Subscribe:

sexta-feira, 17 de agosto de 2012

O ESPIRITO DE JEZABEL...


O ESPIRITO DE JEZABEL
Muitos já ouviram falar desse espírito maligno e de seus males contra a Igreja do Senhor Jesus. Outros sequer ouviram falar de tal coisa. No entanto, o que exatamente isso tem a ver com nossas vidas? Estudando sobre o assunto, cheguei à conclusão que isso afeta a primeira congregação que Deus estabeleceu: a família.  Se você quer se casar, ou já é casado, e quer ter um relacionamento saudável à luz da Palavra de Deus, você precisa ler esse artigo! 

Bom, vamos começar esclarecendo que tal espírito imundo é uma potestade que atua a nível mundial, não se restringindo ao Brasil apenas. Em Ef. 6:10 e ss. Paulo nos ensina que existe uma hierarquia no reino do inimigo. Um estudo das palavras gregas escritas no original explica que principados (arche) governam territórios, potestades (exousia) governam sistemas, dominadores (kosmokrator) governam indivíduos, e, hostes espirituais (poneria pneumatikos) da maldade são ‘soldados rasos’, por assim dizer, que cumprem ordens, e são tão terríveis quanto os de maior hierarquia. 

Este espírito maligno atua no sistema religioso (veja ensinamentos do Pr. Clendennen – Escola de Cristo no Brasil), buscando corromper a Igreja de Cristo, principalmente impedindo o fluir do Poder do Espírito Santo, a operação dos dons, especialmente o de profecia, já que não havendo profecia o povo se corrompe (Pv 29:18). Por isso o ódio homicida que esta entidade tem contra os profetas do Senhor. 
A essa altura você pode estar pensando: “Mas eu não sou profeta. O que eu tenho com isso?”. É bem provável que você seja e não saiba, vez que a presente geração é uma geração de atalaias da última hora (quem sabe até minutos...). 
Em Ap  19:10, as Escrituras afirmam que “o testemunho de Jesus é o Espírito da profecia”. Assim se você já aceitou a Jesus Cristo, você é uma testemunha de Cristo pois possui o Espírito da Profecia, Aquele que ressuscitou a Cristo dos mortos habitando dentro do seu espírito. O profeta não é só aquele que profetiza, é, em síntese, “a boca de Deus na Terra”, e Deus fala através de várias maneiras, sonhos, visões, nosso testemunho como cristão, e, principalmente pela Sua Palavra. 
Também quero deixar claro que, antes da vinda do Senhor Jesus a esta terra, houve uma voz que clamava no deserto e preparou o caminho para o Senhor: João Batista, que detinha a mesma unção que estava sobre Elias (e Eliseu também), veja as seguintes referências Is 40:3; Mt 3:3, Mc 1:3, Lc 3:4, Jo 1:23 e Mal 4:5 e 6. Essa última passagem diz o seguinte: “Eis que eu vos enviarei o profeta Elias, antes que venha o grande e terrível dia do Senhor; e ele converterá o coração dos pais aos filhos, e o coração dos filhos a seus pais; para que eu não venha, e fira a terra com maldição.” Assim, da mesma forma como João Batista detinha a mesma unção que estava sobre Elias para preparar o caminho de Jesus, nós, a geração da última hora, possuímos a mesma unção que estava sobre Elias para preparar o caminho de Jesus, agora na Sua volta. 
Logo, se você pensava que não tinha um chamado profético se enganou muito! Tenho certeza que você tem, caso contrário não estaria lendo este artigo. 
Agora que você sabe do seu chamado profético, voltemos ao assunto principal deste artigo. 
Vemos que a atuação dessa potestade pode ser observada através da vida da rainha pagã escolhida por Acabe para governar Israel ao lado dele: Jezabel.  Daí o “nome”, ou melhor, a referência à Jezabel dada a essa potestade.  
O quadro pintado no Antigo Testamento, o qual envolve Elias, Acabe e Jezabel, se repete no Novo Testamento com João Batista, Herodes e Herodias. 
Se você achar interessante o que será exposto a partir desse trecho, principalmente no que tange à família, sugiro a você o seguinte material: 
Livros: 
- “Desmascarando o espírito de Jezabel”, do autor John Paul Jackson; 
- “A Face Oculta do Amor – o espírito de sensualidade”, do Pr. Marcos de Souza Borges; 
- “O Avivamento do Odre Novo – Manual de Cura e Libertação para a Família”, também 
do Pr. Marcos de Souza Borges; 
- “Cura e Edificação do Líder”, do Pr. Marcos de Souza Borges; 
DVD: 
- “O Esquema Jezabel no Novo Testamento – João Batista, Herodes e Herodias.”, do Pr. Marcos de Souza Borges; 
Outros:
- Material do Apóstolo Levi Machado Domingos, (Ministério Apostólico-Profético Vida e Edificação/Rede de Intercessão Estratégica – ver também em www.shofar.com.br - ver livros da Ed. Shemá)
Vamos às características das “personagens”: 
A) Elias/João Batista: são os profetas do Senhor, os quais procuram viver e andar no Espírito, crucificando sua carne. Têm, dentre muitas outras característica, as seguintes: 
1) Tem por missão apontar o caminho do Senhor ao povo; 
2) Apresenta Jesus; 
3) Sabe lidar com o tratamento de Deus para sua vida; 
4) Não tolera religiosidade (que nega o poder e a intimidade com Deus), mas expõe e prega o arrependimento de pecados com amor e justiça, prepara o caminho do avivamento (Lc 3:4-6); 
