Subscribe:

sábado, 1 de dezembro de 2012

IGREJA CELESTIAL OU INFERNO O QUE QUERES...


                                      IGREJA CELESTIAL OU INFERNO O QUE QUERES...

“Pois também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela.” Mateus 16.18

Muitas vezes escutei pregadores fazerem a seguinte afirmação sobre esse texto:
“As portas do inferno não prevalecem contra a igreja de Jesus e não pode prevalecer, a igreja é vitoriosa, Satanás e seus demônios não podem prevalecer contra a igreja, eles estão derrotados em nome de Jesus.” Caro leitor, gostaria de mostrar esta verdade Bíblica, pois realmente as portas do inferno hoje prevalecem contra a igreja de Jesus. O fato de a maioria entender que as portas do inferno não prevalecem sobre a igreja de Jesus hoje é devido ao tempo que vivemos, que é um tempo de seca, mas não se esqueça:
“Há ruído de uma abundante chuva.”
E este texto Bíblico trata-se de uma profecia narrada por Jesus, que disse:
“Edificarei a minha igreja.” Veja que Jesus começa a afirmativa empregando o verbo edificar, e este verbo está conjugado no futuro do presente do indicativo, pois diz edificarei e não edifiquei. Se foi conjugado no futuro do presente do indicativo, era algo que começou a acontecer e que se concretizaria futuramente, e veja quem edificaria seria o próprio Jesus, e mais:
“E as portas do inferno não prevalecerão contra ela.” Dois pontos devem ser observados nesta segunda parte que são: portas no plural e prevalecerão no futuro. Veja que aparece um segundo verbo: prevalecer, este verbo também está conjugado no futuro: prevalecerão, mostrando que era algo a acontecer futuramente. Observe agora esta expressão: Portas do inferno, responda-me, no inferno (lugar de tormento) tem portas no plural? Não há referência Bíblica que indique que há portas no inferno (lugar de tormento), há, porém a seguinte referencia: “E te darei as chaves da morte e do inferno.” Veja que a palavra chave está no plural, por se tratar de dois nomes morte e inferno e não um indicativo que há portas no inferno. E mais: “E foi lhe dado a chave do poço do abismo.”Ap. 9.1 Observe que quando se refere o abismo, que é uma expressão de inferno, lugar de tormento, a palavra chave aparece no singular, e também encontramos a mesma expressão em Ap. 20.1: “E vi descer do céu um anjo, que tinha a chave do abismo e uma grande cadeia na sua mão.”Veja também: “Porque larga é a porta e espaçoso o caminho que conduz a perdição, e muitos são os que entram por ela.”
As referencias Bíblicas que acabamos de ver, mostra-nos mais uma vez a palavra porta no singular, indica-nos uma só porta e não portas no plural. Por que então os verbos desta narrativa estão conjugados um no futuro presente do indicativo, o outro no futuro e o nome portas no plural? Como vimos os verbos estão conjugados no futuro indicando-nos que era algo que começou a acontecer no caso de Jesus edificando a sua Igreja (edificarei); e algo que iria se concretizar no futuro e aí se coloca os dois verbos. Como Jesus estava fazendo uso do ministério profético claramente entendemos que Ele estava profetizando sobre algo que começou acontecer e que se concretizaria no futuro. E como neste período ainda não havia sido posto o fundamento da Igreja que é Cristo morto e ressuscitado, este texto estava tratando de uma profecia, que como bem sabemos começou a se cumprir, com o nascimento, vida, morte e ressurreição de Cristo, e a descida do Espírito Santo. Começou a acontecer! Mais ainda não terminou, vejamos o por que: “E chegando-vos para Ele, a pedra vida, reprovada na verdade pelos homens, mais para com Deus eleita e preciosa, vós também, como pedras vivas, sois edificados casa espiritual e sacerdócio santo, para oferecerdes sacrifícios espirituais, e agradáveis a Deus, por Jesus Cristo.” 1 Pedro 2.4-5.
Aqui aparece claramente a razão porque os verbos foram conjugados no futuro. Nós somos as pedras vivas, o edifício espiritual, a Igreja que está sendo edificada. E por isso que foi usado o verbo edificar no futuro do presente do indicativo, pois nós somos as pedras vivas desta edificação, e quando Jesus profetizou estas palavras nós e todos os que vieram depois de Cristo ainda não havíamos nascidos, entretanto, viríamos a fazer parte deste edifício, não só nós, mas também a todos os que ainda haveriam de ser acrescentados.
“E as portas do inferno não prevalecerão contra ela”.
Primeiramente, precisamos rever o significado do nome inferno, que tem os seguintes significados: hades-seol-sepultura-inferno. A aplicação do nome inferno no texto aqui tratado tem o significado de sepultura e não de lugar de tormento, vejamos Salmos 16.9-10 e Atos 2.25-32.
“Portanto está alegre o meu coração e se regozija a minha glória; também a minha carne repousará segura. Pois não deixarás a minha alma no inferno, nem permitirás que o teu Santo veja corrupção.” Sl.16.9-10
