Subscribe:

domingo, 19 de agosto de 2012

A ÚLTIMA ESPERANÇA DE SATANÁS...


 

A ÚLTIMA ESPERANÇA DE SATANÁS

   Apesar de ter sido derrotado na cruz do Calvário, Satanás ainda deseja ardentemente reverter a situação em que se encontra.
   Mais do que qualquer outra criatura, ele é o grande conhecedor das Escrituras Sagradas.
   Ao longo dos tempos, tem se aplicado ao seu estudo com dedicação e afinco admiráveis, embora não tenha nada de admirável o propósito que o impulsiona.
   Sua obsessão em bem entender a Bíblia deve-se ao desejo doentio de encontrar alguma brecha, alguma oportunidade para frustrar o Plano de Deus.
   Na verdade, a lógica de seu raciocínio é bastante simples: ele pensa que se puder encontrar um modo de impedir que se cumpra alguma das previsões da Bíblia que antecedem a Segunda Vinda, Jesus não virá.
   Por exemplo: o último grande sinal geral que antecede a volta de Jesus está em Mateus 24:14:
   “E será pregado este Evangelho do Reino por todo o mundo, para testemunho a todas as nações. Então virá o fim”.
   A pregação do Evangelho em todo o mundo preparará a humanidade para a volta de Jesus, e então virá o fim.
   Satanás pensa que se puder impedir que o Evangelho seja pregado em todo o mundo, e assim impedir que todas as nações sejam advertidas, então o mundo não estará preparado e Cristo não poderá vir nas condições em que prometeu.
   Se assim for, ele, o dragão, continuaria a reinar neste mundo como soberano para todo o sempre.
   Como dissemos, idéia principal de seu plano é simplesmente impedir que se cumpra alguma das profecias dos acontecimentos que antecedem a volta de Jesus.
   A idéia é essa, que até parece boba, de tão simples; mas que ninguém se espante, pois não se trata de nenhum método novo.
   Ele já fez a mesma coisa muitas vezes antes, e a Bíblia tem muitos exemplos:
-   Tentou colocar Ismael em lugar de Isaque;
-   Tentou fazer com que Esaú matasse Jacó;
-   Trocou a esposa de Jacó, para mudar seus filhos;
-   Tentou destruir José, no Egito;
-   Envolveu Moisés num crime, para tentar afastá-lo;
-   Manipulou o relatório dos 12 espias de Canaã;
-   Incitou Saul contra a vida de Davi;
-   Levou Absalão a tomar o reino e tentar matar o rei Davi;
-   Repetiu a dose com Adonias, que também quis o reino;
-   Tentou eliminar os judeus no cativeiro, ao tempo de Ester;
-   Tentou matar Jesus quando menino,
-   Tentou fazer com que Jesus Se desviasse de Sua missão;
-   Tentou eliminar a Igreja primitiva com perseguições;
-   Assumiu o controle da igreja que não conseguiu destruir, e
-   Prossegue no esforço para eliminar a Igreja de Deus até hoje.
Sendo vitorioso em qualquer dessas ações, Satanás teria jogado o povo de Deus na idolatria irremediável, teria apagado o conhecimento do Deus Verdadeiro, teria cortado a seqüência planejada por Deus até o nascimento do Messias, tentando impedir a Primeira Vinda.
Mas, como Satanás está hoje trabalhando para impedir o cumprimento das profecias?
   Para entender isso melhor, vejamos brevemente os dois tipos principais em que se dividem os  acontecimentos  que  antecedem a volta de Jesus:
-    Uns são os que acontecem por ação direta e exclusiva de Deus, como os sinais no sol, na lua e nas estrelas, e
-    Outros são aqueles onde existe a participação humana; exemplo disso é a pregação do Evangelho a todo o mundo, numa ação divina usando a Igreja.
Em relação ao primeiro tipo de acontecimentos, Satanás não tem absolutamente nada a fazer,
mas quanto ao segundo, é exatamente aí que ele pensa que pode tornar as coisas diferentes do que está profetizado.
Sendo assim, a pergunta lógica é:
– Que meios ele tem para impedir a Igreja de pregar o Evangelho a todo o mundo, e o preparo para a volta de Cristo?
Lembremos que Satanás é rebelde, mas não é nenhum burro;
Que ele é um anjo caído, mas certamente ainda é um anjo,
Que é excepcionalmente astuto,
excepcionalmente inteligente e perseverante,
que não desperdiça esforços,
e que faz as suas ações se concentrarem em dois grupos distintos de pessoas:
-    Os que estão fora da Igreja Verdadeira, e
-    Os que fazem parte da Igreja Verdadeira.
Fora da Igreja existem dois grupos: os que estão nas diversas igrejas de Babilônia,
e os que ainda não estão em igreja nenhuma – os ateus.
Lembremos que o Apocalipse define Babilônia como sendo um agrupamento de igrejas e crenças de diversas tendências, onde todas têm em comum a infidelidade à Palavra de Deus.
O objetivo do inimigo é manter-lhes as mentes fechadas à mensagem do Evangelho.
Dentro da Igreja também estamos divididos em dois grupos:
o das virgens prudentes, que estão ativos, testemunhando e cuidando do seu preparo,
e o das virgens loucas, que não estão ligando muito para a época em que vivemos.
Enquanto Satanás se esforça para manter um grupo dormindo, ele atrapalha e sobrecarrega o trabalho do outro.
Vejamos alguns detalhes sobre os de fora.

