Subscribe:

quarta-feira, 5 de setembro de 2012

AS SETE RESPOSTAS DE DEUS NO DESERTO...


AS SETE RESPOSTAS DE DEUS NO DESERTO
“ Levantou-se, pois, Abraão de madrugada, tomou pão e um odre de água, pô-los às costas de Hagar, deu-lhe o menino e a despediu. Ela saiu, andando errante pelo deserto de Berseba. Tendo-se acabado a água do odre, colocou ela o menino debaixo de um dos arbustos e, afastando-se, foi sentar-se defronte, à distância de um tiro de arco; porque dizia: Assim, não verei morrer o menino; e, sentando-se em frente dele, levantou a voz e chorou. Deus, porém, ouviu a voz do menino; e o Anjo de Deus chamou do céu a Hagar e lhe disse: Que tens, Hagar? Não temas, porque Deus ouviu a voz do menino, daí onde está. Ergue-te, levanta o rapaz, segura-o pela mão, porque eu farei dele um grande povo. Abrindo-lhe Deus os olhos, viu ela um poço de água, e, indo a ele, encheu de água o odre, e deu de beber ao rapaz. Deus estava com o rapaz, que cresceu, habitou no deserto e se tornou flecheiro; habitou no deserto de Parã, e sua mãe o casou com uma mulher da terra do Egito.” Gênesis 21:14-21
A história da vida de Hagar é cheia de lutas, fugas, sofrimento, solidão, angústia, medo, mas sobretudo, de superação, sustentação, de provisão, e intervenção divina a seu favor e de uma forte experiência divina nos momentos mais cruciais de sua vida.
A  trajetória dessa mulher se assemelha a de muitas pessoas que levam uma vida de solidão e abandono, sempre enfrentando os sofrimentos no deserto da vida.
A Bíblia em Gênesis 16, começa a narrar  história de Hagar. Nos conta que ela era egípcia e serva de  Sara, esposa de Abraão. Embora não seja mencionado devia ser uma mulher muito formosa, trabalhadora, que servia na casa da família patriarcal.
Sara persuade Abraão a deitar-se com a escrava Hagar e  gerar um filho. Sara era estéril, entrada em anos e incrédula não considerou a promessa de Deus sobre o filho que seria sua descendência. Encontrando-se grávida, Hagar começa a desprezar  Sara, que  então passa a humilhá-la até ponto de Hagar fugir em direção ao deserto. Gênesis 16
É na solidão do deserto que Hagar tem um encontro com o anjo de Deus, que a confronta a rever seus pensamentos e caminhos, e a se reconciliar com sua senhora. “Tendo-a achado o Anjo do SENHOR junto a uma fonte de água no deserto, junto à fonte no caminho de Sur,disse-lhe: Hagar, serva de Sarai, donde vens e para onde vais? Ela respondeu: Fujo da presença de Sarai, minha senhora. Então, lhe disse o Anjo do SENHOR: Volta para a tua senhora e humilha-te sob suas mãos.” Gênesis 16:7-9
Nunca podemos prosperar se temos no coração mágoa, ressentimento, que nos impedem de prosseguir e receber as bênçãos de Deus em nossa vida. O segredo é nos humilharmos. ” Humilhai-vos na presença do Senhor, e ele vos exaltará.” Tiago 4:10
Hagar atende a voz de Deus, se humilha e se arrepende de seu ato, e recebe uma promessa sobre sua vida e posteridade: seu filho Ismael, filho de Abraão, seria um poderoso guerreiro e geraria uma nação forte e abençoada.  “Disse-lhe mais o Anjo do SENHOR: Multiplicarei sobremodo a tua descendência, de maneira que, por numerosa, não será contada. Disse-lhe ainda o Anjo do SENHOR: Concebeste e darás à luz um filho, a quem chamarás Ismael, porque o SENHOR te acudiu na tua aflição. Ele será, entre os homens, como um jumento selvagem; a sua mão será contra todos, e a mão de todos, contra ele; e habitará fronteiro a todos os seus irmãos. Então, ela invocou o nome do SENHOR, que lhe falava: Tu és Deus que vê; pois disse ela: Não olhei eu neste lugar para aquele que me vê?” Gênesis 16:10-13
Ismael, como significa o seu próprio nome, seria a prova  de que Deus a tinha livrado de suas angústias e medos.