5) Promove a restauração familiar e a quebra da rebelião (tem que ser do meu jeito) (Lc 1:15-17); 
6) Não teme a intimidação de Jezabel; 
7) Anuncia a Verdade sem restrições ou maquiagens; 
8) Não aceita lisonjas porque sabe que o Poder e a Glória são do Senhor. 
Infelizmente, estão faltando pessoas assim na Igreja hoje. 
B) Acabe/Herodes: é o espírito maligno que alimenta Jezabel com insegurança, carência e fraquezas de ordem moral. É a face obscura do espírito de Jezabel. Fermento de Herodes. 
1) A pessoa afetada sempre ocupa uma posição de liderança e se caracteriza pela autopiedade (sou um “coitadinho”). 
2) O espírito de liderança dessa pessoa é dependente (não de Deus), doentio e controlador. A pessoa é um manipulador passivo, emocional, como uma criança mimada. Sabe “ganhar perdendo”, é sempre a vítima e exagera seus problemas. Faz das suas fraquezas um poderoso instrumento de manipulação. Manipula sendo manipulado. 
3) A pessoa influenciada por este espírito de Acabe também tem por característica a insensatez, imaturidade, temendo mais aos homens do que a Deus. Vale tudo para manter a aparência. 
4) Adora uma lisonja e sua posição, e, não sabe exercer a autoridade dada a ele por Deus em virtude dessa posição que ocupa. E o espírito de Jezabel se aproveita disso. 
5) Muitas vezes a pessoa tem consciência que o Senhor é com o profeta (Herodes ouvia as palavras de João Batista, mas não queria crescer, queria continuar na carência, no erro e na inconstância, embora temesse o profeta – Mc 6: 14-28), mas prefere servir ao espírito de Jezabel porque ela satisfaz seus caprichos, inclusive sexuais (no caso da rainha pagã imoral Jezabel, Herodias, a dança de Salomé, etc.), o que denota seu egoísmo e egocentrismo. 
6) Concilia Religiosidade, Ética e Imoralidade. 
7) Amigo do Evangelho, mas não abandona o pecado. 
C) Jezabel/Herodias: as características desse espírito que podem ser observadas nas pessoas por ele possuídas e/ou influenciadas são: 
1) Manipulação por excelência. Pessoa dominadora e autoritária. Ao contrário do Acabe, que é um “manipulador passivo”, ou seja, manipula através da autopiedade, Jezabel é uma “manipuldora ativa”, vale dizer, ela mesma arma o esquema, é ousada para fazer o mal. Ela “controla os fantoches” 
2) Principais características: a intimidação, o engano, a rebelião, a religiosidade e o oculto. 
3) Busca títulos e posições. Esse espírito influencia diretamente a liderança (marido, gerente, pastor, etc.) em virtude do espaço que a própria liderança lhe confere, e isso em virtude da sua insegurança e carência. Herodias e Jezabel levavam, respectivamente, Herodes e Acabe “na palma da mão”. Faziam tudo que eles queriam. Concordavam e apoiavam tudo que eles faziam, mesmo se estivesse muito errado. Assim, usam a autoridade alheia para atingir seus objetivos malignos. 
4) Usa o desprezo como arma. Pisa nos fracos e nos indefesos para se sobressair, inclusive ressaltando a falha dos outros para poder aparecer. Se alimenta das fraquezas da pessoa que ocupa uma posição de autoridade. 
5) Tendência para imoralidade, sensualidade (imoralidade latente), desprezando a família. Tem por objetivo destruir a família (Herodias abandonou seu marido para se unir a Herodes, porque este tinha posição de autoridade, e expôs a própria filha à imoralidade ao próprio Herodes e aos que estavam à mesa com ele, só para ter a cabeça do profeta. A religião de Jezabel incluía cultos à imoralidade com todo tipo de orgia sexual). Herodias tem sua própria filha debaixo de seu jugo. Também Herodias tem Herodes debaixo de seu jugo, de tal forma que ele dá um presente para Herodias no seu próprio aniversário (ver Mc 6:21-28). 
6) Sutileza. Sabe jogar com as pessoas. Proporciona um ambiente de falsa paz mesmo vivendo no pecado. Consciência cauterizada. É praticamente um jogo de xadrez. 
7) Adora agir sorrateiramente, inclusive usando artimanhas religiosas como o jejum apregoado para acusar Nabote, o qual morreu “em nome de Deus”, acusado pelos anciões da época de “blasfemar”, pois Acabe queria roubar sua herança. Note que ainda assim o nome de Jezabel não apareceu, mas era ela quem estava por trás de tudo. 
8) Age no oculto e no escondido. Uma das principais ferramentas para se manter oculta é o engano, a imitação, a falsa profecia, o torcer da Verdade. Aqui também vale tudo para manter a aparência. 
9) Odeia os profetas porque eles a expõe e tiram dela esse manto de ‘invisibilidade’, do oculto, do escondido. Seu intento é matá-los. 
10) Seu principal propósito é tirar as pessoas da sua posição conforme a Palavra de Deus. Age entre pais e filhos. Marido e esposa. Líderes e liderados, etc. 
Importante apontar que Jezabel não vive sem um Acabe. Um “se alimenta” do outro. Um depende do outro, em uma espécie de relação de simbiose doentia e maligna. Estamos diante de dois espíritos malignos (o de Jezabel e o de Acabe) que se unem para se “auto-nutrir”, e têm por fim matar os profetas do Senhor e corromper o povo de Deus. 

