Subscribe:

terça-feira, 4 de setembro de 2012

PREGAÇÃO: PRECISAMOS TER PACIÊNCIA...


PREGAÇÃO: PRECISAMOS TER PACIÊNCIA...
“Na vossa paciência, possuí as vossas almas.” (Lucas 21:19)
De acordo com a versão eletrônica do dicionário Caldas Aulete, a palavra paciência significa “virtude que consiste em suportar os males e incômodos sem reclamar, sem se revoltar ou irritar; resignação; saber esperar com calma; qualidade ou comportamento de quem não desiste nem desanima ; perseverança”.
A palavra paciência é citada 40 vezes na versão digital das Escrituras Sagradas (A Bíblia em Bytes – Versão Shammah – 1997 – Tradução de João Ferreira de Almeida, edição corrigida e revisada). Diante de tanta repetição, a paciência torna-se, então, um tema importante a ser meditado.
Calma é algo raro neste início do século XXI, especialmente nas mais populosas cidades brasileiras. É exatamente o contrário da prática habitual no trânsito, nos conflitos conjugais e nas relações interpessoais em geral. E até mesmo na vida de alguns cristãos, a paciência é uma atitude em desuso.
Entretanto, quem deseja seguir a Deus deve ficar atento. As Escrituras Sagradas não repetem o mesmo tema por falta de assunto, por mera insistência ou simplesmente para preencher os espaços em branco das folhas de papel.
É fácil não desistir nem desanimar quando as circunstâncias da vida são boas. Contudo, muitas pessoas vêm, paulatinamente, irritando-se com facilidade em qualquer situação adversa. Uma situação ruim no trânsito, ainda que corriqueira, causa revolta. Algo desagradável no ambiente de trabalho provoca reclamação e insatisfação.
O apóstolo Paulo afirma: “e não somente isto, mas também nos gloriamos nas tribulações; sabendo que a tribulação produz a paciência, e a paciência a experiência, e a experiência a esperança. E a esperança não traz confusão, porquanto o amor de Deus está derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado.” (Romanos 5:3–5)
O salmista dá uma boa sugestão para superar problemas como a irritação constante: “esperei com paciência no Senhor, e ele se inclinou para mim, e ouviu o meu clamor” (Salmos 40:1). Aguardar com calma nas situações mais difíceis pode ser a melhor atitude a ser tomada, pois o Criaor sempre ouve o clamor dos filhos dEle.
As questões financeiras também geram impaciência e irritação em várias pessoas. Obviamente, tais assuntos são importantes e merecem bastante a atenção. Situações como, por exemplo, desemprego ou dívidas, geram preocupação a qualquer pessoa com um mínimo de sensibilidade. Entretanto, não devem ser motivos para desobedecer ao Pai Celeste.
O mesmo apóstolo Paulo é categórico ao afirmar: “Porque o amor ao dinheiro é a raiz de toda a espécie de males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé, e se traspassaram a si mesmos com muitas dores. Mas tu, ó homem de Deus, foge destas coisas, e segue a justiça, a piedade, a fé, o amor, a paciência, a mansidão.” (1 Timóteo 6:10–11).
O ideal é descansar junto ao Criador, e aguardar as respostas das orações a Deus. Somente o Pai Celeste pode resolver os problemas mais difíceis para o ser humano. Ninguém de-ve ser apático diante de nenhuma situação: ao contrário, a ousadia e a coragem, a todo tempo, são atitudes que devem ser adotadas por todos. Entretanto, ousadia e coragem não significam impaciência.
“Sede pois, irmãos, pacientes até à vinda do Senhor. Eis que o lavrador espera o precioso fruto da terra, aguardando-o com paciência, até que receba a chuva temporã e serôdia. Sede vós também pacientes, fortalecei os vossos corações; porque já a vinda do Senhor está próxima.” (Tiago 5:7–8)...
BISPO/JUIZ.PHD.THD.DR.EDSON CAVALCANTE

0 comentários:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.