meus planos fracassaram” porque tinha perdido praticamente tudo, e não conseguia discernir naquele momento, mas, agora, ele passa a compreender que “o coração do homem pode fazer planos, mas a resposta certa dos lábios vem do Senhor” (Pv.16.1). Começar a entender que tudo aquilo que ele passou foi propósito de Deus, e por isto ele faz esta confissão de fé: “Bem sei que tudo podes, e nenhum dos teus planos pode ser frustrado” (Jó. 42.2).

3. QUE NA CRISE DEUS SEMPRE SE REVELA ÀQUELES QUE O BUSCAM (V.25-27): “ Porque eu sei que o meu Redentor vive e por fim se levantará sobre a terra. Depois, revestido este corpo da minha pele, em minha carne verei a Deus. Vê-lo por mim mesmo, os meus olhos o verão e não outros”. Na crise não se desesperem, olhem para Deus! Na crise as pessoas só têm seus olhos para o problema e a dificuldade. Jó em meio a sua crise faz uma declaração de fé: “em minha carne verei a Deus” – “os meus olhos o verão”. Jó está dizendo que não é depois da morte que irá ver a Deus, e sim a sua carne e os seus olhos carnais verão a Deus. Deus é amigo fiel, o verdadeiro amigo que sempre está perto da sua vida; e você pode ver com seus olhos este amigo agindo na sua vida: “Eu te conhecia só de ouvir, mas agora os meus olhos te vêem” (42.5).

QUE DEUS JAMAIS ABANDONA O SEU SERVO NA LUTA (42.10ª) : “O Senhor mudou a sorte de Jó quando este orava pelos seus amigos...”. Do capítulo 38 ao capítulo 41 Deus se revela para Jó através de um redemoinho para mostrar que a sabedoria divina está além da sabedoria humana, e que foi Deus quem criou todas as coisas; e todas as coisas estão sobre o seu controle, e que Ele não tinha em momento algum abandonado a Jó. Deus jamais abandona um servo ou serva na luta: (Is.41.9c-10: “Tu és o meu servo, eu te escolhi e não te rejeitei, não temas, porque eu sou contigo; não te assombre, porque eu sou o teu Deus; eu te fortaleço, e te ajudo, e te sustento com a minha destra fiel”.

1. QUE DEUS MUDA A SORTE DAQUELES QUE SÃO FIÉIS, RESTITUI EM DOBRO E HONRA DIANTE DAQUELES QUE NÃO ACREDITAVAM QUE PODERIA DAR A VOLTA POR CIMA (42.10B E 12): “ ...e o Senhor deu-lhe o dobro de tudo o que antes possuíra. Então, vieram a ele todos os seus irmãos, e todos quantos dantes o conheceram, e se condoeram dele, e o consolaram de todo o mal que o Senhor lhe havia enviado; cada um lhe deu dinheiro. Assim, abençoou o Senhor o último estado de Jó mais do que o primeiro”. Preste atenção nisto! Quando Jó estava na prova, na miséria, todos os seus irmãos o abandonaram, pois, ninguém queria ser chamado irmão de um mendigo leproso, de um falido, e só foi Jó melhorar um pouquinho que seus irmãos correram atrás dele.

·Isto Aconteceu porque Deus nos coloca no meio daqueles que não acreditavam no nosso sucesso para mostrar que ele é fiel: Muitos dos familiares de Jó, e principalmente os seus amigos achavam que ele não tinha mais jeito até mesmo para viver, e muito mais difícil recuperar o que ele tinha perdido. Mas veja bem! Nunca subestime um homem ou uma mulher de Deus que é fiel, porque através de Deus tudo pode acontecer de uma hora para outra na vida. Porque, se você tem Deus, você também tem um amigo fiel, e Deus fica do lado daqueles que são os seus amigos até o último suspiro: (42.16-17): “Depois disto, viveu Jó cento e quarenta anos; e viu a seus filhos e aos filhos de seus filhos, até à quarta geração. Então morreu Jó, velho e farto de dias”
...

BISPO/JUIZ.PHD.THD.DR.EDSON CAVALCANTE

0 comentários:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.