Sabe o que mais me impressionou? É que este esquema é aplicado pelo diabo em nossas famílias, onde o marido não toma sua posição como líder, sacerdote, protetor e provedor do lar. Ele se omite. Um verdadeiro Acabe. E isso ocorre muitas vezes por imaturidade, pelo homem não se desligar dos pais, por falta de experiência e de busca para com Deus, etc. 

Daí a esposa se sente insegura, pois a mulher precisa da segurança do marido que é a cabeça do casal. Deus fez assim. E, em virtude dessa insegurança, a esposa toma à frente das situações, pois o marido não o faz. E, aos poucos, temos uma inversão de valores e papéis, a saber: um marido “banana” que não é o sacerdote da casa, que não sabe tomar decisões, que não protege sua esposa e filhos, que se omite em buscar a Deus, etc., e uma mulher “sargentona”, que manda no marido, toma as decisões da casa e, é, por vezes, a sacerdotisa do lar, já que o marido não tem comunhão com Deus. 
Quanto a isso não me entendam mal. A mulher deve busca ao Senhor, deve assumir sua posição como sacerdotisa do Deus vivo, mas a responsabilidade de ser o sacerdote da casa é do marido e não da mulher, e quando isso não ocorre, a mulher acaba ocupando essa posição, e ocorre uma distorção do plano de Deus para a família. 
Esse é o retrato de muitas famílias, inclusive dentro da Igreja. 

Hoje a sociedade está tão impregnada disso, que o que mais se tem são crianças sem a figura do pai, as quais crescem sem a referência da paternidade, seja pela ausência física e/ou emocional. Mulheres que lutam sozinhas para criar seus filhos, sem qualquer apoio ou segurança de um homem. 

Eu não quero ser machista aqui. Não é esta minha intenção. Contudo, quero chamar a atenção para um quadro demoníaco bastante sutil que vem sendo pintado na sociedade já há anos. 

Por favor, pare por um momento e pense: em qual desses três perfis traçados anteriormente você se enquadra? ... Perguntinha difícil né... É... Quando essas informações chegaram até mim também fiz essa pergunta, e cheguei à conclusão que é preciso ter coragem para enfrentar a realidade, e também a Verdade. 

O modelo biblicamente correto seria uma família onde o pai é o sacerdote, aquele que tem comunhão (de preferência absoluta) com o Espírito de Deus, o líder, protetor e provedor, repassando a segurança e o amor de Deus para sua família, onde a esposa o auxilia, inclusive espiritualmente, cada um com seus ministérios, que se completam e se fundem, e os filhos obedecendo aos pais, os quais têm a responsabilidade de orientá-los para um caminho santo com Jesus, e protegê-los do mal. 