Passado quase 15 anos, seu filho Ismael, adolescente, brincava com Isaque, com pouco mais de dois anos, filho de Sara com Abraão. Gera-se uma contenda quando Ismael passa a  zombar de Isaque. Dessa contenta, Hagar é expulsa da casa de Abraão, seguindo como diz o texto errante pelo deserto. “Levantou-se, pois, Abraão de madrugada, tomou pão e um odre de água, pô-los às costas de Hagar, deu-lhe o menino e a despediu. Ela saiu, andando errante pelo deserto de Berseba.”  Gênesis 21:14
Novamente Hagar se depara com o pior de seus inimigos: o deserto. E é nesse lugar árido, sem vida, que assola em sua alma a solidão, o medo, a decepção, os maus tratos, a dor lacerante da rejeição, e do desprezo recebidos. È muito peso numa alma aflita, como se não bastasse, ainda se depara com a escassez, a fome e a sede que o deserto produz.
Para aumentar a aflição dessa valente mulher, seu único filho, Ismael, começa a sucumbir de fome e sede. Era muita dor e sofrimento… sem nenhuma perspectiva que gerasse  alternativa ou  solução para o seu drama, Hagar chega ao limite de suas  forças.
Hagar deixa Ismael combalido, debaixo de um arbusto e segue a aproximadamente 800 metros de distancia, sozinha e aflita, toma essa decisão desesperadora de não ver seu filho morrer. É nesse lugar solitário que, ela geme e chora a sua dor. “Tendo-se acabado a água do odre, colocou ela o menino debaixo de um dos arbustos e, afastando-se, foi sentar-se defronte, à distância de um tiro de arco; porque dizia: Assim, não verei morrer o menino; e, sentando-se em frente dele, levantou a voz e chorou.”
Muitos de nós carregamos o peso das dores dos sofrimentos do deserto da vida, mas é nesse momento de solidão, onde as perspectivas se acabam, onde as portas se fecham, onde os gigantes e inimigos da alma se revelam, que Deus manifesta a sua grande misericórdia, vindo em nosso socorro.
Quero falar sobre as sete respostas de Deus no deserto da vida:
1. Ele sempre terá a última resposta. ” Tendo-se acabado a água do odre, colocou ela o menino debaixo de um dos arbustos e, afastando-se, foi sentar-se defronte, à distância de um tiro de arco; porque dizia: Assim, não verei morrer o menino; e, sentando-se em frente dele, levantou a voz e chorou.”
- O estado de seu filho Ismael de subnutrição, com sede, desfalecido, foi cortando o coração de Hagar, ao ponto do desespero entrar em sua alma, e não ver outra resposta ao seu drama, que não fosse a morte.
- Para Hagar, no deserto, sozinha, abandonada, só lhe restava gemer de dor, as perspectivas acabaram, não havia mais jeito, acabou, acabou… Era o grito agonizante de uma alma aflita.
– Mas nem tudo está perdido quando se crêr em Deus, é d’Ele a última palavra. Ele tem a chave da morte e do inferno. AP 1:18,19
2. No deserto Deus providenciará uma alternativa.
Abrirá uma porta fechada. “Assim diz o SENHOR ao seu ungido, a Ciro, a quem tomo pela mão direita, para abater as nações ante a sua face, e para descingir os lombos dos reis, e para abrir diante dele as portas, que não se fecharão. Eu irei adiante de ti, endireitarei os caminhos tortuosos, quebrarei as portas de bronze e despedaçarei as trancas de ferro; dar-te-ei os tesouros escondidos e as riquezas encobertas, para que saibas que eu sou o SENHOR, o Deus de Israel, que te chama pelo teu nome. Por amor do meu servo Jacó e de Israel, meu escolhido, eu te chamei pelo teu nome e te pus o sobrenome, ainda que não me conheça.” Isaías 45:1-4
Te mostrará um poço de águas vivas. “Abrindo-lhe Deus os olhos, viu ela um poço de água, “ Muitos dos sofrimentos que passamos nos impedem de ver que diante de nós, Deus, já proveu a bênção que tanto almejamos.
