Subscribe:

terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

A NOITE EM QUE JESUS ME RESTAUROU



A NOITE EM QUE JESUS ME RESTAUROU...


João - 21 - 15: 19
INTRODUÇÃO

1. 7 dos discípulos estavam pescando no mar de Tiberíades. Era uma pesca infrutífera (v.3).
2. Jesus se apresenta aos seus discípulos e sob o seu comando eles lançam novamente as redes e agora com grande sucesso.
3. Todavia, a pessoa que Jesus este mais interessado em encontrar é Pedro:
• Pedro o havia negado por 3 vezes na noite em que Jesus foi interrogado
• Pedro era parte importante no plano de Jesus para a divulgação do evangelho após a sua partida
• Pedro teria que passar pelo processo da restauração
4. Aprendamos junto com Pedro o processo de restauração.

I. JESUS RESTAURA O NOSSO AMOR
1. Pedro estava com os seus sentimentos confusos e provavelmente muito envergonhados por ter traído o seu amigo, principalmente depois de ter afirmado que por Jesus ele daria a própria vida (Jo 13:27).
2. Este assunto teria que ser resolvido antes da partida de Jesus e esta foram a ocasião encontrada por Jesus.
3. Por 3 vezes Jesus pergunta a Pedro sobre o seu amor por ele: Simão, tu me amas?
• As atitudes anteriores de Pedro deixaram marcas profundas em seu coração
• Jesus não tem duvidas de que Pedro o ama, mas será que Pedro estava consciente desta verdade?
4. Com medo de encarar a situação Pedro é rapido na sua resposta: Sim, Senhor tu sabes que eu te amo. Isto se repete segunda vez.
5. Na terceira tentativa Jesus consegue a atenção de Pedro e agora a resposta sincera do coração é dada: “Senhor, tu sabes todas as coisas, tu sabes que eu te amo”. Cristologia = quando Jesus disse que Pedro o trairia, provavelmente ele não deve ter acreditado.
6. Aprendemos aqui que Jesus não permite que um dos nossos fracassos venha a manchar o amor que ele tem por nós e amor que nós temos por ele.
• Muitas vezes uma atitude impensada que praticamos
• Muitas vezes uma frase sem sentido
7. O verdadeiro amor vence todas as barreiras.

II. JESUS RESTAURA A NOSSA VOCAÇÃO
1. Pedro era ousado nas suas afirmações para com Jesus. Era um dos primeiros a se manifestar seja em dar a sua opinião, seja em proteger o Mestre.
2. Depois da traição, é certo que Pedro já não tem mais a mesma iniciativa, já não tem mais a mesma certeza de que a sua vida será usada por Deus para o ministério da colheita de vidas para o Reino.
3. O pecado tem a finalidade de nos afastar das mãos de Deus e produzir estragos em nosso ministério, em trazer duvidas quanto à nossa vocação.
4. Pedro pastoreia, apascenta as minhas ovelhas. Estas palavras trazem de volta a esperança de que ele ainda poderia ser útil nas mãos de Jesus.
• O amor de Jesus não permite que ele descarte um de seus amigos, mesmo que este o tenha traído.
• O reino de Deus é diferente dos reinos deste mundo que vê as pessoas como produtos descartáveis e que ao menor erro são dispensadas.
• O reino de Deus é uma fábrica de esperanças
5. Quantos que andam perambulando pelas igrejas ou mesmo quantos estão afastados da igreja porque um dia erraram e agora julgam que não são mais importantes para Deus.
6. Renova a minha vocação, deve o nosso querer diante de Jesus. A qualificação básica para o serviço é o amor.

III. JESUS RESTAURA O MEUS VALORES
1. Jesus havia ensinado muito dos valores do reino para os seus discípulos:
• O maior é o que vos serve
• Quem quiser ganhar a sua vida terá que perdê-la
• Quem não se tornar como uma criança não pode entrar no reino de Deus
2. É possível que muitas destas lições passassem despercebidas pelos discípulos.
3. Jesus tem agora a oportunidade derradeira de ensinar a Pedro sobre os custos do verdadeiro discipulado. Jesus coloca em perspectiva os valores do reino de Deus.
4. Jesus contrasta duas condições da humanidade: a juventude e a velhice. Jesus mostra a vida finita que esta destinada a todos os seres humanos: em última análise, Jesus esta dizendo a Pedro que ele morrerá também.
• Tertuliano afirma que Pedro foi crucificado em Roma sob as ordens de Nero.
• Eusébio reporta que Pedro solicitou ser crucificado de cabeça para baixo.
5. O que tem importância para Jesus é que tipo de vida a pessoa está levando, e esta vida tem que culminar numa morte que glorifique a Deus, como foi a própria vida de Jesus na terra.
6. A grande tragédia de muitos crentes é que nem mesmo quando morre, Deus é glorificado.
7. A vida tem que ser vivida para glorificar a Deus e isto somente acontece quando eu sei quem eu sou e eu sei quem Deus é e o que ele requer de mim.

IV. JESUS RESTAURA A NOSSA AMIZADE
1. Finalmente, depois de ter o seu amor, a sua vocação e os seus valores restaurados, Jesus renova com Pedro a sua amizade e a sua disposição de ter Pedro ao seu lado.
2. “Segue-me” significa uma profunda amizade que não leva em conta os pecados de outrora. Todos foram perdoados por causa da graça infinda do Senhor.
3. Existe um significado no uso do verbo no tempo presente. “Continue a me seguir”
4. Pedro havia seguido o Mestre no passado, mas em muitas oportunidades ele não foi persistente. Agora, Jesus espera que este novo seguir adquira maturidade.
5. Jesus restaura hoje a quem desejar segui-lo mais de perto.

CONCLUSÃO
1. Pedro escrevendo na sua primeira carta afirma que nós devemos desejar o genuíno leite espiritual para crescimento da nossa salvação, “se é que já tendes a experiência de que o Senhor é bondoso” (I Pd 2:3).
2. Jesus é bondoso. Pedro experimentou isto em sua vida. Experimentemos também nós...
BISPO/JUIZ.PHD.THD.DR.EDSON CAVALCANTE

0 comentários:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.