Embora essas não sejam minhas áreas, é interessante apontar o que alguns estudos da psiquiatria, psicologia e até pedagogia expõe: as meninas se apóiam muito nos pais, enquanto têm a mãe por exemplo de mulher. Já os meninos se apóiam muito nas mães, enquanto têm o pai como exemplo de homem. Isso é comprovado cientificamente, porém não temos espaço para tecer maiores comentários a respeito do tema. 
Agora, se a figura paterna se ausenta, as meninas ficam sem apoio (segurança) e os meninos não têm em quem se identificar, gerando pessoas que crescem em crise de identidade. 

O diabo conseguiu inverter tanto os papéis, não só no casamento, mas na sociedade em geral, de forma que a mulher está tomando cada vez mais a posição do homem e, o homem cada vez mais toma a posição da mulher. O extremo dessa situação é o crescimento assustador do homossexualismo e do lesbianismo. 
Mais uma vez quero ressaltar a necessidade de equilíbrio. Não quero dizer aqui que a mulher deva deixar de trabalhar, estudar, ou que não tenha ministério, inclusive profético, na Palavra, nas inúmeras manifestações do Espírito Santo. Não. Quero apenas apontar para esse engano sutil do maligno que tem passado despercebido durante anos dentro das igrejas. Quero ressaltar apenas que as irmãs não devem deixar seus papéis de esposa e mãe. Glória a Deus! Pois o Senhor tem levantado homens e mulheres compromissados com Ele e com Sua Palavra para combater essa distorção. 
Por fim, você sabe como a Bíblia nos ensina a destruir isso? Destruindo o Acabe. 
Se você tentar enfrentar Jezabel diretamente é bem provável que ela te fulmine, mas se você retirar o apoio dela (o Acabe), você a destrói, porque ‘ela’ não vai ter mais quem parasitar. 

Veja os exemplos bíblicos: Jezabel só foi morta por Jeú (Rei de Israel) após a morte de Acabe (ver I Re 22:31-40 e II Re 9:30-37). Também depois que Herodes morreu ferido por um anjo do Senhor, Herodias não teve mais poder e sucumbiu, pois a Bíblia nos diz que a Palavra de Deus crescia e se multiplicava depois desses acontecimentos (At 12:21-24). 

Assim, essa potestade perde sua força quando os homens tomam seus lugares diante de Deus, conforme a instrução bíblica, seja na família, seja na Igreja, etc. Lembrando que a mulher também deve se colocar em sua devida posição. 
É importante deixar claro que esses espíritos malignos de Jezabel e Acabe não têm sexo. São entidades demoníacas que atacam, preferencialmente, mulheres e homens respectivamente. 

Existem casos de homens que são possuídos ou influenciados por um espírito de Jezabel. Aqui a intimidação pode ser vista com mais intensidade, onde o homem é extremamente autoritário e agressivo (até violento), machista e impositivo, anulando e/ou esmagando a esposa, e a mulher, mesmo sabendo da situação (como traições, violência por parte do marido), simplesmente não consegue reagir. Alguns exemplos bíblicos de homens possuídos e/ou influenciados por esse espírito de Jezabel são Balaão e Absalão. 
Por fim, gostaria de apontar que, geralmente são os profetas que expõe esses espíritos malignos, como Elias, Eliseu e João Batista fizeram, mas quem deve removê-los são as pessoas que detém autoridade da parte de Deus, e não os profetas. 

Foi Jeú, Rei de Israel, quem matou Jezabel, depois que Acabe morreu. No caso de Herodias, foi um anjo do próprio Deus quem matou Herodes e, por conseq6uência, sua rainha foi removida. E, em Apocalipse 2:18-29, Jesus escreve ao pastor da Igreja de Tiatira, que era a pessoa que detinha a autoridade de Deus para remover Jezabel da Igreja.   

O objetivo desse artigo foi apenas expor uma situação que acomete a Igreja hoje. Nosso intuito é que, através do Poder do Espírito Santo e da renovação das nossas mentes pela Palavra do Senhor Jesus, nós possamos vencer, pois o desejo de Deus é que vençamos, como disse um certo pastor em uma de suas visitas à nossa congregação. Essa declaração foi algo que me marcou muito, pois Deus não quer que você e eu sejamos derrotados, mas sim, mais que vencedores em Cristo Jesus! 
Um forte abraço! 

E que Deus continue nos abençoando ricamente com Sua Presença, em nome de Jesus! 
Amém...
BISPO/JUIZ.PHD/THD.DR.EDSON CAVALCANTE

0 comentários:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.