O poço de águas vivas estava diante de Hagar, mas as suas lágrimas a impediam de ver. Foi assim com a mulher samaritana, e é assim que muitas vezes acontece conosco. João 4
3. Saciará a tua sede em tuas necessidades. “Os aflitos e necessitados buscam águas, e não as há, e a sua língua se seca de sede; mas eu, o SENHOR, os ouvirei, eu, o Deus de Israel, não os desampararei. Abrirei rios nos altos desnudos e fontes no meio dos vales; tornarei o deserto em açudes de águas e a terra seca, em mananciais. Plantarei no deserto o cedro, a acácia, a murta e a oliveira; conjuntamente, porei no ermo o cipreste, o olmeiro e o buxo, para que todos vejam e saibam, considerem e juntamente entendam que a mão do SENHOR fez isso, e o Santo de Israel o criou.” Isaías 41:17-20
4. Derrotará os teus medos e inimigos. ( “Não temas”) “Deus, porém, ouviu a voz do menino; e o Anjo de Deus chamou do céu a Hagar e lhe disse: Que tens, Hagar? Não temas, porque Deus ouviu a voz do menino, daí onde está. Ergue-te, levanta o rapaz, segura-o pela mão, porque eu farei dele um grande povo.” Gn 21:17,18
- O deserto não será motivo de pavor e derrota. Deus te ensinará a viver em meio as lutas e a vencer todas as batalhas.
- Moisés viveu 40 anos no deserto e aprendeu a depender de Deus e a vencer seus inimigos.
- Elias sofreu depressão e angústia, no deserto, mas Deus lhe enviou socorro, comida e bebida para chegar até  o monte Horebe, na presença do Todo Poderoso.
- João Batista viveu a vida inteira no deserto e a vencer todo o pavor que ele representa para muitos.
- Jesus foi tentado no deserto por Satanás, mas Deus lhes deu a vitória.
5. Restaurará os teus sonhos e fará você viver de novo.
- Suas promessas serão cumpridas em tua vida. Quando Deus abrir teus olhos espirituais, restaurará os sonhos que fora perdido no deserto da vida.
“Quanto a Ismael, eu te ouvi: abençoá-lo-ei, fá-lo-ei fecundo e o multiplicarei extraordinariamente; gerará doze príncipes, e dele farei uma grande nação.” Gênesis 17:20
6. Mudará a tua sorte e o teu humor. ” viu ela um poço de água, e, indo a ele, encheu de água o odre, e deu de beber ao rapaz.” Gn 21:19
- Óleo de alegria em vez de pranto/ veste de louvor em vez de espírito angustiado. “ …e a pôr sobre os que em Sião estão de luto uma coroa em vez de cinzas, óleo de alegria, em vez de pranto, veste de louvor, em vez de espírito angustiado; a fim de que se chamem carvalhos de justiça, plantados pelo SENHOR para a sua glória.”Isaías 61:3
7. Promoverá a esperança. A tua posteridade será uma bênção.
- Deus havia prometido que abençoaria Ismael filho de Abraão, e assim ele o adestrou como poderoso flecheiro, para vencer os inimigos do deserto.
- foi no deserto que Ismael casou e viveu, gerando uma nação de valentes e uma posteridade abençoada. ” Deus estava com o rapaz, que cresceu, habitou no deserto e se tornou flecheiro; habitou no deserto de Parã, e sua mãe o casou com uma mulher da terra do Egito.”
BISPO/JUIZ.PHD.THD.DR.EDSON CAVALCANTE

0 comentários:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.