Os Sinceros que Ainda estão em Babilônia

   O Espírito de Profecia diz que uma quantidade enorme de fiéis filhos de Deus ainda são membros das diversas igrejas que fazem parte de Babilônia.
   Todos esses são pessoas sinceras, que servem a Deus conscienciosamente, de acordo com a melhor luz que possuem.
   Em suas igrejas, exercem uma influência moderadora e restritiva aos poderes malignos que comandam Babilônia. A maior parte deles está nas igrejas evangélicas, mas também existem muitos sinceros nas fileiras do romanismo.
   Satanás os conhece, e sabe muito bem que muitos deles só continuam em Babilônia porque estão enganados; por esse motivo, fará tudo quanto puder para mantê-los cegos no seu engano.
   Ao ser levantada a discussão com respeito à necessidade de uma lei dominical, serão eles levados a investigar a Bíblia, e, os que aceitarem a luz do Espírito Santo abandonarão suas igrejas e se unirão à Igreja dos que guardam os mandamentos de Deus e têm o testemunho de Jesus.
   Ao saírem de lá, a perda de sua benéfica influência fará com que a queda espiritual de Babilônia se acelere e se complete.

Os Ateus

   Existem alguns entre os ateus que assim são porque se desiludiram pelo mau testemunho dado por maus cristãos, e pela falta de melhor conhecimento a respeito do Deus verdadeiro. Esses são pessoas sinceras e sensíveis à argumentação da Verdade.
   Essa minoria, formada por homens sinceros nas suas crenças, ao perceber a crescente agitação religiosa no mundo e a conseqüente polarização da humanidade em apenas dois grupos, começará a investigar as informações referentes à existência de Deus e será sensível à ação do Espírito Santo, tendo também a sua chance de salvação.
   Satanás também os conhece, e acompanha bem de perto essa minoria sincera; por isso ele se esforça incansavelmente para que a eles não cheguem os raios de luz da Verdade que um dia os fará mudar sua postura quanto a Deus, e então mudar de lado.
   No entanto, a maior parte dos ateus que hoje existem no mundo, continuará assim até que resolva fazer parte da grande confederação de Babilônia, na rebelião aberta contra Deus.
   Ninguém ficará neutro na crise final, pois até mesmo os que se dizem ateus escolherão um lado.