“Porque dele disse Davi: Sempre via diante de mim o Senhor, porque está à minha direita, para que eu não seja comovido; por isso, se alegrou o meu coração, e a minha língua exultou; e ainda a minha carne há de repousar em esperança. Pois não deixarás a minha alma no Hades, nem permitirás que o teu Santo veja a corrupção. Fizeste-me conhecidos os caminhos da vida; com a tua face me encherás de júbilo. Varões irmãos, seja-me lícito dizer-vos livremente acerca do patriarca Davi que ele morreu e foi sepultado, e entre nós está até hoje a sua sepultura. Sendo, pois, ele profeta e sabendo que Deus lhe havia prometido com juramento que do fruto de seus lombos, segundo a carne, levantaria o Cristo, para o assentar sobre o seu trono, nesta previsão, disse da ressurreição de Cristo, que a sua alma não foi deixada no Hades, nem a sua carne viu a corrupção. Deus ressuscitou a este Jesus, do que todos nós somos testemunhas.”At.2:25-32
Primeiramente, observe que o texto de Salmos 16.9-10, usa o mesmo nome inferno descrito em Mateus 16.18. E claramente entendemos aqui que o nome inferno é uma referencia a sepultura, pois diz:
“... também a minha carne repousará segura. Pois não deixarás a minha alma no inferno, nem permitirás que o teu Santo veja corrupção...” Ora, para onde vai à carne após a morte, acaso não é para a sepultura? Então, entendemos que neste texto o nome inferno é uma referencia a sepultura, este texto é uma referencia a morte, sepultamento e ressurreição de Jesus Cristo.
Passemos então a interpretação de Mateus 16.18. O que faremos aqui será uma paráfrase do que ouvimos de Deus creio; o que Jesus nos disse de uma forma profética foi: “Depois da minha morte e ressurreição, estabelecerei em mim mesmo o alicerce da Igreja, pois Eu Sou a Rocha sobre a qual a Igreja será edificada, Eu Sou a Pedra de esquina que os edificadores rejeitaram. E esta edificação que começou em Mim, se concretizará na minha volta para buscar a Igreja que o Pai me deu, e quando isto acontecer, ou seja, quando Eu voltar, as portas do inferno, que traduzido é: as portas dos sepulcros, não mais prevalecerão sobre a minha Igreja, isto porque aonde houver um crente sepultado, a porta do sepulcro terá que abrir-se para que ele ressuscite em glória, em um corpo glorificado, a semelhança do Meu. E quando isto acontecer às portas do inferno (sepulcro), não mais prevalecerão contra a minha Igreja.”
Foi por isso que Jesus conjugou os verbos edificar e prevalecer no futuro, e também usou o nome portas do inferno no plural. Pois bem, sabemos que todos os que morreram em Cristo ainda não ressuscitaram e os seus corpos permanecem por enquanto nas sepulturas, reveja Atos 2.29-32:
“Varões irmãos, seja-me lícito dizer-vos livremente acerca do patriarca Davi que ele morreu e foi sepultado, e entre nós está até hoje a sua sepultura. Sendo, pois, ele profeta e sabendo que Deus lhe havia prometido com juramento que do fruto de seus lombos, segundo a carne, levantaria o Cristo, para o assentar sobre o seu trono, nesta previsão, disse da ressurreição de Cristo, que a sua alma não foi deixada no Hades, nem a sua carne viu a corrupção. Deus ressuscitou a este Jesus, do que todos nós somos testemunhas.”
Jesus é o único que ressuscitou em glória, é o único até agora que venceu a porta do inferno (porta do sepulcro), veja Marcos 16.1-8:
“E, passado o sábado, Maria Madalena, e Maria, mãe de Tiago, e Salomé, compraram aromas para irem ungi-lo. E, no primeiro dia da semana, foram ao sepulcro, de manhã cedo, ao nascer do sol. E diziam umas às outras: Quem nos revolverá a pedra da porta do sepulcro? E, olhando, viram que já a pedra estava revolvida; e era ela muito grande. E, entrando no sepulcro, viram um jovem assentado à direita, vestido de uma roupa comprida, branca; e ficaram espantadas. Ele, porém, disse-lhes: Não vos assusteis, buscais a Jesus Nazareno, que foi crucificado; já ressuscitou, não está aqui; eis aqui o lugar onde o puseram. Mas ide, dizei a seus discípulos, e a Pedro, que ele vai adiante de vós para a Galiléia; ali o vereis, como ele vos disse. E, saindo elas apressadamente, fugiram do sepulcro, porque estavam possuídas de temor e assombro e nada diziam a ninguém porque temiam.”
E ainda 1 Coríntios 15.19-26: “Se esperamos em Cristo só nesta vida, somos os mais miseráveis de todos os homens. Mas de fato Cristo ressuscitou dentre os mortos, e foi feito as primícias dos que dormem. Porque assim como a morte veio por um homem, também a ressurreição dos mortos veio por um homem. Porque, assim como todos morrem em Adão, assim também todos serão vivificados em Cristo. Mas cada um por sua ordem: Cristo as primícias, depois os que são de Cristo, na sua vinda. Depois virá o fim, quando tiver entregado o reino a Deus, ao Pai, e quando houver aniquilado todo o império, e toda a potestade e força. Porque convém que reine até que haja posto a todos os inimigos debaixo de seus pés. Ora, o último inimigo que há de ser aniquilado é a morte.”
Entendemos que Jesus usou o nome portas do inferno, por ser costume na época alguns sepulcros serem construídos na rocha onde havia portas de acesso. AMEM...
BISPO/JUIZ.PHD.THD.DR.EDSON CAVALCANTE

0 comentários:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.