Subscribe:

domingo, 9 de setembro de 2012

ACHO QUE DEUS NÃO ME AMA...


ACHO QUE DEUS NÃO ME AMA
I João 3:10=16
10 Nisto são manifestos os filhos de Deus, e os filhos do Diabo: quem não pratica a justiça não é de Deus, nem o que não ama a seu irmão.
11 Porque esta é a mensagem que ouvistes desde o princípio, que nos amemos uns aos outros,
12 não sendo como Caim, que era do Maligno, e matou a seu irmão. E por que o matou? Porque as suas obras eram más e as de seu irmão justas. (inveja)
13 Meus irmãos, não vos admireis se o mundo vos odeia.
14 Nós sabemos que já passamos da morte para a vida, porque amamos os irmãos. Quem não ama permanece na morte.
15 Todo o que odeia a seu irmão é homicida; e vós sabeis que nenhum homicida tem a vida eterna permanecendo nele. Odiar = matar
16 Nisto conhecemos o amor: que Cristo deu a sua vida por nós; e nós devemos dar a vida pelos irmãos.
17 Quem, pois, tiver bens do mundo, e, vendo o seu irmão necessitando, lhe fechar o seu coração, como permanece nele o amor de Deus?
18 Filhinhos, não amemos de palavra, nem de língua, mas por obras e em verdade.

Diferentes abordagens do Evangelho:
- Antropocêntrico: centralidade no homem. Deus e os céus existem para servi-lo. Reinvindicar, Exigir, Gritar, Desafiar a Deus. As frases mais comuns “Você tem Direitos”, “exija os seus direitos”. Formas de comunicação: Pregação, Música (letras que glorificam mais o homem do que a Deus).
- Teologia da Prosperidade: ausência do mal nos aspectos físicos e financeiros. Resultado: decepções com Deus. Crentes desanimados e deprimidos com Deus.
- Teologia da Cruz: Jesus morreu numa cruz e nós morremos juntamente com Ele, para que assim como ELE deu sua vida por nós, possamos também nos despir do velho homem e dar a nossa vida pelo próximo.
Por isso a proposta de Jesus para seguí-lo é:
1 – Negar-se a si mesmo. Descer do pódium, como fez o publicano, vestir-se de humildade.
2 – Repartir os bens com aqueles que são menos favorecidos.
3 – Tomar a sua cruz de cada dia e seguí-lo.
A teologia da cruz foi abandonada no pós modernismo, que adotou, principalmente, a teologia da prosperidade. Aí é cada um prá si, eu sou por cabeça e não por cauda, eu sou o tal, eu, eu, eu… E o outro? Não me diz respeito. Adesivo em carro: “Deus deu a vida para cada um cuidar da sua”.
Sou Cristão porque cri, aprendi que Jesus deu sua vida por mim. A cruz de Cristo é a expressão do amor de Deus. Não faz sentido o evangelho sem a cruz.
Na cruz eu recebo o perdão de Deus, onde Jesus derramou seu sangue, abre um novo caminho… o véu do templo é rasgado na cruz… Significa que o Santo dos Santos, onde só o sumo sacerdote uma vez ao ano entrava, onde havia um véu que cobria a porta, é rasgado.
Heb 10: diz que Jesus nos abriu um novo e vivo caminho para Deus…
19 Tendo pois, irmãos, ousadia para entrarmos no santíssimo lugar, pelo sangue de Jesus,
20 pelo caminho que ele nos inaugurou, caminho novo e vivo, através do véu, isto é, da sua carne,