Os que Estão na Igreja Verdadeira (As Dez Virgens)

   A estes, satanás trata de duas maneiras diferentes.
   Sempre que ele não consegue travar o andamento da Obra em algum lugar, ele trata de empurrar na direção errada, pois o que lhe interessa mesmo é assumir o controle, como já fez antes com a Igreja Cristã.
   Ao mesmo tempo em que usa todas as suas forças malignas para dificultar o trabalho dos que formam o grupo das Virgens Prudentes, dos que estão trabalhando ativamente na pregação do Evangelho, repartindo cargas na igreja e dando constante testemunho de vida em casa, no trabalho, entre os amigos e mesmo dentro da própria igreja,
   Satanás embala o berço das Virgens Loucas, que continuam a dormir tranqüila e despreocupadamente, só se manifestando para reclamar do barulho que o outro grupo faz com seu trabalho, o que lhes torna o sono desconfortável.
  

Contra o grupo dos que estão

ativos e animados na Igreja
   De todas as formas possíveis, Satanás faz tudo quanto pode para desanimá-los, juntando cargas e mais cargas às que já carregam.
   Ele cria problemas de relacionamento dentro da própria família, jogando uns contra os outros, fazendo com que percamos a paciência e o autocontrole.
   Também cria problemas no trabalho,seja pela intolerância dos descrentes, seja por dificuldades inerentes ao próprio serviço, fazendo com que nos ocupemos ao máximo com coisas desnecessárias, impedindo, na medida do possível, que usemos como poderíamos nosso tempo para Deus.
   No ambiente da igreja não poderia ser diferente; aqui ele manipula situações  para  que  irmãos  percam  tempo  discutindo por coisas fúteisdividindo departamentosdividindo a própria igreja.
   Dividir a igreja é uma obra que lhe dá especial satisfação, uma satisfação que não encontra em outros lugares.
   Ele joga os irmãos uns contra os outros, faz com que gastem suas energias em discórdias e discussões, quando poderiam e deveriam estar juntando forças para juntos pregar o Evangelho com entusiasmo e poder.
   E como ele faz isso?
   Tirando proveito das características da personalidade de cada um, pois ele é a criatura mais habilidosa em psicologia humana que existe, fruto de milênios de observação cuidadosa e de aprendizado constante.
   Ele semeia a vaidade, a inveja e a discórdia, aduba com a sede de poder e ambição e, no momento exato, cria uma situação de hostilidade para que se trave ou tumultue o andamento da obra.
   E que tipo de vantagem Satanás consegue com suas intrigas?
   Consegue que percamos tempo, que atrasemos o nosso trabalho, e que a pregação do Evangelho não avance, ou então que avance muito menos do que poderia avançar, pois os seu objetivo é retardar, e, se possível, impedir a volta de Jesus.
   Observando o que tem acontecido na nossa igreja, não há como deixar de ver que o inimigo tem conseguido frear a obra com bastante sucesso.
   Se alguém duvida, então veja:
-   Quantas de nossas famílias fazem todos os cultos diários?
-   Qual o percentual de membros batizados que faz o ano bíblico?
-   Qual o percentual de nossos membros que verdadeiramente apóia as atividades missionárias da igreja quando solicitado?
-   Quantos de nós se apresentam com alegria e disposição para distribuir folhetos, para pesquisar interessados em estudos bíblicos, ou para orar espontaneamente por tais atividades?
-   Quantos de nossos membros participam regularmente dos cultos da igreja aos domingos e quartas-feiras?
-   Quantos de nossos membros já deram algum  estudo  bíblico a um interessado, ou mesmo que trouxeram alguém para  estudar e conhecer a verdade?
-   Quantos de nós saberiam explicar claramente as razões de sua fé?
-   Quantos de nós estudam regularmente as lições da Escola Sabatina, de modo a serem capazes de ensinarem o que crêem a outra pessoa?
   Tenho certeza de que a grande maioria dos que respondem “Sim” a todas as perguntas feitas pertencem ao grupo das “virgens prudentes”, dos que tem o óleo do Espírito Santo em suas lâmpadas, e estão ativamente esperando pela volta de Jesus.
   Não estão apenas esperando, estão fazendo a sua parte para apressar aquele bendito dia.

