Subscribe:

segunda-feira, 2 de julho de 2012

AMAR É...

                                                            AMAR É...

1 Cor 13: 1-4 - Pregação 1 de 3

“O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece. Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal; Não folga com a injustiça, mas folga com a verdade; Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.” 1 Coríntios 13:4-7, BRP.


Amados em nosso Senhor Jesus Cristo:

Paulo nos primeiros três versiculos deste capitulo nos ensinou que há um caminho sobremode excelente; que existe algo fundamental, sem o qual até os maiores sinais e prodígios não valem nada, não adiantam nada.  Algo não somente mais fundamental do que os maiores sinais e prodígios, mas até mais fundamental do que o mais perfeito conhecimento das verdadeiras doutrinas de Deus.

O amor.  Graças a Deus, o Espirito Santo não somente inspirou Paulo para enfatizar a importância de amor, mas também o inspirou para nos dar uma descrição do amor, nos versiculos 4-7.  Isto é de grande importância.  Hoje em dia, a palavra "amor" é uma palavra barata.  Se fala muito de amor.  Têm hoteis todo canto, com placas anunciando o "amor".  Tudo mundo está a procura do amor:  amor próprio, em primeiro lugar, e em segundo lugar um amor tipo "Hollywood".  Não pense que quando você estã assistindo um filme ou um video ou uma novela, que você não está ouvindo uma pregação!  Não existe neutralidade neste mundo.  Estamos numa guerra de culturas:  a cultura do povo de Deus, e a cultura dos filhos da desobediência.  Em toda revista, livro, novela, e filme, o mundo está pregando sua mensagem venenosa.  Esta mensagem, especialmente nos filmes e novelas, quer nos ensinar que podemos e devemos deixar tudo, sacrificar tudo, mesmo nosso casamento, em busca deste amor emocionante.

Mas a descrição da Palavra de Deus vai de encontro a esta ideia barata e imunda do amor.  Em quanto que o "amor" pregado e procurado pelo mundo reflete o caratér do homen no seu estado natural, e é nada menos do que a procura egoista de satisfazer seus próprios desejos; o amor que é fruto do Espirito de Deus é completamente o contrário.  É um amor que reflete o caráter de Deus; é um amor sacrifical.  

O que Paulo está nos ensinando nestes versículos, é em primeiro lugar o próprio caráter de Deus.  Deus é amor; e não tem prova maior disto, não há manifestação maior deste amor do que o próprio Senhor Jesus Cristo.  NEle, Deus Pai revelou Seu amor duma forma tão profunda que nós precisamos duma eternidade para aprendermos como louvá-Lo.

Nosso texto em primeiro lugar nos revela quem é Jesus.  Podemos, neste capítulo, colocar o nome "Jesus" a cada vez onde tiver a palavra "amor".  A definição do amor é como um quadro que nos mostra as qualidades do nosso Deus e Salvador.

Em segundo lugar, esta descrição nos ensina qual é a verdadeira manifestação da obra do ES na vida do filho de Deus.  O amor é o primeiro fruto do Espírito! Gálatas 5:22:
 “Mas o fruto do Espírito é: amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio.” O amor é a marca da verdadeira congregação dos discipulos de Jesus! João 13:35: “Nisto todos conhecerão que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros.” 

Amados, é bom para nós estudarmos estes versículos, para aprendermos mais sobre o caráter do nosso Salvador, e para aprendermos mais quais são as verdadeiras manifestaçãoes do Espirito Santo em nossas vidas.


O amor é paciente, o amor é benigno.  

É difícil traduzir estes versículos, por que Paulo usa palavras tão ricas, cheias de significado.  "Paciente" nem chega perto a exprimir o que Paulo está dizendo aqui.  A palavra que ele usa, se refere a longanimidade de Deus.  

“Passando, pois, o SENHOR perante ele, clamou: O SENHOR, o SENHOR Deus, misericordioso e piedoso, tardio em irar-se e grande em beneficência e verdade;” Êxodo 34:6

Nos, se alguem nos maltrata, nos abusa, ficamos logo iritados.  Queremos logo nos defender; queremos satisfação.  Mas o amor divino é longânimo.  Paciente.  

Jonas sabia disto.  Por isto ele reclamou com Deus, quando Nínive não foi destruido!  
“E orou ao SENHOR, e disse: Ah! SENHOR! Não foi esta minha palavra, estando ainda na minha terra? Por isso é que me preveni, fugindo para Társis, pois sabia que és Deus compassivo e misericordioso, longánimo e grande em benignidade, e que te arrependes do mal.” Jonas 4:2

Não tem prova maior desta paciencia misericordiosa de Deus, do que a historia deste mundo, e a história do povo de Deus.  Pensem por um momento sobre toda a maldade, todas as coisas terríveis acontecendo todo dia neste mundo, desde a queda.  Nós não aguentamos as poucas coisas que nos ouvimos sobre a maldade do homen.  Basta uma só coisa e já não queremos ouvir mais.  Um tempo atrás nas notícias ouvimos de um homen que estuprou e esfaqueou duas pequenas meninas.  

Se isto já nos deixa abalado, imagine Deus que sabe tudo!  Aquele que por milhares de anos está assistindo a maldade do homen.  Nenhum pecado, nenhum assalto, nenhum abuso, nenhuma coisa ma acontece sem Deus ver.  Se é dificil para nos pecadores aguentar apenas um pecado terrível, quanto mais Deus que é santo, aguentar todos os pecados publicos e secretos de bilhões de seres humanos durante milhares de anos?