A cruz abre caminho para Deus. Rasga toda a estrutura religiosa do judaísmo… Agora não sigo mais rituais. Não me encaixo mais no sistema religioso, porque Jesus é o únco caminho… que é a cruz. Quando o véu é rasgado, eu invoco a Deus chamando-o de Pai em qualquer lugar. Eu O vejo todo dia, não preciso mais de um lugar próprio para uma experiencia religiosa.
A cruz rasga o véu, para que a glória de Deus contida encha toda a terra e se cumpra Habacuque que a terra se encherá… como as águas cobrem o mar…
A glória de Deus está além dos limites de um templo, de um domingo, de um lugar, de pessoas especiais, clero. Por causa da cruz, porque Jesus deu a vida por nós.
E dar a vida por nós não é apenas morrer em nosso lugar, mas principalmente viver em nosso favor. Jesus vive em nós, nos advoga, tem interesse em mim, em qualquer situação, na boa, na ruim. Ele não me abandona.
Agora João diz: “Nisso conhecemos ao amor, que Jesus deu a sua vida por nós e que nós devemos dar a vida pelos irmãos”.
Qual a implicação imediata do encontro com Jesus na cruz? É o encontro com o proximo. Por isso o simbolo do cristianismo é a cruz. Duas hastes: vertical e horizontal. Comunhão com Deus e aos homens. Não podemos nos relacionar com Deus sem se relacionar com o seu próximo. Quem ama a Deus e não ama a seus irmão… O maior de todos os mandamentos é: amar a Deus e amar ao Próximo.
A cruz nos leva na direção uns dos outros. Por isso, o evangelho que faz sentido, é o evangelho comunitário. É o evangelho que nos diz que a máxima experiência possível, é a experiencia de amar. A tradição cristã na história é a busca de Deus e do divino. Mas se eu entendo o evangelho… não há maior experiencia com Deus do que o amor ao próximo, de amar e ser amado. Por exemplo: carnaval é oportunidade para amar o perdido. Mas o que fazem os crentes? Vão para os retiros, se isolam, para buscar a Deus, buscar o divino. Mas, o divino está lá na pessoa caida, naquele que foi assaltado, espancado, e no chão clama por socorro.
AGORA, AMAR É SACRIFICAR-SE. Será que as pessoas amam enquanto não custa nenhum sacrifício amar? Será que alguém aqui seria capaz de sacrificar a sua vida por mim? Não necessariamente morrer, eu creio que não é isso que o texto está dizendo.
Casados há 20 anos. O marido diz: “Querida, eu tenho o direito de ser feliz e não tenho mais porque ficar com voce. Fui!.” Alguém que estava comigo em virtude da sua própria satisfação, felicidade, e no dia em que não houve mais isso, disse tchau para o outro. Quantos casos assim! Não é amor, é interesse.
Muitas vezes o interesse se confunde com o amor. Restaurante: uma moça nova, bonita, com um homem velho de bengala. Amor? Não. Interesse no dinheiro dele. Como um corvo esperando morrer, para devorá-lo.
EU QUERIA FALAR SOBRE A IGREJA:
A igreja é o espaço, a oportunidade que Deus te dá para amar e ser amado.Quando você ama, está materializando o amor de Deus. E quanto você é amado, é por uma pessoa, de carne e osso, que te leva a um hospital, que te visita, que te dá um beijo, um presente, que te faz uma massagem linfática, que te faz mousse, esse é o amor de Deus manifesto.
A Bíblia fala que ninguém jamais viu a Deus. Porque Deus está DERRAMADO nas pessoas. É por isso que Jesus disse: quando você fez a um pequenino, fez a mim. Deus está no pequeno necessitado e está naquele que o acolhe.
Você vê a Deus, numa pessoa, no hospital, numa cama, a imagem de Deus está nela, estendendo a mão e clamando: “por favor, me ajude”. A maior experiência que alguem pode ter, é cuidar de uma pessoa que nada pode. Se você está cuidando de alguém, saiba que nunca será mais parecido com Cristo, do que esse momento agora que você está vivendo.  Nunca. Essa é a maior experiência que alguém pode ter com Deus: cuidar do irmão, do caido, do doente.
Será que eu sou capaz de amar alguém de tal forma que a dor dessa pessoa doa mais em mim?
Mas uma coisa sei: que ainda que falasse linguas, profecia, poder, sem amor, nada seria. E a minha experiência existencial seria = lata vazia. Porque Deus está conosco e nós o experimentamos nas nossas relações de amor. Não é coleguismo, paixão, vamos comer uma pizza. Não. Isso é coleguismo, porque não nos custa sacrifício. Agora, quando você leva a pizza na cama de alguém adoentado, aí sim, isso é amor. Quando você sacrifica a sua vida, o seu domingo, o seu sábado, o seu esporte, o seu lazer, porque tem que ficar trancado em um quarto 15 dias, aí sim isso é amor.
Esse é o evangelho que faz sentido: I João 3:16 “que o amor de Deus se derrame de tal maneira em mim que eu ame como Ele me ama”. Esse é o evangelho que faz sentido.
Quando a cada dia me coloca diante de mim um imperativo para dar concreção ao meu amor. Por isso o cristianismo não é uma experiência com Deus de foro íntimo, de boas intenções, mas de amor que nos invade e que nos faz entrar nessa ciranda do amor da Trindade, porque Eles se amam.
E aí, quando a gente vê alguém com fome, a gente vai lá e dá comida para ele.Então o evangelho nos faz uma comunidade de amor, mas que se expresse no serviço concreto.
Se alguém tiver recursos e não se compadece do necessitado, como o amor permanece nele?
Próximo domingo: primícias.
Esse evangelho faz sentido. É na experiência da comunidade que aprendemos a amar, diariamente. É aqui que a nossa vida vão se trombando. Não é virtualmente, MSH, Orkut, foto, palavra virtual, não tem olho no olho, cara a cara. Mas na vida em comunidade é que conhecemos os problemas das pessoas.
É aqui que Deus nos ama e que nos ensina a amar. É a comunidade da cruz. Aqui somos mais quebrantados, humilhados. Aqui somos sarados. Porque Deus é amor.
Celebramos agora a cruz do calvário, o corpo partido, o sangue derramado e sentamo-nos ao redor de Jesus nessa mesa.
Eu convido você nesta hora a participar dessa cerimônia de tomarmos o cálice e o pão do Senhor Jesus e nos fazermos um só com Ele...
BISPO/JUIZ.PHD.THD.DR.EDSON CAVALCANTE

0 comentários:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.