Porque isso está assim?

O passado nos ensina algo.
   Entre o povo que saiu com Moisés do Egito, a Bíblia nos diz que havia um misto de gente, ovelhas, gado, muitíssimos animais (Êxodo 12:37).
   Era um povo que tinha um olho em Deus e outro no mundo.
   Pois aquele mesmo povo, que havia testemunhado a queda de dez pragas sobre os egípcios, que havia testemunhado do poder do Deus Vivo,
   Aquele mesmo povo que testemunhou e ouviu a proclamação dos Dez Mandamentos feita pela voz do próprio Deus de sobre o monte Sinai,
   Aquele mesmo povo foi capaz de murmurar contra seus líderes, contra Moisés e contra Deus.
   Murmuraram mesmo diante das fronteiras da Terra Prometida, na mesma situação em que hoje nos encontramos.
   O resultado todos nós sabemos: aquela geração morreu inteira no deserto, sem conseguir entrar na herança de Deus.
   Por descrença, por falta de fé.
   Hoje também temos os nossos murmuradores.
   Eles são vistos com mais freqüência nos cultos de Sábado; entram na igreja, sentam-se, cantam, participam das orações, e pouca coisa mais.
   Alguns até se dão ao trabalho de  observar tudo, sempre prontos a usar suas afiadas línguas quando vêem de alguma coisa que desaprovam. Outros participam de atividades, em algum departamento da igreja.
   Há também os que se atrevem a criticar abertamente o pastor e a liderança, como se fossem os donos da Verdade e como se carregassem grandes cargas, ou se com isso pudessem contribuir para o progresso da obra.
   Só que, se usarmos o conselho de Jesus para avaliar o que fazem, ninguém conseguirá ver os frutos dessas pessoas.
   Mostram muita folhagem, são verdejantes, talentosos, exuberantes, e alguns são admirados por seus talentos, mas não passam disso.
   Resultados reais, frutos para o crescimento da Igreja e da Obra, isso ninguém consegue ver.
   Lembro de Mateus 21:18-20, quando Jesus teve fome de manhã, ao voltar para a cidade “e, vendo uma figueira à beira do caminho, aproximou-Se dela; e, não tendo achado senão folhas, disse-lhe: – Nunca mais nasça fruto de ti. E a figueira imediatamente secou”.
   Como será quando Jesus nos pedir os nossos frutos?
   O que cada um de nós terá para Lhe apresentar?
   As pessoas desse grupo também não conseguem trabalhar em equipe com outros irmãos, pois suas idéias e métodos são personalistas demais para se integrarem com as atividades de outros.
   São dominadores, e se as coisas não forem como eles pensam, então negam o seu apoio, negam até a sua simpatia, mas nunca deixam de oferecer suas críticas de graça – só críticas, raras são as propostas de solução aproveitáveis.
   E o que tem a ver essa questão dos murmuradores com o esforço de Satanás para frustrar alguma profecia?
O que você tem a ver com isso?
   Tem a ver que imobilizar parte da Igreja é parte do esforço para atrasar, ou mesmo paralisar a Obra.
   Tem a ver que o sucesso do plano de Satanás depende da forma como respondemos ao encargo que Jesus nos deixou em Mateus 28:18-20.
   Você e eu temos parte definida neste grande trabalho de arremate da pregação do Evangelho que prepara o mundo para a volta gloriosa de Jesus!
   Uma estátua pode ser algo com a aparência de um santo, mas, na verdade é apenas uma estátua, um objeto, nunca um verdadeiro santo.
   O tempo em que vivemos não é mais tempo para murmurações nem para estátuas de santos, mas é, sim, o tempo de os santos verdadeiros se levantarem e terminarem a missão, com o fogo do Espírito Santo bem aceso em seus corações.