Muitas vezes o homen reclama contra Deus!  "Como um Deus todo poderoso pode deixar coisas assim acontecer?"  A resposta Bíblica é:

“E tu, ó homem, que julgas os que fazem tais coisas, cuidas que, fazendo-as tu, escaparás ao juízo de Deus? Ou desprezas tu as riquezas da sua benignidade, e paciência e longanimidade, ignorando que a benignidade de Deus te leva ao arrependimento?” Romanos 2:3,4

“O Senhor não retarda a sua promessa, ainda que alguns a têm por tardia; mas é longánimo para conosco, não querendo que alguns se percam, senão que todos venham a arrepender-se. Mas o dia do Senhor virá como o ladrão de noite; no qual os céus passarão com grande estrondo, e os elementos, ardendo, se desfarão, e a terra, e as obras que nela há, se queimarão. Havendo, pois, de perecer todas estas coisas, que pessoas vos convém ser em santo trato, e piedade, Aguardando, e apressando-vos para a vinda do dia de Deus, em que os céus, em fogo se desfarão, e os elementos, ardendo, se fundirão? Mas nós, segundo a sua promessa, aguardamos novos céus e nova terra, em que habita a justiça. Por isso, amados, aguardando estas coisas, procurai que dele sejais achados imaculados e irrepreensíveis em paz. E tende por salvação a longanimidade de nosso Senhor; como também o nosso amado irmão Paulo vos escreveu, segundo a sabedoria que lhe foi dada;” 2 Petro 3:9-15


Se Deus é longanimo com este mundo, quanto mais com seu próprio povo.  Sabemos que o povo de Deus atraves dos séculos quasi sempre estava se desviando do caminho do Senhor.  Era um povo rebelde e infiel.

Mais que lemos o AT, mais que percebemos a paciencia, o amor longanimo de Deus.  Ele é justo!  Ele julga o pecador!  Com certeza.  Sem dúvida.  Mais ele demora seu julgamento, para dar tempo para arrependimento!

“Desejaria eu, de qualquer maneira, a morte do ímpio? diz o Senhor DEUS; Não desejo antes que se converta dos seus caminhos, e viva?” Ezequiel 18:23

Vocês entendem o que é o amor de Deus?  A longanimidade de Deus? Não é que Ele esquece de justiça. 

“O SENHOR é longánimo, e grande em misericórdia, que perdoa a iniqüidade e a transgressão, que o culpado não tem por inocente (mas que da forma alguma tem o culpado por inocente), e visita a iniqüidade dos pais sobre os filhos até à terceira e quarta geração.” Números 14:18

Hoje em dia, muitos que se dizem crentes só querem falar de amor.  Alguém está vivendo em pecado?  Vamos amá-lo.  Não vamos tocar neste assunto tão sensivel.  Vamos falar duma forma positiva.  E assim eles tornam o profundo e precioso amor de Deus em tolerânica imunda do pecado.  

Devemos entender que no amor paciente de Deus, o amor longânimo de Deus, tem graça e julgamento.  Ele demora a se irar, com o proposito de levar ao arrependimento!  

Este amor tão gracioso que Ele está mostrando ao mundo--adiando seu julgamento para dar tempo aos ímpios de se arrependerem--este amor tornou se ainda mais precioso quando se refere a nos.

Irmãos, somos beneficiários desta paciência!  Imagine se Deus tivesse julgado o mundo 200 anos atrás.  Ou talvez 50 anos atrás.  Quasi nenhum de nos seria salvo!  Nenhum de nos conheceria o Senhor!  Ele adiou seu justo juízo sobre esta terra, por sua salvação.  Para te salvar.

E quando Ele por pura graça atuou em seu coração, e te levou para o arrependimento, Ele não adiou mais sua ira contra teus pecados.  Ele os castigou completamente --- no Seu próprio filho.  Isto é amor.  Não é amor barato.  É amor que tem um preço altissimo. 

Mat 18:23 ff fala sobre um servo que devia muito dinheiro ao Rei.  O Rei mandou pagar a dívida.  E o servo (v 26) clamou para clemência:  usou esta palavra do nosso texto:  sê generoso para comigo.  Sê paciente.  Não estava pedindo o Rei de esquecer a divida.  Apenas estava querendo mais tempo antes do julgamento. 

Em lugar de adiar ainda mais o dia de prestar contas, o Rei disse:  eu perdôo tudo.  Este perdão não veio sem custo.  Custou sangue, sofrimento, lágrimas—custou a tortura e morte terrível do próprio filho de Deus.  Por causa da agonia de Jesus, por causa da maldição de Jesus na cruz, Deus tem condições de exercer paciência com meus pecados e os seus pecados... para nos levar ao arrependimento.

E a lição desta parábola, irmãos, é que nós devemos da mesma forma tratar uns aos outros.  Se somos filhos do Rei, devemos agir como o Rei.  Quem sou eu para cobrar o sangue do meu próximo?  Para cobrar satisfação dele!  Que Deus me dê o amor divino, que é paciente e longânimo com o propósito de levar ao arrependimento e vida!  


Quatro versiculos--uma definição do amor.  E tratamos apenas uma palavra ainda.  Percebem como é profundo o amor de Deus?

Quem de nós tem condições para viver e manifestar tal amor?

É um dom, irmãos.  Se você ama o Senhor Jesus Cristo, ele habite em você , e você nEle.  O Espirito de Jesus habita seu coração.  E o primeiro fruto do Espirito de Jesus em sua vida, é este profundo amor de Deus.  Sem este amor, os maiores sinais e prodigios não prestam, não valem nada.  Sem este amor, o melhor conhecimento de todas as veradades bíblicas não vale nada.  Mas onde este amor existe e atua na vida de um humilde servo de Deus, o Espirito de Deus todo poderoso está presente com poder. 

Amém...
BISPO/JUIZ.PHD.THD.DR.EDSON CAVALCANTE



0 comentários:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.