   Logo não teremos mais a liberdade que ainda temos.
   Logo teremos de fazer em circunstâncias difíceis, desanimadoras mesmo, o que não fizermos agora.
   Há uma grande obra a ser feita no mundo, uma obra que será feita pelos santos que Deus tem aqui mesmo dentro desta igreja, uma obra de chamar para a Verdade os sinceros que ainda estão em Babilônia.
   Uma obra de ensinar a Verdade aos que estão sequiosos por conhecê-la.
   Uma obra de unir o povo de Deus, de todos os lugares por onde hoje ainda está espalhado, para receber Jesus com os braços erguidos para o Céu e com o rosto iluminado por santo entusiasmo.
   Os nossos murmuradores, bem, eles não participarão deste trabalho glorioso.
   Quando a pressão do inimigo se fizer mais forte,
   quando as ameaças se tornarem reais,
   quando todos tivermos de escolher entre continuar no emprego e sermos fiéis à Verdade,
   quando todos tivermos de escolher entre a morte ou a fidelidade a Deus,
   quando esse tempo chegar, os nossos murmuradores, os que hoje recusam unir-se aos que levam a sério a Grande Comissão Evangélica, infelizmente esses sairão de nossa comunhão para unir-se a ao grito feroz de outro grupo, o dos que seguem a imagem da besta.
   Em Hebreus 3:12-13 há uma amorosa advertência de Deus para nós: “Tende cuidado, irmãos, jamais aconteça haver em qualquer de vós perverso coração de incredulidade que vos afaste do Deus vivo; pelo contrário, exortai-vos mutuamente cada dia, durante o tempo em se chama Hoje, a fim de que nenhum de vós seja endurecido pelo engano do pecado.
   A carta foi escrita aos Hebreus.
   Aos mesmos Hebreus que um dia foram o povo de Deus, como nós somos hoje.
   O tempo que se chama Hoje é tempo de decisão.
   Cada um de nós deve decidir se deseja ser realmente um santo, vivo, vibrante, entusiasmado com a Verdade que professa crer, espalhando o conhecimento do Deus Verdadeiro em todos os lugares,
   ou se deseja ser algo diferente, se deseja continuar sendo apenas uma estátua dentro da igreja, alguém que se parece com um santo, mas alguém espiritualmente morto, uma estátua que não vai para o Céu.
   Veja bem: para que a esperança de Satanás possa continuar acesa, ele precisa da cooperação das nossas estátuas para retardar e, se possível, até impedir a volta de Jesus.
   Ele é o acusador, o incentivador de todas as murmurações, o fabricante de estátuas, sempre foi.
   E você, de qual lado está?
   Seu coração é de gesso ou é de carne?
   Deus prometeu dar um coração de carne aos Seus filhos.
   Apocalipse 3:20 nos fala de Jesus: “Eis que estou à porta, e bato; se alguém ouvir a Minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e cearei com ele e ele Comigo”.
   Jesus está, agora mesmo, batendo à porta do seu coração.
   Você consegue ouvir Sua voz? Ele deseja entrar em sua vida.
   Em Hebreus 3:15 o próprio Deus nos apela: “Hoje, se ouvirdes a Sua voz, não endureçais os vossos corações”.
   Você consegue ouvir-Lhe a voz? A escolha é sua.
   Só sua, e Deus a respeitará, seja qual for.
   E agora?
   Você fica no grupo dos que alimentam a esperança de satanás,
   Ou você ouve a voz de Deus e aceita o Seu convite?
   Faça a sua decisão.
   Aceite a vida hoje. Agora!
   Não deixe para mais tarde.
   Aceite a oferta de Deus...
BISPO/JUIZ.PHD.THD.DR.EDSON CAVALCANTE

0 comentários:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.